Coluna do Crica

Roberto Duarte: “Sem chance apoiar o Márcio Bittar

O vereador Roberto Duarte (MDB) descartou ontem à coluna qualquer chance de vir a deixar o PMDB, devido ao fato de ter tomado a posição de não apoiar a candidatura ao Senado, de Márcio Bittar (MDB), por conta do vazamento da gravação do candidato detonando figuras importantes da oposição. “Sem chance de apoiar o Márcio Bittar. Por enquanto só tenho um candidato a senador que é o Sérgio Petecão. Vou aguardar os resultados das convenções para definir quem trabalharei no segundo voto”, destacou. Roberto negou de forma enfática que, o seu segundo voto ao Senado, possa ir para um candidato da FPA: “isso jamais acontecerá, por convicção”. O peemedebista não teme que a direção regional do PMDB possa a vir lhe punir pele rebeldia. – O presidente Flaviano Melo e o PMDB são democráticos e aceitam posições contrárias, assegurou. Roberto negou qualquer possibilidade de vir a rever a sua decisão de não marchar com a candidatura de Bittar, que considera como irreversível. É ponto final, diz.

COMPLICADO PARA O BITTAR

A cada dia se complica mais a vida do candidato a senador de Márcio Bittar (MDB). O presidente do PSDB, deputado federal Major Rocha, já falou que trabalhará contra a candidatura do MDB. O grupo do senador Petecão (PSD) também se descolou de Bittar. E agora o mais grave: não conseguiu nem ter o apoio fechado do MDB, onde o vereador Roberto Duarte, lhe descarta.

FICOU ISOLADO

Márcio Bittar (MDB), que sempre foi um bom estrategista, desaprendeu tudo nesta sua campanha para senador. Fora os nanicos PTB-SOLIDARIEDADE- PPS, empenhado mesmo, Bittar só tem ao seu lado o ex-prefeito de Cruzeiro do Sul, Vagner Sales, com prestígio restrito ao Vale do Juruá.

O GRANDE PROBLEMA

O Márcio Bittar é um político preparado, combativo, foi um bom deputado federal, mas peca no macro, quando se trata de candidatura majoritária. Acha que todo mundo é obrigado e trabalhar para ele pelos olhos verdes que não os têm, arrogância que somente lhe prejudica.

DESCULPA SEM SENTIDO

O prefeito de Cruzeiro do Sul, Ilderlei Cordeiro, tem todo o direito de escolher os seus secretários sem ingerência. Não pode é dar a desculpa para demitir os secretários ligados ao ex-prefeito Vagner Sales, sob o prisma de serem os responsáveis por uma pesquisa o apontar como o pior prefeito do Acre. Quem dá as ordens à tropa é o general, esqueceu isso?

NINGUÉM SE ENTENDE NA OPOSIÇÃO

O mais pitoresco nesta sua briga com o ex-prefeito Vagner Sales (MDB) é que o prefeito Ilderlei Cordeiro (MDB) quis meter o candidato ao governo, Gladson Cameli (PP), na confusão, alegando que recebeu ordens dele para as demissões, o que não foi verdade. Que bagunça!

“SE ENTENDAM!”

A respeito da briga entre o ex-prefeito Vagner Sales e o prefeito Ilderlei Cordeiro, o candidato ao governo, senador Gladsion Cameli (PP), foi lacônico: “não me meto, se entendam!”

IMPOPULARIDADE CONTAMINA

A um ponto o candidato ao governo Gladson Cameli (PP) tem de ficar atento: se o prefeito Ilderlei Cordeiro continuar como último da fila de popularidade entre os prefeitos, não há como ir para o seu palanque, sob pena de avalizar publicamente a gestão municipal.

UM FATO QUE PRESENCIEI

Flaviano Melo foi chamado para ser candidato a prefeito de Rio Branco pelos partidos de oposição. O prefeito Mauri Sérgio estava em baixa popularidade. Flaviano condicionou a fazer uma campanha com Mauri longe do seu palanque. Mauri aceitou a situação, num desprendimento elogiável, a campanha aconteceu sem ele e o Flaviano foi eleito à PMRB.

ALEAC VOLTA HOJE

Os trabalhos da Assembléia Legislativa recomeçam hoje. Como o ano é eleitoral a tendência natural é que os debates entre a oposição e a base do governo sejam mais acirrados. E muito mais por conta da votação sobre o veto do governador Tião Viana ao projeto do PRÓ-SAÚDE.

VIROU UMA QUESTÃO PRIMORDIAL

Para o deputado Raimundinho da Saúde (PODEMOS) virou uma questão primordial impor uma derrota ao governador Tião Viana de quem já disse não gostar, derrubando o veto ao seu projeto. Mais tudo indica que não terá a facilidade que teve na primeira votação.

NÃO BRIGA POR VICE

O deputado federal Major Rocha (PSDB) já deixou claro que não vai brigar pela indicação do médico Eduardo Veloso (PSDB) para ser o vice na chapa ao governo de Gladson Cameli (PP). A sua prioridade é a candidatura da jornalista Mara Rocha (PSDB), sua irmã, para o Senado.

FRUTO DO TRABALHO

A deputada Leila Galvão (PT) deverá ser uma das candidatas mais votadas na eleição deste ano para a ALEAC. Não é algo que vai cair do céu. Não tem domingo e feriado que não esteja em reuniões no eixo de Brasiléia-Epitaciolândia- Assis Brasil-Xapuri, se fortalecendo nestas bases políticas. Tem o apoio de dois prefeitos: Bira Vasconcelos (Xapuri) e Fernanda Hassem (Brasiléia).

MUITO MAIS ORGANIZADO
Goste ou não se goste do PT tem que se reconhecer um mérito: são muito organizados quando se trata de fazer uma campanha política. Montou uma máquina poderosa ancorada no governo estadual e na PMRB. Organização é exatamente o que falta nas hostes da oposição.

EMBUTE 2020

A onda de denúncias formuladas pelo prefeito de Senador Guiomard, André Maia, contra o ex- prefeito James Gomes tem complicado este, que chegou ao ponto de ter os bens bloqueados. André sabe que, um James Gomes fortalecido é um perigo real à sua reeleição em 2020.

BOMBEIRO EM AÇÃO

Foi preciso o senador Sérgio Petecão (PSD) entrar como bombeiro para conter as labaredas. Reuniu James Gomes, o deputado Jairo Carvalho (PSD) e o prefeito André Maia, para uma rodada de lavar roupa suja. Para Petecão, os antagonistas saíram com as arestas aparadas.

BASE EM VÁRIOS PARTIDOS

Quem está com uma campanha redonda a deputado federal é o deputado estadual, Nelson Sales (PP), que tem fechado parcerias não só no seu partido, mas em outras siglas da oposição. Nelson é uma das boas revelações na ALEAC, jamais fala abobrinhas na tribuna.

NÃO É NADA NOVO

Não será nada de inovador o prefeito Marcus Alexandre passar 45 dias em Cruzeiro do Sul, onde fixará moradia neste período, após deixar a PMRB dia 7 de abril. O senador Sérgio Petecão (PSD) fez isso durante a sua candidatura. Para ele, a estratégia deu certo, porque elegeu-se senador e com uma boa votação no Juruá. O Marcus está seguindo o mesmo roteiro.

CALCANHAR DE AQUILES

Morando em Cruzeiro do Sul, Marcus Alexandre pode esticar visitas periódicas a Marechal Taumaturgo, Rodrigues Alves, Porto Valter e Mâncio Lima, para tornar-se mais conhecido. Sabe ser difícil bater o candidato Gladson Cameli (PP) no seu principal reduto, o Vale do Juruá. Na verdade, a sua intenção é a de diminuir a vantagem de Gladson na região, que é grande, conforme a última pesquisa do DATA-CONTROL. Quer dar um reforço no calcanhar de Aquiles.

RESERVO SEMPRE A FONTE

Já sabia da sua posição nos burburinhos da Assembléia Legislativa. Ontem, encontrei na banca de revista um deputado da oposição e conversamos sobre os nomes ao Senado. Perguntei se tinha definido seus candidatos. Nem titubeou: “Luis Carlos, eu vou de Petecão e Ney Amorim”.

COMO BOM OBSERVADOR

Converso muito com os deputados sejam da base do governo e sejam os da oposição. Dos nove deputados da oposição seis deles já me confidenciaram o segundo voto ao candidato Ney Amorim. Pincei a justificativa mais sincera: “eu tenho de tratar primeiro da minha reeleição”.

PRATICAMENTE SÓ

Um ou outro deputado pede um aparte ou vai à tribuna para lhe ajudar na defesa do governo. O que se viu no período legislativo que passou foi o deputado Daniel Zen (PT) praticamente só fazendo a defesa do governo Tião Viana, ante uma base da FPA majoritária, inerte assistindo.

PORQUE É PREPARADO

E o líder do governo, deputado Daniel Zen (PT), somente saiu-se bem por ser um parlamentar preparado, aliás, uma das gratas revelações da nova safra de políticos. Falta coesão á FPA.

POR ISSO O DEM É ESSENCIAL

Segurar o DEM é garantia de tempo na televisão no horário eleitoral para expor suas idéias. Se o ex-prefeito Tião Bocalom (DEM) for brecado pela direção nacional e perder o partido, a candidatura do Coronel Ulisses Araújo sofrerá um baque. Só terá tempo de dizer na televisão: “meu nome é Coronel Ulisses”. Mais do que nunca precisa de tempo na TV para se projetar.

NINGUÉM DE FORA

A vice-prefeita Socorro Nery já discute com a secretária de Comunicação, Andréia Forneck, nome para ser o novo titular da pasta. Ninguém escolhido. Mas a tendência é que seja alguém da atual equipe de jornalistas da PMRB. Não pode ser um Zé Mané. Substituirá uma profissional que deu conta do recado de bem comunicar o prefeito Marcus Alexandre.

PUDOR COM A BUNDA DE FORA?

É uma tremenda bobagem que o voto da oposição do Senado possa ser monitorado, porque a ajuda se dá nos bastidores. Votar ou apoiar um candidato da oposição e outro do PT será a coisa mais normal nesta eleição. É o que dá para deduzir da revelação de alguns deputados oposicionistas. Quando chega na reta final de campanha o candidato a deputado só pensa numa coisa: Mateus, primeiros os meus. Dá o primeiro voto ao seu partido e o outro negocia. E isso não vai mudar, não adianta se levantar teorias do mundo da lua. Sempre foi assim. Aquele romantismo de dois candidatos ao Senado andarem juntos pedindo votos só existe na cabeça dos românticos da política. A política sempre será a arte do enganar. Deixemos de hipocrisias e pudor com a bunda de fora. A realidade agora é da Lei do Murici. Cada um cuidando de si.

:: Textos publicados nesta página são de inteira responsabilidade do colunista. Não refletem a opinião do Jornal.

.

Esta notícia está na categoria Crica. Marcar o link.