Coluna do Crica

Ulisses: “minha candidatura é irreversível”

Conversei ontem no início da noite com o candidato ao governo, Coronel Ulisses Araújo (foto), sobre as investidas do MDB e outros interlocutores, para que abandone a sua candidatura majoritária para vir se juntar na coligação que apóia a candidatura a governador do senador Gladson Cameli (PP). Confirmou as investidas, mas reafirmou o que vem deixando claro em todas as entrevistas: “minha candidatura ao governo é irreversível”. Discorda da tese de que a unidade da oposição deve ser no primeiro turno. “Será que eu indo para lá uniria todos? Acho que não!”, avalia. Destacou que esta unidade pode acontecer num segundo turno, tenha ele como candidato ou como apoiador. Ontem na parte da tarde teve uma longa conversa com o ex-prefeito Tião Bocalon (DEM), seu principal aliado e decidiram não mais discutir outro assunto que não seja o do planejamento da sua candidatura a governador. Com isso morrem os boatos de que tinha sido cooptado. Quanto ao nome do vice ainda não foi escolhido.

QUEM FALA A VERDADE?

A política é dinâmica. Após a declaração recebi a informação de que o deputado federal Flaviano Melo (MDB) tinha comunicado ao senador Gladson Cameli (PP) que Ulisses Araújo tinha aceitado ser vice. Quem fala a verdade? Flaviano Melo ou Ulisses Araújo? Ulisses vai dar uma rasteira no Bocalon e nos que sustentam a sua candidatura? Como ficará sua imagem, sua palavra, se recuar? E o PSDB vai como partido organizado aceitar ser humilhado pela troca por um nome que nunca foi submetido às urnas? São questões a serem respondidas. O Gladson já mediu o tamanho da encrenca em deixar o PSDB fora porque Flaviano Melo, Vagner Sales e Márcio Bittar querem?  O certo é que até quinta-feira tudo pode acontecer. Ou nada!

ESTÃO REGREDINDO?

O Flaviano Melo, Vagner Sales e Márcio Bittar que a todo custo, na marra, querem colocar o Coronel Ulisses Araújo de vice na chapa do governo do Gladson Cameli, sob o lema de “unidade” da oposição, estão regredindo politicamente? Acham que, o Rocha, o PSDB, aceitariam rindo ter Ulisses de vice do Gladson? Humilhando-o com um escanteio? É até para achar graça! Longe de unir, o espatifado estaria feito na oposição. Ai sim, adeus unidade! O que o Rocha vai bater neste, Ulisses no Flaviano Melo e no Márcio Bittar, quero passar longe. O senador Gladson Cameli vai aceitar pagar esta conta? Deixa rolar.

OUTRA PERGUNTA

Eu ainda acredito na palavra que me disse o Coronel Ulisses Araújo ser irreversível sua candidatura e que não é homem de várias palavras. Ainda acredito. O tenho até aqui como um homem de bem. Mas se negar tudo isso aceitando a pressão do MDB, traindo o Bocalon que lhe deu a mão, por ele renunciou benesses da direção nacional do DEM, brigou publicamente, quem garante que se for o vice e o Gladson ganhar não terá a mesma conduta para tentar assumir o governo? Diz o ditado que: trair e coçar é só começar. Repito: até que prove o contrário tenho o Ulisses como uma pessoa séria. Aguardemos, aguardemos……

BRUNETA NA GUILHOTINA

Numa briga que está dando o que falar em Cruzeiro do Sul, pela protagonista ter sido durante os dois mandatos do prefeito Vagner Sales (MDB) um nome da sua extrema confiança, foi secretária de Saúde e por pouco não foi escolhida para disputar a prefeitura pelo MDB, a vereadora mais votada do município, Lucila Bruneta, que deixou o partido sem explicações, foi acionada na justiça eleitoral pela assessoria jurídica do MDB, pela perda do mandato.

NÃO DEU SATISFAÇÃO

Foi explicado à coluna que a vereadora Lucila não deu uma justificativa para o seu pedido de desligamento do MDB, o que segundo advogados do MDB, complica a sua situação jurídica. “O mandato é do partido e não de quem está no mandato”, sustentam os advogados. No seu caso não se aplica a janela partidária e nem a mesma legislação para prefeitos.

EXPLICAÇÃO NA JUSTIÇA

A defesa da vereadora Lucila Bruneta será de que deixou o MDB por este ter ferido o seu programa partidário com o envolvimento das suas lideranças em constantes casos de corrupção, com que a vereadora não concorda. A defesa já está na justiça eleitoral.

DOBRADINHA PROVOCADORA

Lucila Bruneta, segundo amigos, pensa em se filiar ao PP, ser candidata a deputada estadual, numa dobradinha com o candidato a deputado federal Rudiley Estrela (PP), que é apoiado pelo prefeito Ilderlei Cordeiro. Neste caso a briga com o MDB vai engrossar: Ilderlei virou adversário ferrenho do seu criador, o ex-prefeito Vagner Sales (MDB).  Vagner é candidato à ALEAC.

NOTA DE 300 REAIS

Recebi mensagem do ex-prefeito Tião Bocalon (DEM) dizendo que o comentário feito pela coluna sobre sua posição e a do Coronel Ulisses de não arredar de ser candidato ao governo, retrata a realidade: “temos palavra”. Mas foi o que comentei: se o Coronel Ulisses Araújo aceitar vir voltar atrás na sua candidatura valerá na política menos que uma nota de 300 reais.

VELHA POLÍTICA

A velha política é condenada pela população quando se promete ser candidato para criar uma situação de chantagem e receber benefícios para voltar atrás. O povo costuma jogar na lata do lixo político quem assim age, sempre no interesse pessoal. Certo, o Coronel Ulisses? Essa é uma praia perigosa!

ESPATIFA O NINHO DA PATA

Não me interessa quem será o vice na chapa do senador Gladson Cameli (PP), se o Chico , a Chica, o João ou a Maria, para mim pouco importa, não preciso de nenhum deles, mas não posso deixar de comentar que, se até quinta-feira, como prometeu, Cameli não sair o vice o ninho da pata estará espatifado.

NÃO ADIANTA ESCONDER

Está escancarado. Não se comenta outra coisa nas rodas políticas que este puxa-encolhe na escolha do vice, com todo dia aparecendo um nome novo. Isso passou para a opinião pública uma imagem negativa de bagunça dentro da oposição, com prejuízo para o candidato Cameli.

AGINDO NAS SOMBRAS

Também não se pode esconder que o MDB com Flaviano Melo e Márcio Bittar não desistiram e continuam agindo nas sombras dos bastidores para tentar convencer Ulisses Araújo a aceitar ser vice do senador Gladson Cameli (PP). Está em cheque o caráter do polêmico Coronel. Querem porque querem detonar o Major Rocha.

DECIDIDO, EM TESE!

Por ter envolvido todos os personagens principais da oposição na discussão, não há mais nenhum clima de recuo da decisão que escolheu o deputado federal Major Rocha (PSDB) para vice na chapa do senador Gladson Cameli (PP). O anúncio oficial será feito nesta quita-feira. Mas não garanto nada, sou como São Tomé, ver para crer!

NEM UM CENTAVO FURADO

Mas se me perguntarem se aposto de que até quinta-feira não poderá haver mudança no nome do vice, respondo sem titubear: – eu não aposto um centavo furado. É bem simples, depois de tudo que aconteceu me sinto no direito de só crer após o anúncio oficial.

NUNCA CHEGOU A ESTE PONTO

É injustiça não considerar que o prefeito Marcus Alexandre dobrou o número de equipes trabalhando em operações tapa-buracos, até na parte noturna, que está chovendo acima da média, o que dificulta o trabalho, mas não se pode também desconhecer que a cidade está uma tábua de pirulito de tantos que são os buracos. Na sua gestão nunca chegou a este ponto. Se fosse um jogo de futebol estaria Buracos 7 x EMURB 1.

EXPLICAÇÃO REPASSADA

Ontem, me foi repassada uma informação na qual pode estar a raiz do problema. A de que, antes o governo entrava com uma ajuda financeira para a PMRB deixar a cidade sem buracos, quando o cofre secou, o prefeito Marcus Alexandre teve que se virar com recursos próprios. Só que este é um detalhe que não interessa à população, quer ver resultados, não importa como.

ÚLTIMOS DEGRAUS

E não há mais tempo suficiente para o prefeito Marcus Alexandre solucionar os problemas causados pelos buracos na cidade, está pisando os últimos degraus para deixar a PMRB, entregará o cargo para a vice-prefeita Socorro Nery, no próximo dia 7 de abril.

É O QUE O POVO OLHA

O prefeito Marcus Alexandre aumentou o número de unidades de Saúde, foram raras as reclamações de falta de remédios, espalhou mais de uma dezena de creches pela cidade, aumentou a oferta de vagas na Educação, a coleta de lixo é boa, não se conhece um escândalo na sua gestão, mas se o visual da cidade, as ruas não estiverem sem buracos, o povo só vê isso. As ruas são as vitrines de uma cidade, as demais conquistas não estão à vista da população.

PÉ DE BRIGA

Quer ver o Dr. Raiz ficar em pé de briga é alguém falar mal do candidato ao Senado, deputado Ney Amorim (PT) e do candidato ao governo Marcus Alexandre (PT). Fica bravo. “Meu padim, a oposição está comemorando o que não ganhou ainda, vão perder a eleição de novo”, vaticina.

REFORÇA A LEGENDA

A entrada do deputado Eber Machado no PDT, acabou com o namoro da oposição, que sonhava em tê-lo no palanque nesta eleição. Reforça com seus votos também a legenda da chapinha para Federal da FPA, e a garantia de que a coligação elege um deputado federal.

CAFÉ NO BULE

O candidato a deputado federal Rudiley Estrela (PP), consta, tem amarrado parcerias em vários municípios. Até aí morreu Nero. A questão é saber se terá café no bule para honrar todos os compromissos que dizem ter assumido. Se vier com o bule seco perde todas as amarrações.

NÃO FOI EXPLICADO

Aliado do senador Petecão (PSD) mandou mensagem com a projeção que, o candidato a deputado federal Marivaldo Melo (Presidente do BASA) será o “terceiro” da chapa da coligação do Cameli. Não explicou se será o “terceiro” na lista de eleitos ou o “terceiro” a entrar na balsa para Manacapuru. Faltou este precioso esclarecimento. Fico no aguardo.

COFRE FORTE DO JUCÁ

O candidato ao Senado, Márcio Bittar (MDB), tem levado políticos pelo colarinho até o presidente do nacional do MDB, senador Romero Jucá, com a promessa de fartos recursos, caso disputem vagas de Federal pelo partido. Márcio, os tempos são outros, são outros..

SEMPRE NAS BRENHAS

Falando no senador Sérgio Petecão (PSD), ele está sempre nas brenhas. Na semana que passou junto com o prefeito do Bujari, Romualdo (PCdoB), esteve na área do igarapé Antimary participando inaugurações do “Luz Para Todos” e é claro, fazendo política numa dobradinha apartidária.

MAL CALCULADO

O que brecou a indicação do médico Eduardo Veloso para vice na chapa do Cameli foi se filiar ao PSDB, cuja direção queria participar da chapa majoritária. Articulou-se bem, mas foi sufocado pelo detalhe. Não se senta em uma cadeira da qual alguém pode mandar se levantar.

MAL NA ALEAC

O governo está mal na ALEAC. Aliás, está mal com os seus aliados em geral. Deputados da base governistas estão se esquivando em dar quorum para votar o projeto com pedido de urgência, que permitirá o governo terceirizar o HUERB e UPAs.

REDUZIDA CONSIDERÁVEL

Os números mostram que houve uma queda considerável da ação de bandidos na cidade. Isso pode ser debitado em parte ao programa policial de ocupação periódica dos bairros considerados mais perigosos. Está afinada a dobradinha Emylson-Kinpara.

GRANDE MAL

O grande equívoco, o grande mal dos que ocupam cargos de confiança, de quem governa, é pensar que ficarão por toda eternidade no mandato. Quando acordarem 1º de janeiro do próximo ano, todos já não serão mais nada. O que plantaram vão ter que colher.

NÃO ARRISCO NADA

As indicações estão na direção de que o deputado federal Major Rocha (PSDB) pode ser anunciado na próxima quinta-feira como vice na chapa do candidato ao governo, senador Gladson Cameli (PP). Mas não me arrisco a dizer de que esta é uma situação irreversível. Não aposto nada. Só vou acreditar que um vice foi escolhido definitivamente quando numa coletiva de imprensa e com a presença dos demais partidos, o senador Gladson Cameli (PP) apresentar o nome. Até lá fico dando a notícia da escolha do vice sempre com reserva, muita reserva.

:: Textos publicados nesta página são de inteira responsabilidade do colunista. Não refletem a opinião do Jornal.

.

Esta notícia está na categoria Crica. Marcar o link.