Coluna do Astério

O Joaquim Lira tem toda razão

Fui a Brasiléia na quarta feira e encontrei o Joaquim Lira em um posto de combustíveis. Conversamos um pouco. Nossos pais eram grandes amigos e faziam política juntos. Eram compadres, como quase todo mundo em Brasiléia. Ele me falou do que, para ele, foi um ato heroico ao discutir com o governador Tião Viana. Debate esse que foi parar nos tribunais.

Quero me manifestar sobre o Lira, homem público, político, uma das vozes mais atuantes e autênticas da oposição na região. Tenho acompanhado seus posicionamentos, às críticas e até os desabafos que o Lira faz sobre os líderes oposicionistas. Não é problema meu por isso me dirijo especificamente ao militante e eleitor dos que são contrários a FPA.

O Lira está coberto de razão quando diz, por exemplo, que os líderes partidários não valorizam lideranças locais como ele. O eleitor deve saber que o seu candidato majoritário pode até vencer a eleição, mas se passar por cima das lideranças locais não terá compromisso no futuro com ninguém.

Outra observação muito pertinente do Lira é que não se faz mais campanha com abraços, aperto de mãos e tapinhas nas costas, principalmente os que só aparecem de quatro em quatro anos como Copa do Mundo. A liderança local se desgasta e gasta do seu dinheiro para tocar um projeto eleitoral. Depois vem os de fora comer a cereja do bolo sem desembolsar um centavo. Os que fazem isso, repito o desabafo do Lira, não terão nenhum compromisso com as lideranças locais.

Se o eleitor da oposição acha que o Joaquim Lira não é importante, menos importantes serão eles no futuro quando quiserem conversar com o pessoal do andar de cima. Não serão recebidos. E muito pior, serão desprezados até que venha a próxima eleição, quando começa tudo de novo.

Plantão 3 de Julho Notícias 8ª Edição

Caos na Educação de Epitaciolândia: O vereador Alcione Ferreira esteve na escola rural Castelo Branco, onde constatou que o direito de um local apropriado para os alunos estudarem está sendo violado pela gestão do Prefeito Tião Flores, pois a escola está oferecendo riscos para as crianças e funcionários, é possível ver nas imagens que a caixa d’água da escola está apresentando um grande risco de desabar por conta que a madeira que a sustenta apodreceu.

:: Textos publicados nesta página são de inteira responsabilidade do colunista. Não refletem a opinião do Jornal.

.

Esta notícia está na categoria Asterio. Marcar o link.