RIO BRANCO

Geral

Após professora e filha serem abusadas, Horto Florestal passa a ter rondas policiais nas trilhas

Publicados

Geral

Policiamento começou a ser feito no Horto Florestal após assalto e abuso sexual – Foto: Reprodução Rede Amazônica Acre

Após o trágico episódio envolvendo uma professora de 40 anos e a filha dela, de 9, dentro do Horto Florestal no último dia 6, a Prefeitura de Rio Branco anunciou que o parque vai ter policiamento motorizado da Polícia Militar e também a instalação de câmeras eletrônicas. As informações e do G1 AC e Jornal do Acre 1ª Edição

Em entrevista à Rede Amazônica Acre, o prefeito de Rio Branco, Tião Bocalom, pediu desculpas e lamentou o ocorrido dentro do parque e destacou que está tomando providências para evitar novos casos. “A partir de agora vamos tomar novas providências, vamos colocar o pessoal da segurança. Infelizmente aconteceu, mas espero em Deus que não aconteça mais”, resumiu.

Durante um piquenique no feriado da Revolução Acreana, a professora, a filha, um sobrinho, de 2 anos e outra criança de 9 viveram momentos de terror dentro do horto. Dois homens encapuzados e armados abordaram a família, tomaram os pertences, bateram nas vítimas e ainda abusaram sexualmente da professora e da filha dela.

O crime ocorreu no período da tarde, quando a família caminhava por uma das trilhas. Os criminosos saíram de dentro da mata. “Encostaram duas armas na gente, pediram para baixar a cabeça, nos levaram para dentro da mata e começaram a pegar em nossas partes íntimas, da minha filha também. Bateram em mim, na minha filha, fiquei com o rosto, pescoço e nariz machucados”, relembrou.

Leia Também:  Nos primeiros três dias do ano, acreanos já pagaram R$ 360 milhões em impostos

Policiamento

O chefe do gabinete militar da prefeitura, tenente-coronel Ezequiel Bino, disse que já fez o contato com a Polícia Militar e já foram disponibilizadas equipes para fazer rondas dentro das trilhas. “Isso vai permanecer [as rondas], indefinidamente até que tenhamos um sistema de monitoramento para garantir que as pessoas tenham mais segurança”, contou.

O prefeito Tião Bocalom afirmou que a segurança no local já era tratada antes do ocorrido com a família. Segundo ele, todos os parques da capital acreana devem ter monitoramento eletrônico.

“Além de ter a segurança no parque onde aconteceu, também vamos ter no Parque Chico Mendes. Vamos trabalhar nesses dois parques que são muito movimentados. Mais uma vez, desculpa pelo acontecido, mas que a prefeitura está fazendo de tudo para cuidar disso. Os policiais vão trabalhar lá dentro do banco de horas dos recursos que a prefeitura repassa para a PM”, pontuou.

E veja também no 3 de Julho Notícias

Veja o Vídeo Abaixo: O município de Bujari se Limita ao norte com o Amazonas, ao sul com o município de Rio Branco, a leste com o município de Porto Acre e a oeste com o município de Sena Madureira. Sua área é de 3.467,681 km², com uma densidade demográfica (hab/km²) de 3,00 , sendo que em 2010 possuía um IDHM de 0,589.

Leia Também:  Jovem continua desaparecida após ter ido para a Expoacre 2016

O município de Bujari originou-se no início de 1968/1969, por remanescentes indígenas que se integraram a sociedade ali instalada, com a construção da BR 364, trecho Rio Branco/Sena Madureira. Povoado elevado à categoria de Vila, em 1986. Elevado à categoria de município e distrito com a denominação de Bujari, pela Lei Estadual nº 1031, de 28 de abril de 1992, alterado pela Lei Estadual nº 1066, de 9 de dezembro de 1992, que o desmembrou de Rio Branco, assim permanecendo em divisão territorial datada de 2007.

Acompanhe nossas Redes Sociais

Twitter 3 de Julho Notícias

Youtube 3 de Julho Notícias Vídeos

Página Facebook 3 de Julho Notíci

Veja o Vídeo:

Inscreva-se no Twitter 3 de Julho Notícias, seja membro e compartilhe.

Inscreva-se no Youtube 3 de Julho Notícias Vídeos, seja membro e compartilhe.

Inscreva-se na Página Facebook 3 de Julho Notíci, seja membro e compartilhe.

COMENTE ABAIXO:

Propaganda

Geral

Em 5º lugar entre os estados que mais desmatam a Amazônia, Acre cria grupo de trabalho para fiscalização remota

Publicados

em

Grupo de trabalho vai gerar informações georreferenciadas de desmatamento, além de monitorar e fiscalizar de forma remota esses crimes ambientais – Foto: Reprodução

Com objetivo de monitorar e fiscalizar remotamente o desmatamento no estado do Acre, a Secretaria Estadual de Meio Ambiente e Políticas Indígenas (Semapi) criou um grupo de trabalho formado por órgãos ambientais. A portaria foi publicada na edição desta terça-feira (26) do Diário Oficial do Estado (DOE).

O grupo vai ser formado por representantes da Semapi, do Instituto de Meio ambiente do Acre (Imac), Instituto de Mudanças Climáticas (IMC), Secretaria de Produção e Agronegócio (Sepa) e Instituto de Terras do Acre (Iteracre).

Conforme a portaria, o grupo deve definir, avaliar, elaborar propostas de fluxos, normas, critérios e procedimentos técnicos e jurídicos para produção de informações georreferenciadas de polígonos de desmatamento. Além da elaboração de procedimentos de monitoramento e fiscalização remota no estado.

Para a criação do grupo foi considerada a necessidade de trabalho conjunto envolvendo a equipe técnica da Semapi e os técnicos do Imac.

O documento diz ainda que o estado não possui um sistema de informações estruturado, com rede lógica e equipamentos para a utilização de geotecnologias, armazenamento e compartilhamento de dados. Também não há um gerenciador de projetos organizados e sistematizados para um monitoramento e controle eficientes.

Leia Também:  Jovem continua desaparecida após ter ido para a Expoacre 2016

O grupo deve se reunir conforme a necessidade. Ainda segundo a publicação, a participação dos membros vai ser considerada prestação de serviço público não remunerada.

Desmatamento no Acre

O estado acreano registrou um aumento de 40% no desmatamento no mês de setembro deste ano, em comparação com o mesmo mês do ano passado. Dados são do Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia (Imazon) obtidos via Sistema de Alerta do Desmatamento (SAD).

Conforme os dados, o estado desmatou uma área de 118 km², enquanto em 2020, o mês fechou com 84 km². Com esse resultado, o Acre ficou em quinto lugar entre os estados que mais desmataram a Amazônia nesse período.

A Amazônica Legal teve 1.224 km² de desmatamento, o que resultou em um aumento de 1% em relação a setembro de 2020, quando o desmatamento somou 1.218 km². O desmatamento do Acre representou 10% do total na Amazônia.

Degradação

Em relação à degradação das florestas, o Acre teve um aumento exorbitante comparando os dois meses de 2020 e 2021 e saltou de 3 km² para 18 km², o que corresponde a 500% de aumento, conforme os dados.

Com esse dado, o estado ficou em primeiro lugar entre os estados da Amazônia Legal com maior degradação. Veja mais no G1 Acre 

Leia Também:  Autônomo é encontrado morto dentro de esgoto, em Rio Branco

Desmatamento no Acre tem aumento de 40% no mês de setembro em comparação com o mesmo período de 2020 – Foto: Arquivo/BP-AC

E Veja Também no 3 de Julho Notícias

Veja o Vídeo Abaixo: Vereadora Neiva Badotti – “Não me manda recado, mais! Este tipo de recado é de quem deve, é de quem está com medo, eu vou continuar fiscalizando, denunciando doa a quem doer. Eu tenho certeza que essas denuncias não vão passar despercebidas, eu confio plenamente no Poder Judiciário na Policia Federal que não vão usar dois pesos e duas medidas para ninguém. Ninguém está acima da Lei, nem a senhora prefeita, nem o Governo do Estado e nem o presidente da República interfere na PF, não me mande mais recado!!”, concluiu a parlamentar.

Acompanhe nossas Redes Sociais

Twitter 3 de Julho Notícias

Youtube 3 de Julho Notícias Vídeos

Página Facebook 3 de Julho Notíci

Página do Instagram 3 de Julho Noticias

Veja o Vídeo:

Veja-se no  Twitter 3 de Julho Notícias, seja membro e compartilhe

Veja-se no  Youtube 3 de Julho Notícias Vídeos, seja membro e compartilhe.

Veja-se na  Página Facebook 3 de Julho Notíci, seja membro e compartilhe.

Veja-se na  Página do Instagram 3 de Julho Noticias, seja membro e compartilhe

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍTICA

POLÍCIA

EDUCAÇÃO

CONCURSO

ESPORTE

MAIS LIDAS DA SEMANA