Educação

Lei institui campanha de combate ao racismo ‘Acre pela promoção da igualdade racial’

Publicados

Educação

Lei institui campanha permanente de combate ao racismo em escolas do Acre — Foto: Reprodução/Rede Amazônica

O governo publicou uma lei que institui campanha permanente de combate ao racismo nas escolas públicas e privadas, eventos esportivos e culturais no Acre. A nova norma está na edição dessa terça-feira (25) do Diário Oficial do Estado.

Além da campanha, a lei cria o selo “Acre pela promoção da igualdade racial”. O governo vai conceder o selo após comprovação da realização da campanha permanente contra o racismo nos estabelecimentos ou eventos.

De acordo com a norma, entre as ações da campanha permanente contra o racismo nas escolas e eventos estão:

Realização de campanhas educativas de enfrentamento do racismo, por meio de programas culturais e de valorização da igualdade no âmbito das escolas;

Divulgação de vídeos ou reprodução de áudios com conteúdo para o combate ao racismo, folhetos informativos e anúncios no sistema de som, durante os intervalos dos eventos esportivos e culturais, assim como nas escolas, quando disporem desses mecanismos;

Divulgação dos telefones dos órgãos públicos de denúncia do racismo, através de cartazes permanentes ou temporários, afixados de forma visível ao público das escolas ou dos eventos culturais e esportivos.

Leia Também:  Educação transforma vidas no Seringal Cachoeirana Resex Chico Mendes

“A partir de agora, a SEE formulará a abordagem pedagógica a ser desenvolvida nas unidades da rede pública estadual de educação básica. Essa ação, considerada relevante, será coordenada pela equipe da Divisão de Direitos Humanos da SEE”, informou a Secretaria de Estado de Educação e Esporte (SEE) em nota.

Ainda segundo a lei, são objetivos da campanha permanente contra o racismo:

O enfrentamento do racismo nas escolas públicas e privadas, eventos esportivos e culturais;

Propor aos alunos das escolas atividades para o combate do racismo, através do conhecimento e devido respeito as raças, etnias, religiões e povos tradicionais;

Conscientização sobre a importância da igualdade.

O Sindicato de Escolas Particulares afirmou que tema já é desenvolvido nas aulas, de forma transversal com outras atividades, mas que lei vem para reforçar trabalho.

“Deve sair uma resolução no Conselho Estadual de Educação e no nacional para que possa entrar no projeto político pedagógico. Mas, hoje nós já trabalhamos esses temas o ano inteiro dentro de campanhas e projetos. As escolas todas já trabalham há um bom tempo sobre a valorização e respeito às etnias e raças. No entanto, é importante a lei para dar visibilidade a essas ações”, disse a vice-presidente do sindicato, Elândia Dantas. Por G1 Acre.

Leia Também:  Plano assegura 100% dos royalties do pré-sal destinados ao Acre à educação

E Veja Também no 3 de Julho Notícias

Veja o Vídeo Abaixo: Em meio a maior crise do sistema de transporte coletivo dos últimos tempos, a população de Rio Branco vive um dilema e acorda todo dia sem saber se terá ônibus passando em sua região. O prefeito Tião Bocalom tentou amenizar o problema repassando R$ 2 milhões e quatrocentos mil para as empresas quitar os débitos com empregados, acordo não cumprido e que foi um dos motivos para a intervenção no setor.

Acompanhe nossas Redes Sociais

Twitter: 3 de Julho Notícias

Youtube: 3 de Julho Notícias Vídeos

Página Facebook: 3 de Julho Notíci

Página do Instagram: 3 de Julho Noticias

Veja o Vídeo:

Veja o Vídeo:

Veja-se no  Twitter 3 de Julho Notícias, seja membro e compartilhe

Veja-se no  Youtube 3 de Julho Notícias Vídeos, seja membro e compartilhe.

Veja-se na  Página Facebook 3 de Julho Notíci, seja membro e compartilhe.

Veja-se na  Página do Instagram 3 de Julho Noticias, seja membro e compartilhe.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Educação

Educação: Prefeitura de Cruzeiro do Sul realiza readequação do calendário letivo 2022

Publicados

em

Com o objetivo de otimizar e flexibilizar as datas do calendário letivo de 2022, a Prefeitura Municipal de Cruzeiro do Sul, por meio da Secretaria Municipal de Educação, realizou uma reunião com todos os diretores de escolas municipais para a readequação do calendário letivo.

De acordo com a Secretaria Municipal, a reunião com os diretores ocorreu para que alguns sábados letivos fossem readequados. Pois havia 32 sábados letivos durante o ano de 2022 e isso estava prejudicando o andamento do ano letivo, uma vez que os professores também atuam na rede estadual de ensino. Pelo novo calendário serão 22 sábados letivos. Com isso, o ano letivo previsto para se encerrar no final de dezembro se encerra agora em 15 de janeiro de 2023.

Além da mudança no calendário letivo, durante a reunião também foi apresentado o Projeto Político Pedagógico Anual das escolas, que são as diretrizes que norteiam os processos de ensino e aprendizagem nas escolas.

A presidente do Conselho Municipal de Educação, Ivonete Oliveira, disse que as mudanças no calendário serão benéficas e que isso não trará prejuízos ao ano letivo.
“Nosso calendário letivo sofrerá essa mudança para melhorar nossas atividades escolares. Pois tínhamos meses com todos os sábados letivos e isso estava prejudicando nossos professores porque também atuam na rede estadual. Com isso, nossos diretores aceitaram a mudança que não trará nenhum prejuízo ao ano letivo de 2022.” Disse Ivonete.

Leia Também:  Falta de estrutura e desigualdade: os riscos da volta às aulas na pandemia

O secretário adjunto de educação, professor Valdenísio Martins, disse que a mudança foi necessária para que houvesse melhorias nas ações educacionais e nas diretrizes do Projeto Político Pedagógico, apresentado na reunião.

“Educação se faz com planejamento e as mudanças necessárias. Percebemos a necessidade da retirada de alguns sábados do nosso calendário letivo para que nossos professores pudessem ter mais dias de descanso nos finais de semana, existem também os planejamentos obrigatórios, por isso, retiramos dez sábados letivos e prorrogamos o ano letivo até o dia 15 de janeiro de 2023”, concluiu Martins.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍTICA

POLÍCIA

EDUCAÇÃO

CONCURSO

ESPORTE

MAIS LIDAS DA SEMANA