A nova versão da historinha do lobo mau e do chapeuzinho vermelho

Confesso. E desisti de entender. Se alguém tem a fórmula do enigma, que me passe.

Um ensinamento que aprendi nos meus mais de 40 anos de jornalismo na área política foi o de nunca acreditar cegamente em brigas de políticos; porque se tomar partido, acabam se entendendo e você termina ficando com a cara de trouxa, mais sem jeito do que cão que caiu do caminhão de mudança no meio da estrada. Na semana que finda, rodou nas televisões um vídeo produzido e bancado pela FIEAC, por orientação do seu presidente José Adriano, hoje, o braço sindical do MDB, responsabilizando o atual governo pela derrocada do setor industrial e empresarial do Acre. Isso com cinco meses de governo! Portanto, uma inverdade a atribuição. Aliados (sic) do Gladson Cameli que possuem cargos de relevância no governo calaram-se. Apenas alguns do escalão inferior do governo saíram em sua defesa nas redes sociais. A turma do andar de cima que se calou, parece que estava adivinhando o final da nada edificante historinha, e por isso não piaram. Eu assisti tudo de camarote, e conhecendo os caciques da nova aldeia azul, fiquei como espectador. Até porque não me cabe sair na defesa do governador, pois, não sou seu empregado. Pois bem, tudo acabou numa grande Ópera-Bufa. O presidente da FIEAC, José Adriano, foi recebido ontem com pompas e tapete vermelho pelo governador Gladson Cameli, e ainda posaram sorridentes numa fotografia na saída do encontro no gabinete governamental. Qual a impressão que passou? Foi a de que o governador reconheceu ser o responsável pelo fato da maioria quase esmagadora do empresariado da construção civil estar quebrada. Foi como se houvesse uma mudança no roteiro de uma conhecida história infantil do Lobo Mau e do Chapeuzinho Vermelho. No novo roteiro cameliano, o Lobo Mau não morre fuzilado pelo caçador, mas termina feliz da vida abraçado com a personagem Chapeuzinho Vermelho; cantando ciranda/cirandinha/vamos todos/cirandar/vamos/dar a meia volta/volta/e/meia/vamos dar. E todos viveram felizes para sempre no reino azul. Eu tento, me esforço, mas não consigo entender o Gladson Cameli. 

FIQUE NA SUA PARA NÃO CAIR DO CAMINHÃO

Você que anda bravo com o deputado Roberto Duarte (MDB), porque se tornou a principal figura da oposição ao Gladson na ALEAC, tome o caso do presidente da FIEAC, José Adriano; de exemplo, e não ataque o parlamentar. Pode virar o cão que caiu do caminhão de mudança.

O NOSSO PONCIO PILATO

Neste confronto que dividiu o MDB (como se o MDB algum dia se uniu), entre os que defendem o atual governo, como os secretários do partido; e, os deputados que são contra, não esperem uma posição firme do deputado federal Flaviano Melo (MDB) na busca do apaziguamento. O Velho Lobo é o nosso Poncio Pilatos, sempre opta pelo gesto de lavar as mãos.

É O QUE SALVA O BARCO

Votei sim, mas não sou apaixonado. O que sustenta o governo do presidente Jair Bolsonaro é a credibilidade do ministro da Fazenda, Paulo Guedes, dos ministros militares e o do Sérgio Moro. Se dependesse das outras alas porraloucas, o barco presidencial já estava no fundo.

TESTE DE FOGO

Aliás, falando no presidente Bolsonaro, o seu governo passará neste domingo pela sua primeira prova de prestígio, ao patrocinar uma mobilização popular na defesa do seu projeto. Os atos, tanto podem ser benéficos ou maléficos à sua imagem. A presença popular dirá.

VALENTIA ENTORPECIDA

Em que planeta do sistema solar, eles estavam escondidos? Como alguns colegas do jornalismo, eu também fico atarantado e surpreso com o surgimento de tantos críticos ao atual governo. Durante os últimos 20 anos, o Acre desabou, e a valentia ficou hibernada?

O SECRETÁRIO DE SETE VIDAS

Até o momento o placar é o seguinte: secretário de Agricultura, Paulo Wadt, 3×0 sobre o grupo dos Rochas –vice-governador Major Rocha e deputada federal Mara Rocha (PSDB). Por três vezes a imprensa anunciou a sua queda e ao que parece, o moço é como gato, com sete vidas.

UMA PEDREIRA PARA OS OPOSITORES

Não sei quem serão os adversários do prefeito de Sena Madureira, Mazinho Serafim, mas sejam quais forem não será fácil lhe derrotar, porque sabe os caminhos da política. É só pegar como exemplo ter feito da mulher Meire Serafim, a deputada estadual mais votada do Acre. Será uma pedreira para os opositores.

CAMINHO ALTERNATIVO

O que pode garantir a permanência do prefeito de Cruzeiro do Sul, Ilderlei Cordeiro, no PROGRESSISTAS, é assumir a presidência do partido. Não assumindo, ninguém duvide que acabe por se filiar ao DEM, pelas boas relações com o deputado federal Alan Rick (DEM) e por já ter sido do partido, onde até hoje mantém boas relações com a cúpula nacional.

A CRISE DO GLORIOSO

A frase foi grafada pela secretária de Turismo, Eliane Sinhasique, numa crítica direta à ala do seu partido que optou por ser oposição ao governo Gladson Cameli na ALEAC. Na postagem na internet se mostra incomodada e marcou a sua posição, na base do tenho lado e sou Governo. É o primeiro desdobramento público dessa crise intestina no Glorioso do Dr.Ulisses Guimarães.

TODO VERÃO PELA FRENTE

Tenho me deparado com várias frentes de serviço da prefeitura de Rio Branco. É natural que o trabalho não chegou a ruas em que a situação é crítica com os buracos. Mas, a prefeita Socorro Neri ainda tem todo um verão que mal começou, para executar seu planejamento.

AGORA É FORA DO PODER

Os vereadores do PT, PCdoB e aliados da FPA que se elegeram debaixo do guarda-chuva das benesses do poder vão disputar a reeleição num contexto novo: sem a máquina estatal ao seu favor. Sem os esquemas poderosos que o PT montava para auxiliar os seus. O jogo será outro.

NÃO ESTÁ PARADA

As páginas policiais mostram todos os dias prisões de bandidos e apreensão de armas e drogas. Os registros destes fatos provam que, a polícia está agindo no combate ao crime organizado. Os crimes são elucidados com uma maior rapidez, e isso é um ponto positivo.

DEIXE OS VELHINHOS EM PAZ, MARILETE!

Primeiro tem que se ver a legalidade do ato, mas em princípio se verdade for que a prefeita de Tarauacá, Marilete Vitorino, pretende demitir servidores aposentados, para resolver o problema de caixa da prefeitura, ela entrou em parafuso. Não resolverá. Já está mal na fita popular e ficará pior. Deixe os velhinhos em paz, Marilete! O seu problema é de gestão.

REAÇÃO NATURAL

Sem falar que tomar uma medida de demitir aposentados e reduzir os salários dos servidores vai causar uma revolta em cadeia contra a sua administração, que não conseguiu decolar.

NADA DE ANORMAL

Não foi nenhuma crítica ácida, apenas externou o seu ponto de vista de como entende um governo. Assim deve ser visto o comentário da Marfisa Galvão, sobre o que pensa das ações do governador Gladson. O fato de ser mulher do senador Petecão (PSD) não a torna muda.

OU VAI VIRAR MODA

Ou os que comandam a Segurança Pública do Acre fazem um planejamento para evitar os assaltos e arrastões em ônibus na capital ou vai virar moda. Este é o segundo assalto a ônibus esta semana. Outros já aconteceram. Os passageiros, geralmente humildes, ficam sem nada.

EVITA APADRINHAMENTOS

A decisão do secretário de Saúde, Alysson Bestene, de mandar realizar um concurso para preenchimentos de vagas no órgão através de provas objetivas foi correta. Evita que surjam as críticas de apadrinhamento comuns em concursos simplificados. E é bem mais transparente.

DESARMOU A CRÍTICA

Foi muito bom a Juíza da Vara de Execuções Penais da Comarca de Rio Branco, Luana Campos, ter vindo esclarecer que não estipulou a entrada de só três bribotes e um litro de refrigerante nos dias de visitas aos presos. Até porque vinha servindo de chacota, por ser algo até cômico.

Governo passa com rolo compressor na oposição

No parlamento, quem decide o que deve ou não deve ser aprovado é a maioria. À minoria cabe protestar, criticar, mas lhe fica reservado o papel do derrotado.

O que vinha acontecendo até a votação de ontem do projeto da reforma, era uma inversão de valores na ALEAC, aonde a oposição vinha derrotando um governo amplamente majoritário. Mas acabou a festa. O governo rearticulou a sua base, unificou, e impôs uma derrota fragorosa à oposição, aprovando o projeto da nova reforma com 15 votos a favor e 8 contrários. Só não teve 16 votos por o deputado Nicolau Junior (PROGRESSISTAS), como presidente, não poder votar. O deputado Roberto Duarte (MDB) ainda tentou através de um artifício regimental, separar o projeto da reforma dos demais, e votar em destaque nas comissões legislativas. Foi derrotado. Nos demais projetos, estes foram aprovados por 23 votos. O que se pode destacar neste novo momento da base do governo: primeiro, é que o governador Gladson Cameli resolveu usar o poder e dar o comando de que, a votação serviria para definir quem daqui para frente seria ou não seu aliado. General forte, exército forte. Também teve outro componente decisivo na vitória: a articulação política do governo funcionou. A chegada do deputado Luiz Tchê (PDT) na liderança do governo foi outro fator preponderante. É que o Tchê é preparado, conhece o parlamento e os seus humores, e soube dialogar com os deputados dissidentes. O papel do presidente da Assembleia Legislativa, deputado Nicolau Junior (PROGRESSISTAS), neste processo, com seu perfil conciliador, também foi importante. E terem dado ao secretário Ney Amorim, pela primeira vez, a liberdade que lhe faltava para trabalhar na aglutinação da base governista, acertaram em cheio. Ponha ainda neste cadinho a participação positiva do chefe do gabinete civil, Ribamar Trindade. Foi um cenário que a oposição não esperava. Apostava tudo em dissidências acontecidas em votações anteriores em que derrotou o governo, que não ocorreram. E foi o que se viu: a oposição foi esmagada pelo rolo compressor do governo na votação de todos os projetos levados ontem ao plenário. A derrota estava no semblante dos oito deputados da oposição. E o jogo foi jogado. Manda quem pode, obedece quem tem juízo.

DISCURSOS INCISIVOS

O que se notou ainda na votação da nova reforma administrativa foi a participação de deputados da base governista na defesa do projeto. O deputado Luiz Tchê (PDT) fez um discurso demolindo ponto por ponto os argumentos levantados pelos deputados da oposição contrários à matéria. O deputado José Bestene (PROGRESSISITAS) também teve uma fala incisiva dos tempos do velho Zeca de outras legislaturas. Também é de se destacar o pronunciamento fulminante contra os opositores pelo deputado Marcos Cavalcante (PTB).

EQUILÍBRIO É FUNDAMENTAL

Dos discursos da oposição pinço o feito pelo deputado Daniel Zen (PT), que votou contra o aumento de cargos de confiança, mas destacou que o projeto do governo tinha pontos bons, como a volta das estruturas do Instituto Dom Moacyr e do Instituto de Mudanças Climáticas.

NÃO PODE SER O NADA PRESTA

Oposição tem que ser feita a quem está no poder. Firme e incisiva. A oposição é um instrumento da democracia, sem ela vira ditadura. Só não pode ser a oposição de que o que vem de quem governa não presta. Por isso sempre destaco o deputado Daniel Zen (PT), como um político de que sabe ser um oposicionista num contexto de equilíbrio e de coerência.

FACETA INTERESSANTE

O governador Gladson Cameli mostrou ontem uma faceta interessante. De livre iniciativa saiu do seu gabinete no Palácio Rio Branco e foi sentar e dialogar com os policiais civis que estavam acampados na praça palaciana protestando por cumprimentos de pautas da categoria. Disse o que podia ser resolvido e o que não podia. E saiu aplaudido. Não se governa numa redoma.

DIA DE VITÓRIAS

Ontem, foi o dia de vitórias para o Gladson. Entregou na Caixa Econômica Federal os projetos para a recuperação de ramais no valor de 94 milhões de reais, parados desde o governo passado. Se os projetos não fossem entregue até o fim de junho o recurso seria perdido.

FORÇA-TAREFA

Para que os projetos fossem entregues na CEF em tempo recorde foi preciso o secretário de Infraestrutura, Thiago Caetano, montar uma força-tarefa com outros órgãos do governo para a conclusão. A prioridade é usar o recurso num menor número de ramais, mas com um serviço de qualidade com pavimentação. Serão priorizados os com maior população e produção.

CONVITE NA MESA

O advogado Edinei Muniz estuda filiar-se ao MDB. Foi convidado pelo deputado Roberto Duarte (MDB). Edinei é um quadro político dos mais preparados e somaria muito no MDB.

ALAN RICK

O deputado Alan Rick (DEM) tem se empenhado na defesa do direito dos portadores de doenças raras de recorrer à justiça para conseguir seus medicamentos. O assunto está em análise no STF. São 3 milhões de pacientes no país. Alan defende ainda que o governo federal negocie com os laboratórios preço menor para os medicamentos e garantir o tratamento.

O MÍNIMO QUE SE ESPERA

Depois da aprovação da criação de mais de 450 CECs, o mínimo que se espera do governador Gladson Cameli é de que estes cargos sejam ocupados por pessoas competentes e não usados como cabides de emprego. Estará todo mundo de olho no Diário Oficial.

SABE QUE NÃO HÁ COMO

É um problema complexo, que envolve decisão judicial tomada, por isso a cobrança por parte do deputado Jenilson Lopes (PCdoB) para que o governo mande um projeto regularizando o Pró-Saúde é jogo para a platéia. Sabe que não se resume a um ato simples de só mandar.

NÃO ENTENDI

Um policial militar tem entre as atribuições apreender armas ilegais encontradas durante uma ação. Não entendi o projeto do deputado Cadmiel Bomfim (PSDB) que torna lei a gratificação ao policial por arma recolhida. A alegação, menos ainda: de que sem o benefício o número de armas aprendidas diminuiu. Passou a impressão que a apreensão é vinculada ao pagamento.

NOME NOVO NA DISPUTA

O policial federal aposentado, Eden Barros, é um dos nomes que pode disputar a prefeitura de Xapuri no próximo ano. Atualmente, Eden é filiado ao PV, mas discute entrar no MDB.

PONTO PARA A POLÍCIA

Ponto para a polícia civil, numa investigação recorde prendeu os envolvidos no crime de decapitação, uma cena impactante e cruel que inundou as redes sociais. Não são humanos.

NÃO SE AFINA

Sempre que pode o deputado Fagner Calegário (PV) dá uma estocada no chefe do gabinete civil, Ribamar Trindade, lhe atribuindo os desacertos em atos do governador. Calegário dá ao Ribamar um poder que não tem, como de determinar o que pode ou não ser feito no governo.

NINGUÉM LHE TIRA

Não sei os motivos das críticas do deputado Fagner Calegário (PV) – um direito seu – mas não se pode deixar de em relação ao chefe do gabinete civil, Ribamar Trindade, reconhecer ser um auxiliar do governo competente nas atribuições que recebe. Mas não é quem tem a caneta.

MAS É VIRADA

Não sei se os seus projetos para o setor do empreendedorismo e turismo vão decolar. Mas a secretária Eliane Sinhasique não tem se limitado ao gabinete, ao lamento, mas corre atrás.

NÚMEROS DO GERLEN

Na contabilidade do deputado Gerlen Diniz (PROGRESSISTAS), com a nova reforma aprovada ontem na ALEAC, além de garantir o funcionamento da máquina pública o atual governo economiza 7 milhões de reais se for feita uma comparação com o governo do PT. No governo do PT eram pagos com CECs 17 milhões de reais. No governo Gladson serão pagos 10 milhões de reais.

200 MILHÕES DE REAIS

É o valor, segundo o deputado Gerlen Diniz (PROGRESSISTAS), que o atual governo pagou só de dívidas deixadas pelo governo petista. E nisso está incluído o 13º salário atrasado herdado.

LONGE DO FANATISMO

O presidente Bolsonaro divulgou um vídeo de um Pastor evangélico que o cita como alguém “enviado por Deus” para comandar o Brasil. Não embarco na canoa do fanatismo religioso.

A doce vida nas falidas estatais

Quem imaginar que as falidas empresas estatais estão apenas arquejando, que estão sendo mantidas até as suas extinções só por diretores da massa falida e liquidantes estão enganados com a cor da chita.

As estatais viraram um imenso varal de empregos e de benesses de afilhados políticos do governo. Durante a campanha política o mote do então candidato ao governo, Gladson Cameli, era de acabar com as estatais, que segundo o seu discurso não passavam de “cabides de emprego”. E completava sempre sobre o assunto: “não vou deixar uma, vou acabar com tudo.” Primeiro, foi mal orientado pelos seus assessores políticos, porque as estatais possuem débitos ficais e o Estado precisaria saná-los antes de meter a chave na porta. Como não pôde fechar as estatais, o que se esperava do governador era que deixasse somente os liquidante e um ou outro diretor. Mas, não sei orientado por quem, transformou as estatais numa doce vida com a criação de CECs e FGs, sem a menor necessidade. Na ACREDATA foram criadas ou mantidas 12 CECs e 72 FGs. Na SANACRE, a festa foi grande com 21 CECs e 150 FGs. Vão somando. Na COLONACRE são 21 CECs e 66 FGs. Sem falar nos diretores nomeados. E com algumas destas CECs sendo nos tetos 6 e 7, com salários superiores a 5 mil reais. Tudo bem que, quem delimita o tamanho do Estado é quem governa. Não é ilegal se criar CECs, mas que venham a produzir algo para o Estado. Não é o caso das estatais, que estão com as portas abertas apenas para não dizer que fecharam, mas não dão nenhuma contribuição ao governo no campo do desenvolvimento. Existem só nos nomes. O que se pode deduzir com este quadro é que o Gladson Cameli foi pessimamente assessorado quando montou a Reforma Administrativa aprovada na Assembléia Legislativa, caso contrário não inflado as estatais que tanto combateu na campanha por serem inertes.

CONVERSANDO É QUE SE ENTENDE, SERÁ?

O líder do governo na ALEAC, deputado Luiz Tchê (PDT), pretende procurar o prefeito de Sena Madureira, Mazinho Serafim, para uma conversa inicial sobre o seu retorno à base do governo Gladson Cameli. “O Mazinho é meu amigo, uma pessoa de coração grande, um político de importância, vamos o procurar para lhe ouvir. Dialogar. Seria importante ele voltar a compor com o governo, não custa nada termos uma boa conversa política”, promete o deputado Tchê.

QUESTÃO É SIMPLES

A questão do prefeito Mazinho Serafim é simples. No popular foi sacaneado, foi olhado com desdém pelo governador Gladson Cameli, que prestigiou seus adversários, e se tivesse boa vontade de uma recomposição política, por certo já teria feito uma visita á prefeitura de Sena Madureira. Mazinho é tratado pelo governo como pária, querem que, ele retribua com palmas? Por isso não acredito muito que essa prometida investida do Tchê venha a dar certo. Mesmo porque, se o Gladson tivesse interesse em uma reaproximação já teria lhe procurado.

GARANTIAS REAIS

O deputado Neném Almeida (SD) me disse ontem que somente sairá do SOLIDARIEDADE com garantia real de que não vai perder o mandato. Se sair apenas com uma “Carta de Liberação”, como quer a direção do partido, nada impede que o primeiro suplente requeira seu mandato.

COM O JURÍDICO

Não pedi para sair do partido, eles que comunicaram que estavam me dando uma “Carta de Liberação”, entreguei o caso na mão do meu advogado para me cercar juridicamente e impedir eu venha a ser vítima de uma cilada política, explica Neném. “Quero sair sem brigas, mas seguro”, diz.

CARTA BATIDA

O certo é que não há mais lugar no SOLIDARIEDADE para os grupos da deputada federal Vanda Milani (SD) e do deputado Neném Almeida (SD). Pelo fato do SD o querer fora.

PETECÃO, O REI DAS QUADRAS

Da bancada federal acreana ninguém investiu mais em esporte destinando emendas parlamentares do que o senador Sérgio Petecão (PSD). São centenas de quadras sintéticas espalhadas pelo Estado, com maior número na capital. Uma nova quadra deverá ser entregue na 6 de Agosto. Certo o Petecão, investir no esporte ajuda a tirar os jovens das drogas.

ACABOU A RECLAMAÇÃO

A intervenção do secretario de Infraestrutura, Thiago Caetano, por determinação do Gladson Cameli, de asfaltar a AC-40, que vinha sofrendo uma campanha de críticas nas redes sociais por estar deteriorada e tomada por buracos foi uma pauta positiva. É isso que o Gladson tem que procurar executar, obras e ações que afinem o seu governo com os anseios do povão.

BEM MENOS

Se forem somados 900 cargos que ficaram na Reforma Administrativa, os 450 que devem ser aprovados pela Assembléia Legislativa, e os que foram criados nas empresas estatais, ainda assim, o governo Cameli terá bem menos cargos de confiança que no último governo do PT.

SERIA ALGO SURREAL

Com todos os desencontros deste início de governo Gladson Cameli, ainda assim não consigo acreditar que fará uma administração pior do que a do seu antecessor. Pode ajustar a gestão, tempo para isso ainda tem de sobra. E se for um governo que dê certo, melhor para o Acre.

AÇÃO DO ALAN RICK

Foi fruto de ação parlamentar do deputado federal Alan Rick (DEM), que o Ministério Público Federal entrou na briga pelo retorno do vôo da GOL, no trecho Rio Branco-Porto Velho.

PRATICAMENTE ELUCIDADO

O crime da decapitação de um jovem e que tomou conta das redes sociais já foi elucidado pela polícia e os autores identificados. Os policiais os tratem com o maior carinho, porque se disserem que tiveram um fio de cabelo tocado, por certo os policiais passarão a ser os vilões.

VAMOS DAR O CRÉDITO

Nada contra que notas da coluna sejam pinçadas para republicação em outros espaços nas redes sociais, mas vamos dar o crédito ao autor da matéria. A prática não vem sendo adotada.

FORA DA EQUIPE

Não havia ao governador Gladson Cameli outra medida ao não ser afastar da sua equipe de segurança o militar do BOPE, Alan Martins, que se envolveu em um acidentes com morte. O resto fica com a justiça. O que o Gladson podia fazer legalmente era o tirar da sua segurança.

VAI COMPLICAR

Caso a prefeita Socorro Neri entre na justiça contra a sangria indevida efetuada pelo Estado nos últimos 20 anos, cortando pela metade o repasse da cota legal do ICMs da PMRB, para aumentar o valor de repasse aos demais municípios, os governadores dos últimos 20 anos do PT podem ser acionados por improbidade administrativa. Está nas mãos da Socorro Neri, abrir mão ou não do percentual de 50% a que a PMRB tem direito. A PMRB não nada em dinheiro. E se não abrir mãos a quebradeira nas prefeituras do interior será geral. É um caso delicado.

MDB NA OPOSIÇÃO

A tendência é que dois dos três votos do MDB na Assembléia Legislativa sejam contra o projeto da nova reforma administrativa do governo, prevista para ser votada na sessão de hoje. Votarão contra o deputado Roberto Duarte (MDB); o mais duro opositor ao Gladsom, e a deputada Meire Serafim (MDB). A deputada Antonia Sales (MDB) deve votar a favor.

CHAMEM O CHAPOLIM COLORADO

Acompanho o Rio Branco Futebol Clube desde a década de 70. Época que tinha uma sede social que era referência em eventos. Um time de futebol temido e de muitos títulos. Nos últimos anos parece que passou um furacão pelo clube. A sede desmoronou. Uma dívida de cerca de 2 milhões de reais. E para completar a atual diretoria submete o torcedor ao vexame de ir ao estádio para ver o pior time que o Rio Branco montou nos últimos tempos ser humilhado. Fora o goleiro e os dois zagueiros, o restante é vergonhoso, não seriam titulares no campeonato do Calafate. Não se pode deixar de reconhecer alguns abnegados. Mas o futebol mudou. Não cabe mais o amadorismo, a improvisação. Tem que se moderno, planejado, profissional. Quem é o empresário que vai colocar o nome da sua empresa num projeto falido, amador, sem planejamento? Se era para o torcedor ir para o estádio passar vergonha, melhor não ter colocado o time em campo. Como torcedor das antigas do Estrelão tinha que fazer este desabafo. Lamentável assistir o fim de um memorável clube. Só uma diretoria nova, com visão profissional, poderia salvar o Estrelão. Caso não queiram este caminho, chamem o Chapolim Colorado! Pobre Rio Branco Futebol Clube!

FALTA LEGITIMIDADE

Falta legitimidade a quem participou dos últimos vinte anos do desastre administrativo do PT para atacar o governo Gladson Cameli, mesmo com as suas trapalhadas iniciais, porque foram coniventes com o fracasso da gestão petista calados, que resultou na derrota mais fragorosa que o PT sofreu, junto com seus aliados da FPA.

Oposição, mas com equilíbrio: Como novata no parlamento tem tido um comportamento positivo

Este seu comportamento ponderado deve ter colaborado para conseguir a estupenda votação da última campanha. 

A mais votada deputada estadual do Acre, Meire Serafim (MDB), tem votado contra os projetos do governo Gladson Cameli, mas mostrando equilíbrio, sem tomar posições agressivas e rançosas, contra a figura do governador. Pode-se ser contra um governo sem mostrar raiva, agressividade na tribuna. A deputada Meire, nota-se, conseguiu em pouco tempo ser elogiada por todas as correntes políticas da ALEAC pela forma educada, meiga, no trato com os colegas e com quem a procura. Tem ido à tribuna fazer reivindicações não só para Sena Madureira, seu maior colégio eleitoral, mas para outros municípios. 

B.O NO ATLÉTICO ACREANO

Ofensa pessoal, acusação de irregularidades, ameaça de agressão física, entre o presidente e técnico do Atlético Acre, foi o saldo do empate de ontem entre o Galo e o São José. Acusações gravíssimas explodiram o porão do clube. Pode virar BO. Assunto para o pessoal do esporte.

CARA DO DESEMPREGO

O Estado vive uma crise econômica grave. Há um engessamento financeiro por parte da equipe do governo. O dinheiro não circula. O desemprego aumentou. A reclamação dos Pastores evangélicos da queda no valor do dízimo é um reflexo do cenário preocupante.

RECESSÃO ESTADUAL

Ontem, fiquei observando no estádio FLORESTÃO, no jogo São José x Atlético Acreano, dezenas de jovens de ambos os sexos percorrendo as arquibancadas vendendo, água, banana frita, picolé. Quem sai da universidade também engrossa o cordão. Há uma recessão estadual.

DOIS ASPECTOS

Os governadores do PT se reelegeram prometendo resolver o problema do desemprego, o projeto da florestania foi um fracasso. Mas isso é passado. O governador Gladson Cameli se elegeu prometendo emprego e renda, por isso daqui em diante é quem deve ser cobrado.

TRAQUE OU BOMBA?

O deputado Neném Almeida (SD) prometeu ocupar amanhã a tribuna da ALEAC para detonar a direção do SOLIDARIEDADE, de onde foi enxotado acusado de olhar somente seu lado pessoal. Vem traque ou bomba, contra a deputada federal Vanda Miliani (SD) e companhia limitada?

TESTE DE FORÇA

Será amanhã na ALEAC o teste de fogo para a base do governo depois da posse do novo líder, deputado Luiz Tchê (PDT), quando será votado o projeto de uma nova reforma administrativa. Hoje, a base se reúne para a afinação na votação. Há uma expectativa de 16 votos a favor.

FEITA AO TOQUE DE CAIXA

O que aconteceu na Reforma Administrativa que o governador Gladson Cameli conseguiu aprovar na Assembléia Legislativa é que foi feito um corte brusco, sem planejamento, o que deixou a maioria das secretarias sem pessoal e com condições precárias para funcionar.

CONFRONTO INEVITÁVEL

Quem vai ser o vice na chapa da prefeita de Brasiléia, Fernanda Hassem, na disputa da reeleição no próximo ano? A indicação virá do grupo da deputada Maria Antônia (PROS) ou do grupo da ex-deputada Leila Galvão (PT)? É um assunto já nas rodas de discussões políticas.

FOGO DE MONTURO

Há um fogo de monturo que vem da última campanha para a ALEAC entre os dois grupos.

NÃO ACABA A CHORADEIRA?

Está ficando ridícula a lamentação quase que diária nas redes sociais dos petistas contra o governo Jair Bolsonaro. Aceitem a derrota! O Bolsonaro governa dentro do contexto que prometeu na campanha. Não pode ser exigido dele que cumpra uma pauta petista. Ora, pois!

ESPEREM QUATRO ANOS

Ou com um governo conturbado ou não, os petistas vão ter que esperar quatro anos para tentar lhe derrotar. Até lá vão ter que assistir o cenário do novo seu governo. É isso e acabou.

OPINIÃO PESSOAL

Mas, numa opinião pessoal, o ponto de equilíbrio do governo Jair Bolsonaro é o vice-presidente Hamilton Mourão, que foge ao radicalismo e dá opiniões sempre muito sensatas.

COMO É QUE É UMA GESTÃO

Desde o governo Binho Marques passando pelos oito anos de Tião Viana, tentaram concluir a nova unidade do HUERB e não conseguiram. Gastaram milhões de reais. Com seis meses de governo o Gladson Cameli vai entregar funcionando. É um avanço que tem de ser registrado.

QUEM DEFINE É QUEM GOVERNA

Quem define quem deve ou não ser secretário ou ocupar outro cargo de confiança numa Prefeitura é o prefeito ou a prefeita. É o CPF de quem nomeia que está em jogo. Simplória, sem sentido, por isso, a reclamações de dirigentes da UMARB contra a prefeita Socorro Neri.

APOSTA DA SEMANA

A aposta para esta semana que começa é se os Rochas – leia-se vice-governador Major Rocha e a irmã, deputada Mara Rocha (PSDB) – conseguirão derrubar o secretário de Agricultura, Paulo Wadt? Toda a semana é anunciada a sua queda e continua no cargo. Até quando?

O QUE TEM DE SER ANALISADO

O que deve ser analisado na questão do secretário de Agricultura, Paulo Wadt, é saber se até aqui se enquadrou no que o governo Cameli pensa para a área agrícola. Se, ele está enquadrado, não há motivo para demissão. Ao não ser que, o Gladson Cameli resolva se pautar por pressão política. E neste caso se prepare para a cobrança de novas faturas.

BEM MAIS COMEDIDO

Quando assumiu, o secretário de Segurança Pública, Coronel Paulo César, disparou uma bravata de que em 10 dias a população estaria sentindo uma sensação de tranqüilidade. Não se confirmou. Caiu na real e volta agora dizendo que essa sensação ocorrerá em alguns meses, sem precisar data. Melhor assim, para que não se repita a mesma bravata da sua posse.

QUE MELHOROU, MELHOROU!

Mas há que se reconhecer que na gestão destes cinco meses do secretário de Segurança do Estado, Coronel Paulo César, o índice da criminalidade caiu. Em Rio Branco, por exemplo, dados indicam uma redução de 64% dos crimes. São 5 homicídios contra 14 registrados no mesmo período de 2018. Isso aponta que a estratégia contra o crime organizado está certa.

AINDA NÃO É O IDEAL

Mas isso ainda não é o ideal e nem há clima para se dizer que vivemos numa cidade calma, pelo contrário, Rio Branco continua com muitos dos seus bairros dominados por bandidos.

CANDIDATA A PREFEITA

Começam surgir nomes para enfrentar o prefeito de Mâncio Lima, Isac Lima, na disputa da prefeitura do município, no próximo ano. Wilssilene Gadelha deve ser o nome do PP. Mas, não deve ficar só nisso, o PSDB também deverá ter candidato a prefeito.

SEM ESCOLHER ADVERSÁRIO

O prefeito de Epitaciolândia, Tião Flores, começou a cumprir a promessa de que assim que se iniciasse o verão colocaria as máquinas da prefeitura na área rural. Já está com o maquinário nos ramais. Sobre a eleição do próximo ano, diz otimista que; quem vier, levará peia nas urnas.

CRÍTICAS EMOCIONAIS

Quando a prefeita Socorro Neri era alvo de críticas e chacotas nas redes sociais por conta dos buracos na cidade, na ocasião ponderei na coluna, que não se analisa uma gestão com emoção. E que um gestor pode virar o jogo. Hoje, está com várias frentes de obras na cidade recuperando a malha viária e mostrando trabalho. Atacando o único calo da sua administração, que eram os buracos. A Socorro Neri , não está fora do jogo em 2020!

Até que enfim, desenterraram a caveira de burro do Huerb!

As obras de mais uma ala no HUERB vêm se arrastando desde o governo Binho Marques, consumindo milhões de reais sem serem concluídas.

Parece que agora desenterraram a caveira de burro daquela construção e o governador Gladson Cameli marcou para o mês de Julho, a sua conclusão não apenas física, mas dotada de todos os equipamentos hospitalares. Isso pode ser registrado como a sua primeira grande conquista na área da Saúde. E cumprirá uma promessa de campanha de concluir edificações paradas e abandonadas pelos governos petistas que o antecederam. O secretário de Infraestrutura, Thiago Caetano, a quem foi dada a missão de terminar os serviços o fez com sucesso, já se reuniu com os empreiteiros e fechou para o dia 1º de Julho a entrega da chave. Em meio a tantas pautas negativas, enfim, uma excelente. Na verdade, um governo só começa a ser julgado para valer no seu segundo ano.

TRABALHO EM CURSO

Acerca da Balsa de Xapuri, o secretário Thiago Caetano diz que o trabalho para a sua recuperação se encontra a todo vapor. A balsa é essencial aos moradores do bairro Sibéria.

DUELO AO PÔR DO SOL NO QUINARI

O prefeito de Senador Guiomard, Gilson da Funerária, é do tranco. Chega uma gravação sua em que manda um recado ao militante Eduardo, aliado do prefeito afastado André Maia, com o qual anda em conflito, de que o deixe em paz com a sua família. E adverte: “Quero deixar um recado bem claro a ele, que pare de seguir minha família, minha esposa quando for pegar meus filhos no colégio, pare de seguir meu filho……… até hoje nunca perdi meu tempo em ir atrás dele não, mas se um dia for preciso, nos se encontraremos aonde for preciso”. Vixe!

UMA FRASE PARA REFLEXÃO POLÍTICA

“As palavras verdadeiras não são agradáveis e as agradáveis não são verdadeiras”. O autor da frase é o fundador do Taoísmo, uma religião, o filósofo chinês, Lao-Tsé. Vale para quem está no poder: os que bajulam para agradar, não ajudam um governante, mas o prejudicam.

NOVA REFORMA

Não pode ser chamado de “ajuste”, mas de nova reforma administrativa, o pacote que o governo enviou á Assembléia Legislativa, criando secretarias, diretorias, subsecretarias e 450 cargos de confiança, as famosas CECs. Quebra o discurso de campanha de redução do Estado.

TENDÊNCIA DE APROVAÇÃO

A base do governo Gladson, que estava esfacelada, se unificou, e a tendência é que o projeto da nova reforma seja aprovado com folga na sessão da próxima terça-feira. O que faltava para a afinação, enfim, aconteceu; que era o governo estar mais próximo dos deputados.

O FOCO É BRASÍLIA

Conheço os trâmites, por isso não entro na linha crítica pelo fato do Gladson Cameli ter dito que até julho passará mais tempo em Brasília, porque é lá que os recursos devem ser buscados, e onde se travará a batalha pela aprovação da PEC da Previdência Social.

PEÇA IMPORTANTE

O secretário Ney Amorim tem sido peça importante na busca da unidade da base do governo na Assembléia Legislativa. Ney vem de uma experiência de oito anos na presidência da ALEAC, onde não perdeu uma votação. Uma experiência que está ajudando na unificação do grupo.

NÃO PODE MAIS ACONTECER

Os secretários estaduais devem ser chamados e o governador dizer a eles que só estão nos cargos por causa dos políticos, e que por isso são obrigados a atender aos parlamentares. Estava sendo rotina secretário não atender telefonemas de deputados, num claro achincalhe.

LINHA DE FRENTE

O deputado federal Jesus Sérgio (PDT) mandou informações de que se encontra também na linha de frente na procura de soluções para o alto preço das passagens aéreas para o Acre, e que foi o autor da convocação da Audiência Pública na Câmara Federal que debateu o assunto.

GESTÃO REPUBLICANA

A administração não é de um partido, quem assume, por exemplo, uma prefeitura, tem de ter posições republicanas. Quem segue esta cartilha é a prefeita de Brasiléia, Fernanda Hassem. Não se furtou em pedir a ajuda do DERACRE para a “Operação Verão”, lançada no município.

É PRECISO DESENHAR?

Quando um secretário não resolve um problema como a liberação de verba para o Lar dos Vicentinos e só depois que chovem críticas é que libera, está jogando contra o governo. Quando o pau canta e é cima da figura do governador e não do secretário. É preciso desenhar!

Que o diga dona linda Cameli!

Leio uma publicação que diz que: “Estudos mostram que os pais ainda perdem o sono se preocupando com filhos adultos”. Que o diga Linda Cameli, mãe do governador Gladson.

PSD PODE SER O CAMINHO

O senador Sérgio Petecão (PSD) fez um convite especial para que o deputado Neném Almeida , enxotado do SOLIDARIEDADE, para se filiar ao PSD. O principal atrativo do Petecão foi acenar com carta branca exercer um mandato sem nenhuma interferência da direção partidária.

NÃO É DE AGORA

A aversão do deputado Jonas Lima (PT) ao partido ser comandado pela tendência Democracia Radical – leia-se Cesário Braga, Léo de Brito, Carioca e companhia limitada – é anterior à derrota acachapante da PT na última eleição. Jonas acha que, o PT com a DR não se levanta.

FRASE POLÍTICA

“Comigo no governo, a oposição não toma uma caneca com água”. Autor da frase, o ex-governador Geraldo Mesquita, político de conduta moral inatacável, com o qual trabalhei como Coordenador de Comunicação, com a professora Edir Marques como Secretaria.

OUTRA FRASE DO EX-GOVERNADOR MESQUITA

“Se você quiser irritar um político, não o critique, simplesmente, não cite seu nome na imprensa”. A observação me foi feita quando lhe perguntei por qual razão não rebatia os ataques do deputado Alberto Zaire (MDB) ao seu governo, na Assembléia Legislativa.

BRIGA FEROZ

Era uma briga feroz entre o governador Geraldo Mesquita e o deputado Alberto Zaire (MDB). Mesquita tinha como marca publicitária do seu governo o “Quatipuru”, um animal que costuma ficar limpando as patinhas, e por isso foi usado como símbolo de um governo limpo. O deputado Zaire retrucava na ALEAC: “o Quatipuru é um bichinho de mãos limpas e cu sujo”.

FALANDO DO EDMUNDO PINTO

Fui com certeza o jornalista que mais fez matéria com o saudoso ex-governador Edmundo Pinto, assassinado há 27 anos. Fomos amigos mesmo. Quando vereador, era comum na parte da tarde, ele passar pelo “O RIO BRANCO” e distribuir o doce mariola, dizendo: “Zé Leite e Crica, adocem as suas boca com o doce do Pinto”. Grande Edmundo! Sagaz como poucos políticos que conheci. Deus o tenha!

AMIGO DOS AMIGOS

Edmundo Pinto era amigo dos amigos, não abandonava um companheiro na batalha. Quando assumiu o governo, com poucos dias, mandou me chamar. Fui e lá estava o então vereador Emilson Brasil (MDB). Foi logo no assunto: “o Emilsonn está se afastando hoje para você assumir amanhã”. Eu era o primeiro suplente de vereador do MDB. Foi uma surpresa! No dia seguinte, eu assumi. Este era o Edmundo que nos deixou prematuramente.

SEMPRE É BOM LEMBRAR

Fiz estas notas para ficarem como um registro da história política do Acre, com as suas facetas

FOI ATÉ O FIM

A senadora Mailza Gomes (PROGRESSISTAS) foi até o fim na busca de solução para o tratamento das jovens que sofreram reações fortes após tomarem a vacina do HPV. Conseguiu que o Ministério da Saúde liberasse os recursos para elas serem levadas a tratamento em um centro especializado em São Paulo. Quem bela notícia para as famílias destas jovens!

POLÍCIA NA RUA

Muita polícia nas ruas. A esperança dos moradores da capital é que tenham sucesso no combate aos bandidos. Ainda na noite de ontem vários foram tirados de circulação. Alívio!

O grande batismo de fogo do deputado Luiz Tchê

O deputado Tchê diz que trabalha no sentido do projeto ser posto em votação na ALEAC, terça-feira.

A aprovação do pacote da nova reforma enviado pelo governador Gladson Cameli à Assembléia Legislativa será o batismo de fogo do deputado Luiz Tchê (PDT) na liderança do governo. Há todo um trabalho para que a base de apoio governista na casa consiga aprovar a matéria com 16 votos. Para isso, estão acontecendo reuniões e conversas até com a oposição. Entre os oposicionistas o deputado Edvaldo Magalhães (PCdoB) já se manifestou que votará a favor, por entender que quem mensura o tamanho da máquina estatal é o governador. O deputado Roberto Duarte (MDB), que integra o bloco de oposição dura ao governo Cameli se posiciona contra, argumentando que no bojo do projeto está vindo a criação de cerca de 300 novos cargos. O governo rebate com a premissa que, as dez assessorias especiais, cujo salário é de 19 mil reais estão sendo extintas e substituídas por CECs de menor valor. 

BOA VONTADE

Há por parte do presidente da ALEAC, deputado Nicolau Junior (PROGRESSISTAS), boa vontade para que o nome da Mayara Lima volte novamente à votação na ALEAC. Para isso, será preciso ter 13 assinaturas a favor. Nicolau acha que com diálogo se pode chegar a um consenso favorável a uma nova votação. Uma conversa da Mayara com os deputados, ajudaria em muito.

LETREIRO NA TESTA

Quando o deputado Gerlen Diniz (PROGRESSISTAS) se queixa de queimação e fogo amigo contra o seu nome, quem conhece os bastidores da aldeia sabe a quem se refere: vice-governador Major Rocha. Diniz debita a ele, o boato de ter mais de cem cargos no governo.

A OPINIÃO PÚBLICA NÃO É ESTÁVEL

Cessou a enxurrada de críticas á prefeita Socorro Neri, depois que colocou várias frentes para recuperar as ruas esburacadas. Existem, mas em menor volume. E á medida que as obras forem avançando a tendência é de sua imagem melhorar. A opinião pública não é estável.

FALTA UMA DIVULGAÇÃO MASSIVA

As máquinas estão na pista asfaltando a AC-40 na direção de Senador Guiomard, tendo no comando das ações o secretário de Infraestrutura, Thiago Caetano. Falta-lhe uma equipe exclusiva para cobrir os trabalhos da sua secretária, que fará a maiores obras do governo.

O CAPOTE E GALINHA

O capote ninguém sabe onde a fêmea coloca os seus ovos. A galinha coloca um ovo, faz a maior algazarra e fica todo mundo sabendo. Quanto mais as obras da SEINFRA forem divulgadas, melhor para a imagem do governador Gladson Cameli. É mais do que óbvio!

ESCRAVOS DE JÓ JOGAVAM CAXANGÁ

O vice-governador Major Rocha tem comentado que o secretário de Agricultura, Paulo Wadt, indicado por ele e pela irmã, deputada federal Mara Rocha (PSDB), não suportará a pressão e vai cair. Lembra aquela musiquinha infantil: Escravos de Jó/Jogavam Caxangá/Tira/Bota/Deixa o Zambelê/ Ficar……Uma pergunta: como um trem confuso deste pode dar certo?

MUNICÍPIO DA CONFUSÃO

Senador Guiomard, que município de confusão! É prefeito preso acusado de corrupção; assume outro; este outro é acusado de ameaçar adversário de morte, e assim vão levando por cima da pausada, para a tristeza dos moradores assistindo ao grotesco espetáculo circense.

MAIS UM NOME NA PAUTA

Quem estuda a possibilidade de sair candidato a prefeito de Rio Branco é o advogado Edinei Muniz. Há a possibilidade que entre no partido NOVO, com o qual vem conversando nacionalmente. Edinei seria carne de pescoço para os adversários num debate na televisão.

PROGRAMA PRAGMÁTICO

Muitos alunos não avançam no ensino por problemas de visão, o que prejudica a leitura, o aprendizado do que é colocado no quadro negro, e muito das vezes o problema não é detectado. Positivo, pois, o programa piloto de atendimento oftalmológico em curso nas escolas estaduais. Nessa o nosso coroinha do Bispo Dom Joaquim, secretário Mauro Sérgio, acertou.

ISSO PODE, ARNALDO?

Mas tem o outro lado da moeda. 100% das escolas estaduais de Cruzeiro do Sul paralisaram as suas atividades. E não foi por politicagem. Mas por falta de condições de trabalho. Secretário de Educação, Mauro Sérgio, deixar faltar material de limpeza? O mínimo que se pode exigir numa unidade escolar. E para completar, os serventes estão 4 meses sem receber. Secretário! Depois da porta arrombada é que resolveram o problema? Por qual razão não resolveram antes do desgaste cair no colo do governador Gladson Cameli. Isso pode, Arnaldo?

A GUERRA SURDA PELO CONTROLE DA MÍDIA

Até ontem onze empresas já tinham retirado o Edital para participar da licitação da verba de pouco mais de 5 milhões da mídia do governo. A projeção é que até vinte empresas, entre as regionais e as de fora do Estado participem. Inclusive, a ligada ao PT, a Companhia de Selva.

PODEM PREPARAR O BICO SECO

Numa disputa deste porte é improvável que um dos perdedores não recorra do resultado. Isso acontecendo, a decisão de quem fica com o pacote, seria da justiça. E com a sua natural lentidão, com possibilidade de se recorrer às instâncias superiores, pode se chegar a um mínimo de oito meses para a sentença final. Antes disso o governo não pode pagar ninguém. Ocorrendo, os empresários do setor de comunicação se preparem para um longo bico seco.

COBRAR É PRECISO

O deputado federal Alan Rick (DEM) voltou a cobrar das empresas áreas a redução das tarifas dos vôos para o Acre e a volta da conexão entre Porto Velho-Rio Branco, que foi suspensa. A bancada federal acreana tem de insistir neste tema e não só o Alan ficar uma voz isolada.

NINGUÉM VAI ENTENDER O SAMBA

O governo gaba-se de que vai acabar com as dez assessorias especiais, que na verdade estão sendo ocupadas por aspones. ASPONE é a popular sigla, “Assessor de Porra Nenhuma”. E vai criar 20 diretorias na nova reforma que chegou á ALEAC. É algo que ninguém vai entender.

A POLÍTICA E AS SUAS ARMADILHAS

Na primeira eleição da Leila Galvão (PT) para deputada, nos 15 dias antes da votação, dirigente do PT reuniu o diretório municipal de Epitaciolândia e pediu que não votassem nela porque não tinha chance de ganhar. Ganhou e com uma boa votação. E quando se vê agora este mesmo PT num movimento para que dispute a prefeitura de Epitaciolândia é dela matutar.

LANCE ARRISCADO

A candidatura da ex-deputada Leila Galvão (PT) a prefeita de Epitaciolândia seria um lance político de alto risco. Se ganhar, tudo bem. Mas se perder, isso terá reflexo negativo se quiser ser candidata a uma vaga na ALEAC em 2022, porque emendaria duas derrotas seguidas.

INES É MORTA

Deputado da finada FPA que esteve recentemente com o ex-senador Jorge Viana (PT), que está em conversas periódicas para formatar um novo bloco de oposição, saiu do encontro nada convencido: “quando estavam no poder não nos viam; estavam cegos, foi perderem a eleição e por um milagre passaram a nos ver; agora que, não têm um pau para dar no gato?”.

NÃO SERÁ SURPRESA

Não será surpresa se a ex-deputada Leila Galvão (PT) vir a assumir o mandato por 120 dias.

FATOS QUE NÃO PODEM SE REPETIR

O quebra pau no PS entre pacientes e um médico ortopedista não podia acontecer. Não foi isso que foi pregado na campanha. O que se bisou é que as coisas não funcionavam no PS por falta de gestão. Não resolve o problema a troca de acusações. Faltam sim melhores condições de trabalho para os profissionais e mais humanização por parte destes. O secretário Alysson Bestene tem de entrar em campo, não se justifica a demora para licitar filmes para o Raio-X.

NÃO IMPORTA A HERANÇA, SE QUER SOLUÇÃO!

O Acre aparece na última pesquisa nacional como um Estado com uma das maiores taxas de desemprego. Não importa se foi herança do projeto petista da florestania, o que interessa é quais são as políticas públicas deste governo para reverter o quadro vergonhoso recebido?

NÃO TEM IMPACTO POLÍTICO

As manifestações contra o presidente Jair Bolsonaro não têm impacto político no seu nicho eleitoral, porque foram feitas por um público que não votou nele na eleição, mas no Haddad.

Governo Gladson caminha para nova derrota na Assembléia Legislativa

Existe um movimento que tomou corpo dentro da Assembléia Legislativa entre os deputados de oposição e da base do governo para não aceitar uma nova indicação de Mayara Lima para ser a dirigente da AGEACRE.

O seu nome já foi rejeitado pela casa, porque chegou de forma ilegal, com ela nomeada no cargo, quando isso só poderia acontecer após seu nome sofrer uma avaliação dos parlamentares e ser aprovado. Os deputados contrários argumentam que seria uma desmoralização o parlamento aprovar uma matéria que já foi derrotada nesta legislatura. “Ficaria mal para a imagem da ALEAC”, sustenta o deputado Edvaldo Magalhães (PCdoB). Na mesma linha de raciocínio está o deputado Luiz Gonzaga (PSDB), de que nova votação da indicação de Mayara e a havendo a aprovação, não soaria bem na opinião pública. Ressalto, não está em discussão sua competência, mas formalidades. O governador Gladson Cameli, antes de viajar, já tinha decidido em reapresentar novamente o pedido, o que deverá acontecer na próxima semana. Só que para isso ser possível e a rejeição anterior ser desarquivada, seriam necessários 13 votos, que não estão assegurados na base governista. Há uma defesa de que o governo mande outro nome para ser apreciado para conduzir a AGEACRE. O líder do governo, Tchê (PDT), reconhece ser preciso muita conversa para aprovar.

NOME DE CONSENSO

Ontem, foi aprovada por unanimidade a indicação de Francisco Assis para comandar o ACREPREVIDÊNCIA. Isso só foi possível graças ao seu bom currículo na área previdenciária.

NOVA REFORMA COMEÇOU SER ESMIUÇADA

Em reunião ontem à tarde na sede do governo, com equipe econômica, começou a ser esmiuçado o novo projeto de reforma administrativa, com a presença de 11 deputados da base de apoio ao governador Gladsson Cameli. Foi mudada a estratégia de mandar projetos sem antes discutir com os deputados. “Para ser aprovado, antes tem que ser discutido e virar consenso ou não se aprova”, enfatizou o líder do governo, deputado Luiz Tchê (PDT).

BASE FECHADA

A base do governo começa a ser fechada em 14 deputados. Além dos 11 presentes à reunião, não participaram por estarem fora da capital, os deputados José Bestene (PROGRESSISTAS), Neném Almeida (SD), e Antonia Sales (MDB). Aos poucos a base vai tomando uma moldagem.

AS PANCADAS VÃO ENSINANDO

As pancadas que o governo Gladson vem recebendo por conta de decisões amadores ao que parece estão surtindo efeito. Discutir antes com os deputados os projetos que serão enviados foi uma exigência do novo líder do governo, deputado Tchê (PDT), para aceitar a função.

CONQUISTA PARA SENADOR GUIOMARD

A senadora Mailza Gomes (PROGRESSISTAS) tem o compromisso do governador Gladson Cameli de que o governo vai construir em Senador Guiomard um Colégio Militar.

NÃO PODE JULGAR AO SABOR DA EMOÇÃO POPULAR

A decisão que soltou o ex-presidente Temer foi jurídica e seguiu a lei. A prisão preventiva não é regra, mas exceção. Temer não tem condenação. A decisão não o absolveu de nada. Não implica que não possa vir a ser julgado, condenado, e preso dentro da lei. Um Juiz não pode julgar ao sabor da emoção da opinião pública. Perdoem, não entro em discussão emocional.

TEMPO PARA AJUSTES

Na sua caminhada para unificar a base do governo na ALEAC, o deputado Luiz Tchê (PDT) tem usado da fina ironia: “não deram um ano de prazo para o Gladson? Peço três meses!”.

CALEGÁRIO EXIGE INDEPENDÊNCIA

O deputado Fagner Calegário (PV) não decidiu ontem em que partido vai se filiar após sair do PV, mas avalia duas siglas para aderir: “Progressistas e o PSD”. Mas ressalva que exigirá para onde for a independência parlamentar para defender os seus pontos de vista na ALEAC.

SIMPLES APOSTA

Eu apostaria que vai párea o PSD, onde teria liberdade para exercer o mandato livre.

COISA DE BUROCRATA MALUCO

A denúncia de ontem do deputado Daniel Zen (PT) de que as aulas não começaram nas escolas ribeirinhas da área rural, porque o contrato com os barqueiros que faziam o transporte dos alunos não foi renovado, parece surreal, mas é realidade. Isso é coisa de burocrata maluco!

A BUROCRACIA SUFOCA UM GOVERNO

O mais misterioso disso tudo é que quem ganhou a licitação para o transporte escolar foi uma empresa de Manaus. Aliás, a turma de Manaus está ganhando tudo. E as empresas acreanas cheirando a vara do Batista. Por qual razão não fizeram um contrato aditivo com os barqueiros para que as aulas tivessem início? A burocracia acaba com a agilidade de uma administração.

O APRESSADO COME CRU

Sabe aqueles diretores da AGEACRE que foram demitidos antes do término de seus mandatos pelo governador Gladson Cameli, e que foi amplamente contestado na ALEAC, principalmente, pelo deputado Evaldo Magalhães (PCdoB)? Pois bem, o TJ decidiu pela volta de todos aos cargos. E só poderão ser exonerados ao fim do prazo contratual. O apressado come cru.

SIMPLES, MAS OBJETIVO

O deputado Jenilson Lopes (PCdoB) está defendendo uma medida simples, mas objetiva por parte do governo: que sejam incluídas nas escolas da área rural matérias com noções sobre pecuária e agricultura. Serve para o jovem ganhar conhecimento técnico e se fixar ao campo.

SOMOS DA FRONTEIRA

Outro projeto interessante é o do deputado Cadmiel Bonfim (PSDB), que torna de optativo em preferencial o ensino do espanhol nas unidades escolares do Estado. Tudo a ver, o Acre faz fronteira com o Peru e com a Bolívia.

DESTAQUE NAC IONAL

O deputado federal Alan Rick (DEM) vem sendo destaque nacional na imprensa especialiada pela sua defesa de aposentadorias dignas para os policiais. A vantagem do Alan é ser um político de posições. Tem gente que gosta do seu mandato, outras não, é  da democracia.

CAETANO, ASSIM O BOI NÃO DANÇA!

O deputado Antonio Pedro (DEM) está de língua seca de tanto cobrar que a balsa que faz a travessia sobre o Rio Acre do bairro Sibéria para o centro de Xapuri, não cesse de operar. Cacete, não tem dinheiro para comprar um motor novo? Secretário Thiago Caetano, assim o boi não dança! Construir uma ponte tem que esperar, mas comprar um simples motor?

VERSÃO DO THIAGO

Tinha feito o comentário quando me chegou a versão do sempre solicito secretário Thiago Caetano sobre a Balsa de Xapuri. Revelou no áudio que me enviou que, a manutenção estava a cargo do DERACRE, mas que faltaram meios legais para contratar a recuperação. Tomou a frente, conseguiu pegar uma carona em uma ata, assumiu o problema, conseguiu orçamento, correu, contrato uma empresa que já estará hoje em Xapuri, iniciando os trabalhos de recuperação. Não serão feito apenas remendos paliativos, porque a balsa apresentava vazamentos que colocavam em risco a vida dos usuários. Será trocado todo o fundo da balsa, depois complementada a parte de cima. E que isso levará alguns dias. Quem bom se todos os secretários corressem como o Thiago para resolver os problemas e prestassem contas à opinião pública. Assim a notícia fica com mão dupla. E que o problema seja sanado de vez.

CARA NA PORTA

Quem procura a Delegacia de Mâncio Lima para prestar uma queixa bate com a cara na porta. Simplesmente, já vai entrando no quinto mês que se encontra fechada. Como não criticar?

FAÇAM AS SUAS APOSTAS

A roleta vai girar, senhores jogadores! Façam as suas apostas: vermelho 21, o secretário de Agricultura, Paulo Wadt, será demitido após a volta do governador dos EUA. E preto 27, ele continuará no cargo mesmo com a torcida dos adversários que peruam o jogo. Girou!

SERIA O FIM DA PICADA

Ao que parece a equipe de esporte da Difusora Acreana continuará a transmitir as partidas de futebol. Graças á intervenção do chefe do gabinete civil, Ribamar Trindade, o que seria um vexame foi evitado. Não fosse isso seria mais uma pauta negativa o fim das transmissões.

AINDA ESTAVAM SE BATENDO

Ontem ainda estavam se batendo para compor os nomes da CPI da Energisa. Continuo com a mesma posição desde o início dos debates de que, não vão baixar um centavo da conta de luz.

BOA QUEDA

Não sei qual foi a estratégia usada, mas as execuções e os assaltos em Cruzeiro do Sul tiveram os seus índices reduzidos. Ponto para os policiais militares e civis daquele município.

NÃO É O DONO DA CANETA

O chefe do gabinete do Gladson Cameli, Ribamar Trindade, costuma ser acusado de mandar e desmandar no governo, nomeando e exonerando quem quer. É falso. Não tem este poder. Nenhum decreto de nomeação é assinado por ele. O dono da caneta é o Gladson Cameli. Os deputados que o criticam têm de entender isso. Nada acontece sem o ciente do Cameli.

ALTAMENTE RESPEITÁVEL

O nome do Juiz aposentado Pedro Longo vem sendo citado como provável candidato a prefeito de Rio Branco. Se for concretizado, vai engrandecer os debates na campanha para a PMRB. Quanto mais nomes com a sua qualificação forem candidatos, melhor para a política.

AFUNDA DE VEZ

Este tosco debate que já virou briga entre os filhos do presidente Jair Bolsonaro, o guru da direita, o desbocado Olavo de Carvalho e a ala militar do Planalto, vai afundando o governo. Se o Bolsonaro não aprovar a PEC da Previdência do tamanho formatado será o fim do sonho.

NENHUM ARREPENDIMENTO

Não endosso a balbúrdia, vejo com preocupação o governo Jair Bolsonaro se encontrar destrambelhado, mas ainda assim não me arrependo de não ter votado no Hadad.

MILITAR PARA QUÊ?

Quando vejo um colega jornalista como o Wiliandro Derze dizendo que pensa seriamente em procurar outros caminhos que não sejam o de apoiar o governo Gladson, isso é lamentável. Este rapaz esteve na linha de frente nas redes sociais brigando com o PT. E não foi olhado.

PARECE IRREVERSÍVEL

O MDB ter candidatura própria à PMRB a cada dia parece ser irreversível. Com o fim das coligações proporcionais um partido grande como o Glorioso, tem de ter nome a prefeito para dar palanque à sua chapa de candidatos a vereadores. E, quanto mais cabra, mais cabrito.

CONVITE FEITOO desembargador aposentado Arquelau Castro estuda convite para ser candidato a vereador.

SUCESSO AO BOM PASTOR

Não pude estar ontem no lançamento do livro “Fé em Ação” do bom Pastor Agostinho, mas desejo sucesso e prometo comprar um volume e ler. E conhecer a sua bela obra na IBB.

COM PLANEJAMENTO TUDO FUNCIONA

Não se concebe na administração moderna a falta de planejamento. O amadorismo na gestão leva ao fracasso. Um exemplo que planejamento é tudo é em Cruzeiro do Sul. Foi a gestora Ildecleide Cordeiro assumir a parte administrativa da prefeitura, enxugar a máquina, que deu condições a que o prefeito Ilderlei Cordeiro ficasse livre para se dedicar apenas às ações municipais e a sua popularidade voltasse, com as obras que executa na cidade. Hoje, vários prefeitos estão indo ao município para adquirir tecnologia em asfaltamento de ruas.

Acham que tenho a cara de besta: Besta é quem de forma infantil olhou de soslaio e não levou a sério a sua declaração

“Luis Carlos, esse pessoal pensa que eu tenho a cara de besta! Eu me faço de besta!”.

A frase foi dita pelo governador Gladson Cameli na última entrevista que me concedeu ao comentar o movimento dos partidos lançando candidatos a prefeito sem uma conversa prévia com ele. “Eu fico só olhando! A sucessão municipal na capital passa pelo meu gabinete, não vou apoiar ninguém cujo nome não passe por mim”, completou. Não falou isso por falar. Besta é quem de forma infantil olhou de soslaio e não levou a sério a sua declaração feita á coluna, de que disputará a reeleição. Foi uma pedra bem colocada no tabuleiro da sucessão estadual de 2022. No momento em que fala que sairá para a reeleição, breca o debate antecipado entre os partidos aliados. E quando lança o vice-governador Major Rocha (PSDB) para prefeito também manda outro recado de que o candidato á PMRB sairá da sua escolha. Não interessa como o governo esteja no próximo ano, o Rocha, apoiado pela máquina estatal será um nome muito forte. Some-se a isso que o Rocha tem ainda luz própria e ajudou a eleger a irmã Mara Rocha (PSDB) a mais votada deputada federal. Mas parece que, o Rocha não está muito propenso a ser candidato a prefeito. Sobre o Cameli, não minimizem alguém que já foi deputado federal, senador e agora governador, não se chega a estes mandatos sendo besta ou tendo a cara de besta. De besta não tem nada! Aliás, nem o Gladson e nem o seu vice o Major Rocha.

MINORU NEGA FILIAÇÃO, MAS CONFIRMA PRESENÇA

O professor Minoru Kinpara negou ontem de que, durante o café da manhã de hoje na sede do PSDB, fará a sua filiação no partido e tampouco irá se declarar candidato a prefeito de Rio Branco. Falou ontem que estará presente no PSDB, apenas para atender convites de amigos, mas sem nenhuma relação política. É o que diz, mas especulações não faltarão. Mesmo porque, desconhece-se essa afinidade com os tucanos. O PSDB ia oferecer um café da manhã apenas pelos seus olhos apertados? Neste tuba tem gato.

NÃO HÁ CONVENCIMENTO

O que se pode dizer da candidatura do vice-governador Major Rocha (PSDB) à PMRB é que, ele não está convencido a abandonar o cargo para se candidatar. O pensamento dominante no PSDB é de que a sigla precisa avançar, mantendo os espaços da vice-governadoria e da Câmara Federal. O PSDB sonha mesmo é com a candidatura de Minoru pelos tucanos, com a benção do governador. E numa composição com o PSD, PROGRESSISTAS e DEM.

SÍNDROME DE ESTOCOLMO

O comentário acima foi feito ontem à coluna por um dos mais experientes políticos da luta de oposição contra o PT. Considera que, o MDB, ao formar na aliança da oposição na ALEAC contra o governador Gladson Cameli passa a sofrer da “Síndrome de Estocolmo”, aquele em que a vítima se apaixona pelo seu algoz. O MDB tem secretarias no Estado e na ALEAC é oposição. Está hoje integrando um bloco de oposição ao governo com o PT e PCdoB.

ESTÁ DESAPRENDENDO, FLAVIANO MELO?

A pergunta acima, eu faço ao presidente do MDB, deputado federal Flaviano Melo, com a complementação: você acha mesmo que o Gladson sofrendo toda sessão na ALEAC pancadaria forte do deputado Roberto Duarte (MDB), contra o governo, vai lhe apoiar para a PMRB?

SÓ SE FOR MASOQUISTA

Na política, velho lobo Flaviano Melo (MDB), ninguém alimenta o algoz, só se for masoquista.

PIADA DE PORTUGUÊS

É a típica conversa mole para fazer o boi dormir a declaração do deputado Gerlen Diniz (PROGRESSISTAS) de que deixou a liderança do governo por ter sido “demitido” pela imprensa e o Gladson não ter negado. Gerlen aproveita e conta outra piada de português.

CARGO Á DISPOSIÇÃO

Na verdade a imprensa não fez nada mais do que noticiar fatos. O deputado Gerlem Diniz (PROGRESSISTAS) foi quem procurou o deputado Nicolau Junior (PROGRESSISTAS), quando respondia pelo governo, para entregar o cargo e foi pedido que esperasse a volta do Gladson.

FALTA-LHE EMPATIA

O deputado Géhlen Diniz (PROGRESSISTAS) é bom tribuno, qualificado, mas faltava-lhe a empatia que o exercício do cargo de líder do governo exige de dialogar com os colegas de bancada. O Diniz não conseguiu aglutinar a base do governo, foi isso o que aconteceu.

ERRO DE AVALIAÇÃO

A direção do MDB comete um erro de estratégia política imenso ao deixar o senador Márcio Bittar (MDB) ao largo do poder decisório do partido. Com sua experiência em montar chapas para a disputa eleitoral, ele teria muito a acrescentar no debate sucessório para a PMRB.

POLÍTICA EM RANÇO

Na política, não se quebram as pontes, mas se cisca para dentro. O senador Márcio Bittar (MDB) também mostra que política não se faz com ranço, ao relevar a briga que teve na campanha com o prefeito de Sena Madureira, Mazinho Serafim, ao destinar agora 4 milhões e 500 mil reais de emendas á Prefeitura.

VIROU O JOGO

O secretário de Infraestrutura, Thiago Caetano, vinha sofrendo uma pauleira forte dos deputados na Assembléia Legislativa. Foi lá, conversou com todos, fez uma agenda com as reivindicações e passou a ser elogiado nos bastidores pelos que o criticavam. Nem doeu!

CAFÉ POLÍTICO

O PSDB estará oferecendo hoje aos seus militantes um café da manhã, que terá como um dos ingredientes declarações sobre o convite do governador Gladson Cameli ao vice Major Rocha para disputar a PMRB. Os tucanos são hoje uma força política importante no Estado.

SACADA PARA OS JOVENS

O governador Gladson Cameli não tem como não transformar em projeto de lei e enviar para a ALEAC, a sugestão feita pelos participantes do programa Jovem Parlamentar, de que nos contratos do governo com as empresas, estas abram vagas para os jovens aprendizes.

TIRA O JOVEM DA OCIOSIDADE

A sugestão, que foi transformada num anteprojeto pelo deputado Daniel Zen (PT), mas que só poderá virar lei se for para a ALEAC por iniciativa do governo, é importante porque vai tirar muitos jovens da ociosidade e ainda gerar emprego, num Estado lotado de desempregados.

A SABEDORIA ESTÁ NA VELHICE

A senadora Mailza Gomes (PROGRESSISITAS) conseguiu que, em Senador Guiomarda seja implantado o Programa Viver – Envelhecimento Ativo e Saudável, do Ministério dos Direitos Humanos. O programa promove debates, cursos, palestras, alfabetização de idosos, inclusão tecnológica, objetivando ainda inserir os idosos na era digital. A sabedoria está na velhice.

DATA-CONTROL

Pesquisa feita pelo instituto DATA-CONTROL em vinte municípios acreanos aponta um reconhecimento majoritário da população de que houve uma melhoria na área de segurança pública. Os números realmente caíram, mas têm que cair mais para chegar ao teto ideal.

ACERTANDO PONTEIROS

Aos poucos, a base de apoio ao governo vai aparando as suas arestas. Ontem, voltou a se reunir num café da manhã, com o clima bem já mais calmo. Faltava este tipo de conversa e uma maior aproximação dos deputados com o governador Gladson e o seu secretariado.

NENHUM IMPACTO FINANCEIRO

O anteprojeto do vereador Emerson Jarude de que seja concedida aos idosos e deficientes a gratuidade nos estacionamentos e acabar com a renovação do documento de identificação, deveria ser acolhido pela prefeita Socorro Neri e enviado em forma de projeto de lei à Câmara Municipal de Rio Branco. O impacto financeiro seria pequeno e teria relevância social.

É MUITA VAGABUNDAGEM!

Por isso é que em todas as pesquisas a classe política aparece sempre em último lugar no quesito credibilidade. Os deputados da lava-jato querem tirar o COAF e a pasta da Segurança do Ministério da Justiça. E assim, diminuir a ação rápida do ministro da Justiça, Sérgio Moro. É a
revolta contra Moro, que mostrou que com ele, acabou a máxima que no Brasil só se prende pobre e puta. As reações políticas foram uma reação da turma da Lava-Jato e seus aliados.

CAMINHA NESTE SENTIDO

Tudo caminha para que a deputada federal Perpétua Almeida (PCdoB) seja a única da bancada federal acreana a votar contra a PEC da Previdência. Se a PEC não for aprovada vai acabar de arrebentar economicamente os Estados. Seria um desastre para um Estado pobre como o Acre. É que sem a PEC aprovada a economia vai para um buraco mais fundo e leva os Estados. Os outros sete deputados e os três senadores tendem a votar pela aprovação.

AQUI NÃO RESOLVE NADA

Tenho algumas críticas ao governo Gladson Cameli, menos de que ele viaja muito. Tem que estar sempre presente nos ministérios em Brasília, o olho do dono é que engorda o boi. Trancado no gabinete na capital, só recebendo pedidos, não vai trazer dinheiro pro Acre.

DENTRO DO JOGO

Quem estará de uma forma ou de outra dentro do jogo da disputa da prefeitura da capital será o senador Sérgio Petecão (PSD), mesmo porque o seu apoio ao candidato a prefeito é essencial pela votação estupenda que teve na cidade. Isso lhe credencia, no mínimo, indicar o vice da chapa.

FUNTAC EM FRANGALHOS

Observação feita por um funcionário sobre a FUNTAC é a de que parece um órgão fantasma. Logo na entrada se sente a sensação de abandono, onde a principal via de circulação interna está toda esburacada, a maioria dos prédios deteriorados e num péssimo visual para quem chega. Não disseram a que vieram os novos dirigentes. Só mudou as generosas comemorações de aniversários e das fartas guloseimas servidas. A FUNTAC, nos governos do Flaviano Melo e Jorge Viana era um órgão orgulho dos seus funcionários. Hoje, virou um abandono geral.

UMA PERGUNTA QUE NÃO CALA

As estatais não iam ser extintas? Continuam como um grande cabide de emprego.

VOTA A FAVOR

O deputado Edvaldo Magalhães (PCdoB) diz que vai votar a favor do novo projeto de reforma administrativa que chegará em breve à Assembléia Legislativa. Magalhães tem o entendimento de que, quem deve mensurar o tamanho do Estado é quem governa.

CLAIRE CAMELI

Será a Secretaria de Ação Social. Claire Cameli é filha do ex-governador Orleir Cameli.

MARCHA PARA JESUS, UMA ESPÉCIE DE CARNAVAL GOSPEL

Os evangélicos farão neste sábado a “Marcha para Jesus”, com a espera de um público superior a 50 mil pessoas na avaliação dos organizadores. A Marcha é uma espécie de carnaval gospel, todo mundo dançando e cantando pelas ruas da cidade. Cada um escolhe sua religião.

JURAS DE AMOR ETERNO

Hoje também tem café da manhã do governador Gladson Cameli com a sua base de apoio na Assembléia Legislativa. Devem acontecer juras de amor eterno. E marcar uma nova etapa nas relações entre governo e deputados aliados.

FALTA PAPEL?

Toda semana é anunciado que a nova reforma administrativa, que se trata apenas de um remendo à que foi feita no início do governo, estará chegando para a votação na Assembléia Legislativa. Está faltando papel? Mesmo porque já se sabe que a matéria embute mudanças mínimas, como a volta da Secretaria de Ação Social, a reestruturação do IMC, a fusão da SEPLAN com a Secretaria de Administração e a transformação da Secretaria de Polícia Civil em um Departamento. Quanto mais tempo o governo demorar mais especulação vai acumular.

Política e jornalismo: Belo livro para quem gosta de política e de história

Terminei de ler e recomendo o livro do professor e militante do PT, Marcos Inácio Fernandes, o “Marcão”, sobre a história política do Acre e com foco maior no surgimento do PT.

Belo livro para quem gosta de política e de história. Para minha surpresa, eu vi inserida na obra duas notas da coluna que eu assinava no jornal “O RIO BRANCO”, intitulada “Conversando sobre Política”, sobre disputas internas no surgimento do PT, isso em 1981. Já se vão 38 anos! Mas já assinava coluna política desde o meado da década de 70, também no “O RIO BRANCO”. O que nos leva a escrever sobre política mais de 40 anos. O livro do “Marcão” me fez reviver essa vivência. É uma obra que dá uma pincelada por todos os partidos que existiam no Estado antes da abertura política e do fim do bipartidarismo. Como acompanhei estas fases foi como um filme antigo passando pela minha cabeça. Muitas colunas surgiram ao longo dessas décadas, se mantiveram por um tempo e depois sumiram. A única que ficou perene foi a minha coluna. Por isso nada mais me surpreende na política do Estado. Foi bom reviver um pouco disso no livro do Marcão. Inclusive, uma ilustração da Balsa para Manacapuru, feita pelo DIM, em 1988, com aquele personagem da Escolinha do Professor Raimundo, que veio fazer campanha para o Ariosto Migueis à PMRB, gritando na televisão “Veeenha”! Ariosto foi derrotado pelo Kalume. E volto a recomendar que comprem o livro, à venda na livraria Paim. Comprem, é história.

Deveria servir de exemplo

A presença do secretário de Infraestrutura, Thiago Caetano – FOTO -, ontem na Assembléia Legislativa, para ouvir as queixas dos deputados e as suas reivindicações, deveria servir de exemplo a outros secretários. Essa aproximação evitaria muitas críticas feitas ao governador Gladson.

ACABOU A BRINCADEIRA

Para o líder do governo, deputado Luiz Tchê (PDT), tem de acabar a brincadeira de secretário do Estado não responder a requerimentos feitos pelos parlamentares. É comum no atual governo a maioria do secretariado fazer ouvido de mercador a pedidos de informações.

OBRIGAÇÃO LEGAL

E tem de acabar mesmo com este pouco caso que alguns fazem do parlamento. E ainda porque são obrigados a prestar informações ao Legislativo ou mesmo a um pedido popular. Não são donos dos cargos, estão de passagem e podem ser demitidos a qualquer hora.

NÃO SE JOGA DINHEIRO PÚBLICO PELO RALO

A prefeita Socorro Neri lançou a “Operação Verão”, que envolverá na ação cerca de 700 trabalhadores, divididos em 33 equipes e utilizando 250 máquinas, num grande mutirão para recuperar a malha viária. Está previsto um gasto de 50 milhões de reais, beneficiando 1500 ruas, em 227 bairros. É mais dinheiro que vai circular na praça. As finanças municipais estão saneadas. Não se trabalha no amadorismo do improviso. As equipes estão nos bairros.

NÃO ACOMPANHA

Mantida uma candidatura do vice-governador Major Rocha a prefeito de Rio Branco é um breque na esperança que o MDB tinha de que todos os partidos aliados se juntariam em torno do seu candidato à PMRB. Porque neste caso, o Rocha seria o candidato do governador.

POR QUAL PARTIDO?

O Tião Bocalom, se ele quiser ser candidato a prefeito de Rio Branco no próximo ano, terá que começar a pensar em outro partido que não seja o PSL. O Coronel Ulisses Araújo é o nome preferido pelos integrantes da cúpula partidária. Inclusive, pelo presidente Pedro Valério.

UBER LIBERADO

O STF declarou por unanimidade, na última quarta-feira, inconstitucionais as leis que proíbem o uso de carros particulares para transporte remunerado de pessoas. Com isso fica liberado o uso de aplicativos como o UBER em todo país. E nulas leis municipais que regulavam a matéria.

UM DADO HISTÓRICO

Na votação que colocou o Coronel Cerqueira Filho como governador do Acre, destituindo o governador eleito José Augusto, o único deputado estadual da época que não votou a favor foi o Nabor Junior; que, simplesmente, não compareceu à sessão que sacramentou o golpe.

POLÍTICO DE CARÁTER

Ao longo da minha carreira no jornalismo conheci poucos políticos da estirpe moral do Nabor Junior. Foi de um caráter irretocável durante a sua longa trajetória do parlamento ao governo.

ESTATURA MORAL

Outro nome no contexto histórico dos políticos honrados que passaram pelo Acre (e foram poucos) e com o qual fiz várias entrevistas e acompanhei as suas ações no Executivo, foi a figura do Jorge Kalume, dono de uma estatura moral reconhecida até pelos seus adversários.

FATO PITORESCO

Para se ter uma idéia quem foi Jorge Kalume, era comum ver pedidos como prefeito da capital endereçados à Câmara Municipal de Rio Branco, solicitando autorização para doar um milheiro de tijolos a uma entidade beneficente. Não discuto a sua ideologia, falo da sua honradez.

APROVAÇÃO UNÂNIME

O líder do governo, deputado Luiz Tchê (PDT), prevê para a próxima terça-feira a votação da indicação de Francisco Assis para a presidência do ACREPREVIDENCIA. Não será chamado para se questionado, por a aceitação do seu nome ser unanimidade entre os parlamentares.

NÃO HAVERÁ POLITICAGEM

A indicação de Francisco Assis é técnica, é um servidor de carreira, profundo conhecedor da situação do ACREPREVIDÊNCIA, e a aprovação do seu nome é bom sinal de que não teremos politicagem no órgão. A sua escolha foi um ato pessoal do governador Gladson e um acerto.

AGEACRE FORA DA DISCUSSÃO

Sobre a presidência da AGEACRE, o deputado Luiz Tchê (PDT), informou ontem à coluna que o debate só acontecerá na ALEAC quando chegar o nome indicado pelo governo. Mas já há um trabalho na base do governo de ter os votos necessários para desarquivar e votar o pedido.

COMO CAMINHÃO DE MELANCIA

Ontem, o clima entre os deputados da base do governo era de calmaria, bem diferente da tempestade da última terça-feira contra o governador Gladson Cameli. O que estava faltando, e parece que começa a ser corrigido, e que havia um afastamento do governo da ALEAC. É como um caminhão carregado de melancias, ao longo do trajeto vão se acomodando.

ACABOU COM O PROBLEMA

Com este projeto do deputado Jenilson Lopes (PCdoB) de criação de um selo de qualidade para a venda do açaí, acaba de vez a dúvida de que o consumidor está usando um produto sem controle sanitário. O projeto também aquecerá a economia no setor e gerará empregos.

NÃO APOSTEM

Vai errar quem apostar que o deputado Géhlen Diniz (PROGRESSISITAS), após deixar a liderança do governo tomará posições contra o governo Gladson. Já disse à coluna que é “base de apoio”. E mais, os princípios do Géhlen Diniz, jamais, fariam simbiose com PT e PCdoB.

FÉ EM AÇÃO

É o título do livro que o bom Pastor Agostinho Ribeiro, da IBB, vai lançar no próximo dia 14, às 19 horas, no Restaurante “Pão de Queijo”. Segundo o autor é um livro que fala de fé, perseverança, seguir em frente apesar das dificuldades. Resultado de 29 anos de Ministério.

REFINANCIAMENTO DA DÍVIDA

O governador Gladson está tratando do refinanciamento da dívida do Estado no “Banco Pactual”. Tem de buscar mesmo saídas econômicas, não adianta ficar na capital no gabinete.

DEFESA DAS FORÇAS POLICIAIS

O deputado federal Alan Rick (DEM) é um defensor ferrenho na PEC da Previdência dos direitos das forças policiais, no que tange às aposentadorias das categorias. Destaca que não se trata de criar regalias, mas de assegurar uma aposentadoria digna para os que vivem na defesa da população. E todos os dias colocando a vida em risco no enfrentamento do crime.

BOTÃO DA VIDA

A deputada Meire Serafim (MDB) é uma das parlamentares que fez uma defesa acirrada pela aprovação do projeto “Botão da Vida”, aplicativo que ao ser acionado pelas mulheres vítimas de violência, haverá o atendimento por uma patrulha de policiais especializados na defesa da Lei Maria da Penha. É um avanço contra a agressão e prevenção do assassinato de mulheres.

PARCERIAS POR SENA

O prefeito Mazinho Serafim tem procurado alternativas para melhorar a gestão. Acaba de ter uma emenda de 800 mil reais destinada pela deputada federal Jéssica Sales (MDB) para um Centro de Idosos e fez parceria com a FIEAC para a oferta de 32 cursos de capacitação. Os dois fatos foram destacados também na fala de ontem da deputada Meire Serafim (MDB).

NÃO HÁ COMO NÃO APOIAR

Importante por gerar emprego. O anteprojeto apresentado ontem pelo deputado Daniel Zen (PT), pelo qual as empresas que têm contratos com o governo incluam nos seus quadros os jovens aprendizes. Não há motivo para o Gladson não mandar projeto á ALEAC neste sentido.

ORIGEM INTERESSANTE

A proposta foi elaborada pela primeira turma dos 24 jovens que participaram do programa Jovem Parlamentar na Assembléia Legislativa, coordenado pelo deputado Daniel Zen (PT).

PARQUES ABANDONADOS

Tenho ouvido muitos protestos contra o descaso com os Parques da cidade. Do Canal da Maternidade, Parque do Tucumã e outros, completamente abandonados e às escuras. A última vez que estes espaços ficaram bem cuidados foi durante o governo do Binho Marques.

REVITALIZAÇÃO URGENTE

Estes espaços precisam ser revitalizados no atual governo. E policiados para evitar assaltos. Eram logradouros que eram usados por boa parte da população para caminhadas. Todos mal cuidados e viraram pontos perigosos por causa dos assaltos aos que ainda os freqüentam.

CONTA QUE PODE FECHAR

Há todo um trabalho para que a base do governo fique unificada em 17 votos, número suficiente para aprovar todos os projetos enviados para a ALEAC pelo Gladson Cameli.

Vice-governador Major Rocha vai pedir a cabeça do Coronel Mário César

O vice-governador Major Rocha aguarda apenas a chegada do governador Gladson Cameli, domingo, para pedir a demissão do Comandante da PM, Coronel Mário César, de maneira irreversível.

Rocha teria dito a políticos de que, se a demissão não acontecer lavará as mãos com o sistema de Segurança Pública, que se encontra sob a sua órbita de influência. O fato que seria a gota de água na insatisfação do Rocha foi a nomeação sem discutir com ninguém do sub-Comandante Coronel José Messias, que seria seu adversário declarado dentro da corporação. A manifestação da Associação dos Militares em que pede a saída do Coronel Mário César do comando da PM, não foi um fato isolado, foi gestado em comum acordo e com o aval do vice-governador. Outro ponto que será usado pelo Rocha na conversa que vai ter com Cameli, é que o Comandante não tem tido uma relação afinada com o secretário de Segurança, Paulo César, o que é prejudicial. É mais um abacaxi a cair no colo do governador Gladson, quando voltar ao Acre. Talvez, seja este, o problema mais sério que já enfrentou.

TUDO OU NADA

O vice-governador Major Rocha sempre teve como bandeira política de que a guerra contra os bandidos foi perdida porque os governos petistas não ajudaram de forma suficiente a PM. Agora está no poder. É bola ou burica. Ou resolve este problema da violência ao ponto da população sentir um efeito de tranqüilidade, ou então esqueça cargo majoritário em 2022.

NÃO TEM COMO DESCOLAR

Não tem mais como descolar a sua imagem, que seria a bala de prata para por fim à violência.

NOME E SOBRENOME

Os empresários acreanos que querem a saída do secretário de Agricultura, Paulo Wadt, são na verdade todos ligados à deputada federal Mara Rocha (PSDB), um deles insatisfeito porque na campanha embalou o sonho de que seria o secretário. Na verdade, quem puxa a pressão pela demissão de Wadt tem nome e sobrenome: Mara Rocha. O restante é vento fraco no caso.

OPOSIÇÃO COLOCA TRAVA

Pelos posicionamentos de ontem de deputados de oposição ao governo Gladson Cameli, não será tranqüila a aceitação dos nomes da Leilane Ribeiro para o ACREPREVIDÊNCIA e nem do João Pereira para a ANAC. Pelos discursos de ontem se prevê uma frente de debates duros.

QUEM QUEBROU E A SOLUÇÃO

O deputado Edvaldo Magalhães (PCdoB), por exemplo, diz que vai puxar no debate com a candidata Leilane Ribeiro, alguns pontos sobre quem quebrou o ACREPREVIDÊNCIA e quais as providências para acabar com a inadimplência do órgão. Tenho fatos a esclarecer, diz ele.

JOGO PARA A PLATÉIA

Neste episódio, a oposição fará mais jogo para a platéia, firula, populismo. Diferente das indicações anteriores, que eram ilegais por os indicados já estarem nomeados, o mesmo não se aplica aos nomes de Leilane Ribeiro e João Pereira, por seguirem os trâmites legais.

TESTE DE FOGO

Será mais um teste para a base de apoio do governo, amplamente majoritária, contra uma oposição minoritária e barulhenta. Se não conseguir aprovar os dois nomes, será uma fragorosa derrota política do Cameli. Com quatro décadas de jornalismo político nunca tinha visto na ALEAC, uma minoria, querer ditar como deve votar a maioria parlamentar.

DUARTE QUER OUTRO NOME

Abrindo o discurso dizendo que não se trata de indicação, mas de “sugestão”, o deputado Roberto Duarte (MDB), que se soma entre os mais críticos parlamentares do governo Gladson Cameli, defende que o governador envie para a apreciação o nome do funcionário de carreira do ACREPREVIDÊNCIA, Francisco Alves de Assis, de quem fala ter boas referências técnicas.

UM TELEFONEMA E UMA RESPOSTA

Liguei ontem para o andar de cima do governo e perguntei se havia a possibilidade do envio de mais um nome para se somar ao da Leilane Ribeiro para apreciação ao ACREPREVIDÊNCIA. A Resposta veio curta e grossa: “Não”. E fulminou: “vindo do Duarte, nem como sugestão”.

SERIEDADE POLÍTICA

O deputado Jenilson Lopes (PCdoB) mostrou em comentário publicado na mídia de que o fato de alguém ser oposição não implica necessariamente em só fustigar o poder. Sobre problemas na UNACOM para o tratamento de doentes com câncer, disse que não se trata de um entrave originado no governo Cameli, mas que vem desde governos anteriores. Seriedade política é assim.

NÃO IMPLICA EM NÃO TER SOLUÇÕES

Claro que isso não implica em não resolver está questão da UNACOM, porque a obrigação, mesmo tendo recebido a unidade sucateada da gestão passada, a solução tem de sair do atual governo. A providência tem de ser para ontem, é emergencial, é uma doença que avança rápido.

NUNCA APOSTE EM BRIGA DE DOIS CAMELIS

A frase acima se aplica à indicação pelo Gladson para presidir a ANAC do João Pereira. O moço sempre foi um dos mais fiéis escudeiros do ex-deputado federal César Messias (PSB), que também é um Cameli. Por isso, nunca aposte em brigas de Camelis, eles sempre se entendem.

CHAPA ÚNICA

O deputado Roberto Duarte (MDB) deverá ter o nome aclamado hoje no MDB, para ser o novo presidente do diretório municipal. O jornalista Wiliandro Derze não conseguiu formar uma chapa para concorrer. Duarte terá a missão de comandar o MDB na eleição do próximo ano.

NÃO SE TIRA O MÉRITO

Não se pode tirar o mérito da escolha, por o deputado Roberto Duarte (MDB) ser um nome em crescimento dentro do partido e se mostrado um parlamentar combativo na ALEAC.

PT DESCARTADO

Ser candidato a prefeito de Rio Branco pelo PT, no próximo ano, está descartado pelo Minoru Kinpara. Também nega estar mantendo conversas com partidos. Disse: “Por enquanto não estou mais conversando com nenhum partido. Demos uma parada nas conversas. É muito cedo para tomar qualquer decisão”. E nada mais disse e nem lhe foi perguntado.

BOLSONARO SENDO BOLSONARO

Não existe nenhuma surpresa nas decisões do presidente Jair Bolsonaro, porque tem sido fiel ao que sempre defendeu na campanha. E tem mais, como Donald Trump; nos EUA, Bolsonaro joga para o seu público. Admiração seria estar executando pautas simpáticas aos petistas.

O QUE MAIS QUER

O que o presidente Jair Bolsonaro quer e trabalha sempre é no sentido de aparecer como uma antítese ao petismo. Quanto mais for criticado pelo PT, melhor para ele, isso é até óbvio.

UM AVANÇO

O deputado José Bestene (PROGRESSISITAS) revelou ontem um dado positivo. O diretor da FUNDAHACRE, Lúcio Brasil, pegou o órgão com duas salas de cirurgias funcionando e hoje, e são sete em operação. Muito do que não se fez na Saúde no governo passado foi pelas fracas gestões.

GASTAR SALIVA

Os debates que estão programando para o Acre sobre a Reforma da Previdência terá tanto influência na aprovação ou não do projeto, como tenho na escalação da seleção brasileira.

O PARLAMENTO É O PARLAMENTO

O deputado Edvaldo Magalhães (PCdoB) avalia de que a bancada federal do Acre não terá coragem de votar a favor do projeto da Reforma da Previdência. Magalhães, Magalhães, você é do parlamento e sabe bem como as coisas funcionam. E na próxima eleição quem votou ou deixou de votar no projeto, não terá seu nome lembrado pelo eleitor. O que vale na eleição é a verba e não o verbo. Sempre foi e continuará sendo assim. Esse purismo é pura retórica.

COMEÇOU A DERRETER

Trechos da BR-364, como o que liga Sena Madureira à Feijó, começaram a derreter, com o aparecimento de crateras. A denúncia vem de um deputado sério, Luiz Gonzaga (PSDB).

A ARTE DA EXPERIÊNCIA

O ex-deputado Chagas Romão foi um dos que costurou para que o MDB tivesse apenas uma chapa para a presidência do diretório municipal. Ontem, deu inclusive, alguns conselhos para o jornalista Wiliandro Derze, que tentou concorrer, de que na política tem que se aguardar a vez.

QUESTÃO DE HONRA

Pelo que ouvi ontem virou uma espécie de questão de honra dentro do governo, aprovar com todos os votos da base, os nomes enviados para ocupar o ACREPREVIDÊNCIA E ANAC. Seria, como disse ontem um cardeal, uma forma de mostrar à oposição que maioria é maioria.

SINUCA DE BICO

Nesta questão da Polícia Militar, o Gladson Cameli ficou numa sinuca de bico: ou atende o vice-governador Major Rocha e demite o comandante da PM, Coronel Mário César, ou cria um fosso nas relações com o seu vice. Se estivesse na Loteca, eu cravaria seco na demissão. É só um palpite, que pode até não acontecer. Na segunda-feira conheceremos o desdobramento.

DO FUNDO POÇO PARA OS ELOGIOS

Como é que é a política! O prefeito de Cruzeiro do Sul, Ilderlei Cordeiro, era alvo de toda sorte de comentários negativos por conta das ruas destruídas. Com a grande frente de asfaltamento que colocou nas ruas, a sua imagem saiu do fundo do poço para os elogios dos moradores.

NÃO FALOU NADA

O vice-governador Major Rocha nega ter entabulado qualquer conversa que teria levado Toinha Vieira a disputar a prefeitura de Sena Madureira. “Não sei se será candidata, até agora não me disse nada”, garantiu Rocha à coluna. Toinha vem de várias derrotas e não é bom.

CANDIDATA DO PEITO

Em relação a Senador Guiomard, o Major Rocha defende Branca Menezes (PSDB) como candidata a prefeita na eleição do próximo ano, tendo o ex-prefeito Celso Ribeiro, cotado para ser o vice da sua chapa.

ASSIM NÃO TOCA O GOVERNO

Passou da hora do governador bater na mesa e resolver o que tem de ser resolvido, mostrar pulso forte, ou vai passar o restante da sua administração apagando um incêndio atrás do outro. E com uma confusão atrás da outra, não tem quem consiga governar na tempestade.

RODRIGO DAMASCENO ABRE O JOGO

Acerca da entrevista da prefeita de Tarauacá, Marilete Vitorino, ao BLOG do CRICA, com referências negativas à sua administração, o ex-prefeito Rodrigo Damasceno, assim se posicionou: “Tenho me mantido afastado dos debates políticos, mas pelo visto os debates políticos, não se mantêm afastados de mim! Vi a nota da prefeita Marilete em sua coluna, alegando dívidas deixadas de 6 milhões de reais! Já estamos no terceiro ano da sua gestão e ela ainda vem falar de dívidas? Nem vou entrar no mérito questionável da dívida deixada (segunda ela), mas em comparação com os 12 milhões de reais que ela deixou em janeiro de 2013, ainda estamos no saldo de 6 milhões de reais que conseguimos pagar em nosso mandato. E sobre as condições das nossas ruas…. Ainda bem que ela não viveu a saga das 13 alagações que passamos em um único ano, sendo uma delas a maior da nossa história! Pois se sem alagações já estamos desse jeito, imagine se tivesse! Não esqueça, Marilete, seu fiscal maior é a população e esta sabe da realidade, mais do que as notas que você possa fazer. Espero que você consiga executar as emendas que deixamos empenhadas, pois se continuar assim, será o único dado positivo de sua gestão!”. Assim, o BLOG DO CRICA abriu espaço aos dois lados dos fatos, como manda o manual do bom jornalismo.