Educação

Após aprovação de reajuste, trabalhadores da Educação suspendem greve em Rio Branco

Publicados

Educação

Após aprovação de reajuste, trabalhadores da Educação suspendem greve em Rio Branco – Foto: Claudemir Lima/Arquivo pessoal

Após quase dois meses, os servidores da Educação municipal decidiram suspender a greve em Rio Branco. A decisão foi tomada na madrugada deste sábado (23) depois que os vereadores da capital aprovaram, em sessão extraordinária, os reajustes salariais dos servidores públicos do município.

A categoria estava em greve desde o dia 24 de fevereiro. E, desde então, passou a fazer vários protestos pela cidade, fechando ruas e pressionando a prefeitura e vereadores pela aprovação de suas reivindicações.

O grupo pedia: a reformulação de Plano de Cargo Carreira e Remuneração (PCCR); o piso dos professores pago em única parcela e com 50% de diferença do nível médio para superior; aumento no piso dos funcionários de escola; e convocação de aprovados no concurso de 2018.

Conforme a presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Acre (Sinteac), Rosana Nascimento, apesar de ter avançado em alguns desses pontos, a categoria não ficou totalmente satisfeita e vai continuar lutando para fazer a reformulação do PCCR. No entanto, segundo ela, o movimento de greve foi suspenso e os trabalhadores retomam aos seus postos de trabalho.

Leia Também:  Detento de 40 anos é encontrado morto dentro do presídio FOC em Rio Branco

“Não teve reformulação do nosso PCCR, só votaram tabelas de questão econômica. Só mexeram naquilo que é econômico e nós vamos cobrar essa reformulação do PCCR, vai ser concluída. Com relação ao piso nas carreiras dos professores ficou em 25% de diferença entre nível médio para superior, no caso dos funcionários de escola conseguimos mais R$ 50 no prêmio que eles recebem e o piso deles em janeiro de 2023 vai aumentar. Avançamos bastante, a primeira proposta tirava todos os nosso direitos, parcelava o piso até 2023 e conseguimos deixar em duas parcelas ainda este ano”, disse Rosana.

Com a proposta aprovada e após sanção do prefeito Tião Bocalom, o salário dos servidores da Educação passa de R$ 2.154,64 para pouco mais de R$ 3 mil. Já dos professores do magistério sobe de R$ 1.436,75 para R$ 2.403,52.

Para os funcionários de apoio da pasta o aumento será de cerca de 20%. Já os de nível fundamental passam a ganhar R$ 1,4 mil mais R$ 50 do Prêmio pela Elevação da Qualidade da Aprendizagem (PEQ). Os de nível médio, que recebem R$ 1.032, vão ganhar R$ 1,5 mil por 30 horas semanais. Veja mais no G1 Acre 

Leia Também:  Faculdade Pitágoras disponibiliza cupons de desconto para candidatos de Rio Branco irem de Uber prestar a prova do Enem
COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Educação

Educação: Prefeitura de Cruzeiro do Sul realiza readequação do calendário letivo 2022

Publicados

em

Com o objetivo de otimizar e flexibilizar as datas do calendário letivo de 2022, a Prefeitura Municipal de Cruzeiro do Sul, por meio da Secretaria Municipal de Educação, realizou uma reunião com todos os diretores de escolas municipais para a readequação do calendário letivo.

De acordo com a Secretaria Municipal, a reunião com os diretores ocorreu para que alguns sábados letivos fossem readequados. Pois havia 32 sábados letivos durante o ano de 2022 e isso estava prejudicando o andamento do ano letivo, uma vez que os professores também atuam na rede estadual de ensino. Pelo novo calendário serão 22 sábados letivos. Com isso, o ano letivo previsto para se encerrar no final de dezembro se encerra agora em 15 de janeiro de 2023.

Além da mudança no calendário letivo, durante a reunião também foi apresentado o Projeto Político Pedagógico Anual das escolas, que são as diretrizes que norteiam os processos de ensino e aprendizagem nas escolas.

A presidente do Conselho Municipal de Educação, Ivonete Oliveira, disse que as mudanças no calendário serão benéficas e que isso não trará prejuízos ao ano letivo.
“Nosso calendário letivo sofrerá essa mudança para melhorar nossas atividades escolares. Pois tínhamos meses com todos os sábados letivos e isso estava prejudicando nossos professores porque também atuam na rede estadual. Com isso, nossos diretores aceitaram a mudança que não trará nenhum prejuízo ao ano letivo de 2022.” Disse Ivonete.

Leia Também:  Equipe de Saúde se atrapalha e início do 'Dia D' de vacinação tem atraso de mais de uma hora em Rio Branco

O secretário adjunto de educação, professor Valdenísio Martins, disse que a mudança foi necessária para que houvesse melhorias nas ações educacionais e nas diretrizes do Projeto Político Pedagógico, apresentado na reunião.

“Educação se faz com planejamento e as mudanças necessárias. Percebemos a necessidade da retirada de alguns sábados do nosso calendário letivo para que nossos professores pudessem ter mais dias de descanso nos finais de semana, existem também os planejamentos obrigatórios, por isso, retiramos dez sábados letivos e prorrogamos o ano letivo até o dia 15 de janeiro de 2023”, concluiu Martins.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍTICA

POLÍCIA

EDUCAÇÃO

CONCURSO

ESPORTE

MAIS LIDAS DA SEMANA