Corpo de Bombeiros atendeu mais de 34 mil ocorrências em 2017

Incêndios representaram 2.445 dos chamados atendidos pelo CBMAC em 2017. Capturas de animais silvestres também são parte do trabalho dos bombeiros.

Por Victor Lebre

Devido à atuação de extrema importância do Corpo de Bombeiros do Acre (CBMAC) em ocasiões críticas como enchentes e queimadas, é comum associar a corporação a esse tipo de atividade. Mas se engana quem pensa que os bombeiros só trabalham nesses dois períodos.

Somente em 2017, o CBMAC atendeu 34.424 mil ocorrências em todo o Estado, das mais diversas naturezas. “Nós temos 242 naturezas diferentes de ocorrências. Incêndios e alagação são apenas uma pequena parte das atividades que o Corpo de Bombeiros exerce”, informa o chefe de comunicação social do Corpo de Bombeiros, Major Cláudio Falcão.

Nesse universo de ocorrências atendidas, estão desde incêndios em vegetação (ambiente urbano), incêndios em florestas (ambiente rural) até captura e controle de insetos e afogamentos.

Incêndios

O período de verão, é comum o aumento de ocorrências relacionadas a incêndios, sejam eles rurais ou urbanos. Ainda de acordo com levantamento do CBMAC, em 2017 foram registradas 2.445 ocorrências relacionadas a esse tipo de situação, sendo desse total 1.387 incêndios em vegetação com maior incidência no mês de agosto, com 509 registros.

Já os incêndios em residência unifamiliar (edificações destinadas a abrigar uma única família) somaram 377 ocorrências, com maiores índices nos meses de janeiro, com 48 ocorrências, maio e outubro, ambos com 42.

Incêndios em veículos de passeio resultaram em 62 ocorrências.

Buscas e salvamentos

Na categoria de busca de cadáver, em que são realizados mergulhos, foram registrados 75 casos, sendo novembro o único mês sem ocorrência do tipo. Quanto a afogamentos, o ano de 2017 acumulou 49 ocorrências. A cada 10 afogamentos registrados, ocorre em média um óbito.

Outro tipo comum de ocorrência é a captura de animais. Foram registradas 1.553 ocorrências desse tipo, alcançando uma média de 129 por mês. Somente no mês de julho o índice não totalizou ou ultrapassou 100 ocorrências, chegando a 69. Além de animais, também são realizados a captura e o controle de insetos: 1.074 em todo o ano de 2017.

Outras ocorrências

Atuando em situações de vazamento de GLP (gás de cozinha), os bombeiros atenderam 154 casos, sendo o maior número pertencente ao mês de setembro, que alcançou 25 ocorrências.

Acidentes automobilísticos chegaram a 279 ocorrências, com uma média de cerca de 23 por mês. Agosto e dezembro chegaram a 29.

Enquanto ferimento por arma de fogo chegou a 45 casos, ferimento por arma branca totalizou 38.

Todas as ocorrências de retirada de famílias que viviam em áreas alagadas ocorreram no mês de janeiro, acumulando 846 casos.

Ao todo, em 2017 foram registradas 34.424 ocorrências com presença dos bombeiros, sem contar orientações via telefone ou situações que se resolveram antes da chegada da viatura.

Para Falcão, o Corpo de Bombeiros é uma instituição cujos integrantes estão cada vez mais preparados para as mais diversas situações. Entretanto, apesar de não funcionar de maneira ostensiva como a Polícia Militar, o CBMAC tem adotado estratégias visando a aproximação ao público e a diminuição do tempo de resposta à população. “Durante o ano de 2017, nós realizamos operações de visibilidade, ou seja, saímos do quartel e colocamos nossas viaturas em pontos estratégicos da cidade para diminuir nosso tempo-resposta e para que a população sinta nossa presença”, ressalta.

O major relembra que o CBMAC faz parte do Sistema Integrado de Segurança Pública (Sisp) e que também são realizadas ações comunitárias. “Nós atendemos 1.500 crianças e adolescentes com o Bombeiro Mirim, 3.000 pessoas no Nadando com Os Bombeiros, formamos 400 guarda-vidas e realizamos palestras na rede pública de ensino”, acrescenta destacando que, neste ano, a meta é chegar ainda mais longe com as ações preventivas, e a inauguração dos colégios militares dos quais um, será administrado pelo CBMAC.

Investimentos

O comandante do Corpo de Bombeiros do Acre, Coronel Carlos Batista, ressalta que os números refletem o intenso trabalho da corporação, mas que são apenas resultado de grandes investimentos realizados ao longo dos últimos anos na gestão do governador Tião Viana.

“Desde 2011, o governo do Estado tem investido massivamente na corporação através da aquisição de equipamentos, viaturas, qualificação profissional, realização de concursos públicos, entre outras ações que valorizam o bombeiro. Além disso, o trabalho preventivo que nós realizamos é muito importante pois, sem esse trabalho, o número de ocorrências poderia ser bem maior”, pontua.

Esta notícia está na categoria Geral. Marcar o link.