Geral

Agroindústria de Tarauacá realiza adequações na produção de polpas

Publicados

Geral

Em junho, a Agroindústria de Tarauacá completa um ano. Nesse período, muito se avançou para o funcionamento adequado na produção de polpas de açaí nativo.

A polpa do açaí é um produto muito consumido pela população acreana (Foto: Miriane Teles)

A polpa do açaí é um produto muito consumido pela população acreana (Foto: Miriane Teles)

IMG_47132-225x300Recentemente, o secretário de Pequenos Negócios Henry Nogueira visitou o empreendimento para ouvir os membros da cooperativa e acompanhar o desenvolvimento da atividade.

A Secretaria de Estado de Pequenos Negócios cedeu um caminhão para a Cooperativa Agroextrativista de Tarauacá (Caet), que administra a estrutura industrial. O investimento foi de R$ 146 mil, resultado do convênio com o Ministério do Trabalho e Emprego e beneficiou 150 famílias que trabalham no empreendimento coletivo.

“As coisas estão melhorando. Com o caminhão, a gente conseguiu levar para Rio Branco 15 mil quilos de açaí, parte da nossa produção. E no dia a dia, o transporte é utilizado para entregar produtos da merenda escolar”, disse o representante da cooperativa, Irismar Souza.

Já foi processada a primeira safra na indústria. No dia da visita, todos os equipamentos estavam em inspeção. Na semana passada, encerrou-se o treinamento com o maquinário.

Leia Também:  Complexo Industrial Florestal de Xapuri inicia contratação de funcionários

Desenvolvendo a indústria

A Indústria de Processamento de Polpa de Frutas e Unidade de Empacotamento de Grãos (Agroindústria de Tarauacá) recebeu R$ 400 mil em investimentos do governo do Estado por meio da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Florestal, da Indústria, do Comércio e dos Serviços Sustentáveis (Sedens).

O maquinário instalado permite o processamento de 300 quilos por hora. O açaí passa pelo limpador, esteira talisca, rosca de massuração, despolpadeira, tanque pulmão de 1° e 2° estágio, pasteurizador e embaladora. Entretanto, está em andamento as adequações para a retirada do selo de inspeção estadual (SIE), que atesta a qualidade do produto, expedido pelo Instituto de Defesa Agropecuária e Florestal do Acre (Idaf).

Consolidando cadeia produtiva

A maioria dos cooperados residem às margens de rios e igarapés da região. A produção de açaí é tradicionalmente forte no Envira, principalmente na cidade vizinha Feijó. Em 2014, a a Secretaria de Extensão Agroflorestal e Produção Familiar (Seaprof) entregou 20 mil mudas de açaí em Tarauacá. A expectativa é que a safra deste ano seja entre 50 e 100 toneladas. A agroindústria é uma oportunidade agregar valor ao produto regional.

COMENTE ABAIXO:

Propaganda

Geral

Foco de raiva bovina foi detectado em Sena, onde 18 animais morreram com suspeita da doença

Publicados

em

Apenas um caso foi confirmado por exame de laboratório, segundo o Idaf, mas 18 animais morreram no período e a suspeita é que tenha sido com a doença transmitida pelo morcego – Foto: Arquivo/Idaf

Um foco de raiva bovina foi detectado em uma propriedade rural, na cidade de Sena Madureira onde 18 animais morreram com suspeita da doença. As informações foram confirmadas pelo Instituto de Defesa e Agropecuária Florestal (Idaf), que faz o monitoramento.

Ainda conforme o Idaf, só foi possível fazer a coleta de um dos animais, que teve o caso confirmado por exame laboratorial, mas considera como foco devido às outras mortes terem ocorrido no mesmo período e os animais terem apresentado sintomas.

A raiva em bovinos é transmitida pela mordida do morcego, que além de matar o animal infectado pela doença, também pode ser transmitida para humanos.

Em junho do ano passado, o Idaf tinha registrado a morte de sete animais da área rural de quatro cidades no interior do Acre nos meses de dezembro de 2020 e maio de 2021. Os casos deste ano foram informados ao Instituto no início de junho.

“Nessa área, nós temos um foco de raiva, com um caso positivo laboratorial e na investigação foi detectado que na propriedade morreram 18. Não podemos afirmar porque não foi possível fazer o exame, mas, pelo período da doença, é detectado como raiva. Se morrer algum animal, em um período de três meses com os mesmos sintomas, a gente considera que ainda seja raiva, pelo período de incubação da doença”, disse a chefe do Programa de Combate da Raiva do Idaf, a veterinária Maria do Carmo Portela.

Leia Também:  Xapuri: Sonho do Chico Mendes, nossa realização! – artigo

Quando o veterinário foi até a propriedade, foi feita a orientação aos moradores sobre a vacinação do rebanho, além de investigar se as pessoas tiveram contato com o animal infectado, com a saliva, que é o que a via de transmissão.

“A saliva é o que contém o vírus, e quem trabalha na área rural, pode ter machucado nas mãos, então, é feita a investigação para ver se a pessoa teve contato com a saliva e, no caso, é enviado para a secretaria de saúde do município para a pessoa tomar a vacina. Também é solicitado ao proprietário faça a vacinação do rebanho”, acrescentou.

O trabalho do Idaf, nestes casos é orientar quem teve contato com o animal doente busque a unidade de saúde, e também faça a vacinação do rebanho. Se tiver muitos sinais de mordidas de morcego, ainda é feita a captura dos animais para tentar amenizar a situação, com o controle da colônia dos morcegos.

A propriedade está sob monitoramento e deve receber mais uma visita técnica, com um levantamento se houve mais alguma propriedade com sinais de espoliações de morcego e ou morte com sintomas de raiva, para que seja feito um trabalho de educação sanitária na área.

Leia Também:  Indústrias geram mais de 16 mil empregos diretos no Acre

Sintomas

Entre os sintomas estão o isolamento do animal, perda de apetite, salivação abundante, perda de equilíbrio, quedas e estiramento do pescoço.

Caso um animal apresente os sintomas, o caso deve ser comunicado ao Idaf e as pessoas devem evitar o contato.

Além disso, a veterinária orienta a população que em caso de agressão do animal, e vale até mesmo para cães e gatos, procure a unidade de saúde para tomar a vacina. Do G1 Acre

Animal espoliado por morcego: Foco da raiva bovina é identificado em propriedade rural no interior do AC; 18 animais morreram com sintomas da doença – Foto: Arquivo / Idaf

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍTICA

POLÍCIA

EDUCAÇÃO

CONCURSO

ESPORTE

MAIS LIDAS DA SEMANA