Gladson Cameli fecha os olhos para o Hospital da Mulher de Cruzeiro do Sul, pacientes sofrem com a situação

A Maternidade de Cruzeiro do Sul atende toda região do Juruá e parte do Amazonas, o que exige uma estrutura diferenciada para unidade.

A saúde é sem dúvida um dos maiores gargalos da gestão Gladson Cameli, que assumiu prometendo solução para tudo, inclusive já se passam quase dois meses desde que assumiu e o que se ver ou ouve do Secretário de estado de Saúde, Alysson Bestene é desculpas e culpas.

A Maternidade de Cruzeiro do Sul atende toda região do Juruá e parte do Amazonas, o que exige uma estrutura diferenciada para unidade.

Um acompanhante de uma paciente nos enviou fotos; são imagens revoltantes do descaso e falta de compromisso com os usuários da unidade.

Em uma das imagens aparece várias pacientes no Hall da recepção, deitadas no chão, Faltam leitos e os profissionais estão trabalhando em um quadro reduzido. Outra imagem mostra a situação de um chuveiro, totalmente inadequado para banho.

Ainda foi constatado que os terceirizados da limpeza e serviços gerais, Vão para três meses de salários atrasados. Sem falar na perseguição, que segundo o denunciante, os servidores vivem clima de terror.

Seria bom parar de usar o governo anterior como desculpas para incompetência e começar fazer as tão prometidas e aguardadas mudanças, pois o governo anterior tem sim sua parcela de culpa, mas Gladson Cameli foi eleito para mudar esta realidade.

Deputada Perpétua Almeida afirma que a paz está ameaçada no país e questiona a mudança de atitude diplomática do governo brasileiro

Parlamentar conclama pela paz na América. “Que mãe suportaria ver seu filho sair de casa para entrar em conflito com  a nação vizinha?”.

A Deputada Perpétua Almeida (PCdoB) usou a tribuna  da Câmara dos Deputados nesta quinta-feira(21) para pedir paz na América Latina e advertiu sobre o risco do governo federal levar o Brasil para o caminho dos conflitos com outros países, devido à intervenção na Venezuela. 

“O Brasil só participou de ajudas humanitárias quando havia o consentimento das partes envolvidas. Não há porque ser diferente. São constantes e afrontosas as declarações do governo Americano à Venezuela. Se Eles decidirem invadir, o que vamos fazer? As famílias brasileiras não querem mandar seus jovens para guerra. Que mãe suportaria ver seu filho sair de casa para entrar em conflito com a nação vizinha?”, alertou a parlamentar.

Tradicionalmente, o Brasil é uma nação de paz, com uma política diplomática de boa vizinhança. O país já participou de mais de 50 missões de paz, sempre com a presença da Organização das Nações Unidas (ONU) e a anuência dos envolvidos. 

Risco de conflito entre Brasil e Venezuela 

Em reação ao anúncio do governo brasileiros de se aliar aos Estados Unidos no envio de ajuda internacional, o presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, enviou veículos militares para a fronteira com o Brasil e declarou o fechamento da divisa a partir das 21h desta quinta-feira (21). 

Para alguns especialistas em política internacional, os Americanos estariam enviando recados velados de ameaça de invasão à Venezuela e o  posicionamento do Brasil de se somar ao governo Americano pode ser visto como uma ameaça para os brasileiros. Para a deputada Perpétua Almeida, a Venezuela está passando por um conflito que precisa ser resolvido internamente e o Brasil só deveria intervir a pedido do próprio país. 

“Tenho pedido ao presidente da Câmara, Rodrigo Maia, que reúna o colégio de líderes, ouça o ministro da Defesa e se posicione para que possamos evitar que o Brasil traga para o nosso colo um conflito que não nos pertence”, reitera Perpétua.

O envolvimento do Brasil na primeira fase da operação internacional foi uma surpresa até mesmo para a oposição venezuelana e levou funcionários brasileiros a mergulharem num ritmo vertiginoso de trabalho em Brasília para organizar, em menos de três dias, o envio de medicamentos e alimentos a Boa Vista.

Revalida duas vezes por ano e com resultado em até seis meses, solicita Deputada Perpétua Almeida ao Ministério da Educação

O requerimento da alteração no programa foi feito via indicação para a presidência da Câmara dos Deputados. Após o recebimento, o Ministério da Educação tem prazo de 30 dias para responder à solicitação da deputada.

A Deputada Perpétua Almeida (PcdoB/AC) solicitou ao Ministério da Educação que as provas dos Exames Nacionais de Revalidação de Diplomas Médicos (Revalida) sejam realizadas pelo menos duas vezes por ano e que a homologação do resultado seja emitida no prazo máximo de seis meses.

O Revalida foi instituído em 2011 e permite que brasileiros e estrangeiros formados em outros países possam exercer a profissão no Brasil. Na época da criação do programa, Perpétua Almeida estava na Câmara dos Deputados e lutou para que o exame fosse implementado de forma justa.

Produzido exclusivamente pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), os editais não possuem prazo estabelecido e são realizados apenas uma vez por ano. Além disso, o resultado dos processos é demorado. A etapa final do Revalida 2017, por exemplo, aconteceu no final de 2018 e o resultado saiu apenas este mês.

“O Brasil tem uma enorme carência de médicos em cidades do interior, regiões remotas e em comunidades indígenas. O Acre vem passando por dificuldades em relação à falta de profissionais. Precisamos dar mais celeridade ao Revalida para atender a necessidade da população e ao anseio dos nossos jovens, que estão em busca de trabalho.”, declara a parlamentar.

Há centenas de médicos brasileiros, formados no exterior, que estão aguardando o resultado do Revalida para regularizarem suas vidas profissionais e começarem a atender.

Não será coisa para pobre, curso de Medicina anunciado em Cruzeiro do Sul custaram entre 9 a 11 mil mensais

Esse curso de Medicina anunciado para Cruzeiro do Sul é o verdadeiro presente de grego. A quem interessa um Curso de Medicina Particular no Juruá?

É notório a euforia dos padrinhos do polêmico curso de medicina que será implantado em Cruzeiro do Sul, principalmente o deputado federal Alan Rick do DEM e o prefeito da cidade, Ilderlei Cordeiro do Progressista.

Depois de longa batalha para trazer o tão sonhado curso para o Campus da UFAC – Floresta, a reitoria da instituição foi surpreendida por um golpe aplicado por quem não se sabe, o certo é que um grupo empresarial com apoio de políticos do estado, usaram da influência no Ministério da Educação e vão sim implantar o curso de medicina na região, mas não será coisa para pobre sonhar.

Com mensalidades que irão variar entre 9 a 11 mil reais mensais, servirá para atender interesses de uma elite, distanciando assim a formação mais disputada, de milhares de jovens de baixa renda.

O que mais intriga é, assistir o entusiasmo de nossos representantes, se comportando como se estivessem trazendo algo público e de acesso daqueles que mais sonham com a carreira.

Lamentável o golpe que nossa Juventude sofreu.

O jovem que quiser ingressar terá que desembolsar até R$ 11 mil por mês. Ou seja: pobre vai passar longe.

É bom lembrar que a universidade pública chegou a ser aprovada.

Durante o governo da presidente Dilma Rousseff, o então ministro Aloizio Mercadante atendeu ao pedido do governador Tião Viana e autorizou a instalação do curso.

O governo firmou parceria com a Ufac e vários professores fizeram mestrado e doutorado para ministrar as aulas. O Estado investiu mais de R$ 3 milhões.

Veio o golpe e Michel Temer cancelou a Faculdade de Medicina pública.

O pior que, segundo fonte, há políticos fortes interessados nos lucros que a universidade particular trará.

Cruzeirense desabafa: Daqui um pouco a NASA desembarca pensando que a lua é aqui

Entra semana e sai semana e a prefeitura sequer apresenta um plano de recuperação das vias municipais.

A infraestrutura urbana é sem dúvida o problema que mais tem afetado os moradores da segunda maior cidade do Acre, Cruzeiro do Sul. Condutores de veículos são os que mais reclamam da difícil missão, que é rodar pelas ruas daquela, que um dia foi chamada de Princesinha do Juruá.

Vários Taxistas e Mototaxistas, vivem um drama diários na difícil tarefa de levar passageiros de um ponto à outro da cidade, que se encontra quase que completamente esburacada.

O Motorista José Fernando se diz envergonhado de ser administrado por pessoas tão irresponsáveis com a infraestrutura da cidade, que para completar tem a coragem de cobrar IPTU e taxa de iluminação, em uma cidade tão arrasada como Cruzeiro.

Outra condutora, Maria José vai além, para ela, qualquer dia os cientistas da NASA pousam na cidade, achando que chegaram na Lua, brinca a mesma que afirma já fazer uns 5 anos que a cidade não tem serviços de ruas que justifiquem o direito do cidadão.

Outra reclamação é em relação a limpeza urbana da cidade, pois mesmo depois de terceirizar os serviços de Coleta de lixo limpeza pública, não se percebe grandes avanços, pelo contrário, estão cobrando uma taxa a mais dos moradores.

Na Câmara Municipal não tem uma ação de destaque em defesa da melhoria dos serviços ofertados pela gestão Ilderlei Cordeiro, sendo a casa de representação popular, bastante questionada pela sua negligência em relação aos problemas do povo.

Um ou dois vereadores ainda gritam por melhorias, dentre eles o Vereador: Ronaldo Onofre do PDT, que usa muito sua página nas redes Sociais para cobrar ações em defesa dos cruzeirenses.

Insatisfação de aliados, Guerra entre Major Rocha X José Bestene, o início que mais se parece com fim

Quer sentir o que os Acreanos estão achando desse início de Governo Gladson? Abram os comentários nas redes sociais!

O povo está se sentindo traído, pois achavam que iriam se livrar de tudo que era errado na gestão do PT.

01- Não sabe tocar o governo sem ajuda dos Petistas;

02- As melhores nomeações são destinadas aos esposas (os) de Parlamentares, filhos, sobrinhos e entiados.

03 – O critério das escolhas não tem nada de técnico como prometeram, tem açougueiro no Acre Previdência, Serviçal na FUNTAC e Motorista na Ciência e tecnologia e por aí vai.

Agora para piorar uma grave crise se instala no centro do governo, com a guerra entre o Vice Governador: Major Rocha (PSDB) e o Grupo do deputado José Bestene (Progressista).

Com a viagem para Brasília do titular Gladson Cameli, Rocha assumiu o governo e logo resolveu fazer uma visita surpresa no Pronto Socorro, espaço comandado pelos Bestenes.

Acompanhado da imprensa, Rocha ouviu reclamações de servidores e pacientes, que logo foi destaques na imprensa, o que irritou o secretário de Saúde, Alysson Bestene, que recebeu a solidariedade de aliados através de várias notas divulgadas publicamente.

As notas tratam a visita surpresa de Rocha como afronta e provocação, mostrando claramente a guerra entre os grupos.

Para revidar, o deputado estadual José Bestene foi nas bases de Rocha, no caso visitou a Penitenciária e ouviu inúmeras reclamações de agentes Penitenciários, que afirmaram que estão abandonados pela cúpula da segurança Pública.

O caldo engrossou está manhã de domingo, com uma declaração do governador Gladson Cameli, que parece ter tomado lado na briga e presta solidariedade ao seu secretário de Saúde, afirmando que não permitirá ataques aos mesmo.

Quem conhece a personalidade de Major Rocha, sabe que essa briga não acaba por aqui, ela é início de uma luta para mostrar quem tem mais força no Palácio Rio Branco.

Em desabafo, Bebianno diz que deve desculpas ao país por ter viabilizado candidatura de Bolsonaro

Para aliados de Bebianno, também causou contrariedade o movimento da família Bolsonaro para sacramentar a saída do ministro do governo.

Diante da crise política em que virou protagonista, o ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Gustavo Bebianno, fez um desabafo para interlocutores próximos e demonstrou profundo arrependimento em ter trabalhado ativamente pela eleição do presidente Jair Bolsonaro.

“Preciso pedir desculpas ao Brasil por ter viabilizado a candidatura de Bolsonaro. Nunca imaginei que ele seria um presidente tão fraco”, disse Bebianno para um aliado, numa referência à influência dos filhos do presidente no rumos do governo, especialmente o vereador Carlos Bolsonaro.

Nessas mesmas conversas, Bebianno demonstra preocupação com o efeito desse protagonismo familiar nas decisões do país. E reconhece que o governo Bolsonaro precisa descer do palanque para administrar o Executivo.

No momento em que vários aliados trabalhavam para baixar a temperatura, contornar a crise e manter Bebianno, integrantes da família do presidente vazaram para a imprensa que o pai havia demitido o ministro, para tornar a queda um fato consumado, sem chance de mudança no fim de semana.

Depois de ser fritado por barbeiragem do Palácio Rio Branco, Alércio Dias se diz injustiçado

Após pressão da opinião pública e Ministério Público, Gladson retira indicação de Alércio para o Acreprevidência.

Alércio Dias, ex-secretário de Educação no Governo Orleir nunca imaginou que sua volta a vida pública fosse tão conturbada como está sendo. Por ironia do destino o governo que deu nova oportunidade para Alércio, Também é Cameli, sendo sobrinho do ex governador Orleir, Gladson escolheu Alércio para comandar o ACREPREVIDÊNCIA.

Nem mesmo os aliados mais próximos do Governador Gladson, nunca imaginaram que a indicação traria tantas dores de cabeça ao Palácio Rio Branco. Ao ter seu nome indicado para a pasta, logo gerou muito debate na opinião pública, pois Alércio foi um dos secretários com mais problemas jurídicos no governo de Orleir, iclusive sofrendo condenações por improbidade administrativa, o que despertou preocupação do Ministério Público do Acre.

Para ser Diretor do Acre Previdência, Alércio Dias precisaria ter seu nome aprovado pelo Plenário da Assembléia Legislativa do Acre, o que não aconteceu até aqui, haja vista tamanha repercussão negativa sobre o nome escolhido.

O Ministério Público manifestou um documento junto a mesa diretora da ALEAC, recomendando a não aprovação do nome de Alércio para o Acreprevidência. O órgão afirma que, Alércio tem conduta não ilibada e seu histórico não passa confiança para presidir uma instituição de tamanha responsabilidade como a que foi determinada.

Em participação no Programa TRIBUNA LIVRE, que foi ao ar na sexta feira pela TV Rio Branco, Alércio desabafou e desafio a Justiça a mostrar que o mesmo deve alguma coisa ao erário público. Ficou notório também sua mágoa com o Palácio Rio Branco, que não cuidou dos procedimentos em tempo gradual, o que poderia ter evitado sua fritura precoce como foi.

Alércio demonstra frustração e ao mesmo tempo se diz preparado para enfrentar o MP e provar sua honra, o que segundo ele, não passa de um mal entendido, foi transformado em crime e não passará sem ser esclarecido.

Essa semana o assunto promete ganhar atenção dos debates na ALEA.

Sem dar respostas na Segurança, Major Rocha quer dar pitaco na Saúde

Falar a verdade é preciso, Gladson Cameli deu todo aparato da segurança nas mãos do Major Rocha.

Indicações do IAPEN, ISE, SEJUSP, Polícia Civil, Comando Militar e Detran. O Vice fazia críticas ao modelo Tião Viana e mostrava facilidades para o combate à criminalidade, dando a plataforma de como restabelecer a paz.

Passado quase 02 meses eu pergunto, vocês perceberam essa revolução prometida pelo Tucano? Cadê aquele SuperMan que se propôs devolver nossa paz, alguém viu? em eu….

Achando pequena a tarefa de ser o Cara da segurança Pública, Major Rocha agora mira a Saúde. Fez visitas ao Pronto Socorro, sem comunicar ao secretário Alysson Bestene e muito menos a direção da unidade.

Expôs problemas publicamente depois de ouvir servidores e pacientes, além de alfinetar o diretor do HUERB.

Rocha disse que vai andar mais nas repartições públicas e que terá uma atenção especial nos atos da Sesacre, principalmente depois do decreto de calamidade, assinado pelo governador Gladson Cameli.

Aos que acompanham os bastidores da política, fica notório que Rocha expõe os problemas que tem com algumas figuras do Progressista, principalmente quando sequer disfarça a cede que tem no grupo do deputado José Bestene.

Sem apoio do Governo Gladson comunidade da Sibéria está Isolada, a Balsa sumiu e ninguém sabe a quem recorrer em Xapuri

Um dos problemas que mais perturba os Xapurienses que utilizam a Balsa, para fazer a travessia do Rio Acre com destino ao segundo Distrito, ficou ainda pior.

O que já era ruim ficou péssimo do final de dezembro até os dias atuais. Com a transição do governo Tião Viana para Gladson Cameli, as equipes de trabalho e gerenciamento do Deracre foi demitida e ninguém sabe quem representa o Deracre na cidade. Trabalhadores reclamam de 4 meses de salário atrasados, sendo 2 meses do governo anterior e completando 2 do atual.

Falta salário, falta diesel para abastecer o motor da balsa, falta informações e para piorar, faltou a Balsa na manhã deste Sábado dia 16. Mas não vamos aqui entrar no mérito de olhar para traz, vamos falar aqui da omissão do Governador Gladson Cameli em proporcionar melhoria na qualidade de vido dos moradores da localidade

Ao chegarem na beira do Rio os condutores foram surpreendidos com ausência da velha e necessária Balsa. Revolta e indignação tomou conta, dos que não sabem sequer a quem reclamar.

O Município de Xapuri já era para ter uma Ponte, já que tem uma boa representação política de ao menos dois deputados estaduais Manoel Moraes e Antônio Pedro representando a Cidade, mas acredita-se que os dois parlamentares não agiram com tanto vigor, não persistiram naquilo que é de extrema importância para os Moradores de Xapuri.

Agora pelo fato de ter dado grande Vitória ao novo governador eleito e terem acreditado que as coisas iriam melhorar, os moradores esperam uma atitude do Governador que não só prometeu em construir a Pontes como também melhorar a qualidade de vida do Xapurienses.

Populares enviaram imagens do descaso, tendo que se valer de pequenas embarcações, que mesmo sobre riscos são obrigados a se aventurarem na difícil é arriscada travessia.