RIO BRANCO

Cultura

“A piscicultura é a salvação dos médios e pequenos”, afirma produtor

A Peixes da Amazônia processou, em 2016, mais de 1900 toneladas de pescado, fornecidos por cerca de 58 produtores.

Publicados

Cultura

A Peixes da Amazônia processou, em 2016, mais de 1900 toneladas de pescado, fornecidos por cerca de 58 produtores.

 Por Arison Jardim 

Enquanto milhares de peixes saltam no açude para abocanhar a ração da tarde, o acreano Luiz Benício de Melo aponta orgulhoso os frutos do trabalho que considera a salvação para o pequeno e médio produtor: a piscicultura. Com planos de aumentar os lucros, ele relata as vantagens de ter construído dez hectares de açudes: “Olha a conversão alimentar [relação do peso do peixe com o consumo de ração] como é boa. Com água e ração de qualidade, o peixe come maravilhosamente bem”.

Em 2011 começou uma mudança no mercado de pescados acreano. Governo, fundos de investimento e produtores entraram na empreitada de construir um empreendimento para a cadeia produtiva. Com investimento de R$ 65 milhões, o frigorífico, a fábrica de ração e o centro de alevinagem, inaugurados em 2015, formam o Complexo Industrial de Piscicultura Peixes da Amazônia, que deu um novo ânimo para os produtores. “Com essa indústria, a venda é garantida e o governo dá incentivo, temos muita oportunidade”, avaliza Benício.

Localizada na Estrada do Quixadá, a alguns quilômetros da zona urbana de Rio Branco, a propriedade Boa Vista, administrada por Benício, é reflexo do que está acontecendo com diversos outros espaços em todo o Acre. Vender peixe virou bom negócio. Com ração produzida pela própria indústria, assistência técnica fornecida também pela empresa e por técnicos da Secretaria de Agricultura Familiar do Estado (Seaprof), o pescado local a cada mês ganha mercados nacionais e internacionais.

Leia Também:  Brasileense Marcio Garcia vai representar o Acre no campeonato de Fisiculturismo

O peixe produzido por agricultores familiares, como Benício, é vendido para empreendimentos como Outback, Applebee’s, Vivenda do Camarão, Sociedade Hípica Paulista, Barbacoa, Pão de Açúcar e Extra. Ainda há a exportação para o Peru: a cada dez dias, dez toneladas seguem para Puerto Maldonado. “Desta propriedade tiro 12 toneladas, com as outras duas que tenho e mais os dez hectares de tanque que construí, espero chegar a 40 toneladas neste ano. Depois que chegou a indústria, passei a produzir em grande escala”, afirma Benício.

Pintado, tambaqui e pirarucu

Os peixes que pulam durante a alimentação na colônia de Benício são pintados e tambaquis, duas das espécies comercializadas pela indústria acreana. Outro pescado que começa a ganhar espaço é o pirarucu. “É um mercado em crescimento, tem potencial devido à qualidade da carne e pelo grande aproveitamento do animal, inclusive da pele”, afirma Fábio Vaz, diretor da Peixes da Amazônia, sobre o pirarucu. Ele acrescenta que é um movimento iniciante e que precisa ainda da regularidade de oferta.

No complexo de piscicultura são produzidos alevinos dessas espécies e vendidos para os piscicultores. Benício e alguns outros criadores já começam a apostar no pirarucu pelas boas características para a criação em cativeiro.

Leia Também:  Edital do Fundo Municipal de Cultura para área de Arte se encerra com 88 projetos

Segundo publicação do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa) e Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) do Acre, o espécime pode alcançar dez quilos no seu primeiro ano de criação, tem ampla taxa de sobrevivência e suporta altas densidades de estocagem. Além de ser um peixe de respiração aérea, o que facilita a criação em ambientes com baixa oxigenação.

Acrescente-se a tudo isso o fato de que o mercado tem aceitado muito bem sua carne, é possível ver belas postas em cardápios do Brasil todo. Recentemente, a LSG Sky Chefs, uma das maiores fornecedoras de refeições para empresas aéreas como a Latam, tornou-se cliente da Peixes da Amazônia. “Nosso peixe está sendo vendido no país todo, isso é muito orgulho”, afirma Benício.

Acompanhando o crescimento da indústria Peixes da Amazônia, que processou em 2016 quase duas mil toneladas de pescado, fornecidas por cerca de 58 produtores, está o entusiasmo de criadores como Benício. Com grande sorriso no rosto, ao lado da esposa e do filho, ele percorre seus açudes todos os dias alimentando seu futuro e deseja o mesmo para quem quiser ingressar na área: “O conselho que dou é que tem que entrar no ramo da piscicultura. Para o pequeno e médio produtor não tem coisa melhor. Quem tem um tanque já consegue um bom dinheiro para ajudar a sustentar a família”.

Peixe no Acre

COMENTE ABAIXO:

Propaganda

Cultura

Dupla sertaneja de Epitaciolândia lança clipe no YouTube e redes sociais que e está sendo um grande sucesso internacional

Publicados

em

“Essa música” é o primeiro lançamento da dupla, que chegou às plataformas em novembro – Foto: Reprodução

Próximo ao aniversário de 11 anos da dupla, os cantores Cristiano Paulo e Daniel lançaram “Essa música” em novembro no YouTube e nas redes sociais, onde a música está sendo ouvida em diversos estados do Brasil, além do reconhecimento internacional pelo Peru e Bolívia, com mais de 8 mil visualizações.

Segundo o portal Contilnet, a música foi gravada através do Festival da Canção: Voz da Fronteira, da Prefeitura de Epitaciolândia pela Secretaria de Cultura e Esportes, além do patrocínio da Menorá Entretenimento. De acordo com Cristiano Paulo, a dupla pretende lançar outro clipe em fevereiro, mas ainda não foi decidido qual música será gravada, mas há uma grande expectativa para aceitação do público.

Veja o Vídeo:

A dupla

Entre shows de Daniel realizados em Epitaciolândia, a dupla se uniu após Cristiano Paulo ser convidado para fazer a segunda voz do duo. “Nós nos conhecemos no ensino fundamental, ainda no início na carreira do Daniel, mas nós nos juntamos através de um amigo. Eu era garçom em um bar em Epitaciolândia e ele cantava com outro rapaz. Ele me convidou para fazer a segunda voz e o dono do estabelecimento se dispôs a comprar os instrumentos para que eu trabalhasse”, afirma Cristiano Paulo.

Leia Também:  Edital do Fundo Municipal de Cultura para área de Arte se encerra com 88 projetos

Além disso, o proprietário do bar e restaurante Cantina Goiana, José Sulimar, conhecido como goiano, também sugeriu o nome da dupla, uma vez que Daniel usava o nome artístico de “Luan”. “Ele perguntou meu nome completo e eu disse, depois perguntou o nome do Daniel. Eu falei que meu nome era Cristiano Paulo Hoffmann, então ele disse que esse é o nome da dupla: Cristiano Paulo e Daniel”, conta o cantor.

A dupla Cristiano Paulo e Daniel fazem sucesso com o lançamento “Essa música”. Foto: Cedida

E Veja Também no 3 de Julho Notícias

Veja o Vídeo Abaixo: Vereador diz que o prefeito Kiefer Cavalcante paga mais de 5 mil para dono de empresa que faz faculdade em Rio Branco – Vereador Ronaldo Reis de Feijó, gravou um vídeo onde fez graves denúncias contra a atual gestão do prefeito Kiefer Cavalcante a quem acusa de perseguição política e possível pagamentos irregulares em sua gestão. De acordo com o vereador, o prefeito demitiu a sua esposa só aconteceu depois que trouxe a tona um pagamento supostas irregularidades o que confirma a perseguição política que vem sofrendo por parte do gestor.

Leia Também:  ‘Jogos Mortais 8: O Legado’ ganha data de estreia no Brasil!

Acompanhe nossas Redes Sociais

Twitter: 3 de Julho Notícias

Youtube: 3 de Julho Notícias Vídeos

Página Facebook: 3 de Julho Notíci

Página do Instagram: 3 de Julho Noticias

Veja o Vídeo:

Veja-se no  Twitter 3 de Julho Notícias, seja membro e compartilhe

Veja-se no  Youtube 3 de Julho Notícias Vídeos, seja membro e compartilhe.

Veja-se na  Página Facebook 3 de Julho Notíci, seja membro e compartilhe.

Veja-se na  Página do Instagram 3 de Julho Noticias, seja membro e compartilhe.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍTICA

POLÍCIA

EDUCAÇÃO

CONCURSO

ESPORTE

MAIS LIDAS DA SEMANA