RIO BRANCO

Esporte

Palmeiras garante mais de R$ 200 milhões com duas finais seguidas na Libertadores

Publicados

Esporte

Finalista da Copa Libertadores pela segunda edição consecutiva, o Palmeiras já garantiu mais de R$ 200 milhões entre cotas e premiações por essas duas campanhas.

Adversário do Flamengo na decisão do próximo dia 27 de novembro, em Montevidéu, no Uruguai, o Verdão vai embolsar pelo menos R$ 72 milhões pela campanha.

Foram R$ 40 milhões entre direitos de transmissão da fase de grupos e prêmios pelas classificações às oitavas, quartas e semifinal, além de no mínimo outros US$ 6 milhões (R$ 32 milhões), valor dado pela Conmebol ao vice-campeão.

Caso conquiste o tricampeonato, a premiação da final não será de US$ 6 milhões, mas sim de US$ 15 milhões (R$ 81,6 milhões). O contrato com a Crefisa também prevê mais R$ 12 milhões em bonificação pela conquista continental.

Na edição passada, em que o Verdão venceu o Santos na decisão do Maracanã, no Rio de Janeiro, a Conmebol pagou ao clube US$ 22,5 milhões (cerca de R$ 122 milhões na cotação em janeiro), além dos R$ 12 milhões da patrocinadora.

Comentaristas projetam duelo entre Flamengo e Palmeiras na final da Libertadores

Leia Também:  Atlético Brasileense perde de 4 a 3 para o Big Bran de Cruzeiro do Sul, no Acreano de Futsal

Valor já garantido com as finais da Libertadores:

Cota da Conmebol pela campanha de 2020: US$ 22,5 milhões (R$ 122 milhões);

Prêmio da Crefisa pelo título de 2020: R$ 12 milhões;

Cota da Conmebol pela campanha de 2021: US$ 7,5 milhões (R$ 40 milhões)

Prêmio para o finalista: US$ 6 milhões (R$ 32 milhões)*
*se for campeão, o valor será de US$ 15 milhões (R$ 81,6 milhões)

Valor acumulado até a final: R$ 206 milhões

As premiações pelas boas campanhas de 2020 e 2021 tornaram-se um alento diante das dificuldades financeiras por conta do impacto da pandemia de Covid-19.

Na temporada passada, em que conquistou também o Paulistão e a Copa do Brasil, disputou o Mundial de Clubes e foi sétimo colocado no Brasileirão, o Palmeiras embolsou R$ 227 milhões em prêmios.

Já nos meses finais de sua gestão, o presidente Maurício Galiotte quer entregar o clube equilibrado financeiramente – a conselheira e patrocinadora Leila Pereira é candidata única na eleição do clube, marcada para novembro.

Depois de terminar 2020 com um déficit de R$ 151 milhões, o Palmeiras registrou um superávit de R$ 60,6 milhões no primeiro semestre de 2021. Globo Esporte

Leia Também:  Pedro Barros leva a prata no skate park nas Olimpíadas de Tóquio; australiano é ouro

E Veja Também no 3 de Julho Notícias

Veja o Vídeo Abaixo: Bolsonaro – Internet rápida e gratuita para a comunidade do assentamento Maísa. “100 computadores para escolas”. Dessa vez foi o assentamento Maísa, em Mossoró, no Rio Grande do Norte, que saiu do deserto digital e entrou para o mapa da conectividade. A ministra-chefe do Governo, Flávia Arruda, participou do início das comemorações de mil dias do Governo Federal. A cerimônia, no Palácio do Planalto, liderada por Bolsonaro, também foi marcada pelo lançamento do programa Caixa Tem, da Caixa Econômica Federal.

Acompanhe nossas Redes Sociais

Twitter 3 de Julho Notícias

Youtube 3 de Julho Notícias Vídeos

Página Facebook 3 de Julho Notíci

Página do Instagram 3 de Julho Noticias

Veja o Vídeo:

Veja-se no  Twitter 3 de Julho Notícias, seja membro e compartilhe

Veja-se no  Youtube 3 de Julho Notícias Vídeos, seja membro e compartilhe.

Veja-se na  Página Facebook 3 de Julho Notíci, seja membro e compartilhe.

Veja-se na  Página do Instagram 3 de Julho Noticias, seja membro e compartilhe.

COMENTE ABAIXO:

Propaganda

Esporte

Não é só no Brasil: PSG terá seis desfalques em massa provocados pelas Eliminatórias

Publicados

em

Por

Jogos de Brasil, Argentina e Costa Rica na briga por um lugar na Copa do Mundo mutilaram o time para próxima rodada do Campeonato – Crédito: Franck Fife/AFP

Os desfalques em massa causados pelas convocações das seleções nacionais não é mais um problema restrito somente aos clubes brasileiros. Nas últimas semanas, os técnicos Renato Gaúcho, do Flamengo, Cuca, do Atlético-MG, e Abel Ferreira, do Palmeiras, sofreram para escalar os times com as diversas baixas provocadas pela rodada tripla das Eliminatórias Sul-Americanas da Copa do Mundo de 2022. Na Europa, Maurício Pochettino, do Paris Saint-Germain, viverá na pele o drama. O time francês foi mutilado pela data Fifa e jogará, nesta sexta-feira (15/10), contra o Angers, sem seis atletas.

Assim como nas equipes brasileiras, as convocações privaram o PSG de utilizar as principais estrelas de sua companhia: os atacantes Neymar e Lionel Messi são os desfalques de peso causados pelas seleções da América do Sul. Além dos astros, a Argentina ainda chamou Ángel Di Maria, Leandro Paredes, enquanto o Brasil convocou os serviços de Marquinhos. Além deles, o costarriquenho Keylor Navas vai perder a rodada do Campeonato Francês pelos compromissos de seu país as Eliminatórias da América Central.

Ao contrário do Brasil, onde as baixas provocadas pelo choque entre o calendário das competições nacional e os compromissos da Seleção Brasileira são frequentes, na Europa a prática não é nem um pouco comum. Por lá, os principais campeonatos de elite são paralisados no período reservado para as datas Fifa na temporada. E assim foi nesta última janela de jogos internacionais de Liga das Nações e Eliminatórias da Europa. Porém, no caso envolvendo os países da América do Sul, a pandemia acabou provocando os desfalques no time francês.

Leia Também:  Pedro Barros leva a prata no skate park nas Olimpíadas de Tóquio; australiano é ouro

Com diversas partidas adiadas durante o auge da pandemia de covid-19, no ano passado, a Conmebol precisou correr atrás do tempo perdido para definir os representantes do continente na Copa do Mundo do Catar, em 2022. Para isso, com autorização da Fifa, a entidade passou a realizar três rodadas em cada data Fifa, ao contrário dos tradicionais dois jogos internacionais previstos em cada janela. Com isso, o período em que os jogadores convocados ficam com suas seleções subiu em três dias.

Em coletiva de imprensa, Pochettino riu quando perguntado como poderia “se blindar” contra os desfalques causados por seleções e seguiu uma linha parecida a utilizada por técnicos brasileiros. “Não podemos fazer nada. Nada mesmo. Os clubes, de certa forma, estão indefesos neste tipo de situação. É necessário fazer referência às federações nacionais, porque é do seu interesse e dos clubes. É claro que isso é algo a revisar no futuro. Porque não há equilíbrio, nem do ponto de vista econômico, nem do ponto de vista esportivo. Existe um desequilíbrio que deve ser revisto”, disse o argentino.

Se o PSG teve maior estrago em quantidade, os times nacionais precisaram lidar por mais tempo com a ausência dos principais jogadores. Principais envolvidos na briga pelo título da Série A do Campeonato Brasileiro na época dos chamados, o Flamengo teve quatro desfalques (Isla, Arrascaeta, Everton Ribeiro e Gabigol) e o Atlético-MG três (Guilherme Arana, Junior Alonso e Alan Franco), mesmo número de baixas do Palmeiras (Weverton, Gustavo Gómez e Piquerez). Com o panorama, foram necessários remendos nas equipes titulares em três rodadas.

Leia Também:  Bodão vence por decisão unânime nas quartas da PFL, mas não consegue disputar semifinais

Além dos jogadores de Brasil, Argentina e Costa Rica, o Paris Saint-Germain teve outros onze jogadores convocados por seleções europeias e africanas: Mbappé e Kimpembe estiveram com a França; Donnarumma e Verrati defenderam a Itália; Nuno Mendes e Danilo defenderam Portugal; Diallo e Gueye foram chamados por Senegal; Kehrer esteve com a Alemanha; Wijnaldum com a Holanda; e Hakimi com Marrocos. Todos, porém, voltaram na quarta-feira (13/10) e estão à disposição de Pochettino. Veja mais no Correio Braziliense

Maurício Pochettino precisa lidar com seis desfalques em rodada do Campeonato Francês(foto: Loic Venance/AFP)

E Veja Também no 3 de Julho Notícias

Veja o Vídeo Abaixo: Deputado Neném Almeida mais uma vez voltou a falar do Cadastro de Reserva da Polícia Civil que aguarda sua convocação desde 2015, ao adotar esta causa como bandeira de luta, o deputado vem cobrando frequentemente, que o governador Gladson Cameli se manifeste e cumpra sua promessa de campanha que ele fez em convocar os mesmos. O parlamentar afirmou que o governador Gladson Cameli cometeu crime de campanha quando assinou um documento dizendo que se eleito fosse (e foi), chamaria ou cadastro de reserva da Polícia Civil (e não chamou).

Acompanhe nossas Redes Sociais

Twitter 3 de Julho Notícias

Youtube 3 de Julho Notícias Vídeos

Página Facebook 3 de Julho Notíci

Página do Instagram 3 de Julho Noticias

Veja o Vídeo:

Veja-se no  Twitter 3 de Julho Notícias , seja membro e compartilhe

Veja-se no  Youtube 3 de Julho Notícias Vídeos , seja membro e compartilhe.

Veja-se na  Página Facebook 3 de Julho Notíci , seja membro e compartilhe.

Veja-se na  Página do Instagram 3 de Julho Notícias , seja membro e compartilhe

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍTICA

POLÍCIA

EDUCAÇÃO

CONCURSO

ESPORTE

MAIS LIDAS DA SEMANA