Põe café no bule, doutor Ribamar! O café foi pouco, só deu para o primeiro escalão

A foto do Secretário professor Mauro e da Eliane Sinhasique, secretários de Educação e Esportes, Empreendedorismo e Turismo respectivamente, demonstra que o governo tem o bule, mas ainda falta o café.

O café foi pouco, só deu para o primeiro escalão. O andar de baixo também quer um cafezinho. Põe café no bule, doutor Ribamar!

Pode se ter um bom mandato e perder a eleição; ter um pífio desempenho e no decorrer da campanha ganhar corpo e vencer o pleito.

Eleições são sempre imprevisíveis!

Quem diria que Jorge Viana perderia para Petecão e Márcio Bittar, quem poderia prever?

Na arena política tudo pode acontecer.

Em Epitaciolândia Chiquinho Chaves (PSD) começa a aparecer com um dos fortes candidatos a prefeito.

O senador Petecão conseguiu emplacar a mulher de Chiquinho, a ex-vereadora Rosimari, na direção do núcleo da Educação local.

Se o governo tiver um núcleo mais duro do que esse, quebra.

Quem é da política sabe que ela é flexível, maleável, como vara de pesca.

Os médicos não gostaram da proposta de pagamento do 13º salário em dez parcelas, serão os últimos a receberem.

O Sindicato está dividido entre o governo e a classe.

Isto porque o presidente do Sindicato, médico José Ribamar, foi nomeado secretário-adjunto da Saúde.

Também foi assim no início do governo do PT, a crise de identidade sindical.

“Ser ou não ser, eis a questão”. (Wiliam Shakespeare).

Chega a informação de que não acertaram o “pau da venta do Zum”, foi o queixo!

Só que o Zum bateu primeiro, sendo assim, quem dá o primeiro cacete ganha a briga!

A fila de gente para adquirir arma é grande, diz que o mais procurado é o velho e surrado 38, cano curto.

Já pensou! Essa briga do Zum com um credor se os dois estivessem armados?

Estava rolando Nescau em Assis Brasil!

Como diz a Maria da Canja: _ Deuzo livre!

Cardeais do PC do B admitem o fim da Frente Popular.

A partir de agora o jogo político mudou completamente, o cenário é outro.

Por exemplo: O PC do B fará alianças com qualquer partido para as eleições municipais, inclusive MDB, PSD, PP e até os tucanos.

Isto, se for vantajoso para o partido.

O presidente da Associação dos Magistrados, desembargador Luís Camolez, satisfeito com o cumprimento das metas da Câmara Criminal do Tribunal de Justiça.

A meta foi estabelecida pelo Conselho Nacional de Justiça e seguido à risca!

Foram julgados 2.380 processos em 2018.

Camolez compartilha dom resultado com Pedro Ranzi, Samuel Evangelista, Francisco Djalma e Elcio Mendes componentes da Câmara Criminal, além dos servidores.

Antônio Carlos Pinheiro é um técnico muito competente.

Se a sua nomeação atendeu a esse critério, não há muito o que se discutir.

“Quer dizer que sou guru dessa m* toda”, frade do filósofo Olavo de Carvalho, ideólogo da nova direita conservadora do Brasil que elegeu Bolsonaro.

Pois é, seu Olavo!

A esquerda também está uma grande bosta!

O deputado Manoel Morais advoga que o PSB precisa repensar sua posição em relação ao novo momento político do Acre.

Traduzindo para o popular: cortar o cordão umbilical com o PT.

Há resistência!

Staff do novo governo se preparando para acompanhar o governador Gladson Cameli e o vice major Rocha na festa de São Sebastião no domingo, dia 20.

Só não vale alguém pedir cargos durante a procissão, é pecado!

Nem todo mundo que esteve em campanhas passada do PT continuou apoiando o partido.

Gladson Cameli, Sérgio Petecão, Márcio Bittar, Osmir Lima e outros romperam com a Frente Popular.

Tem que acabar com essa histeria de que todo mundo é do PT.

Outa questão: se o camarada é servidor público concursado ele pode ser filiado no SPC e Serasa, quanto mais no PT.

Ninguém tem nada a ver com isso!

Em Cruzeiro do Sul a briga também continua.

A deputada Antônia Sales (MDB), mulher do ex-prefeito Vagner Sales poderá (eu disse: poderá) disputar a prefeitura contra o ex-prefeito Ilderlei Cordeiro.

Antônia Sales tem luz própria!

Bom dia, desembargadora Denise Bonfim!

Com o fim do governo petista antigos aliados procuram novo guarda-chuva

Dirigentes de partidos nanicos, que sempre estiveram ao lado do PT nos últimos 20 anos, admitem o fim da Frente Popular do Acre.

A aliança, que já vinha se deteriorando, se desfez com a derrota para a oposição em outubro passado, quando o PT perdeu o governo, o Senado e todos os deputados federais. Para o presidente do DC, ex-vereador José Afonso, os partidos terão que aprender a lidar com esse novo momento.

O mesmo pensamento é compartilhado por lideranças do PC do B, aliado histórico do PT. Prejudicado pela cláusula de barreira, o partido deverá ser fundir a outras siglas de esquerda, mas não ao PT. Uma fonte próxima ao deputado eleito Edvaldo Magalhães afirma que, “ele é dos que avalia o fim da Frente Popular”. Que o PC do B vai procurar novos aliados, a princípio dentro do campo progressista, mas não descarta entendimentos futuros com outros partidos com vistas às eleições municipais.

Já nas eleições passadas o PRB e o Podemos enfrentaram sérias dificuldades em continuar na aliança da Frente Popular. As direções nacionais já haviam decretado que não poderia haver alianças com partidos de esquerda. Outros nanicos estavam presos umbilicalmente por cargos no governo, mas sem a menor afinidade programática ou ideológica.

No guarda-chuvas do governo não cabe nem os aliados

O guarda-chuvas do governo, que acaba de ganhar as eleições, não cabe cinco por centro dos aliados, principalmente depois da reforma administrativa que reduziu para 900 cargos comissionados os cerca de 3.500 que existiam. Portanto, os partidos nanicos oriundos da Frente Popular vão ter que entrar no rabo da fila para tentar aventurar espaços. Entretanto, os que elegeram parlamentares na área federal e estadual, como o PRB, terão tratamento diferenciado dos demais nanicos em processo de extinção.

“Quem decretou o fim da Frente Popular foi a população nas urnas”, diz presidente do PT

A frente Popular não existe mais, o fim foi decretado pela maioria da população quando decidiu votar na oposição nas eleições passadas. Essa é a avaliação pessoal do presidente do PT, Cesário Braga, ouvido pela reportagem. Segundo ele, a aliança se desfez naturalmente porque passou a ser alianças eleitorais e não programáticas. “Pelo fato de passarmos 20 anos ganhando as eleições não fizemos as avaliações necessárias”, diz. Entende que cada partido que chegou a compor a Frente Popular é livre para buscar seus espaços. “Não tivemos tempo de sentar, debater, discutir ou avaliar todo esse processo, mas a FPA não existe mais”.

Para ele, o PT sobreviverá com alianças programáticas com partidos de esquerda, mas não sendo o líder. Acredita que esse modelo de aliança verticalizada faliu, tem que ser na horizontal respeitando todos de igual para igual. “É colocar as sandálias nos pés e construir algo novo como o Jorge Viana fez no início da criação da Frente”, acentuou.

Ele entende que os deputados eleitos pela finada FPA já declararam, inclusive, apoio ao novo governo como no caso o PRB. Não vê nenhum problema nisso.

Ressaltou que os parlamentares do PT, PCdoB e PSB devem encontrar uma nova configuração dentro do Poder Legislativo. Ele ainda destacou lideranças do PT que podem, no futuro, reconstruir um novo projeto como Marcus Alexandre, Raimundo Angelim, Jonas Limas, Sibá Machado e Jorge Viana além de outros.

Em briga com credor, “acertaram o pau da venta do prefeito Zum, tucano de Assis Brasil”

A briga feroz entre o prefeito Mazinho Serafim (MDB) e o deputado Géhlen Diniz (PP) é péssima para os dois.

Muita confusão, pouca solução!

Não haverá vencedores!

Em Sena Madureira não tem um padre ou um pastor para refrear a crise entre esses dois irmãos?

O problema é o medo de levar uns safanões!

Muito ruim para o novo governo que ainda está engatinhando.

Afinal de contas são dois importantes aliados políticos.

Ao que parece, em Assis Brasil não está muito diferente.

Segundo vídeo que roda nas redes sociais, o prefeito Zum (DEM) bateu de frente com um cobrador.

Sobrou tapas para todos os lados.

Não se vê, mas diz que acertaram o pau da venta do Zum.

O Zum não é homem de levar pau na venta.

Antes do coração ficar fraco, Zum era bom de porrada.

Deu na Difusora Acreana declaração do prefeito de Epitaciolândia Tião Flores sobre sua provável mudança de lado.

“Pode ser que sim, pode ser que não”.

Como dizia vó Marica, “Liso que nem sabonete”.

Em Cruzeiro do Sul o clima é de velório por conta da prisão do vereador que, a princípio, pediu R$ 200 mil para ser aliado do prefeito.

Outros já dizem que foi uma peita e ele acabou caindo na tentação, estava grampeado até no pensamento.

Afinal de contas 200 paus são duzentos paus!

Em tempos bicudos como esses R$ 200 mil, hem!?

“Há caminho que ao homem parece direito, mas ao final são amargos como a morte”. (Salomão, o rei)

O maior problema do governo continua sendo na área mais sensível: política. Pelo visto nem mesmo o Ribamar está resolvendo.

O Ribamar é muito competente, mas lidar com pessoas em permanente situação de conflito de interesse é um dom que poucos tem.

O debate político não impede a prefeita de Brasiléia, Fernanda Hassem (PT), de continuar trabalhando bem no município.

Na zona rural, por exemplo, uma das prioridades é a construção de tanques e açudes para a criação de peixes.

Diversificar a propriedade rural tornando-a economicamente viável é a grande sacada para o êxito do Plano Agrícola do Município implantado por ela.

O governador Gladson Cameli (PP) tem que inovar na gestão.

Não se põe remendo novo em pano velho porque vai abrir um buraco muito maior.

Se há inconsistências nas contas públicas do governo anterior que se dê total transparência, com informação verdadeira, de qualidade e precisa para não ter que morder a língua mais na frente.

A prefeitura de Plácido de Castro era protagonista em escândalos de corrupção, pelo visto o prefeito Gedeon Barros (PSDB) arrumou a casa.

Não se vê falar mal de sua gestão.

O ministro do STF, Luís Fux, suspendeu as investigações de Fabricio Queiroz a pedido do senador eleito Flávio Bolsonaro (PSL).

Puts!

Fabrício é suspeito de movimentar mais de R$ 1,2 milhão de reais quando assessor do então deputado estadual do Rio de Janeiro, Flávio Bolsonaro.

O Coaf descobriu que na Alerj tinha um plantio de laranjas.

“A medida como que você medir, também será medido”, disse o Nazareno.

É o típico caso!

O professor Minoru construiu sua imagem política no campo da esquerda, migrar para a direita é uma temeridade.

Se depender de fé e de amigos a doutora Juliana terá vida longa na política. Mesmo enfrentando dificuldades trata a todos com respeito e carinho.

Não murmura, não reclama, não blasfema!

Deputado Raimundinho da Saúde enviando convite para a inauguração da sede da Associação dos Servidores Públicos do Acre, hoje, 18, às 8h30.

Bom dia, Joaquim Lira!

Vereador Eduardo Farias continua na liderança da prefeita, apesar do estremecimento das relações com a exoneração de Márcio Batista

O médico e vereador Eduardo Farias (PCdoB) informou à coluna que continua na liderança da prefeita Socorro Neri (PSB) na Câmara Municipal.

“Antes de viajar estive com a prefeita Socorro e continuo fazendo a defesa do nosso projeto”, explicou.

De acordo com ele, Moisés Diniz é uma das lideranças mais prestigiadas e substituiu o professor Márcio Batista, portanto, com o PC do B não existe crise.

A decisão do vereador Dankar (PT) de deixar a base da prefeita na Câmara não passou pelo diretório do partido.

É uma decisão solidária ao secretário municipal de Agricultura, Jorge Fadel, exonerado recentemente pela prefeita.

Márcio Batista, Jorge Fadel são figuras humanas do bem, mas cargos públicos não são vitalícios.

Além do mais, a prefeita Socorro tem todo o direito de imprimir uma identidade política de acordo com a sua gestão.

Sobre o assunto, Cesário Braga disse que em momento algum Dankar saiu da base.

“Na última reunião que tivemos da bancada na Câmara o companheiro Dankar disse que continua seguindo

A situação jurídica do vereador Manoel Marcos e da Doutora Juliana, ambos do PRB, é muito complicada.

Tomam posse no dia 1º, mas continuarem nos mandatos será uma tarefa muito difícil, árdua.

A informação vem de um dos melhores advogados em legislação eleitoral, que me reservo no direito de resguardar o nome.

Fonte boa, fidedigna!

O governo deve anunciar hoje o nome indicado para o Procon.

Gladson Cameli está montando a trinca de ases para articulação na área política: Osmir Lima, o professor Coelho e Vagner Sales.

O jornalista Jairo Carioca também, nomeado para o Sistema Aldeia de Comunicação, também pode ser chamado para, eventualmente, ajudar nas negociações políticas.

É o que informa o porta-voz do governo, Rogério Wenceslau.

Se não der certo…

Chama o Ribamar!

O governo passado teria deixado empenhado como “restos a pagar” cerca de R$ 700 milhões de reais.

De acordo com a legislação, ou seja, a Lei de Responsabilidade Fiscal, o novo governo terá que pagar.

O destino político do presidente da Assembleia Legislativa, Ney Amorim, está mais difícil saber do que quem matou o presidente Kenedy nos Estado Unidos.

Então, chama o Ribamar!

Já filiaram o Ney no PP, PSDB, PSD, PSL e no PSC do ex-vereador Valdir Cabide.

O deputado Luís Gonzaga estaria há 30 dias de jejum meditando no deserto de Thar, ente a Índia e o Paquistão, já levitou 30 centímetros.

Desse jeito será impossível não vencer a eleição para a 1ª Secretaria da Assembleia Legislativa.

Falando sério, a decisão do prefeito Mazinho Serafim de romper com o governo enfraqueceu um pouco a posição do partido na disputa pelo cargo na Aleac.

Ouvi essa avaliação de um deputado da futura base do governo, muito embora considere Roberto Duarte um excelente nome.

Entre tantas idas e vindas consegui garimpar uma boa frase falada pelo presidente Jair Bolsonaro.

“Se estão me criticando é porque estou no caminho certo”.

É clichê, mas funciona!

Outra boa é do Chico Anysio:

“Quem não gosta de mim é porque não presta mesmo porque eu sou um cara legal”,

Bom dia!

“Não se faz politicagem com Segurança Pública”, diz Rocha

Há 33 dias que o prefeito André Maia (PSD), seu secretário de Finanças, presidente da CPL e um advogado da capital estão presos.

A prisão foi resultado de mais uma operação da Polícia Federal por determinação
da Justiça.

Nada de habeas corpus, nada de relaxamento de prisão.

Enquanto isso o novo prefeito, vereador Gílson da Funerária (eu, hem!) vai se acomodando no cargo, consolidando apoio, ampliando espaços.

Caixão político é com ele mesmo!

E o André no xilindró.

O Gílson trabalhando!

Porém e, entretanto, a política muda o tempo todo, como as nuvens.

O governador Gladson Cameli (PP) não sabe (vai saber agora) que a comunidade católica de Xapuri anda revoltada com o governo.

Há cerca de 20 anos que o Estado arca com parte das despesas da Festa do Padroeiro da cidade, São Sebastião, a ser festejado no dia 20.

“Não querem nem pagar o caminhão de som”, desabafou uma senhora idosa, uma beata.

Segundo a vovozinha, o nosso governador foi o representante do Brasil na visita que o Papa Francisco fez ao Peru e não pode deixar a procissão do Sebastião a ver navios.

Tem que colaborar e participar da romaria.

“Tenho certeza que o meu governador Gladson não sabe que os seus bispos e cardeais do governo não querem nos ajudar”, desabafou a triste senhora com um terço na mão.

Como um bom católico não tenho dúvidas de que o governador vai atender à solicitação.

A questão é tirar do bolso porque o Orçamento está trancado e só abre no dia 20, exatamente no dia da festa do santo.

Vaquinha com os novos secretários nem pensar, ainda não receberam o primeiro salário.

E agora, José? O santo São Sebastião não pode esperar…

Chama o Ribamar!

Chega a informação de que o deputado Luís Gonzaga, tucano do bico duro, está em retiro espiritual na Índia, Caxemira, região disputada com o Afeganistão, buscando forças para vencer a eleição para a 1ª Secretaria da Aleac.

Luís Gonzaga (PSDB) X Roberto Duarte (MDB).

Um Fla X Flu na Assembleia Legislativa.

Gentilmente a prefeita Fernanda tem agradecido os convites de outros partidos para se filiar.

Adiantou que não pensa em reeleição por enquanto, sua preocupação maior é fazer uma boa gestão cuidando bem da cidade, da população de Brasiléia.

O colega Jairo Carioca inovando no Sistema Aldeia de Comunicação.

A FM, por exemplo, está mantendo o DNA cultural, mas trabalhando músicas regionais atraindo a população e ganhando muito em audiência.

Não quer uma rádio elitizada institucionalmente, culturalmente!

Começou a temporada de fusões de partidos que não ultrapassaram a cláusula de barreiras.

Há casos em que juntando uns dez nanicos não enche a Kombi do Paraíba vendedor de redes.

Uma funcionária da Saúde disse que já viu duas pintas de cabelo branco na cabeça do Alisson Bestene.

“Em apenas 15 dias, doutor”

Muitas das condenações do TCE são revertidas com as devidas justificativas legais, nunca é o fim do mundo.

Só que em alguns casos os gestores ficam encalacrados mesmo.

O vice-governador major Rocha disse que não vê a área de Segurança como espaço político a ser disputado numa mesa de negociação.

“É desafio, luta, muito trabalho, dever para com a população.

Não se faz politicagem com a segurança das pessoas”.

Faltam só quatro dias para abrir o Orçamento do Estado. Sabe o que vai acontecer?

Nada! As coisas só acontecem depois do “ziriguidum” , do Carnaval.

Igrejas se preparando para retiros espirituais!

Bom dia, pastor Agostinho!

Tá todo mundo indo embora

No PT de Brasiléia, pela movimentação dos bastidores, vão ficar somente o Joãozinho e os vereadores Rosildo e Edu para apagarem as luzes do diretório.

A prefeita Fernanda Hassem está puxando a locomotiva, debandada geral!

Provavelmente vá para o PSD do senador Petecão.

Provavelmente…pode ser outro partido, inclusive o ninho tucano.

O estrago no roçado é grande.

A deputada Leila Galvão calada ficou, calada está.

Na pensão da Marieta, no Mercado, a conversa era em torno do primeiro projeto da nova diretoria da Funtac:

Restaurar o Putanic avariado no último temporal.

Alguém empolgado até disse:

“Será usada tecnologia de ponta”.

Educada como ela só, Marieta rebateu:

“Só se for de ponta de chifre”.

Nem tudo nos governos petistas era ruim.

Por exemplo:

Havia uma articulador político entre a gabinete e os deputados estaduais para dialogar, inclusive com a oposição.

Sem um apoio de qualidade do Legislativo a coisa não anda, patina, emperra, engasga.

Alguém com capacidade de diálogo e poder de decisão.

Tipo o senador Romero Jucá, porém, sem ser um patife corrupto!

Politicamente falando o Cezario era apaixonado pelo trabalho da prefeita Fernanda Hassem, que deve deixar o PT nos próximos dias.

O Ney Amorim estragou tudo, jogou feijão azedo na sopa!

O governador Gladson Cameli pede aos aliados do andar debaixo apenas um pouco de paciência.

Tem toda razão, afinal de contas tem muitas contas a pagar deixadas pelo antecessor.

É vero!

Prefeita Socorro Neri (PSB) não é de mandar recado, também não autoriza à ninguém falar por ela.

Como dizia o ex-governador Orleir Cameli: “Seje quem seje”!

Herdou a coragem e a determinação da mãe, a ex-deputado federal Adelaide Neri.

A maior baboseira que ouvi é essa conversa de que petistas estão sendo nomeados para o novo governo.

Na verdade, estão colaborando com os novos secretários sem nomeação nenhuma.

Se não a máquina vai parar e o povo vai chiar, entende amigo Joaquim Lira?!

A propósito, a coluna não tem viés ideológico, muito menos religioso, também não é filiada a partido político.

É só uma colina que bate e, vez por outra, assopra.

Por onde anda o padre Asfury?

O padre Máximo foi para o exílio na Cidade do Povo.

Como andam os processos contra políticos investigados por “aquisição ilegal de sufrágio”, o popular compra de votos no

Tribunal Regional Eleitoral (TRE)?

Em segredo de justiça!

Mas o povo quer saber, tem o direito à informação!

Oito anos de mandato para um presidente, um governador ou um prefeito é um escárnio.Encontro ex-prefeito há 12 anos fora do poder (no lanche em Capixaba)…que vai logo me dizendo.

“Estou vindo de uma audiência na Justiça Federal, se tiver reencarnação vou continuar enrolado em mais umas cinco vidas pela frente”.

Esqueceram de avisar para o Pelezinho da Baixada que o PT perdeu as eleições.

Embarcou dormindo na balsa para Manacapuru.

O comandante da PM, coronel Mario César, disse durante uma reunião com sua equipe:

“Estou aqui para trabalhar duro e não para fazer política”.

É do arrocha!

Quer dizer, do Rocha!

Rocha deixou claro que, por ser tucano, o deputado Luís Gonzaga, é seu candidato a 1º secretário

Figura do proa do MDB avalia que a equipe de transição se preocupou apenas em verificar as condições em que estava recebendo o Estado

Na companhia do Roberto Vaz, e outros colegas, grato!

• Deveria ter se preocupado em como começar a governar a partir de 1º de janeiro.

• É o mesmo que abastecer um avião em pleno voo.

• Não tem como parar para trocar o óleo do motor, é combustível nuclear.

• Segurança, Saúde e Educação, por exemplo, se frear bruscamente, engaveta como carros em uma rodovia.

• Apesar da avaliação crítica, ainda é cedo para afirmar que o governo não deu, não vai dá, nem dará certo.

• Quanto a isso, Jorge Viana tem razão.

• Opinião de um petista linha dura.

• Dirigentes dos partidos que apoiaram o novo governo questionam o tempo todo:

• Porque não efetivar logo as nomeações dos cargos comissionados para evitar todo esse desgaste nas redes sociais?

• Entretanto…

• Um governo não pode pautar suas ações pelo que é dito nas redes sociais, isso está longe de ser democracia, é tolice!

• Porém a questão é quase humanitária porque tem muita gente de bico seco…

• Afinal de contas alguns estão há vinte anos sem saber o que é leite na mamadeira.

• Outros menos, bem menos!

• Interessante é que os mesmos problemas que o presidente Bolsonaro têm no início de governo, Gladson Cameli (na devida proporção) tem no Acre.

• O vice-governador major Rocha (PSDB) disse a coluna que propôs ao governador Gladson Cameli (PP) que os dois não interfiram na eleição da Mesa Diretora da Aleac.

• Rocha deixou claro que, por ser tucano, o deputado Luís Gonzaga, é seu candidato a 1º secretário.

• Porém, garantiu que não conversou nem pediu votos para nenhum deputado da base do governo ao correligionário tucano.

• Gonzaga leva uma grande vantagem sobre o deputado Roberto Duarte (MDB): já tem três mandatos nas costas.

• Mesmo sendo um parlamentar muito qualificado, Duarte não deixa de ser calouro na Assembleia.

• Nunca na história do parlamento um novato ocupou postos importantes na Mesa Diretora da Casa no início de mandato.

• “A eleição na Federação da Industrias não é uma disputa empresarial, mas política”, do empresário Salomão, que concorre com o empresário José Adriano.

• Setores do PT retaliaram o senador Jorge Viana e agora vão precisar dele (sem mandato) para reorganizar o partido.

• Passou a ser o São Jorge.
• Eleitor foi procurar o vereador Manoel Marcos na Câmara Municipal, um funcionário antigo foi logo dizendo:

• “Está em Brasília cuidando da posse e instalações do novo gabinete de deputado federal”.

• E não adianta o eleitor urrar, estrebuchar, berrar ou uivar porque a justiça tem caminhos espinhosos, tortuosos, áridos.

• Mas o povo não compreende!

• O mundo todo contra as sandices do presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, e a presidente nacional do PT, Gleisi Hoffmann, apoiando esse maluco.

• É péssimo para a imagem do PT que anda mais suja do que pau de galinheiro.

• Júlio César, o “Roxim”, já faz parte da nova equipe de governo.

• Deu no Diário Oficial.

• Finda a eleição estadual a artilharia pesada é direcionada para prefeitos e vereadores, candidatos à reeleição.

• A briga já começou!

• É o julgamento do povo, vão passar no crivo das urnas novamente!

• Se passar a liberação de armas no Brasil, ex-deputado quer montar uma loja no Ilson Ribeiro, o antigo “Lambe Sal”.

• Fica rico em uma semana!

• Bom dia!

Militantes da oposição fazem lambança política nas redes sociais e dão munição ao PT para entrar na rena política antes da hora

Alguns militantes partidários, que trabalharam para derrotar o PT na eleição passada, estão fazendo uma lambança federal por ainda não terem sido nomeados para cargos pelo governador Gladson Cameli (PP).

Na verdade, o desespero tomou conta de algumas pessoas que querem ascender ao poder o mais rápido possível. Impressionou muito a manifestação nas redes sociais de Linda Cameli, mãe do governador Gladson Cameli (PP), na defesa do filho que vem sendo criticado, segundo ela, injustamente por não ter tido tempo de fazer as nomeações para os cargos que tantos aliados almejam.

Do jeito que o capeta gosta

A lambança dos aliados do governador Gladson Cameli (PP) está dando munição para o PT entrar na arena política antes da hora. O diretório, através de seu presidente, Cesário Braga, emitiu nota oficial na defesa de servidores que estariam sendo perseguidos pelos novos ocupantes de cargos.

Rabo entre as pernas

Subestimar a capacidade de reação do PT é o maior erro que alguns militantes da oposição, que acaba de chegar ao poder podem cometer. Esperar que os petistas metam o rabo entre as pernas depois da acachapante derrota é o cumulo da idiotice. E da sandice política.

O que é fato

Servidores do quadro ocuparam cargos de confiança nas gestões do PT. Foram todos exonerados, mas continuam nos seus postos de trabalho. Ao vê-los nas repartições alguns aloprados acham que eles deveriam ser demitidos também e mandados para a Foz do Breu.

O necessário

Secretários e diretores de empresas nomeados por Gladson Cameli ainda precisam tomar pé da real situação das suas pastas. Carecem da ajuda dos gestores do governo anterior para orientações técnicas e não políticas. Porém, os aloprados não compreendem isso.

Perguntem para o Louro

Sobre o suposto sumiço de máquinas e equipamentos do governo Tião Viana (PT) adquiridos em 2011, o ex-secretário Lourival Marques, o Louro, está tranquilo. Segundo pessoa próxima a ele, a questão é política e não administrativa.

Cuidado com fotos

O ex-governador Tião Viana (PT) era muito criticado por aparecer constantemente em lavouras grandes como sendo a redenção econômica do Acre. O Estado que se tem é um, o que almeja é outro.

Orçamento trancado

A Lei Orçamentária do Estado só será aberta no dia 20, portanto, o novo governo ainda não tem margem de manobra para definir nada. Nem mesmo a folha de pagamento está conclusa, muito menos o pagamento do 13º salário dos servidores que a administração anterior deixou de pagar por falta de recursos.

Procedimento

A nomeação de cargos em comissão na estrutura do Poder Executivo precisa seguir normas, leis hierárquicas. Não se pode nomear os 2º e 3º escalões sem antes ter nomeado o 1º. Elementar, meu caro Watson!

Fora de controle

A disputa por cargos no governo saiu completamente do controle das instâncias partidárias. O senador Petecão (PSD), por exemplo, abriu mão de tudo. Deixou o governo livre para nomear quem bem entender. Petecão conhece o jogo e sabe que na hora certa o partido será contemplado. Tudo é uma questão de tempo.

Porta-voz da fronteira

O empresário Joaquim Lira, militante político da oposição, é o porta-voz dos insatisfeitos do Vale do Acre. Para ele, o WhatsApp se transformou no muro das lamentações. Um profeta Jeremias da política.

Corrida dos nanicos

Com o fim das coligações proporcionais, que vigora nas eleições do ano que vem, os pequenos partidos precisam começar a construir suas chapas de candidatos a vereador. Será a sobrevivência dos futuros deputados estaduais e federais em 2022.

Não dorme no ponto

Petecão é especialista quando o assunto é fortalecimento partidário. Enquanto alguns ficam disputando cargos a tapas no governo, ele já começa a articular candidatos a prefeito e vereadores nos municípios, inclusive na capital.

Atrair o Minoru

Legenda já bem consolidada no Acre gostaria de ter o ex-reitor da Ufac em seus quadros nas eleições do ano que vem. Porém, avalia que será difícil ele largar a Rede Sustentabilidade da ex-ministra Marina Silva. É um partido de centro-esquerda. O tempo dirá.

Começou bem

Apesar de todo começo não ser muito fácil, a nova equipe da Secretaria de Segurança começou bem ajustada. Ao que parece, o vice-governador major Rocha vai dar conta do recado. É evidente que ele, e todo o governo precisam de um tempo para que as melancias se acomodem na carroceria do caminhão. Nesse caso até os buracos ajudam.

O vice-prefeito de Senador Guiomard, Judson Silva, que acaba de renunciar ao mandato de prefeito e também de vice, tem um QI acima da média.

Se continuasse no cargo no lugar do prefeito André Maia (PSD), que está preso, iria acabar no mesmo buraco.

Não existe hoje, um prefeito, por mais honesto que seja, que não saia do cargo todo enrolado no TCE, MPE, TCU, CGU, na Justiça Estadual e Federal, além de outros órgãos de controle e fiscalização.

É mole, Zé de Abreu!?

Sabem quem é o Zé de Abreu?

Aquele prefeito que se dizia honesto e se f*.

É bom não confundir algumas instituições de fiscalização e controle como TCE e MPE como aliados políticos porque denunciavam irregularidades na gestão do PT.

“Para procuradores e promotores o pau que dá no Chico é o mesmo que dá no Francisco”.

Sim, feliz 2019, um ano que já nasceu velho!

Feliz Ano Velho! Uma mera semelhança com o filme “O Curioso Caso de Benjamim Button”.

Nova Orleans, 1918, Benjamim Button (Brad Pitt), nasceu de uma forma incomum…

Mesmo sendo um bebê nasce com doenças e características de um velho de 80 anos.

Na trama ele vai crescendo, vira homem maduro, jovem, adolescente até morrer dormindo como um bebê nos braços de sua amada Daisy (Cate Blanchett), _ ela vive o processo natural da vida ao envelhecer.

Não tenho certeza nenhuma se este ano, que começou velho, vai ficar novo até o dia 31 de dezembro.

Alguém pode até dizer que tenho uma visão muito pessimista da vida.

Que tudo isso é uma ducha de água fria nas esperanças de um povo, nos sonhos das pessoas.

Pois é exatamente o contrário.

Estou dizendo que esse ano velho precisa ser novo e, para ser novo, não preciso me iludir, criar um mundo de fantasia, uma

Disney…

Alimentando a falsa ideia de que estou entrando em uma nave espacial chamada Brasil, onde tudo é azul e cor de rosa.

Uma bolha de prosperidade.

Por que o número de suicídios aumenta assustadoramente a cada dia?

Porque a vida é dor, sofrimento, doenças, tristezas, decepções, erros e lutas, muitas lutas, guerras mesmo, de verdade.

Porém, a maioria vive iludindo-se (a si próprio, _ redundante, mas necessário) com pensamentos abstratos que mudanças de governos vão transformar a vida em um conta de fadas.

Sinto informar: mas não vai não.

É preciso entender que os problemas, as dificuldades e até a morte é um processo natural no universo.

Às estrelas, os planetas, as luas, as galáxias e até os buracos “negros” (que não são negros) também morrem.

Desejamos, desejamos e desejamos coisas novas o tempo todo numa fome insaciável do nada.

Às vezes nos agarramos as coisas velhas, lembranças de outrora, as tranqueiras do passado com medo de despencar no vazio da existência.

Há, ainda, os que vivem o tédio diário de verem realizados seus desejos e a ânsia por novos.

Putz! Tem coisa pior?

Comecinho do ano novo “velho”e já tem muita gente sem vontade de nada porque o sonho imaginado depende de um milagre e nunca do próprio esforço.

São essas nossas experiências diárias do viver.

Um das saídas, ao meu ver, foi apontada pelo próprio Benjamin Button:

Para as coisas importantes, nunca é tarde demais, ou no meu caso, muito cedo, para sermos quem queremos. Não há um limite de tempo, comece quando quiser. Você pode mudar ou não. Não há regras. Podemos fazer o melhor ou o pior. Espero que você faça o melhor. Espero que veja as coisas que a assustam. Espero que sinta coisas que nunca sentiu antes. Espero que conheça pessoas com diferentes opiniões. Espero que viva uma vida da qual se orgulhe. Se você achar que não tem, espero que tenha a força para começar novamente.

_ Não há um limite de tempo, entende?!

Agora sim/Feliz Ano Novo!

 

Gladson Cameli cumpre promessa de campanha e reforma administrativa é aprovada por deputados

O futuro governador Gladson Cameli (PP) dá um passo importante para sua gestão ao ver aprovada a reforma administrativa.

Para resolver a situação fiscal das contas públicas ele tinha duas opções: ou diminuiu despesas da máquina púbica ou aumenta arrecadação através de impostos. Optou acertadamente pelo enxugamento do Estado. Não há o que criticar. É necessário aguardar os primeiros cem dias de governo. É praxe. É assim que pensa a oposição liderada pelo deputado Daniel Zem (PT) na Aelac.

A controvérsia

Muitos falam do tamanho e do peso da máquina dos Estados que governadores passados teriam encharcado de cargos comissionados gerando despesas. Porém, os Estados eram do tamanho de suas economias. A recessão econômica, a queda do PIB gerou a nova realidade que precisa ser corrigida. É como uma família que era rica e ficou pobre. Comia filé e agora rói o osso. Se a economia voltar a crescer, volta o empreguismo novamente. O resto e discurso político.

Sem luz no fim do túnel

O Acre é dependente da União, principalmente com a crise econômica iniciada em 2014. O Fundo de Participação dos Estados (FPE), que garante o repasse para os poderes, mais MPE e TCE vem despenando como banana madura do cacho. O Acre está entre o grupo seleto de Estados que não atrasou salários dos servidores. As previsões não são boas para o funcionalismo público.

A ponte para o futuro

Se tem um culpado do país não ter saído da crise econômica é o presidente Michel Temer (MDB) que articulou o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff (PT) com a promessa da fazer uma ponte para o futuro. Nem ponte, nem rio, nem nada!

Por que poupá-lo

Michel Temer está há cerca de dois anos no poder. Por que poupá-lo de críticas se ele prometeu tirar o Brasil do buraco se fosse o presidente? Lula e Dilma Rousseff, na atual conjuntura, já são passado, passado.

Vácuo de poder

Gladson Cameli afirmou que não será candidato à reeleição. Se confirmar a decisão cria um vácuo de poder. Precisará de um candidato para sucedê-lo, já que tentaria retornar ao Senado. O senador eleito Márcio Bittar (MDB) conhece esse jogo. Petecão (PSD) e Rocha (PSDB), também!

Operação em Sena Madureira

O MP realizou ontem operação na prefeitura de Sena Madureira. O prefeito Mazinho Serafim (MDB) afirma que os vereadores são os responsáveis por denúncias infundadas contra sua gestão, já que o portal de transparência funciona bem. Aguardar para ver o resultado.

A DR encolheu

A tendência majoritária dentro do PT, a Democracia Radical, encolheu muito de tamanho desde o resultado das eleições. Essa é a avaliação dos petistas da Democracia Social, liderados por Sibá e Nilson Mourão. Os cargos no governo mantinham o grupo unido, mas a nova situação mudou o quadro.

Papel dos prefeitos

Os prefeitos de Brasiléia, Fernanda Hassem, e de Xapuri, Bira Vasconcelos, ambos do PT, terão papel decisivo na escolha do futuro diretório regional do partido em 2019. A pressão da DR sobre Fernanda será grande.

Continua na política

A deputada Leila Galvão (PT) disse em uma roda de jornalista na Assembleia Legislativa ontem que, “não tenho nenhuma pretensão de me afastar do processo político no Alto Acre e no Estado”. Para ela, perder e ganhar faz parte do jogo. Um político pode muito bem servir ao seu povo estando sem mandato. “Outras eleições virão, isso é democracia”.

Dois movimentos

Segundo a deputada Leila, dois movimentos estão acontecendo internamento e coincidem com os ideais do PT. De discutir e debater o futuro do partido no ano que vem. Ela descarta sair da sigla e diz que sem o poder nas mãos de alguns o debate será melhor nivelado.

Vai acontecer

Essa gritaria toda com a decisão do ministro do STF, Marco Aurélio, de mandar soltar todos os presos em 2ª instância não vai dar em nada. Porém, os opositores de Lula devem saber que a qualquer momento ele poderá ser solto mesmo. Faz parte do processo.

Não se dão por vencidos

A deputada doutor Juliana e o vereador Manoel Marcos, ambos do PRB, não se dão por vencidos. Seus advogados trabalham para conseguir liminares. O diploma pode ser entregue em qualquer lugar. O criminal foi modificado com a soltura deles, o eleitoral ainda não.

Ares de preocupação

Alguns deputados andam com ares da preocupação com toda essa onda de operações da PF em função do processo eleitoral. Assim como alguns andam alegres como é o caso do deputado Raimundinho da Saúde.

Passa a faixa

O governador Tião Viana, segundo a sua assessoria de imprensa, nunca pensou em não passar a faixa de governador para o seu sucessor, no caso, Gladson Cameli (PP). Faz parte do ritual de uma sociedade civilizada.

Decepção do Evródio

Evródio Irineu de Farias, arigó que veio do Ceará para cortar seringa no Acre. Acabou se tornando militante político do antigo PTB. Contava ele que sua maior decepção na vida foi ver o Guiomard Santos e o general Oscar Passos (adversários políticos) se cumprimentarem afetuosamente na frente da Catedral em Rio Branco.

O governador Tião Viana ainda não entregou os pontos e acredita que ainda pode pagar o 13º e o salário de dezembro de todos os servidores públicos.

É o que pensa sua equipe econômica.

Gladson Cameli comentou com empresário de comunicação que admira o Tião Viana quando conversa com ele sobre a transição e as condições do Estado.

“O Tião parece que está me entregando um país europeu”.

A partir do dia 1º Gladson é governador e não adiante mais nem choro nem vela.

Casou com a viúva, leva os filhos!

Pariu Mateus, embala!

Se o Lula for solto a Lava Jato será desmoralizada.

Aliás, essa parece ser a única preocupação.

Os generais do Bolsonaro já estão pressionando o STF.

Ou não?