Municípios de Brasiléia, Epitaciolândia e Xapuri farão redefinição de limites territoriais

Brasiléia, Epitaciolândia e Xapuri firmarão em breve um termo de cooperação técnica para encaminhar as discussões sobre a proposta de redefinição dos limites territoriais entre os três municípios.

Faz 13 anos que diversas comunidades rurais reivindicam uma nova reforma nas divisas em que localidades cujos habitantes se identificam e mantêm suas relações de cunho social e econômico com um dos municípios vizinhos passaram a fazer parte de outro.

Membros da Comissão Intermunicipal dos Limites Territoriais do Alto Acre já receberam das mãos do técnico do Tribunal de Contas do Estado, Jeú Campelo, a instrução normativa para a formalização da cooperação. O documento é resultado de um pedido de orientações feito pelos municípios ao TCE para poderem agir dentro da legalidade.

O objetivo da Comissão com a assinatura do convênio é resolver um impasse que desde o ano de 2006 causa dificuldades para os municípios e localidades rurais prejudicadas pela alteração dos limites territoriais na regional do Alto Acre. 

O vereador Antônio Francisco (PT), presidente da comissão intermunicipal, diz que esforços estão sendo feitos para resolver o problema que se arrasta há mais de uma década. 

“Recebemos do Tribunal de Contas do Estado a instrução normativa para a celebração do termo de cooperação entre as prefeituras. Com esse documento nós estamos ajudando o poder executivo, a gestão da prefeita Fernanda Assem, a resolver um grande gargalo causado pela definição dos limites territoriais de 2006”, ressalta.

O vereador Clemilton Lima (DEM), membro da atual comissão por Xapuri, diz que a ideia da cooperação entre os municípios foi resultado de muitas discussões entre prefeitos e vereadores da regional.

No entanto, o parlamentar diz que falta ouvir quem mais tem interesse no assunto: os moradores das comunidades prejudicadas, citando como exemplo os produtores que moram próximos a Brasiléia, mas que têm que ir à Sena Madureira para solicitar a emissão de uma GTA – Guia de Transporte Animal.

“São situações muito complicadas que têm que ser resolvidas. Existem casos de localidades que não querem pertencer ao município de Xapuri porque todas as relações que mantêm são com o município de Epitaciolândia. Isso deveria ter sido levado em consideração quando estabeleceram esses limites que aí estão”.

Outro membro da comissão é o vereador Sebastião Teles (PT), o Equi, também de Xapuri. Para ele, o assunto deve ser urgentemente discutido na Assembleia Legislativa, uma vez que as câmaras não possuem qualquer autonomia sobre a matéria. 

“É de grande importância a cooperação entre os municípios com relação às despesas para que seja feito um amplo levantamento da situação de todas as comunidades rurais afetadas pela inadequação dos nossos limites. Mas o fundamental é que os deputados estaduais se envolvam nessa discussão, pois somente a Aleac é quem pode modificar a lei”.

A regional do Alto Acre possui dois deputados na Assembleia Legislativa, ambos com base eleitoral em Xapuri. 

Procurado, o deputado Manoel Moraes (PSB) disse que a comissão provisória que trata da redefinição de limites territoriais ainda não foi composta este ano pela Assembleia Legislativa, faltando ainda a indicação dos deputados que vão compor a mesma. Ele enfatizou que, apesar de haver uma repercussão relacionada a essa questão no Alto Acre, o problema não é restrito à regional, havendo outros casos a serem estudados. Para ele, a tendência é a de que o assunto seja tratado pela Assembleia de maneira geral e não localizada.

Já o deputado Antônio Pedro (DEM) informou não estar a par das discussões atuais referentes ao assunto desde que deixou de fazer parte da comissão da Aleac sobre o tema, no fim do ano passado. Por Raimari Cardoso / ac24horas

“Lorinho” é morto com três tiros na ladeira do Doda, em Cruzeiro do Sul

Existem duas versões para o caso e nenhuma confirmada ainda pela autoridades policiais do município.

Um homem identificado como “Lorinho” foi morto a tiros na noite deste sábado, 17, na ladeira do Doda, no bairro João Alves. Ele foi executado com três disparos de arma de fogo.

A primeira é que “Lorinho” estaria sendo ameaçado de morte e estava escondido na casa de uma parente, quando foi encontrado e assassinado.

Outra versão é de uma moradora da localidade. A mulher cita que uma criança passou correndo e dizendo que o pai dela iria matar a mãe. Ela chegou a ver um homem fugir correndo e em seguida “Lorinho” foi encontrado já morto.

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) esteve no local e atestou o óbito do homem que foi levado ao Instituto Médico Legal da cidade.

Polícias em Xapuri superam falta de contingente e mantêm cidade como uma das mais pacatas

Em 2019, a ação dos policiais xapurienses chamou a atenção em alguns episódios marcantes.

No começo deste fim de semana, as polícias civil e militar de Xapuri realizaram, em trabalho conjunto, mais uma apreensão de entorpecentes na cidade com a prisão em flagrante de 7 pessoas envolvidas com o tráfico de drogas na região e que poderão ser indiciadas pelo crime de tráfico, associação ao tráfico e corrupção de menor de idade.

O ponto de vendas vinha funcionando a todo vapor, segundo a polícia, no bairro Raimundo Hermínio de Melo. No local, foram presos Sandro Bento da Silva, Felipe Rodrigues de Albuquerque, Fábio Maia da Silva, Raimundo Nonato Pereira, Alan José Sena Maia, Uerlem Pereira de Oliveira e apreendido um menor de idade que fazia parte do grupo. Com eles foram encontrados 69 tabletes de maconha.

A apreensão é apenas mais uma na rotina das polícias de Xapuri que, mesmo com contingentes reduzidos e falta de estrutura adequada, têm combatido o crime e mantido a cidade entre as mais tranquilas do Acre, segundo afirmação da promotora de justiça Bianca Bernardes de Moraes em evento recente.

No dia 21 de janeiro, o inspetor de polícia Eurico Feitosa evitou um assalto ao empresário Cícero Alencar, proprietário do Supermercado 4S e das lojas Cícero Movelar. Na ocasião, o comerciante foi alvejado pelo assaltante que, por sua vez, foi baleado pelo policial, indo à óbito posteriormente. O bandido era o mesmo do assalto a uma lotérica no centro de Rio Branco, em outubro de 2013, que ganhou repercussão na internet pela intervenção do policial civil Albion Gomes, falecido em 2017.

No dia 29 de julho, a Polícia Militar conseguiu impedir o roubo do cofre da Agência do Banco do Brasil na cidade.

Na última sexta-feira, 16, um grupo de 10 pessoas foi condenado pelo Tribunal do Júri de Xapuri pelo linchamento do pedreiro Almir de Moura Silva e outros crimes associados, como tentativa de homicídio, formação de organização criminosa e corrupção de menores. As penas atingiram 267 anos de reclusão.

O Ministério Público do Acre afirmou, por meio da promotora Bianca Bernardes que o sucesso do julgamento do processo e a condenação dos acusados se deveu ao competente inquérito promovido pela Polícia Civil de Xapuri. Antes de fazer a leitura da sentença, o juiz Luiz Gustavo Alcalde Pinto também enalteceu o trabalho que as polícias civil e militar vêm desenvolvendo em Xapuri, apesar das dificuldades e limitações conhecidas.

Recorrendo-se aos registros jornalísticos dos últimos anos, nota-se como as forças policiais se empenharam no combate à criminalidade nas zonas urbana e rural de Xapuri, desvendando crimes, cumprindo mandados e obstruindo grande parte das tentativas de introdução de drogas na cidade. Uma verdadeira militância contra o crime.

Eurico Feitosa

Quando se fala em segurança pública em Xapuri, impossível não lembrar de Eurico Marques Feitosa, policial civil que há 26 anos tem sido um dos agentes mais atuantes e controversos do combate ao crime no município.

Costuma-se dizer que Eurico se diferencia na sua atuação pelo grande amor que demonstra à profissão. “Gosta de aparecer”, dizem alguns. E é verdade. O policial é o mais visto em imagens na internet prendendo e conduzindo meliantes. A postura militante e combativa, sem medo de mostrar a cara, fez dele uma pessoa admirada e, ao mesmo tempo, odiada na pequena cidade.

Em 2013, Eurico foi homenageado pela Câmara de Vereadores com o título de Cidadão Honorário de Xapuri. O ex-vereador Eliomar Soares, o Galêgo, que propôs a homenagem, destacou a importância do trabalho do policial para o município.

“Eurico tem prestado relevantes serviços à comunidade xapuriense na área de segurança, respondendo vários casos de homicídio e contribuindo sobremaneira com o combate ao tráfico de drogas, que hoje é um dos maiores problemas sociais do município”. Por Raimari Cardoso / ac24horas

Idoso de 80 anos é assassinado a pauladas na rua Yocanaan Campos, na Cidade do Povo

Polícia suspeita que idoso tenha sido morto na noite desta sexta (16), o mesmo estava bebendo com o amigo de aproximadamente 40 anos

O idoso Francisco Chagas de Souza (80) foi encontrado morto em sua residência na Cidade do Povo, a princípio houve luta corporal e morte causada por pauladas.

Segundo informações à reportagem, Francisco estava bebendo com o amigo de aproximadamente 40 anos quando os dois discutiram e o idoso levou a pior sendo assassinado.

O assassinato aconteceu na rua Yocanaan Campos Pereira na Cidade do Povo, até o momento não se tem informações sobre o suspeito, a perícia esteve no local para realizar perícia juntamente com a Equipe de investigação da DHPP, segundo o perito Francisco Chagas foi morto na noite de sexta-feira e o corpo só foi encontrado por volta das 14 horas de sábado por populares.

Adolescente que tirou 2 tumores da cabeça que pesavam quase meio quilo recebe alta

Ray Santos está em casa com a mãe, em Rio Branco. Adolescente tinha dois tumores na cabeça que pesavam quase um quilo.

Ray Santos deixou o Hospital da Criança após quatro dias internado na UTI — Foto: Arquivo da família

O adolescente Ray Santos da Silva, de 12 anos, já está com a família em casa, em Rio Branco. Ele deixou a Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital da Criança na quarta-feira (14) após a cirurgia para retirar dois tumores da cabeça.

O garoto foi operado no sábado (10) e o procedimento demorou mais de sete horas para ser concluído. Os dois tumores pesavam quase meio quilo.

Contente, a mãe do adolescente, Nadma Mota falou da felicidade de levar o filho para casa. “Deu tudo certo, a cirurgia foi um sucesso. Deus trabalhou grandemente na nossa família”, disse.

A cirurgia do adolescente não podia ser feita no Acre, o que levou ele a entrar na fila do Tratamento Fora do Domicílio (TFD). O procedimento só ocorreu, segundo a mãe, após repercussão do caso e o governador Gladson Cameli intervir para que a cirurgia fosse feito na Fundação Hospitalar do Acre (Fundhacre).

Retorno

Menino de 12 anos aguarda para fazer cirurgia de remoção de tumor — Foto: Arquivo pessoal

Ainda segundo Nadma, o filho deve retornar com o médico na próxima segunda-feira (19) para avaliação no Hospital do Câncer do Acre (Unacon). Em 15 dias, devem ser retirados os pontos da cabeça do garoto.

“Vamos mostrar o resultado da biopsia que foi feita e, graças a Deus, já chegou. Foi muita bênção, porque foi muita rápido, fizemos particular e vamos mostrar na segunda-feira [19]”, complementou.

A família só pode retornar para casa, em Boca do Acre (AM), após a liberação médica. “Vamos esperar os outros retornos com a neuro, com a médica que fez a cirurgia dele também. Só podemos voltar depois disso, já agilizamos, mas estamos esperando eles ligarem”, concluiu.

Tumor

O primeiro tumor apareceu quando o garoto tinha oito anos. Ele fez uma biopsia que constatou que o tumor não era maligno. Com esse diagnóstico em 2015, a família tentou a cirurgia, mas ele foi rejeitado quatro vezes pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

“Por quatro vezes ele foi rejeitado pelo SUS. Foi marcado, depois desmarcado. A gente não tinha o que fazer”, lamenta a mãe

Quatro anos depois, surgiu o novo caroço que começou a crescer pela parte de fora do olho direito dele, foi quando começou a sentir dores e ter a visão comprometida e a situação começou a piorar.

A família é de Boca do Acre, no Amazonas, e está no Acre há dois meses para tentar a cirurgia, onde eles contam com ajuda de amigos para poder se manter.

Adolescente e a mãe, Nadma Morta, estão na casa de amigos enquanto esperam conclusão do tratamento — Foto: Arquivo da família

Acre gastou quase meio milhão para cobrir rombo da previdência, diz levantamento

Na região Norte, onde o rombo do ano passado foi de R$ 3,5 bilhão, existem situações mais graves e algumas que ainda não saíram do controle.

O Acre gastou cerca de R$ 465 milhões para manter o pagamento de aposentadorias e pensões no estado em 2018. O dado é da Secretaria do Tesouro Nacional.

Na prática, significa que esses regimes estão consumindo mais recursos do que arrecadam e os governadores têm que destinar verbas que seriam investidas em outras áreas para que aposentados e pensionistas não tenham os pagamentos cortados.

Isso mostra que existe, de fato, a necessidade da reforma da previdência que está em discussão no Congresso ser estendida também para os estados como querem a maioria dos estados.

Se isso não acontecer, a maioria dos estados vão ter que fazer suas próprias reformas. Na região Norte, onde o rombo do ano passado foi de R$ 3,5 bilhão, existem situações mais graves e algumas que ainda não saíram do controle.

Confira como ficou cada estado:

Amapá – R$ 1 milhão em 2018, no ano anterior tinha destinado R$ 14 milhão;

Roraima R$ 5 milhões para sanar o déficit previdenciário, mesmo valor de em 2017;

Rondônia precisou cobrir um buraco de R$ 7 milhões e R$ 6 milhões em 2017;

Amazonas – precisou desembolsar R$ R$ 1,2 bilhão em 2018;

Pará – R$ 1,2 bilhão;

Tocantins R$ 549 milhão;

Acre R$ 465 milhões.

Do g1 Ac

Ex-prefeito Mano Rufino e ex-vereadores são condenados por contratar funcionários fantasmas

Mano Rufino e dois ex-vereadores de Sena Madureira foram condenados por improbidade administrativa e tiveram os direitos políticos suspensos.

O ex-prefeito Mano Rufino e dois ex-vereadores de Sena Madureira, interior do Acre, foram condenados por improbidade administrativa e tiveram os direitos políticos suspensos. A sentença é referente a contratação de funcionários fantasmas na prefeitura e Câmara Municipal.

Rufino; Mastroiane Furtado, que era presidente da Câmara de Vereadores da cidade; e Cleyton Ribeiro Branco, ex-vice presidente, estão proibidos ainda de contratar com o Poder Público, perderam a função pública, pagamento de multas e bloqueio de bens.

A reportagem não conseguiu contato com a defesa dos ex-gestores. A decisão, publicada no Diário da Justiça Eletrônico desta semana, cabe recurso.

Segundo a Justiça, Rufino teria contratado três pessoas para a prefeitura e uma funcionária para a Câmara de Vereadores.

Funcionários

Além dos ex-gestores, quatro pessoas, apontadas como funcionários fantasmas, foram condenadas a devolver os valores recebidos de forma ilegal, pagamento de multa e bloqueio de bens.

Já a defesa do radialista Dirley Nascimento de Oliveira disse que ainda não teve acesso a decisão. Porém, garantiu que o radialista prestou serviços como assessor de comunicação da prefeitura.

“Juntamos, inclusive, todas as matérias ao processo. Não tive acesso a decisão ainda”, reafirmou o advogado Tobias Levi.

Processo na Câmara

O procurador Denver Mac Donald contou que o processo é de 2014. A época, Donald representava a Câmara de Vereadores da cidade, e atualmente representa a prefeitura.

Ele explicou que os casos são separados, mas foram incluídos em um único processo. Segundo ele, o primeiro caso que surgiu de funcionário fantasma foi de Janete Sales, que foi contratada por Cleyton Ribeiro e Mastroiane Furtado.

“Segundo a denúncia, a Janete teria sido contratada como fantasma, mas ela era assessora de gabinete, foi contratada certinha e ficava em casa para fazer isso. Até porque a Câmara não ter espaço para gabinete, houve uma confusão na época”, ressaltou.

Processo da prefeitura

No mesmo processo, Donald relembrou que surgiu a acusação de contratação fantasma pelo então ex-prefeito Mano Rufino. Ele teria contratado três funcionários fantasma para a prefeitura.

Ficou confuso porque sabíamos do caso da Janete, mas os demais da prefeitura não tinham porque estar no mesmo processo. Ministério Púbico deveria ter separado o processo da prefeitura e da Câmara. Isso até para tese de defesa, mas não foi acatada a teoria e virou um processo só”, complementou.

Donald revelou que a sentença saiu ano passado, mas foi publicada apenas esta semana. O caso está em fase de recursos. Ele acrescentou que a prefeitura já foi intimada e deve entrar com ação de regresso.

“Só que tem toda essa questão do trânsito julgado e estamos aguardando e se for o caso vamos pensionar mais correndo o risco de ser julgada improcedente a ação e a prefeitura não receber nada”, concluiu.

A reportagem não conseguiu contato com as defesas de Antônio Charles de Freitas, Pâmela Mendes, Janete Sales de Castro. Do G1 Acre

Governo avalia possibilidade de revitalizar seringal que foi berço da revolução acreana

Uma equipe visitou o local para avaliar toda a estrutura e os desafios para uma possível reativação do Seringal.

Da assessoria – O sítio histórico Seringal Bom Destino, localizado no município de Porto Acre, distante 58 km da capital Rio Branco, é considerado o berço da Revolução Acreana. Porém, o ponto turístico encontra-se com sua estrutura deteriorada pelo abandono.

Esta semana, uma equipe composta pela secretária de Estado, Empreendedorismo e Turismo (Seet), Eliane Sinhasique e pelo presidente da Fundação Elias Mansour (FEM), Manoel Pedro, visitou o local para avaliar toda a estrutura e os desafios para uma possível reativação do Seringal.

Com o aspecto de abandono e dificuldades de acesso ao local, que fica às margens do rio Acre, gestores do turismo e da cultura estudam a possibilidade de firmar parcerias com a iniciativa privada e setores ligados ao turismo e patrimônio histórico para uma reforma do local com objetivo de receber visitantes novamente.

Um diagnóstico foi elaborado pelos gestores, e por se tratar de valores altos para a restauração do local, torna-se praticamente inviável essa revitalização ser feita somente pelo poder público. A secretária Eliane Sinhasique disse que é preciso buscar alternativas para a reestruturação do local para que ele volte a funcionar.

“Me parte o coração ver toda essa estrutura apodrecida, precisando de revitalização para frequência do púbico, o que é difícil devido às dificuldades de acesso, é um local muito bonito, mas de fato os investimentos para restauração desse espaço são muito altos”, destaca a secretária.

O presidente da FEM ressaltou que a realidade em que se encontra o seringal é lastimável. “Sabemos das dificuldades do governo em retomar esse espaço é grande, mas iremos apresentar essa radiografia para que juntos possamos buscar a melhor solução para o seringal Bom Destino”, comentou.

Essa análise feita pelos gestores será apresentada ao governador para traçar os rumos que devem ser tomados em relação ao espaço, que já ofereceu boa infraestrutura, com chalés e dormitórios comunitários, diversas trilhas, piscina com água corrente cristalina e natural, além de um acervo com fragmentos da história do próprio seringal e do Acre.

Governo leva ação educativa sobre uso de defensivos agrícolas para Acrelândia

O Governo, por meio do Instituto de Defesa Agropecuária e Florestal do Acre (Idaf), realizou a 15ª edição do Dia Nacional do Campo Limpo, em Acrelândia.

Assessoria – Organizado nacionalmente pelo Instituto Nacional de Processamento de Embalagens Vazias (inPEV), o evento é uma ação educativa pelo uso e descarte correto de defensivos agrícolas.

Este ano, o local escolhido para a campanha foi a Escola Santa Lúcia III, localizada no Ramal Granada, cerca de 20 quilômetros da área urbana de Acrelândia. Com alunos do 6º ao 9º ano do ensino fundamental e do ensino médio, os técnicos do Idaf ministraram palestras e treinamentos sobre o bom uso de defensivos agrícolas, além de explicações sobre a correta devolução de embalagens vazias. Tudo isso com o sorteio de brindes e distribuição de lanches para os alunos.

“É uma data que existe em nível nacional para atentarmos aos cuidados do uso correto dos defensivos. Desde a maneira que você adquire, utilização e devolução que tem toda uma série de cuidados para não contaminar as pessoas e o meio ambiente. No Brasil, temos um índice de 94% de devolução correta de embalagens vazias e no Acre não é diferente”, conta Alex Braga.

O Dia Nacional do Campo Limpo, instituído por lei federal, é comemorado anualmente no dia 18 de agosto. A data integra o Calendário Nacional desde 2008, e foi criada pelo inpEV com o objetivo de reconhecer a participação dos diferentes agentes – agricultores, canais de revenda e cooperativas, indústria fabricante e poder público – da logística reversa de embalagens vazias de defensivos agrícolas no Brasil e celebrar os resultados alcançados com a atuação conjunta.

Comunidade aprendendo

Entre os alunos, os ensinamentos ofertados foram especiais para Odiel Carvalho da Silva, de 18 anos, completando os estudos pela Educação de Jovens e Adultos (EJA). Morador do quilômetro 30 do Ramal Granada, ele ajuda a cuidar da chácara com a família, onde possuem principalmente uma plantação de macaxeira. A palestra serviu para que ele aprendesse como manusear corretamente os defensivos, conhecimento que irá compartilhar com a família.

“Eu passo produto nas plantas e não uso os equipamentos. Já teve muita palestra aqui, mas igual a essa pra mim nunca teve. Deu pra aprender como passar certinho. Pra mim era só mais um serviço, mas agora eu aprendi o que tenho que fazer correto pra não ter intoxicação”, relata o jovem.

A professora Advenia Silva, também destaca a importância desse tipo de aprendizado em uma escola de zona rural, com jovens que têm os defensivos agrícolas em suas realidades.

“Esse momento foi de suma importância, porque a maioria, por mais que more aqui, não possuem os conhecimentos necessários para que cresçam e tenham cuidado com a própria natureza, o meio onde vivem e, principalmente, consigo mesmos”, ressalta.

Recolhimento

Além do dia de palestras, o Idaf montou no posto de gasolina que fica no acesso de Acrelândia um ponto de recolhimento para embalagens vazias de defensivos agrícolas.

Todo produtor quando compra um defensivo já tem por lei a obrigação de, após o uso, realizar uma tríplice lavagem, furar e devolver para descarte adequado. Em Rio Branco existe uma Central, onde as embalagens que são organizadas, prensadas e as empresas fabricantes pegam de volta para fazer reciclagem.

Caso as embalagens dos produtos tóxicos não sejam recolhidas adequadamente, há um grande risco de ir para no meio ambiente, gerando perigo à saúde do homem e dos animais.

Setor agroprodutivo do Acre destaca superação de expectativas em negócios

Com um novo modelo, a maior feira do agronegócio do estado também comemora um marco: o sucesso do setor agroprodutivo do Acre.

Considerada um verdadeiro sucesso de público e volume de negócios, a Expoacre 2019 movimentou mais de R$ 74 milhões e reuniu mais de 25 mil pessoas por dia no Parque de Exposições.

Durante os nove dias de realização, a Expoacre apresentou como um de seus principais destaques o espaço Caminhos do Agronegócio,  que reuniu em único local empreendedores e instituições com parceria entre a Secretaria de Produção e Agronegócio (Sepa) com a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater), a Companhia de Armazéns Gerais e Entrepostos do Acre (Cageacre), o Instituto de Defesa Agropecuária e Florestal do Acre (Idaf), o Departamento de Estradas e Rodagens do Acre (Deracre), a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) e o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar).

A proposta de setorização deu certo e o setor do agronegócio movimentou durante toda a feira R$ 4,5 milhões apenas em produtos agropecuários. O número representa o dobro do valor negociado no ano passado.

“Nós não tínhamos experiência na organização de um evento como esse, mas fizemos e ficamos satisfeitos com nossos resultados. Conciliamos o período noturno com diurno, não tivemos problemas de segurança na área e o volume de negócios, troca de contatos e projetos agendados para o futuro nos surpreendeu”, conta o secretário de Produção e Agronegócio, Paulo Wadt.

Negócios de sucesso

Para este ano, a Sepa possuía a expectativa de que 15 expositores e empresários fizessem parte do Caminhos do Agronegócio. Para a surpresa da organização, 38 expositores demonstraram interesse e fizeram parte do espaço fechando negócios dia e noite.

Somente as casas agropecuárias presentes fizeram um grande volume de negócios de mais de R$ 1,5 milhão. Na comercialização de animais, a vitrine de um dos grupos presentes vendeu todos os 70 bovinos que trouxe, enquanto outra comercializou 50 matrizes e 10 reprodutores. A empresa que comercializa a raça montana fez um estande com a nova raça que chega ao Acre e também alegou grande sucesso. A consolidação da raça nelore no estado também movimentou esse setor.

Outro destaque foi o Laboratório de Transferência de Embriões, que além de negócios, realizou um ciclo de palestras e capacitação para produtores, enfocando a importância do melhoramento genético para o rebanho acreano de corte e leite.

E a agricultura familiar também não ficou de fora, com a presença de produtores individuais, cooperativas e associações, algumas que nunca conseguiram participar da Expoacre. Entre elas, um dos destaques foi a Cooperativa dos Produtores de Mel (Coopermel) que conseguiu fechar negócios e saiu bastante satisfeita com sua participação na feira, além do Quiosque do Seu Detinho, que trabalhou com a venda de 120 kg de goma por dia para produção de tapiocas em diversos estabelecimentos.

Até mesmo empresas de outros estados ficaram satisfeitas com os resultados alcançados e prometeram voltar nas próximas edições, como uma que comercializa cochos (recipiente feito de um tronco de árvore escavado, utilizado para alimentar o gado) e que vendeu todas suas unidades antes do fim da feira, precisando repor o estoque.

“Estamos muito satisfeitos com essa edição, porque a proposta de gerar negócios foi amplamente atendida. Desde o setor de animais, com o sucesso dos leilões, até os expositores de outros estados que fecharam importantes contratos e pequenos agricultores vendendo suas produções, a grande maioria saiu satisfeito com seus negócios”, destaca Francisco Lopes Dantas, diretor técnico da Emater.

Fortalecimento do setor

Com uma extensa programação sobre o setor produtivo do Acre, uma série de palestras e cursos também foram disponibilizados durante toda a Expoacre, principalmente pelo período diurno.

O governo e parceiros reuniram diversos produtores, dos grandes aos pequenos, para discutir temas como os desafios da implantação de um programa de verticalização das agroindústrias de produção familiar, uso de tecnologias na produção agropecuária e como alavancar a produção de ovinos e caprinos no Acre, além de oferecer cursos como o de tratorista agrícola e de processamento de leite e derivados.

E a Expoacre 2019 ainda foi o importante palco para uma rodada de negociação entre representantes dos governos do Acre, Amazonas e Rondônia que afinaram o processo de criação da Zona Especial para o Desenvolvimento Agropecuário do Estado do Acre, Amazonas e Rondônia (Amacro).

“Foi uma feira extensa e com um período de funcionamento de dia e de noite. Mas nossa avaliação foi extremamente positiva. Saímos fortalecidos e vamos colher mais frutos daqui pra frente graças a implantação desse novo modelo de feira”, ressalta Paulo Wadt.