Argentino suspeito de matar mulher grávida é preso em Assis Brasil

Daniel Nestor Gusman estava foragido e foi preso, em Assis Brasil. A vítima Betzabeth Daza foi morta em julho deste ano e enterrada no quintal na zona rural de Boa Vista.

Daniel Nestor Gusman, de 32 anos, foi preso na quarta (13) pela PF-AC — Foto: Alexandre Lima

Suspeito de matar a mulher grávida de seis meses na cidade de Boa Vista, em Roraima, o argentino Daniel Nestor Gusman, de 32 anos, foi preso na quarta-feira (13) por agentes da Polícia Federal no Acre (PF-AC).

O homem foi detido no Posto de Imigração de Assis Brasil, quando tentava entrar no estado pela fronteira com o Peru.

A mulher de Gusman, a venezuelana Betzabeth Miguelina Adam Daza, de 23 anos, foi morta em julho deste ano na zona rural de Boa Vista. Grávida de seis meses, a vítima foi enterrada em uma cova rasa, no quintal da casa onde moravam.

O argentino foi encaminhado para a Delegacia de Epitaciolândia, no interior do Acre, onde foi ouvido pelo delegado Karlesso Nespoli, responsável pelo caso, e negou o crime.

“Ele estava vindo do Peru para entrar em território nacional e, quando passou no posto policial para dar a entrada, os agentes fizeram a consulta que é de praxe e constataram que havia um mandado de prisão oriundo da Comarca de Roraima por crime de homicídio, o feminicídio. Não sei de que forma ele a matou, pois não tive acesso”, explica.

A pedido da polícia de Roraima, o delegado interrogou o suspeito. O homem teria dito às pessoas que ela tinha ido embora para a Venezuela. Depois disso, ele saiu de Boa Vista e seguiu para as cidades de Manaus (AM), Porto Velho (RO), Rio Branco, Brasileia, Assis Brasil e Peru. Mas, ao retornar do país vizinho para o Acre foi encontrado o mandado.

Após ser ouvido, Guszman foi encaminhado para o presídio Francisco d’Oliveira Conde, em Rio Branco. O delegado informou que o suspeito vai ficar preso até que haja o pedido de transferência para o estado de Roraima, onde o argentino deve ser julgado.

“Ele vai aguardar o pronunciamento da Justiça de Roraima. Ele alegou que não foi ele, que poderia ter sido um ex-marido dela. Mas, conforme a delegada da Delegacia da Mulher, as provas contra ele estão bem contundentes tento em vista que ele fugiu do local, mentiu para os vizinhos e testemunhas”, destaca.

Venezuelana de 23 anos foi encontrada enterrada — Foto: Marcelo Marques

Plantão 3 de Julho Notícias 13ª Edição

PF faz buscas na casa de candidato em Brasiléia; suspeita é de compra de voto. A Polícia Federal fez buscas, na casa do candidato a deputado estadual Joaquim Lyra, após uma denúncia de suposta compra de voto. Após as buscas na residencias, o candidato prestou depoimento na sede da PF em Epitaciolândia.

Do G1 Acre