Educação

Servidores do Inep denunciam pressão para retirar questões do Enem

Publicados

Educação

Fachada do Inep. Foto: Pillar Pedreira/Agência Senado

Servidores do Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisa Educacionais Anísio Teixeira) dizem ter sofrido pressão para retirar questões do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio). Segundo eles, o órgão é alvo frequente de interferências políticas e censura.

Parte dos 37 funcionários que entregaram seus cargos relatam situações de intimidação. Também acusam Danilo Dupas, presidente do instituto, de despreparo.

“O Inep sempre foi dirigido por pessoas que tinham alguma trajetória acadêmica. Esse presidente que está agora é uma pessoa sem currículo, sem experiência, Está lá porque o ministro da Educação decidiu que seria a pessoa que estaria disposto a fazer o que eles queriam: entrar na prova e retirar aquilo que eles acham que o presidente não iria gostar”, afirma um dos servidores exonerados ao Fantástico.

Intimidação de servidores do Inep por policial federal

Um dos servidores conta que em 2 de setembro, período em que o exame estava em fase final de elaboração, um agente da Polícia Federal entrou em um “ambiente seguro” do instituto.

Leia Também:  Enquanto Mailza faz pressão de lado, Márcia Bittar usa filho de Bolsonaro para ser a candidata de Gladson Cameli ao senado

“Eles têm níveis de segurança. Você tem que passar por um daqueles scanners de corpo. Qualquer objeto de metal que estiver com você vai ser detectado. E você não pode entrar com ele. As portas são altamente seguras. A montagem da prova, você faz em um nível de segurança, todo cercado de câmeras. Não tem nenhum ponto cego dentro desse ambiente”, conta

Mesmo assim, o policial federal conseguiu passar pelo esquema de segurança. “O Inep precisa explicar como essa pessoa foi parar lá dentro, quem autorizou a entrada, o que ele fez, que nível de controle a gente tem das informações que ele acessou lá”, prossegue o servidor. Por diariodocentrodomundo.

E Veja Também no 3 de Julho Notícias

Veja o Vídeo Abaixo: Na última semana do mês de outubro a prefeitura de Brasiléia foi surpreendida pelo bloqueio de valores nas contas municipais no valor de R$ 700.00,00 (sete mil reais) referente a recurso próprio. Esse bloqueio se deu pelo não cumprimento do pagamento de algumas parcelas do FGTS dos servidores municipais. Divida esta que vem se estendendo de gestões passadas mas que foi renegociada pela prefeita Fernanda Hassem quando assumiu o Poder Executivo. 

Leia Também:  Estado adquire mais ônibus escolares para as comunidades da zona rural

Acompanhe nossas Redes Sociais

Twitter 3 de Julho Notícias

Youtube 3 de Julho Notícias Vídeos

Página Facebook 3 de Julho Notíci

Página do Instagram 3 de Julho Noticias

Veja o Vídeo:

Veja-se no  Twitter 3 de Julho Notícias, seja membro e compartilhe

Veja-se no  Youtube 3 de Julho Notícias Vídeos, seja membro e compartilhe.

Veja-se na  Página Facebook 3 de Julho Notíci, seja membro e compartilhe.

Veja-se na  Página do Instagram 3 de Julho Noticias, seja membro e compartilhe

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Educação

Defensora pública participa de roda de conversa com estudantes da escola Craveiro Costa em Cruzeiro do Sul

Publicados

em

A Defensoria Pública do Estado do Acre (DPE/AC), na ocasião representada pela defensora pública que atua na unidade defensorial de Cruzeiro do Sul, Carolina Vecchi, participou, na quinta-feira, 23, de uma roda de conversa com estudantes da Escola Estadual Craveiro Costa.

O encontro foi realizado a convite da professora da Universidade Federal do Acre (Ufac) Campus Floresta, Leonísia Moura, que coordena o projeto de extensão Liberdade caça jeito: direitos, arte e autonomia, em parceria com a professora Cristiana Sales Mescia.

Na oportunidade, a defensora pública Carolina Vecchi, juntamente com a assistente jurídica, Nalidia Abreu, destacou o papel da instituição, explicando sobre as várias frentes de atuação da instituição.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  SEE e Fameta firmam parceria para ofertar bolsas para alunos
Continue lendo

POLÍTICA

POLÍCIA

EDUCAÇÃO

CONCURSO

ESPORTE

MAIS LIDAS DA SEMANA