A Maria Cascuda, a lavadeira, tá no telefone perguntando qual é o número do Bolsonaro… Diz que é o 13

A campanha eleitoral entrou em sua fase final.

Isto quer dizer que do pescoço para baixo é canela!

Ninguém pode olhar para o lado que estão gravando, os compradores de votos que se cuidem porque gravações valem como prova.

Depois não digam que o Macunaíma não avisou.

Tem muita gente que se elege à custa da estrutura porque votos mesmo não tem.

O advogado Valadares Neto (PMDB) não é mais vereador em Brasiléia, a justiça devolveu o mandato a quem de direito.

Política é muito parecida com futebol.

Tem as equipes, primeiro e segundo tempo além, é claro, do titular e do reserva.

A oposição tem pressa, muita pressa, não quer ouvir falar em segundo turno.

Tem que combinar com o coronel Ulisses, escudeiro do presidenciável Jair Bolsonaro aqui no Acre.

Economia da Argentina (aqui do lado) está derretendo, o modelo liberal aumentou o rombo no casco.

O presidente Macri precisa de mais de 20 bilhões de dólares para tapar o rombo das contas públicas.

A direção do PT anda vacinando os militantes contra os efeitos do perrengue entre Ney e Jorge Viana, ambos do PT.

Insiste que o voto tem que ser nos dois porque a briga só favorece a oposição.

O Macunaíma estava na reunião em que a ex-presidente Dilma Rousseff prometeu construir a ponte sobre o rio Madeira.

Pois é!

É por essas e outras que a verdade esmiúça a penha!

As mulheres vão decidir as eleições no Brasil pela primeira vez na história.

Estão fazendo muito barulho!

Tem gente que é doida mesmo!

Uma mulher no mercado dizia que não gosta da esquerda porque viu um vídeo em que umas desmioladas entrarem nuas em uma missa.

Se abraçaram, se beijaram e fizeram cocô do lado do sacristão.

Minha senhora, respondeu um estudante, isso não é caso de política é caso de polícia.

Disse mais em sua tese sociológica:

O padre, o sacristão e os demais presentes deveriam tê-la obrigado a comer a b*.

No miminho ter esfregado a cara dela no excrecência.

Os socialistas fariam assim!

Patrão…

Diga Rosa

A Maria Cascuda, a lavadeira, tá no telefone perguntando qual é o número do Bolsonaro…

Diz que é o 13.

Tem uns cabos eleitorais que só querem fazer “bandeiraço” na Dias Martins.

Tem que ir pro Caladinho, Parque dos Buritis, Taquari, Belo Jardim…

Chega um momento da campanha eleitoral que ninguém sabe de mais nada.

Quem ganha, quem perde…

O que está rolando de pesquisa falsa nos grupos de WhatsApp é coisa do outro mundo.

Tudo Fake!

:: Textos publicados nesta página são de inteira responsabilidade do colunista. Não refletem a opinião do Jornal.

.