Geral

Bocalom diz que pode deixar o partido em breve

Na TV, Bocalom revela que declarações de Márcio Bittar causaram problemas no PSDB; Tucano diz que pode deixar o partido em breve

Publicados

Geral

Boca_boca

Na TV, Bocalom revela que declarações de Márcio Bittar causaram problemas no PSDB; Tucano diz que pode deixar o partido em breve

O secretário-geral do PSDB e ex-prefeito de Acrelândia, Tião Bocalom, jogou mais gasolina na nas desavenças que ele vem tendo com o presidente do PSDB no Acre, o primeiro secretário da Câmara, deputado Márcio Bittar. Na noite desta terça-feira, 9, em entrevista ao Programa Gazeta Entrevista, sob o comando do jornalista Alan Rick, o candidato derrotado nas eleições municipais do ano passado manifestou seu descontentamento com problemas internos que vem tomando conta do partido e que existe a possibilidade de ele deixar os tucanos e ir para o PSB ou DEM.

Bocalom afirmou na TV que as declarações de Márcio Bittar em recente entrevista no programa causaram problemas no ninho tucano. “Aquela entrevista criou uma situação constrangedora. Ele [Márcio Bittar] não foi tão feliz na entrevista e então criou alguns problemas internos, muita gente chateada e tal quando ele disse que dentro da oposição tinha coronelismo e dentro do meu próprio partido. E se ele diz isso, se não é ele o coronel, então sobra para o Bocalom. Mas isso a gente deixa passar, para mim não tem problema não. Eu fico tranquilo e eu tenho certeza absoluta que não sou coronel”, revelou o tucano, enfatizando que foi o responsável por abrir as portas para Bittar no PSDB.

“Quando ele veio [Marcio Bittar] para o Partido em 2009,eu era o presidente do partido, muita gente não o queria. E eu fiz questão, a pedido do PSDB nacional, que ele viesse porque eu sabia e que ele era uma grande liderança e que teria destaque como tem hoje”, relembrou Bocalom.

Leia Também:  Agricultora é transportada em rede por seis horas para dar à luz.

Ainda na entrevista, Tião Bocalom externou a sua insatisfação com o rumo que o PSDB vem tomando sob o comando de Marcio Bittar e sobre uma possível saída. “Realmente as especulações estão bastante grandes. Existe uma insatisfação minha lá dentro do partido. Isso é claro, público e notório. Coisas que vem acontecendo internamente. Na verdade, nada que você não possa contornar. A política é assim mesmo. De repente eu não tô me sentindo bem agora e numa conversa todo mundo senta, conversa, orienta, pede e acaba que as coisas se encaixam. Evidentemente que eu tenho recebido convites do PSB, do DEM, do próprio MD que gostariam, se eu deixasse o PSDB, o convite está feito, mas não tem nada certo. Poderá acontecer sim a saída do PSDB”

Perguntado se sua relação com Marcio Bittar está comprometida, Bocalom disse que os dois tem apenas “algumas diferenças”. “Essa entrevista recente aqui nos deixou muito chateados, porque a vida inteira nós aqui do PSDB, eu como representante, sempre fui muito duro contra a Frente Popular, e de repente a gente ver o nosso presidente vir aqui e dizer “não, porque o governador foi bem”. Dentro do partido mesmo, diz que essa entrevista ai pode trazer problemas na campanha. Criou um clima meio ruim. Todo mundo sabe que quando eu assumi o PSDB em 2006, foi exatamente porque o partido estava meio que balançando naquela época. O PSDB é oposição. Nós vamos continuar na linha de oposição, mas eu acho foi uma infelicidade de nosso presidente quando ele deu essa entrevista aqui. Ele já repensou melhor. A gente é a verdadeira oposição. A gente não tem acordo com a Frente Popular, alfinetou.

Leia Também:  Policia já identificou autores de vídeo macabro em que jovem é decapitada

Sobre seu seu futuro político, Tião Bocalom destacou que nada está definido ainda, mas a sua posição como candidato a deputado federal pode mudar numa eventual saída do diretório Tucano. “Evidentemente que o nosso nome está colocado para deputado federal , mas eu sempre digo uma coisa: eu sou soldado. Nós temos muito tempo pela frente. Se de repente eu deixar o PSDB, evidentemente que ai as coisas podem mudar. Pode aparecer outras situações ai, mas não tem nada certo ainda. Estamos conversando bastante”, revela.

Questionado sobre a o resultado da pesquisa Delta que coloca o governador Sebastião Viana na frente, mesmo com todos os escândalos recorrentes eu seu governo, Bocalom afirmou que a oposição está muito bem no pleito. “Quando você somar 31 [do Marcio] mais 17 [do Petecão] vai dar 48. Então a oposição tá bem. Esse é o momento que a oposição, cada um está se lançando , se colocando. Eu tenho certeza que lá na frente nós teremos a união, aonde nós teremos o melhor nome; A prova tá aqui. Então essa pesquisa está ótima, porque a oposição tem um número maior. Quando junta Petecão mais o Marcio Bittar , está dando 48%. Então isso mostra que o povo quer mudar. E vai mudar, eu tenho certeza disso”, destacou.

Da redação ac24horas
Rio Branco, Acre

COMENTE ABAIXO:

Propaganda
Clique para comentar

Você precisa estar logado para postar um comentário Login

Geral

Projeto Rhuamm, que cria rede de proteção de crianças e adolescentes, é lançado pela Defensoria Pública

Publicados

em

Depois de quase um ano de elaboração, articulações e formação de parcerias, o Projeto Rhuamm – Rede Humanizada de Apoio a Meninas e Meninos, coordenado pelo Núcleo da Cidadania da Defensoria Pública, foi lançado na manhã desta terça-feira, 24, reunindo representantes das instituições que atuarão em conjunto para ampliar as ações preventivas de forma a evitar o abuso e a violência praticada contra crianças e adolescentes em Rio Branco, cidade que abrigará o projeto-piloto.

O nome e a motivação para a criação do projeto vieram do caso envolvendo o menino Rhuan, morto de forma violenta em 2019 pela mãe e a namorada dela, em Brasília. A Defensoria Pública do Acre, por meio do defensor Celso Araújo Rodrigues, que hoje coordena o Núcleo de Cidadania, responsável pelo projeto, se mobilizou para trazer ao Acre o corpo da criança e apoiar a família paterna.

“A Defensoria Pública, diante de uma das suas prerrogativas, que é proteger a criança e o adolescente, criou, desenvolveu e está executando este projeto. A intenção é acolher e tratar crianças vítimas de violência. Os casos serão encaminhados ao núcleo do Projeto, principalmente pelas escolas”, explica o defensor Celso Araújo.

A defensora-geral, Simone Santiago, lembra que o projeto “nasceu naquele fim de semana trágico”. “Primeiro nasceu no coração do Dr. Celso e ele veio conversar comigo e com a Dra. Roberta e nós o abraçamos. Sabíamos que sozinhos, com nosso instrumento, não poderíamos fazer com que esse projeto alcançasse seu objetivo. Minhas palavras são de agradecimento. Sabemos que estamos no caminho certo e avisamos a sociedade de que estamos atentos, que existem vários atores que estão olhando para as crianças. Este é o nosso recado. Estamos todos abraçados por uma causa, das mais justas, que é a proteção de crianças e adolescentes”, ressaltou a defensora-geral.

Leia Também:  Jovem abandona recém-nascida e avó pede ajuda com doação

O Rhuamm visa estabelecer parceria com o sistema de garantia de direitos e irá capacitar profissionais envolvidos no projeto e nas escolas de ensino infantil e fundamental de Rio Branco, oferecendo também orientação aos gestores escolares e aos pais das crianças de 0 a 11 anos, público-alvo do projeto, entre outras atribuições.

Família de Rhuan participa de solenidade

Parte da família paterna de Rhuan, avós, tias e primo, compareceu ao lançamento do projeto. “Esse projeto é muito importante para as crianças. Vou morrer e ele vai ficar aí pra dar orgulho pra minha família. Espero que as escolas, as diretoras procurem conversar com as crianças, quando verem uma criança triste pra saber o que está acontecendo. Que todas as escolas façam parte desse projeto, porque é muito bom e vai dar resultado”, disse Francisco das Chagas, avô de Rhuan.

A secretária adjunta dos Direitos da Criança e do Adolescente do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Fernanda Ramos Monteiro, que participou do evento de forma virtual, apresentou projetos e ações da política nacional de prevenção à violência contra crianças e adolescentes.

Leia Também:  Policia já identificou autores de vídeo macabro em que jovem é decapitada

A secretária adjunta divulgou dados que apontam a redução de 41% do número de mortes por agressão a crianças e adolescentes no Brasil em comparação à média registrada entre 2012 e 2018.

São parceiros do Projeto Rhuamm o Tribunal de Justiça do Acre, Ministério Público, Defensoria Pública da União, Ministério Público do Trabalho, Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente, Sebrae, Polícia Militar, Centro Universitário

Uninorte e Prefeitura de Rio Branco, por meio do Conselho Municipal da Criança e do Adolescente, SASDH, Seme, Centro Especializado de Referência em Assistência Social, Semsa, Centro Pop e Conselho Tutelar.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍTICA

POLÍCIA

EDUCAÇÃO

CONCURSO

ESPORTE

MAIS LIDAS DA SEMANA