Por seis dias em Brasília, Prefeito de Porto Acre recebe diárias de R$ 5.340,00; Secretário recebeu mesmo valor

Ordem de pagamento foi publicada no Diário Oficial e juntos, (Prefeito e Secretário) embolsaram R$ 10.680,00.

O município de Porto Acre, distante pouco mais de 50 quilômetros de Rio Branco, apesar de ser considerado um dos mais pobres e carentes do estado, onde a economia praticamente gira em torno dos repasses do Fundo de Participação dos Município-(FPM), ao que parece, vem pagando a diária mais cara aos seus administradores de todo o estado do Acre.

O prefeito da cidade Bané Damasceno (PROS), por exemplo, fez publicar na edição do Diário Oficial na quarta feira (30), uma autorização para que seja pago a ele próprio a quantia de R$ 5.340,00 (cinco mil, trezentos e quarenta reais), referente a seis diárias ao Distrito Federal, quando participou da XXI Marcha a Brasília em Defesa dos Municípios da Confederação Nacional dos Municípios (CNM).

A mesma quantia em diárias também foi paga em nome do senhor Moacir Nogueira da Silva, secretário de Finanças do Município, apenas para acompanhar o prefeito Bené Damasceno á capital federal. Juntos, o prefeito Bené Damasceno e o seu secretário de Finanças Moacir Nogueira da Silva, em apenas 6 dias, deram um desfalque aos cofres do município de nada menos que R$ 10.680,00.

A reportagem pesquisou o salário do prefeito Bené Damasceno e o do secretário de finanças no Portal da Transparência mas não há informação sobre a pesquisa.

Um vereador do município da “base aliada” de Bené Damasceno, que pediu para não ter o seu nome divulgado na reportagem, disse que considera os pagamentos um absurdo e revelou que Damasceno recebe de salário mensal pouco mais de R$ 10 mil e um secretário de finanças menos de R$ 3 mil. Ou seja, em apenas 6 dias ausentes do município, o prefeito vai embolsar mais da metade do seu salário mensal e o seu secretário quase o dobro do salário integral.

Confira publicação no Diário Oficial com a ordem de pagamento:

3 de Julho Entrevista 2ª Edição

Veja a entrevista com o senhor Antônio Muniz, ele que é coordenador da Casa de acolhimento Caminho de Luz, localizada no km 23 da Estrada do Pacífico, instituição de caridade esta sem fins lucrativos, mas que está disposta a ajudar os que a população juga não ter mais jeito, são pessoas que fazem uso abusivo de bebidas alcoólicas, dependentes químicos e pessoas que fazem uso de outras drogas, como por exemplo o cigarro.

Por Salomão Matos / Contilnet.

:: Textos publicados nesta página são de inteira responsabilidade do colunista. Não refletem a opinião do Jornal.

.