Após reunião com Gladson, Rocha voltará a indicar nomes para a segurança

O que me levou a decidir fazer as indicações foi ter recebido a garantia do Gladson de que não faltarão recursos para as ações da pasta da Segurança.

O vice-governador eleito Major Rocha acabou de falar ao BLOG DO CRICA que, após a conversa que teve hoje pela manhã com o governador eleito Gladson Cameli, decidiu que vai voltar ao projeto original dele indicar os nomes que comporão a cúpula do sistema de Segurança. Ele revelou que vai ter uma reunião com o Procurador João Pires para tentar lhe convencer a aceitar ser o secretário de Segurança, convite que foi recusado. Somente se houver nova recusa analisará outro nome.

Para o Comando da PM está confirmada a indicação do Coronel Mário César e para o Corpo de Bombeiros o nome em pauta é o do Coronel Velasquez. “O que me levou a decidir fazer as indicações foi ter recebido a garantia do Gladson de que não faltarão recursos para as ações da pasta da Segurança. Também ficou garantido que o ISE passará para a órbita da Segurança: “o ISE não tem nada de ação social, é integrante do sistema”.

O IAPEN também ficará dentro da órbita das suas indicações. “Eu espero que até quarta-feira todos os nomes dos órgãos de Segurança sejam anunciados pelo Gladson Cameli”, prometeu o vice Rocha.

Telejornal 3 de Julho Notícias 18ª Edição

Veja nesta edição o que aconteceu durante o final de semana na região do Alto Acre, foram registrados: Homicídios, tentativa de homicídio, apreensão de drogas, arma, munição e prisões; veja também sobre o Concurso público de Plácido de Castro e outros

Veja o Vídeo: A partido de 2019 estaremos inovando nossa programação.

Olá caros simpatizantes que acompanham os trabalhos do 3 de Julho Notícias, pelo imenso respeito que temos com vocês viemos de ante mão informar que o veículo de Comunicação 3 de Julho notícias passará por uma renovação e com isso no ano de 2019 estaremos inovando, se antes a programação era gravada agora passará a ser ao Vivo tanto o telejornal como também o 3 de Julho Entrevista e você vai poder participar direto do seu município pelo seu smartphone, tablete, computador ou notbook com comentários sobre a sua cidade pelo WhatsApp através do número que aparecerá na descrição deste vídeo seja de qual região do estado do Acre você for.

Coluna do Crica: Rocha confirmou não querer apontar mais nenhum nome para a secretaria de Segurança

O episódio Major Rocha

Para início de conversa a coluna é independente e não briga com a notícia. Liberdade de imprensa é o meu norte. Antes de dar a notícia de que o vice-governador Major Rocha (foto) tinha abdicado de indicar os ocupantes das direções dos cargos do sistema de segurança pública, que corria nos bastidores, fui checar em fontes confiáveis. O primeiro com quem consegui falar foi com o deputado Luiz Gonzaga (PSDB) que confirmou Rocha não querer apontar mais nenhum nome para a secretaria de Segurança. Depois falei com o próprio Rocha, que ressaltou a sua decisão de abrir mão de qualquer indicação. E ressalvando que como o governador Gladson Cameli tinha escolhido o chefe do Gabinete Militar e o diretor do DETRAN, órgãos da área de segurança, ele achou por bem deixar que indique os demais restantes. “Não vou indicar mais ninguém, quem vai escolher e nomear é o governador, mas não implica em briga política, mas de uma decisão pessoal”, explicou. Na sua visão há formas de ajudar o governo sem ser responsável por indicações de secretários. Ponto final. Não há motivo para chiliques. Não esperem nunca que eu engavete notícias. E fim de conversa.

PONTO POSITIVO

Mas neste tacacá apimentado tem um ponto positivo: o governador eleito Gladson Cameli ter reduzido o tamanho do paquiderme estatal para 14 secretarias e acabar com a farra de subsecretarias, que na verdade era um armazém de afilhados políticos e um ralo de recursos.

ESPERA-SE O MESMO

O mesmo comportamento se espera na redução do cabide de emprego dos comissionados.

TUDO PARA DAR CERTO

Neste caminho da redução da máquina estatal o futuro governo tem tudo para dar certo. Até porque conseguir ser pior do que o governo que está se encerrando em janeiro será difícil.

CUIDADO COM AS SUGESTÕES

A prefeita Socorro Nery tenha cuidado com a sugestão que andou recebendo para na Reforma Administrativa colocar na secretaria municipal de Saúde. Dizem ser a indicada mal humorada.

ESTE SERÁ COBRADO

O deputado Jairo Carvalho (PSD), que vai para a Secretaria de Agricultura, área que mais criticava do atual governo na Assembléia Legislativa, será por isso um dos mais cobrados. Terá que dar solução para todos os problemas agrícolas que denunciava com a sua língua afiada.

VALEM MENOS DO QUE PENSAM

Quem quiser ser colunista social do futuro governador ou de deputado que seja. Quem quiser  bajular, que bajule. Aliás, os bajuladores valem menos do que pensam que valem. Imprensa tem que ser livre para cobrar, seja de deputado, do padre ou do governador. Em bom tempo o próprio Cameli já disse que prefere uma imprensa que lhe cobre ao puxa-saco. Viu, sabujos?

NÃO OCUPE CARGO PÚBLICO

Quem não quiser ser criticado não ocupe cargo público, entre num mosteiro e vire monge.

OUTRO QUE PROVARÁ DO VENENO

O deputado Nelson Sales (PROGRESSISTA) fui o mais duro crítico do atendimento pelo sistema público de saúde, com ataques diários aos dirigentes do setor e ao governador. Foi convidado para comandar o setor mais venenoso da Saúde: a Fundação Hospitalar, um poço de críticas.

SONHAVA MAIS ALTO

Na verdade, o deputado Nelson Sales (PROGRESSISTA) sonhava mais alto: secretário de Saúde.

ENFIM, UM CARGO

Tanto peregrinou que, o professor Carlitinho será Assessor Especial do futuro governo.

GASTOU POR CONTA

O ex-candidato a deputado federal Rudiley Estrela estava tão certo que seria o futuro diretor do DETRAN que, coitado, já teria encomendado o terno da posse. Até parabéns pela indicação recebeu em profusões. Deu chabu na nomeação. A vaga será do Aderson Lima, tio do Gladson.

UMA BOA PERGUNTA

Depois do deputado Jairo Carvalho (PSD) insistir para que seu nome fosse enviado para ser o secretário de Agricultura, o senador Sérgio Petecão (PSD), com a sua verve de humor, lhe perguntou: “Jairo, meu amigo, tu sabe ao menos plantar um pé de caju”. Risadas gerais.

APENAS BONS AMIGOS

O presidente da Assembléia Legislativa, deputado Ney Amorim, me disse ontem que entre ele e o deputado Nicolau Junior (PROGRESSISTA) existe apenas uma boa amizade, mas nenhum acordo que implique na manutenção de cargos de confiança do seu grupo, como se propala.

NO MESMO TOM

O deputado Nicolau Junior (PROGRESSISTA) também foi no mesmo tom, ressaltando ser amigo  do presidente Ney Amorim, a quem diz respeitar, mas nega acordo para manter cargos atuais, caso venha a ser eleito para comandar a próxima mesa diretora da Assembléia Legislativa.

SEMPRE OS DOIS LADOS

A coluna sempre terá ao dispor do citado o mesmo espaço para a sua versão. Assim é o bom jornalismo. Mas não entrará jamais no cordão dos bajuladores para ser agradável a ninguém. E  tentar conseguir contratos no futuro. Não existe nada que me causa mais asco que o pegajoso.

POTE DE VASELINA

Depois que o TCE soltou um Relatório detonando com a saúde fiscal e o empreguismo do atual governo, o Conselheiro Antonio Malheiros pegou seu pote de vaselina para tentar amaciar o estrago feito, incensando o governador. Agora Inês é morta, não conserta o estrago, jamais!

COMENTÁRIO PETISTA

“Não sou do time dos que torcem para o quanto pior melhor, afinal, se as coisas derem errado no futuro governo, é o povo quem sofrerá. Contudo, se o vice-governador eleito, supostamente, rompe com o governador eleito antes mesmo do governo iniciar, boa coisa é que não se pode esperar da futura gestão”. O comentário acima é do deputado Daniel Zen (PT).

NÃO ESQUECEU O APOIO

O senador Márcio Bittar (MDB) não esqueceu o apoio que recebeu na campanha do Coronel Ulisses Araújo (PSL), ex-candidato a governador, em todas as visitas que fez em Cruzeiro do Sul para agradecer os votos, ambos estiveram juntos. Lealdade é uma virtude na política.

PARCERIA INTERESSANTE

Caso o governador eleito Gladson Cameli esteja pensando em ampliar as suas parcerias políticas, poderia buscar o PRB que tem um deputado estadual e um deputado federal.

DISCUSSÃO ESTÉRIL

Não entro nesta discussão estéril sobre os formados em Medicina na Bolívia. É muito simples: faz o Revalida, passa e ganha o CRM. Tenho amigos, formados na Bolívia, que passaram no Revalida, estão com CRM e, são bons profissionais. Não pode haver é a política do coitadinho.

O QUE NÃO FAZER

Se os próximos ocupantes da máquina estatal quiserem acertar é só fazer o inverso do que fez o governo que se findará dia 31 de dezembro. O primeiro é deixar de lado a arrogância.

O BICHO ESTÁ PEGANDO

Não é só dentro do governo que finda que pipoca greve e há grita por salários atrasados. Até o Hospital Santa Juliana, da Prelazia, não paga os médicos há três meses, e estes já ameaçam fazer uma paralisação no atendimento a pacientes do SUS, na próxima terça feira.

FIM DO APARATO

O governador eleito Gladson Cameli terá uma equipe mínima de segurança e não o aparato do atual governo de mais de 80 policiais, que poderiam estar nas ruas defendendo a população.

HÁ QUE SE DAR UM CRÉDITO

O futuro secretário de Saúde, Alyson Bestene, é um jovem, nunca comandou uma secretaria complexa e de grande porte, por isso precisa se cercar de assessores mais experientes para dar à população um atendimento digno na área. Todo novo gestor merece crédito de confiança.

VAMOS COBRAR

O Gladson Cameli diz que a partir da posse os secretários terão 120 dias para mostrar algum resultado, algum avanço na pasta, e se isso não acontecer é rua. Vamos observar e cobrar.

DEPUTADOS NO PODER

Três deputados estarão na equipe do futuro governador: Jairo Carvalho (Agricultura), Nelson Sales (FUNDAÇÃO HOSPITALAR) e Eliane Sinhasique (Pequenos Negócios e Turismo).

NADA CONTRA

Nada contra os que bajulam o atual governador. São pagos regiamente para isso, ora, pois.

TROCA DE FOC

No melancólico governo que vive seus últimos dias o foco foi lotar as secretarias de Procuradores do Estado. O foco do futuro governo será o da República do TCE. Vieram de lá as indicações da secretária de Fazenda, Chefe do Gabinete Civil, e do número dois da ASSECOM. Tudo chancelado pelo homem mais forte no próximo  governo depois do Gladson Cameli: Conselheiro do TCE, Antonio Malheiros.

RESPOSTAS IMEDIATAS

O governador eleito Gladson Cameli terá a partir de janeiro que oferecer em 100 dias uma resposta aos dois calcanhares de Aquiles do atual governo: saúde e segurança pública. Em qualquer pesquisa que for feita estes dois setores sempre aparecerão como os mais criticados pela população. Em que pese o esforço pessoal do governador, houve algum avanço, mas existem muitos gargalos no sistema estadual de saúde, como falta de médicos, TFD quase parado, filas imensas para consultas, exames e cirurgias, ou seja, bem abaixo do ideal prometido no início desta administração nos seus 8 anos no poder. No setor de segurança aconteceu uma queda nos índices de matança, mas continuamos a ter no Estado uma das capitais mais violentas do país. O interior, como Cruzeiro do Sul e Sena Madureira, também já estão tomados pela onda de execuções. Se conseguir passar à população que algo mudou neste campo, o futuro governador começará bem a sua administração. As cobranças serão inevitáveis.

Após repercussão de racha, Rocha confirma que não indicará mais ninguém no governo de Gladson

Rocha diz que não se trata de nenhum racha ou afastamento do governo, mas de abdicar de apontar nomes para a secretaria de Segurança.

Por Luis Carlos Moreira Jorge

O vice-governador Major Rocha acaba de confirmar de Goiânia, onde se encontra, ao BLOG DO CRICA que, não tem nenhum nome para indicar para compor os cargos de chefia do sistema de segurança como havia sido acordado na composição da chapa com o governador Gladson Cameli.

“Não se trata de nenhum racha ou afastamento do governo, mas de abdicar de apontar nomes para a secretaria de Segurança. “Quem nomeia é o governador. Ele não optou em nomear o diretor do DETRAN, o chefe do Gabinete Militar, que são do quadro da segurança? Então pode nomear os demais cargos”, disse.

“Comigo não tem problema algum não ter cargo indicado dentro do governo, posso ajudar sem isso. Só acho que para a o comando da Segurança não pode ser um político, é uma pasta de muita responsabilidade, mas quem o Gladson nomear é da sua inteira responsabilidade”, falou Rocha.

“A minha parte de ajudar o governo sem ter participação alguma no secretariado está mantida”. E completou: “não me pergunte se teria algum nome na cabeça para ser o secretário de Segurança no momento, que só posso lhe dizer que não tenho”.

3 de Julho Entrevistas 12ª Edição

Nesta entrevista o vereador Edu Queiroz falou da sua trajetória política, inclusive dos seus três mandatos seguidos em legislaturas anteriores, assista!!!!

3 de Julho Entrevistas 13ª Edição

Veja nesta edição a entrevista com o Vice-presidente da Câmara de Brasileia, Rozevete Honorato ele que vai contar um pouco da sua carreira política e também falará da sua experiência como vereador de primeiro mandato.

Urgente: Horas antes de anuncio de secretariado, Rocha decide romper com Gladson Cameli

A notícia que já corria desde a noite de ontem foi confirmada ao BLOG DO CRICA pelo deputado Luiz Gonzaga (PSDB).  “É verdade, ele abriu mão de qualquer indicação”, afirmou seu aliado.

Por Luis Carlos Moreira Jorge

O vice-governador Major Rocha colocou água na cerveja da comemoração do anúncio da equipe do primeiro escalão do governo Gladson Cameli, que acontecerá nesta tarde de sexta-feira. Rocha comunicou ao governador eleito que não mais indicará ninguém para ocupar os cargos no sistema de segurança. A notícia caiu como bomba no arraial do futuro governo. 

O BLOG também teve confirmação de dentro de assessores mais próximos de Cameli da decisão do Rocha. Fala-se em vários motivos para a tomada de decisão inesperada. Uma é de que o Procurador João Pires teria desistido de assumir a secretaria de Segurança por sentir que não teria todo o apoio que precisaria para comandar o espinhoso cargo.

Fala-se que estaria também no pacote de descontentamento do Rocha o fato do governador eleito Gladson Cameli não deixar o DETRAN sob a órbita da Segurança e ter feito a indicação de um filho do seu tio, o falecido deputado Rezende Lima, o administrador Anderson Lima, para ser o novo diretor do órgão.

Outro tempero neste prato apimentado é que haveria também uma mágoa da mais votada deputada federal do Acre, Mara Rocha (PSDB), que pretendia indicar um nome para a Produção. Por conta de todos os impasses não será anunciado hoje nenhum nome para o sistema de segurança, Meio-Ambiente e SEAPROF, apenas as secretarias mais técnicas. Foi tentado por várias vezes um contato com o vice-governador Major Rocha, mas todos os seus celulares estavam desligados, assim como os dos seus assessores.  

Aos mais próximos o vice-governador eleito teria dito que não pretende comparecer na posse, tendo em vista a relação de desconfiança que passou a existir entre ele [Rocha] e Gladson.

3 de Julho Entrevistas 12ª Edição

Nesta entrevista o vereador Edu Queiroz falou da sua trajetória política, inclusive dos seus três mandatos seguidos em legislaturas anteriores, assista!!!!

3 de Julho Entrevistas 13ª Edição

Veja nesta edição a entrevista com o Vice-presidente da Câmara de Brasileia, Rozevete Honorato ele que vai contar um pouco da sua carreira política e também falará da sua experiência como vereador de primeiro mandato.

Após ser indicado para ser secretário de Educação, Minoru é tratado na oposição como “Cavalo de Tróia”

“Cavalo de Tróia”. É como está sendo tratada a possível indicação do candidato derrotado ao Senado, Minoru Kinpara (REDE), dentro da oposição, para ser o futuro secretário de Educação.

Por Luiz Carlos Moreira jorge

O convite foi feito pelo vice-governador eleito Major Rocha a pedido do governador eleito Gladson Cameli. Minoru confirmou e quer indicar todos os seus assessores. A primeira reação pública veio do senador Sérgio Petecão (PSD), ao indagar numa postagem se “entre os guerreiros da oposição” não existia ninguém capaz para assumir o cargo. “Não foi para permanecer com adversários governando que ganhamos a eleição. Não tenho nada contra o Minoru, mas a vez agora é da oposição”, reagiu ontem. O prefeito de Sena Madureira, Mazinho Serafim, contestou de forma irônica: “é brincadeira!”. Nos grupos da oposição nas redes sociais, Minoru está sendo tratado como “Cavalo de Tróia”, numa alusão a uma passagem da história, em que os gregos construíram um grande cavalo de madeira, encheram de soldados, para enganar os adversário e tomar a cidade de Tróia. Há um movimento para que nesta semana seja pedida uma reunião entre os principais dirigentes da oposição para uma discussão aberta sobre como será o futuro governo. O senador Sérgio Petecão (PSD) deixou bem claro na conversa de ontem que, em qualquer hipótese ficará ao lado da oposição.

CRÍTICA INJUSTA

O único que não pode ser criticado, atacado como está sendo em grupos da oposição nas redes sociais, este é o professor Minoru Kinpara. Ele estava no seu canto quieto e foram lhe convidar. Não se ofereceu. O Minoru é vítima neste processo de autofagia na oposição.

TREMENDA BOBAGEM

Criticar o senador Sérgio Petecão (PSD) por ter externado uma posição a respeito do professor Minoru vir a ser o futuro secretário de Educação, é uma tremenda bobagem. Ele não critica o Minoru, reconhece sua competência, o que critica é que há na oposição gente tão capaz como ele para o cargo. Se o Petecão, o senador mais votado da eleição, não pode emitir uma opinião sobre a escolha de um secretário, quem é que tem cacife,  mais que ele, para fazê-lo dentro da oposição?

COMPETÊNCIA INDISCUTÍVEL

O que tenho escutado de dirigentes da oposição é que reconhecem a extrema competência do professor Minoru Kinpara, mas a discussão que levam é para o campo de que, também, dentro dos quadros da oposição existem pessoas competentes para secretário de Educação. Correto.

DISCUSSÃO PARA OS POLÍTICOS

A discussão sobre a ocupação de cargos no futuro governo fica para os políticos da oposição. O papel da coluna é registrar os fatos e não importa que alguém venha a gostar ou não gostar.

PERÍODO SABÁTICO

O senador Jorge Viana (PT) entrou em período de mutismo após a sua derrota na última eleição. Nem em movimentações nacionais pró-Hadad se vê o JV metido. O Jorge não deve procurar além dos limites do PT, as causas da sua derrota, mas dentro do partido. Sabe disso.

A POLÍTICA É IMPREVISÍVEL

Quem é que imaginava antes da eleição de que o senador Jorge Viana (PT) não seria reeleito?

UMA OBSERVAÇÃO TARDIA

A observação, eu ouvi ontem de um deputado da FPA derrotado, sobre a prisão de dirigentes do ITERACRE: “o erro principal do governo foi colocar secretários como candidatos, ao invés de prestigiar os deputados da base de apoio na ALEAC. Maldito dia que apoiei este governo”.

O MUNDO NÃO VAI ACABAR

A paixão política é algo insondável. Vejo nas redes sociais comentários de pessoas preparadas antevendo uma espécie de fim do mundo se o Jair Bolsonaro (PSL) ganhar a presidência.  Não entenderam que na política, ninguém manda nos votos da população. E querem mandar?

O POVO É QUE DECIDE

Enquanto isso, milhares de pessoas foram às ruas ontem no Brasil a favor do Jair Bolsonaro.

PREVISÃO INFANTIL

O Jair Bolsonaro (PSL) vai ganhar do Fernando Hadad (PT) com uma lavagem de votos e as tropas continuarão nos quartéis. Coisa mais infantil se dizer que a ditadura voltará a se implantar no país. Uma previsão tola, falta de argumento para explicar a derrota certa do PT.

COM TRANQUILIDADE

A base de apoio do próximo governo na Assembléia Legislativa começa com 13 deputados, mas com tranqüilidade chegará a 17, com a adesão de parlamentares eleitos por partidos nanicos da FPA. É natural que, ocorram composições. Na oposição mesmo ficará PC do B e PT.

FIM DE UM CICLO

Depois de dois mandatos chega ao fim o ciclo político do atual governador. Fez um primeiro mandato bom e o segundo altamente desgastado com a opinião pública que, é o que mostram as pesquisas. O seu erro foi achar que trombando com tudo e todos resolveria os problemas.

MUDANÇA RADICAL

Um erro de conduta do atual governador foi a sua mudança de perfil. Na essência, o conheci fora do mandato e nos mandatos de senador e governador, como uma pessoa afável, uma boa conversa, um bonachão. No segundo mandato virou uma figura altamente rancorosa e belicosa. Terminará o governo cercado de um pequeno grupo e com muitas pontes quebradas.

OPINIÃO

O perfil do nosso governador é muito mais para o Legislativo de que para o Executivo.

UM PONTO POSITIVO

O atual governador tem um ponto positivo a se ressaltar: depois de oito anos governando o Acre, terminará sem um processo por um caso de corrupção. Entrou limpo e sairá limpo.

MAL NA PARTE POLÍTICA

Se o atual governador sairá limpo na parte moral, o mesmo não se poderá dizer na seara política. Ficará na história como a figura em que, no seu governo, o PT sofreu a derrota mais fragorosa dos últimos 20 anos, no Acre. Perdeu o comando do estado, o Senado e não elegeu um parlamentar federal. Não adiantou transformar o seu governo num aparelho do PT.

LANÇAMENTO POR CONTA

Num ato em Xapuri, no fim de semana, o futuro governador Gladson Cameli, por conta do entusiasmo, lançou o Ailson, filho do deputado Antonio Pedro (DEM), como seu candidato a prefeito em 2020.

POSIÇÃO CRÍTICA

Em relação ao belicoso atual governador, mantive nos últimos quatro anos uma posição de independência. Foi um dos poucos a adotar uma postura crítica.  Afinal, alguém tinha que não dizer amém e sim senhor. E terei a mesma postura no governo do senador Gladson Cameli.

É MUITO SIMPLES

Vários governos passaram e a coluna ficou. O atual, que finda em dezembro é mais um a passar. Por isso, não esperem uma coluna de bajulação, mas sempre crítica quando necessário for, com o governo Gladson Cameli. Quem quiser ser coluna social do Cameli, que seja.

MUITO A VONTADE

Em relação aos nomes que venham ser escolhidos para compor o futuro governo não vou fazer comentário desqualificando e nem apoiando, justamente para ter a liberdade da crítica no futuro. Ao governador cabem as nomeações, à imprensa avaliar o trabalho dos indicados.

O PODER É AFRODISIÁCO

O deputado Jenilson Lopes (PCdoB) não avalia bem o processo de escolha do próximo presidente da Assembléia Legislativa. Não espere contar com votos dos partidos nanicos da FPA. Anote: raro vai ser o que não pulará na canoa do governo. O poder tem afrodisíaco.

CAMPO DE GUERRA

A partir de janeiro o PT sairá do campo do poder, no qual não se mostrou tão competente, e vai para um campo que conhece cada palmo, o da oposição. É ingenuidade pensar que, o PT não será virulento nas cobranças ao próximo governo, porque isso será sua sobrevivência.

COMPLETAMENTE ENGANADO

O governador eleito Gladson Cameli vai se enganar com a cor da chita ao pensar que fazendo salamaleques ao atual governador, aos petistas, não será alvo destes no mandato. Aguarde!

PHS REBELDE

A direção do PHS está com uma posição fechada em relação à presidência da Câmara Municipal de Rio Branco: ou emplaca o vereador Raimundo Neném (PHS) como primeiro secretário da mesa diretora ou então se somará ao candidato a presidente da oposição.

POSTURA NÃO COMUM NA DERROTA

O candidato derrotado ao governo, Marcus Alexandre (PT), está tendo uma conduta correta e não comum aos derrotados nas urnas. Tem feito o mesmo roteiro da campanha agradecendo os votos recebidos, pavimentando o seu caminho para 2022. Está fora de qualquer contexto negativo que possa ter influenciado a derrota avassaladora sofrida pelo PT. Pelo contrário, na situação política altamente negativa em que disputou o governo, como representante de um partido altamente desgastado, com uma avaliação popular baixa do atual governo estadual, tendo que administrar brigas entre os candidatos ao Senado pelo PT, se pode dizer que foi até um gigante. Qualquer outro do PT no se lugar a derrota seria ainda mais contundente.

Veja o Vídeo da entrevista com o vereador Mario Jorge

Vereador  conta um pouco sobre a sua trajetória e fala principalmente sobre o seu afastamento. Mário Jorge fala também que tinha pessoas interessadas em fazer com que ele perdesse seu mandato.

Durante a entrevista prestada pelo Vereador Mário Jorge ao 3 de Julho Entrevistas, afirmou que armaram contra ele com relação ao processo de afastamento.

Prefeito do Quinari, André Maia é comparado a “satanás” pelo deputado Jairo Carvalho

Segundo Jairo, a traição correu solta, por parte de André Maia, tudo por causa de apoio político na eleição.

Por Luiz Carlos Moreira Jorge 

O deputado Jairo Carvalho (PSD), que não se reelegeu abriu ontem as suas baterias contra o prefeito de Senador Guiomard, André Maia, a quem chamou de “traidor”.

Foi duro: “eu dei o sangue na sua eleição de prefeito. Agora me traiu e não me apoiou.

Em 2020, não irei apoiar a sua reeleição, seria o mesmo que apoiar o Satanás”, fulmina Jairo.

Veja o Vídeo: 3 de Julho Entrevistas

Veja nesta entrevista o Gerente regional do Sebrae, Jorge Saad, explicando as principais ações do Sebrae durante o primeiro semestre e quais foram as principais atividades do Sebrae voltadas para o agronegócio, indústria e comércio, Curta a nossa página do Facebook e se inscreva no nosso canal do YouTube e lembre-se de ativar as notificações clicando no sininho.

Coluna do Crica

Tchê procura oposição para aliança

O deputado federal Major Rocha (PSDB) revelou ontem à coluna que foi procurado pelo presidente do PDT, ex-deputado Luiz Tchê, para que tentasse com seus amigos do PP, em Brasília, ajudar para que venha a acontecer uma aliança entre o PDT e o PP na disputa presidencial, o que jogaria o PDT no colo da candidatura do senador Gladson Cameli (PP) ao governo. “Quero ir para a oposição”, teria dito Tchê para justificar a conversa. Rocha (foto) disse que a princípio achou a idéia boa, mas houve reação por parte de outros dirigentes partidários da oposição com vetos. “Eles fizeram uma observação com a qual concordo, se a aliança se concretizasse o PT teria que tirar o ex-secretário de Segurança, Emylson Farias, da vice da sua chapa para o governo, e isso não nos interessa de maneira alguma. Queremos o Emylson continuando como vice, porque a Segurança será uma das bandeiras da oposição durante a campanha. E o Emylson será um dos nossos trunfos”, observou o parlamentar.

O QUE PASSA PELA CABEÇA DO TCHÊ?

É muito difícil saber o que passa pela cabeça do presidente do PDT, Luiz Tchê, quando em dois lances se reúne com o candidato ao governo do PT, Marcus Alexandre, jurando lealdade ao projeto, ao mesmo tempo em que busca a ajuda do candidato à vice-governador pela oposição, deputado Rocha (PSDB), para auxiliar a pavimentar o seu caminho rumo à oposição.

PEDIDO COMPLEXO

Deputado da FPA comentava ontem preocupado com um pedido do Legislativo e MP ao Governo, para que este assumisse as suas folhas de aposentados. A preocupação deste parlamentar é que se o pedido for atendido criaria um sério problema ao próximo governador. O Governo tem que completar hoje a sua folha de aposentados com 35 milhões de reais, o que dobraria se vier a fazer a bondade. O governador teria pedido um tempo para estudos.

ANTECIPAR DECISÃO

Seria o ideal que a Promotora Alessandra Marques se posicionasse sobre os dados da planilha fornecida pelos empresários do transporte coletivo, em que pedem aumento da passagem, antes do fim do prazo de suspensão do reajuste da tarifa decretado pela prefeita Socorro Neri.

NÃO GOSTOU NEM UM POUCO

Quem deve ter ficado bravo com a decisão da prefeita Socorro Neri em suspender o aumento imediato do preço das passagens, deve ter sido o presidente do RBTRANS, Gabriel Forneck, que durante todo o processo de discussão se posicionou a favor do pleito dos empresários.

MANIFESTO POPULAR

Ontem houve um legítimo manifesto popular no Terminal dos Ônibus contra o aumento do preço das passagens. Quem paga a passagem é que sabe onde o calo aperta. Tem que protestar para ser ouvido. O brasileiro tem a mania de se acomodar e não reagir a abusos

OPOSIÇÃO CORAGEM

Quem estava de microfone em punho ao lado dos manifestantes contra o reajuste era a presidente do PMN, Dr. Valdete, que faz oposição clara, corajosa e sem se esconder.

“SEU ADVERSÁRIO É ELE”

A frase acima, eu escutei ontem na ALEAC de um dos políticos mais tarimbados do Acre, sobre a candidatura ao governo do senador Gladson Cameli (PP). E deu como justificativa ser o Cameli volúvel no que acerta com os aliados. “Luis Carlos, seu principal adversário é ele”, citou.

“FALTA DE UM NABOR JUNIOR”

E durante o comentário, completou: “falta à oposição um líder, falta um Nabor Junior”.

CHEGA FORTALECIDO

Caso o candidato ao governo, Coronel Ulisses Araújo (PSL), não consiga na campanha gerar um fato novo para fazer subir as preferências sobre a sua candidatura, não vai conseguir polarizar a disputa. Mas se perder a eleição passará a ser o noivo cobiçado em eventual segundo turno.

TESE DERROTADA

Está definitivamente derrotada a tese defendida pelo PT que na FPA só deveria haver o chapão para a Câmara Federal. Terão três chapas: a dos partidos grandes formada pelo PT-PCdoB-PSB. A Chapa 2, com PDT-PSDC. E a chapa 3, tendo PODEMOS-PV-PSOL-PRB-PRP-PROS-PHS-PMB.

CHAPA DESCOLADA

A presidente do PTB, Charlene Lima, descolou o seu partido da aliança com as demais siglas pequenas na disputa para estadual. O PTB deverá sair com uma chapa própria completa.

TRAÍDO PELOS FATOS

O vereador do Jordão, Tom Sérgio (PDT), entrou numa fria e pôs o Porta-Voz do Governo em outra fria. Para ser agradável ao governo, quis desmentir o ac24horas, sobre uma matéria com declarações suas. E ainda induziu o Porta-Voz ao erro. Esqueceu que a sua conversa, em que diz que dava um ultimato ao governador para arrumar a pista do Jordão, foi gravada. Assim como teve um print de uma declaração sua elogiando a matéria. Tom foi traído pelos fatos.

É UMA VIRTUDE

Quando um ocupante de cargo público volta atrás em uma decisão para cumprir uma formalidade jurídica deve ser visto como uma virtude, não com jocosidade. É o caso do ato da prefeita Socorro Neri sobre o aumento no preço das passagens de ônibus. Foi serena.

RESPEITO, MAS DISCORDO

Não invisto sobre a seriedade dos institutos que fizeram pesquisas, porque conheço a lisura como agem os seus donos, mas me reservo ao direito, pela longa experiência como jornalista, de discordar do seu resultado apertado entre os candidatos polarizados, aqui em Rio Branco.

VIROU MANTRA ATÉ ENTRE OS ALIADOS

E comum ouvir de deputados da FPA (virou um mantra nas conversas políticas), de que a proximidade na campanha com o governador não seria positivo para o candidato ao governo, Marcus Alexandre (PT), pelo fato dele estar em baixa popular e brigado com vários setores.

CHORAR NÃO ADIANTA

Enquanto a maioria dos prefeitos faz um chororô pela crise econômica, a prefeita Fernanda Hassem está mostrando, em Brasiléia, que o bom gestor se conhece na crise e não na bonança.

DRIBLANDO A CRISE, EXEMPLO VEM DA FRONTEIRA

Quando há competência na gestão qualquer crise econômica desaparece. Um bom exemplo de administração vem da prefeita de Brasiléia, Fernanda Hassem. Até o próximo dia 30 será pago o salário do mês aos servidores e 50% do 13º. Serão cerca de 2 milhões e 200 mil reais a serem jogados no município. Some-se a isso o pagamento do auxílio-alimentação aos profissionais da Educação. Fora isso, estão sendo iniciados 4.200 metros de pavimentação e uma operação tapa-buraco, com recursos próprios, em que são usadas 650 toneladas de asfalto. Os Postos de Saúde estão com medicamentos e há o equilíbrio fiscal, conseguido pelo secretário de Finanças, Tadeu Hassem. Não é por acaso que a administração da Fernanda está entre as três melhores avaliadas nas pesquisas de opinião pública. Deu um drible na crise.

OS QUE MAIS REVINDICAM

Antonio Pedro (DEM) e Leila Galvão (PT) são os deputados que mais reivindicam por Xapuri.

QUADRO PREPARADO

Com todo o respeito aos demais, mas se forem escolhidos os três parlamentares mais preparados e atuantes da Assembléia Legislativa, sem dúvida estará entre eles, o deputado Daniel Zen (PT). Exerce uma das mais difíceis artes no parlamento, que é ser líder do governo, com destaque. Fazer oposição é fácil, sempre há bons temas em cima dos quais se navega.

NÃO HÁ NADA MAIS IMPORTANTE?

Não há nada mais importante para os vereadores debaterem sobre a administração municipal do que tendo o preço das “mijadas” nos sanitários públicos, como tema principal? Pergunto.

PODE FICAR NO CHEIRINHO

O Márcio Bittar (PSDB) pode beliscar de novo a vaga de senador e ficar novamente no cheirinho. Como aconteceu também para a PMRB e Governo, quando chegou perto de vencer. A reclamação que sempre se escuta do Márcio nas campanhas e se achar a última bolacha do pacote. E não é! Principalmente nesta eleição do Senado, com adversários muito fortes.

QUEBRANDO PARADIGMAS

Só o fato da vereadora Janaína Furtado (REDE) ser candidata ao governo já quebra um paradigma de ser a única mulher na chapa de candidatos a governar o Acre. Isso é bom.

MENOS MAL
Leio que prenderam os ladrões que furtaram armas da Delegacia de Brasiléia. O fato, por ser um desafio ousado ao Estado nem deveria ter ocorrido, menos mal com todos presos.

SANTO ANTONIO FICOU CARECA

São incontáveis as promessas de  governadores, deputados estaduais, deputados federais de que lutariam pela construção da Ponte que leva ao município de Rodrigues Alves. A travessia do rio é feita por catraias. E justo a população ter se organizado, cobrar e protestar para a que a obra seja executada. De promessa, Santo Antonio ficou careca.

O BURACO É MAIS EMBAIXO

Quando vejo empresários entrando na política acho salutar. Mas entre isso é uma eleição para deputado federal o buraco é mais embaixo. Uma campanha tem componentes que atropelam os amadores. Sem uma campanha profissional, podem gastar muito e pegar balsa.

RECORRE NO CARGO

Mesmo que o TRE-AC venha a cassar o prefeito de Cruzeiro do Sul, Ilderlei Cordeiro, ainda assim pode conseguir uma Liminar no TSE e recorrer contra a condenação no cargo. Existe farta jurisprudência favorável sobre este tipo de recurso.

POLÍTICO DO BEM

Quem busca voltar à Câmara Federal é o ex-deputado Henrique Afonso. Político do bem. Não se conhece dele um deslize em todos os mandatos que exerceu.

Coluna do Crica

Jogando as fichas no Bolsonaro

O ex-prefeito Tião Bocalom (PATRIOTAS) compara a campanha do candidato ao governo, Coronel Ulisses Araújo (PSL) a um fogo de monturo que vai crescendo aos poucos. Garante que a coligação PSL-PATRIOTAS tem sessenta nomes querendo ser candidato a deputado estadual, mas pretende fechar a lista em 35 candidaturas e o listão para deputado federal em 14 postulantes. Bocalom, que disputará uma vaga de Federal, acredita que a partir da vinda do candidato à presidência, Jair Bolsonaro (PSL), marcada para julho, em Rio Branco, a candidatura de Ulisses dará um salto e colará nas pesquisas aos candidatos Gladson Cameli (PP) e Marcus Alexandre (PT). “Não tenho dúvida disso, onde se anda no Acre a ampla maioria diz que votará no Bolsonaro, a quem também apoiamos”, diz confiante. A chapa majoritária da coligação do PSL-PATRIOTAS, já está formada: Ulisses Araújo para governador, Fernando Lage de vice e Paulo Pedrazza concorrendo ao Senado. Há esperança que outros partidos venham para a aliança. Na campanha, a candidatura de Ulisses deve centrar fogo no modelo econômico do PT. É um defensor do agronegócio, como contrapartida à florestania.

FESTA PETISTA

Cada um faz a sua festa política. O PT está fazendo a dele no fim de semana, apenas isso. Quem for petista vai e que não é passa longe, tudo muito simples. Não vejo razão em críticas.

PRESTARIAM UM MELHOR SERVIÇO

Os vereadores Antonio Lira (PT), Mamede Dankar (PT) e Rodrigo Forneck (PT) estão indo pelo caminho errado ao criticarem o deputado Eber Machado (PDT), por abrir uma cruzada contra um novo reajuste no preço das passagens. Eles prestariam um melhor serviço á população, se estivessem condenando o aumento a uma empresa que presta um serviço de má qualidade.

AINDA SOBRE O TEMA

RBtrans, DETRAN, alguém poderia explicar, por exemplo, porque os ônibus em Rio Branco circulam com placas de outros Estados? O assunto parece um tabu, ninguém ousa a falar.

NÃO TEM SANTO NA HISTÓRIA

O pedido de impeachment do governador formulado pelo vereador Roberto Duarte (MDB) faz parte do jogo político. Quando o PT estava na oposição entrou pelo mesmo caminho contra os adversários que governavam o Acre. Não tem santo na história. Lembram no governo do Romildo Magalhães? Seu pedido de impeachment foi até o plenário. Só que a chance de passar na ALEAC, com a mais absoluta certeza é zero. A base do governo é amplamente majoritária. O pedido é um ato político normal. Só isso. De antemão sabendo que o pedido será negado.

UMA BASE DE ENFEITE

Esta briga que explodiu na ALEAC entre oposição e base do governo trouxe à tona uma situação por demais conhecida: a base governista existe apenas como enfeite, os únicos que mostram a cara na defesa do governador são os deputados petistas. O restante é só silêncio.

MATEUS, PRIMEIRO OS MEUS!

Comentei ontem o assunto com um deputado da base do governo e a sua reação não me causou surpresa: “o governador está saindo e eu tenho que lutar por mais 4 anos de mandato. Se eu não tratar da minha reeleição o PT é quem não vai cuidar”. Disse e pegou o elevador rindo.

MÉRITO PETISTA

Entre o eleitorado petista o deputado federal Léo de Brito (PT) é um dos que tem cacife para pedir votos à reeleição. Mostrou a cara na defesa do partido mesmo nos temas antipáticos.

PEDIDO NA MÃO

O deputado Jairo Carvalho (PSD) diz só ter um pedido a fazer ao candidato Gladson Cameli (PP), caso este venha a ganhar a eleição: “extinguir a perseguidora de taxistas, a AGEACRE”.

CAMPANHA NO INTERIOR

O candidato ao governo, Marcus Alexandre (PT), levou a sua campanha esta semana para Epitaciolândia, onde conseguiu juntar um bom público para expor as suas idéias. No município, Marcus terá o apoio do prefeito Tião Flores (PSB), que será um bom cabo-eleitoral.

SÓ CAMPANHA

Livre depois que deixou a prefeitura de Rio Branco, Marcus Alexandre ficou mais à vontade para fazer campanha e conseguir chegar a um eleitorado que não o conhecia pessoalmente.

ENFIM, DESISTIU

O ex-prefeito de Cruzeiro do Sul, Vagner Sales (MDB) desistiu da pressão sobre o PP para uma coligação a deputado estadual, e seu partido irá para a disputa coligado somente com o PSD. Com isso morre o sonho do Vagner do MDB emplacar quatro deputados e ter peso na ALEAC.

SÓ COBRAS CRIADAS

A chapa de candidatos a deputado federal pela coligação puxada pelo senador Gladson Cameli (PP) é disparada a mais forte desta eleição. Só cobras criadas. Não me lembro de uma chapa mais forte nas últimas eleições. Para alguém se eleger no balaio é de 15 mil votos em diante.

“DISCURSO DO ÓDIO”

O deputado Jonas Lima (PT) diz que a oposição não consegue apresentar um plano alternativo ao que foi colocado pelo PT no Estado nos últimos 20 anos. “Só criticam e nada de solução. A oposição tem os piores prefeitos do Acre, esquece isso, e só faz discursos do ódio contra o PT”, disparou.

MANDATO NO AZUL

O deputado federal Alan Rick (DEM) caminha para fechar o mandato no azul e de forma pluripartidária. Destinou 43,5 milhões de emendas ao Acre, sem olhar a que partido o prefeito beneficiado pertencia. Para a prefeitura de Rio Branco, governada pelo PT, mandou pouco mais de 23 milhões de reais. Cruzeiro do Sul, Sena Madureira, Bujari, Epitaciolândia, Brasiléia, Feijó e outros receberam recursos destinados pelo Alan. Some-se aos seus feitos a inclusão de estudantes de Medicina que estudam no exterior, no programa “Mais Médicos”, após muita luta. Se credencia a postular uma reeleição.

DISPUTA IMPRENSADA

A disputa na coligação PSD-MDB, será imprensada pelas vagas. Se elegerem dois deputados, os candidatos Roberto Duarte (MDB), Meiri Serafim (MDB) e Eliane Sinhasique (MDB) terão a tarefa nada fácil de derrotarem Vagner Sales (MDB) e Jairo Carvalho (PSD), tidos como favoritos.

DIFÍCIL CONSEGUIR ESCADAS

Com uma chapa com candidatos deste porte fica difícil atrair nomes para a chapa de deputado estadual, porque sabem de antemão que vão servir apenas de escadas para as estrelas.

SÓ TEM UMA VIA

O prefeito de Cruzeiro do Sul, Ilderlei Cordeiro, só tem uma via para chegar na eleição com boa aceitação e ser um bom cabo-eleitoral do candidato Gladson Cameli (PP): acabar com os buracos da cidade. Se não conseguir isso será muito difícil que suba a sua popularidade até lá.

FAZ A DIFERENÇA

Uma boa assessoria de imprensa na pré-campanha e muito mais na campanha pode fazer a diferença. Uma candidatura bem divulgada não decide eleição, mas colabora e muito. E neste quesito o candidato Marcus Alexandre está bem servido com a jornalista Andréia Forneck.

CANDIDATOS ESCOLHIDOS

O deputado Chagas Romão (MDB), o decano do parlamento acreano, não disputará a reeleição, mas já escolheu quem apoiará: Flaviano Melo (MDB) a deputado federal e Meiri Serafim (MDB) a deputada estadual. Chagas vai deixar o parlamento sem uma nódoa.

EXPERIÊNCIA PESA

A experiência em uma campanha de deputado estadual e federal pesa muito. Os inexperientes saem na frente gastando e a turma passada na casca do alho se preserva. Deixa para começar a gastar após a convenção e para valer nos últimos 15 dias. Quem dispara na frente cansa.

CAMPANHA DE MINEIRO

A campanha do deputado federal Raimundo Angelim (PT) é de mineiro. Não faz alarde e quando as urnas abrem sempre aparece com uma votação na ponta. Tem fortes parcerias dentro do PT. Nesta eleição não pode jamais ser colocado como uma carta fora do baralho. É o cara da cúpula do PT.

PROGNÓSTICO DO JONAS

O deputado Jonas Lima (PT) não arreda um milímetro do seu prognóstico de que com certeza o PT fará três deputados estaduais e a quarta vaga fica na eventualidade. Tem os pés no chão.

SINAL DOS TEMPOS

Em outras campanhas o PCdoB era protagonista na FPA e sempre conseguia montar chapa própria e eleger pelo menos dois deputados estaduais e um federal. A militância dos comunistas foi definhando, assim, como sua influencia na FPA e tem apenas um deputado estadual. Hoje vive a implorar por coligações para eleger parlamentares. Sinal dos tempos.

QUASE POR TERRA

Eleição é eleição, mas se o PCdoB não conseguir convencer os dirigentes do PT a aceitar fazer uma coligação á ALEAC, seu sonho de eleger dois deputados estaduais vai quase por terra.

VOTAÇÃO DOBRADA

Em colégios eleitorais como Assis Brasil e Brasiléia a deputada Leila Galvão (PT) pode chegar perto de dobrar a votação da última campanha. A observação é feita até pelos adversários

BELA DIMINUÍDA

O anúncio do Tribunal Regional Eleitoral do Acre de que na eleição deste ano teremos 60 mil eleitores a menos, sendo que destes, 25 mil só em Rio Branco, poderá dar uma bela diminuída no total de votantes, se for somado ao percentual anunciado os brancos, nulos e abstenções, porque pelo descrédito com a política não será novidade se acontecer uma grande abstenção do eleitor. Isso não deixará de ter certa influência no coeficiente eleitoral no campo proporcional de deputados estaduais e deputados federais. Esta será uma disputa com a classe política mais em baixa, depois de tudo que aconteceu e está acontecendo na Lava Jato.

Coluna do Crica

Jorge Viana, o Richelieau do Marcus Alexandre Viana

Ninguém é mais importante, tem tanta influência na campanha do candidato ao governo, Marcus Alexandre (PT), de que o senador Jorge Viana (PT). Funciona como seu principal conselheiro político. JV é uma espécie paroquial do Cardeal Richelieu, a figura política mais importante no reinado de Luiz XII, na França. A coluna tem informação de que JV foi um dos incentivadores para que fosse contratado seu ex-secretário de Planejamento, Gilberto Siqueira, para formular o Plano de Governo do petista. Toda estratégia política da pré-campanha é traçada por Jorge Viana (PT). “O Marcus não move uma palha sem uma consulta direta ao Jorge, com o qual tem um estreito relacionamento de amizade e respeito”, revelou uma fonte petista. Viana sempre se posicionou mesmo antes dos debates que o Marcus Alexandre era a “bala de prata” para derrotar a oposição, com o forte candidato Gladson Cameli (PP) e que, inclusive, não deveria ter havido o debate entre vários candidatos do PT.

AGUARDAR PARA CONFERIR

É aguardar para conferir se não vem um Plano de Governo revivendo a florestania.

DESMASCARANDO A FARSA

Candidato majoritário de partido grande que sustentar que fará uma campanha franciscana, sem recursos para bancar as candidaturas proporcionais é um mentiroso. Passou de 260 milhões de reais o dinheiro liberado do Fundo Partidário às siglas. Sem falar no rateio de 1,8 bilhão do chamado “Fundo de Campanha” a ser feito entre os partidos. Dinheiro não faltará.

DEIXEM O SANTO DE FORA

Vamos parar com esta história de que se fará uma “campanha franciscana”, em alusão ao voto de pobreza de São Francisco. Deixem o santo de fora desta patifaria em que virou a política.

PROBLEMAS Á VISTA

Está ocorrendo uma devassa da Receita Federal sobre recursos não recolhidos de ex-deputados estaduais e dos deputados reeleitos. “O clima tá pesado”, disse um deles.

MAIS DEMISSÕES

Uma boa fonte revelou à coluna que o prefeito de Cruzeiro do Sul, Ilderlei Cordeiro, vai promover mais uma leva de demissões. Cita que há vários casos de servidores que ganham mais em horas extras e gratificações que o salário base. O fato foi descoberto com a posse do novo secretário de Administração, após ser passado um pente fino na folha de pagamento.

DOIS CAMINHOS

Segundo esta fonte, muito próxima do prefeito Ilderlei Cordeiro, ou ele adota o caminho de cortar os penduricalhos salariais e enxuga a folha salarial ou vai continuar apanhando na mídia, em baixa, pois, não terá recursos para recuperar a esburacada cidade de Cruzeiro do Sul.

NÃO PODE CULPAR NINGUÉM

Se de fato existe uma série de distorções na folha de pagamento cada caso deveria ser escancarado para a imprensa, Não adianta o prefeito Ilderlei Cordeiro ficar posando de estar sendo vítima de jornalistas. Ficar acuado no seu gabinete não resolverá os seus problemas.

PASSARELA DE POLÍTICOS

A “Marcha para Jesus”, um evento religioso dos evangélicos, se transformou numa passarela para políticos, a grande parte sem vinculação religiosa com nenhuma das igrejas que promovem o ato. Este ano, melhorou num ponto: não abriram o microfone para os políticos.

EVITEM CONVIDAR

Não convidem o presidente do diretório municipal do MDB, Emerson Leão, e o vereador Valadares Neto (MDB), para o mesmo tacacá ou alguém sairá queimado. Ambos se desentenderam feio na última reunião promovida pelo partido para um apaziguamento. Está uma balbúrdia no MDB da fronteira.  Confusão no MDB, pelo que se vê, não é privilégio somente de Cruzeiro do Sul.

BELEZA DESTACADA

Já tinha elogiado a arquitetura do aeroporto de Rio Branco, mas só tinha visto de dia. Ontem fui à noite deixar um filho que ia viajar e vi a obra com detalhes, que se destacam mais com a luz artificial. O projeto da arquiteta Marlúcia Cândida é de fato belíssimo. Dá gosto de ver.

VOTOS CONFIRMADOS

A presença maciça dos presidentes das associações dos moradores num ato de apoio ao candidato ao governo, Marcus Alexandre (PT), serviu apenas como um referendo, já que sempre estiveram ao lado dele nos seus dois mandatos. Não foi nenhuma novidade. Cerca de 90% dos presidentes estão com o candidato petista. Atuarão como cabos-eleitorais.

ASSISTIR DE CAMAROTE

Perguntei ontem a um assessor do senador Gladson Cameli (PP) sobre o que ele vai fazer com a briga entre seus principais apoiadores no Juruá, ex-prefeito Vagner Sales (MDB) e o prefeito Ilderlei Cordeiro (PP). “Nada, assistir a briga de camarote, não pode tomar partido”, disse.

ESTRUTURA GARANTE

Com a estrutura poderosa que montou, estrutura esta que daria para disputar uma vaga de deputado federal, o deputado Manoel Moraes (PSB) deverá se reeleger com facilidade. Deve ser o mais votado do seu partido e o seu puxador de votos.

ARROUBO DE MILITANTE

Uma das figuras mais expressivas da oposição com quem me encontrei ontem no aeroporto, pincelou com tintas da realidade a disputa pelo governo: “o Gladson está bem, mas é um equívoco, arroubo de militantes, dizer que ganhará disparado a eleição no primeiro turno. Será uma eleição duríssima, o PT não está morto”. Também acho que é este o quadro.

COMO EXPLICAR?

Em todas as pesquisas até aqui realizadas é num município governado pelo PT, onde o candidato ao governo, Gladson Cameli (PP), está melhor posicionado: Mâncio Lima. O prefeito Isac Lima (PT) é irmão do deputado Jonas Lima (PT), um dos algozes do Cameli na ALEAC.

MAL NA FITA

Se as pesquisas se confirmarem nas urnas o deputado Jonas Lima (PT) ficará mal na fita.

AS DAMAS PARA FEDERAL

Rosana Nascimento (PPS), Charlene Lima (PTB), Mara Rocha (PSDB), Jéssica Sales (MDB), Antonia Lúcia (PR), Vanda Denir (SOLIDARIEDADE), Perpétua Almeida (PCdoB), são as mulheres que estarão disputando vagas na Câmara Federal. Número maior que na última eleição.

ATAQUES PESSOAIS

Ainda estamos na pré-campanha e já se assiste uma chuva de ataques pessoais a candidatos ao governo. Quem adotar o norte da tentativa de desmoralizar adversários só perderá pontos. Os tempos mudaram, a desqualificação não é o caminho que leva à vitória nas urnas.

NÃO É ELEIÇAO PARA O MAIS DESBOCADO

A eleição para o governo estadual não se decide a favor de quem é o mais desbocado.

DE DESAFETOS A ALIADOS

Durante as últimas campanhas a ex-deputada federal Antonia Lúcia (PR) sempre bateu de frente com o Pastor da Assembléia de Deus, Luiz Gonzaga. Por força de alianças religiosas, Antonia agora terá apoio de Gonzaga para a Câmara Federal. Viraram amiguinhos.

APOSTANDO NO BOLSONARO

O Coronel Ulisses Araújo (PSL) está jogando todas as suas fichas na vinda do candidato Jair Bolsonaro (PSL), o líder das pesquisas, a Rio Branco, que deve acontecer até o mês de junho. O programa do Ulisses, fora as questões paroquiais, é um clone dos pensamentos do Bolsonaro.

FORÇA DOS PREFEITOS

Paulo Pedrazza sempre foi chamado para arrumar as contas dos prefeitos quando se tratava de questões relativas às denúncias do TCE. Como candidato a senador da coligação do Coronel Ulisses, acredita que por isso terá o apoio de prefeitos e ex-prefeitos à sua candidatura.

NÃO APOSTARIA MUITO

Fosse o Paulo Pedrazza não apostaria muito neste apoio dos ex-prefeitos e prefeitos. Na política, bocado comido costuma ser bocado esquecido. É bom tratar de fazer campanha em outro campo.

VICE-GOVERNADOR

A chapa do Coronel Ulisses Araújo (PSL) está formada. Ele para governador, o empresário Fernando Lage de vice e Paulo Pedrazza para o Senado. Uma chapa dos chamados liberais.

APRENDAM A LIÇÃO

Para mim não foi novidade com mais de 40 anos de jornalismo político o servilismo demonstrado pelo vereador Juruna (PHS), que depois de reclamar que foi “sacaneado” por ser impedido de assumir a prefeitura, esta semana apareceu como puxador de claque em atos da prefeitura de Rio Branco. Aos mais novos que estão entrando no jornalismo vai a sugestão de que não tomem nunca partido em uma briga política, porque ampla e majoritariamente, sempre acabam em forró, abraços e jura de amor entre os briguentos. O caso do Juruna é um exemplo. Por trás de uma querela entre políticos sempre estão interesses contrariados, que costumam desaparecer com um simples cafuné de quem está no poder. Não é, vereador Juruna?

Coluna do Crica

Pancadaria entre Vagner e Ilderlei no Vale do Juruá deixa Cameli em fogo cruzado

Nunca o clima entre duas das maiores lideranças da oposição no Juruá esteve tão tenso. A acusação do Colégio de Procuradores da prefeitura de Cruzeiro do Sul de que houve um desvio na ordem de 100 milhões de reais nas gestões do ex-prefeito Vagner Sales (MDB), correspondente a descontos nas folhas dos servidores, mas que não foram repassados aos órgãos previdenciários, é mais um capítulo da relação conflituosa que se estabeleceu entre o prefeito Ilderlei Cordeiro e o ex-prefeito Vagner Sales. E vai agravar-se mais com o pedido de Auditoria para as contas do ex-prefeito Vagner e de instauração de inquérito policial, peça inicial para que devolução do supostamente arrecadado e não repassado à Previdência, retorne aos cofres municipais. Isso é muito ruim para a campanha do candidato ao governo, Gladson Cameli (PP), que fica num fogo cruzado na briga entre os seus dois principais aliados no Juruá. Terá que ter, por exemplo, dois palanques na campanha, um para abrigar o grupo do Vagner e o outro para o grupo do prefeito Ilderlei. A carnificina mostra que a oposição está longe de superar os seus problemas internos de falta de unidade. O clima continua de pancadaria e tende a aumentar á medida que a eleição for para a rua.

TUDO UMA GRANDE CHANCHADA

O ex-prefeito Vagner Sales (MDB) disse à coluna ser tudo um grande espetáculo para lhe prejudicar politicamente: “você sabe que nenhum município que deixar de pagar seus encargos pode receber verbas federais. Quando assumi o município estava inadimplente, o coloquei como adimplente e durante 8 anos da minha administração nunca deixei de pagar impostos na Receita Federal. Se não pagasse não teria o município adimplente e não tinha recebido e aplicado mais de 180 milhões de reais de convênios. Estou tranqüilo pois sei o que fiz na minha gestão, podem vasculhar que não vão encontrar nada de errado”.

TEM QUE PESAR BEM

Esta acusação do grupo do prefeito Ilderlei Cordeiro (PP) tem que ser vista com cautela para separar o que faz parte de uma briga política do que é administrativo. O que parece estranho é esta acusação de desvio de descontos da folha salarial que iria para os órgãos previdenciários. Se não tivesse havido o recolhimento o Vagner não teria aplicado um centavo de emendas parlamentares. Quem conhece um mínimo de gestão detecta de cara a anomalia.

SEMPRE ANALISO COM PONDERAÇÃO

Toda acusação de desvio de recursos públicos analiso sempre com muita cautela, ponderação, porque na maioria das vezes são espetaculosas. Principalmente no campo político. Não se tira 100 milhões de reais de uma prefeitura pequena como a de Cruzeiro do Sul e se coloca no bolso simplesmente. Por isso é melhor esperar a justiça antes de se sentenciar o Vagner Sales.

DISPUTA POLÍTICA

Outro pano de fundo desta carnificina política no Juruá é a briga que vai acontecer na campanha. O prefeito Ilderlei Cordeiro apóia o tio Rudylei Estrela (PP) para deputado federal. E o ex-prefeito Vagner Sales a filha e deputada federal Jéssica Sales (MDB) à reeleição.

PRESUNÇÃO DE INOCÊNCIA

Como não tem nenhuma manifestação da justiça sobre a grave acusação é de se aplicar ao ex-prefeito Vagner Sales a presunção de inocência. Não se condena alguém por antecipação.

NÃO É CULPA DO VAGNER

O prefeito Ilderlei Cordeiro tem o direito de auditar todas as gestões do ex-prefeito Vagner Sales. Só não tem de debitar na sua conta os buracos das ruas e o abandono da cidade de Cruzeiro do Sul, porque o prefeito agora é ele, e como tal o responsável pelos descasos.

O MÍNIMO PARA PRÉ-CAMPANHA

Faltam recursos para mover a pré-campanha do candidato ao governo, senador Gladson Cameli (PP). Não é especulação. É informação é de um assessor importante. Tem bancado as caravanas com seu salário de senador. O fim da doação empresarial o prejudica em cheio.

GRANDE FILÃO

As doações das empresas do pai Eládio Cameli sempre foram o filão das suas campanhas.

CONVERSA EM MANAUS

Gladson Cameli (PP) está com viagem marcada para Manaus para uma conversa com seu pai, o empresário Eládio Cameli, sobre o que está acontecendo na sua campanha até o momento.

NÃO ESTÁ NOS PLANOS

O candidato a vice-governador, Major Rocha (PSDB), preocupado com os boatos de que Gladson Cameli (PP) poderia desistir da candidatura, teve uma conversa franca com ele, e recebeu a garantia de que isso não procede e de que levará a sua candidatura até as urnas.

ESTRATÉGIA CLARA

A coluna tem informação de que o PT vai trabalhar com dois vetores para desgastar a imagem do candidato ao governo, senador Gladson Cameli (PP): o mostrar como alguém que não tem palavra e de que está despreparado para administrar o Estado. Vão bater firme nestes pontos.

CAMPANHA COMEÇOU

Aliás, a campanha para desgastar a imagem do senador Gladson Cameli (PP) está a todo o vapor na Assembléia Legislativa, através dos deputados Jonas Lima (PT), Lourival Marques (PT) e Daniel Zen (PT), qualificando Cameli  em discursos como “mentiroso” e um “despreparado”.

SEM A CORRESPONDENTE DEFESA

Todos os ataques contra a candidatura Gladson Cameli (PP) não tem recebido na ALEAC uma resposta à altura dos deputados que integram a base de oposição, que até aqui se mostra acuada. Não existe uma sintonia política entre os assessores de Cameli e os parlamentares.

SOBRE A ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA

A campanha está começando a tomar forma. A Assembléia Legislativa será um dos palcos da disputa do governo. O que um deputado disser, seja de oposição ou situação, vou publicar.

MESMO ESPAÇO

Quem se sentir prejudicado com uma publicação terá o mesmo espaço para a defesa. A coluna sempre funcionou assim e vai funcionar na eleição. Eu entendo política como debate. Só não terá vez neste espaço a ofensa pessoal ou outro tipo de baixaria contra um candidato.

NÃO ESTÁ MORTA

Vez por outro vejo comentários sobre a disputa de deputado federal, dando a ex-deputada federal Perpétua Almeida (PCdoB) como sem chance de eleição. Não tenho bola de cristal, mas é forte. É uma guerreira na campanha e terá todo um partido trabalhando só para ela.

CAMPANHA MANTIDA

O ex-secretário Henry Nogueira (PROS), ao contrário do que se chegou a divulgar não desistiu da sua candidatura de deputado estadual. Henry fará dobradinha com o deputado federal Léo de Brito (PT). Henry está na coligação PROS-PODEMOS-PRB, que terá cinco deputados.

CAMPANHA NA RUA

Sem problema de unidade na FPA, o candidato ao governo, Marcus Alexandre (PT), vai tocando sua campanha em visita aos municípios e com retorno marcado para o Juruá.

PLANOS FUTUROS

Além do serviço administrativo básico inerente a quem é prefeito, a prefeita Socorro Nery terá de ter, como teve o ex-prefeito Marcus Alexandre (PT), uma base sólida de apoio na imprensa. A sua administração será uma das vidraças na campanha por parte da oposição. Fique certa.

FOCO PRINCIPAL

A oposição terá dois focos principais na sua campanha: detonar governo e prefeitura da Capital. Tenho informações privilegiadas. E sei como as coisas funcionam numa campanha política. Criam-se fatos negativos onde não existem. E está campanha será muito virulenta.

ALVOS DA CAMPANHA

As estratégias políticas estão traçadas para a campanha eleitoral do governo: o ex-governador Orleir Cameli e Gladson Cameli serão os alvos principais do PT e o governador e a prefeita Socorro Nery os alvos da oposição. É neste contexto que a pancadaria vai comer solta.

UMA GUERRA Á PARTE

Uma guerra que será travada à parte da imprensa tradicional e dos sites será a das redes sociais. E nesta tenho avaliado como grande estrago o que o ex-petista Dedé vem fazendo na Baixada, mostrando rua por rua, com os seus buracos e o abandono. Com fotos.

NAO CONSEGUEM SE ENTENDER?

Surgiu na oposição um novo movimento para a formação de uma chapa para a Câmara Federal, a ser integrada com candidatos sem mandato. Seria uma forma de que os candidatos que estão fora do parlamento possam ter uma maior chance de ganhar. Isso vai bater de frente com os que defendem que a oposição tenha apenas um chapão para deputado federal. Uma nova confusão à vista. Estamos dando a notícia da existência do movimento em primeira mão. Seria uma chapa forte com nomes como Charlene Lima, Vanda Denir, Jamil Asfury, Mara Rocha, Nelson Sales, Riudiley Estrela, entre outros. Uma chapa para brigar por vagas.