Lula passa por exame de corpo de delito para finalmente ser solto

De férias, em Portugal, Sergio Moro tentou impedir a libertação de Lula.

Depois de ser mantido por mais de três meses como preso político, para não disputar uma eleição presidencial que ele vence com facilidade, segundo apontam todas as pesquisas, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva passa por exame de corpo de delito para finalmente ser solto, por determinação do desembargador Rogério Favreto, do TRF-4.

De férias, em Portugal, Sergio Moro tentou impedir a libertação de Lula, mas sua arbitrariedade foi denunciada por 125 juristas e um grupo de advogados pela democracia chegou a pedir sua prisão por desacato.

Moro foi seguido pelo desembargador João Pedro Gebran, que também chamou para si o processo, sem ter direito a isso. Segundo os 125 juristas pela democracia que assinaram o manifesto, Moro e Gebran demonstraram que são parciais e, portanto, suspeitos, para julgar o ex-presidente Lula.

Livre, Lula poderá agora organizar a sucessão presidencial e impedir o prosseguimento do maior assalto às riquezas nacionais em 518 anos de história, evitando a entrega do pré-sal e de empresas estratégicas como a Embraer.

O golpe de 2016, que derrubou a presidente Dilma Rousseff sem crime de responsabilidade, e pretende evitar que Lula seja candidato, tem como finalidade maior entregar às multinacionais do petróleo a maior descoberta energética dos últimos 50 anos, que é justamente o pré-sal.

:: Textos publicados nesta página são de inteira responsabilidade do colunista. Não refletem a opinião do Jornal.

.