Janeiro é mês crítico para o banco de sangue do Hemoacre

A ação ocorre durante todo o dia na sede do Hemoacre, localizado na Avenida Getúlio Vargas, ao lado do Teatrão.

Janeiro costuma ser um mês crítico para manter o estoque de bolsas de sangue no Centro de Hematologia e Hemoterapia do Acre (Hemoacre), que segundo o setor de capacitação, não se sabe ao certo nem capacidade de armazenamento do banco de sangue, pois a unidade sempre está com estoque no “vermelho”.

De acordo com a enfermeira responsável pela captação, Quésia Nogueira, se apenas 4% da população acreana fosse doadora de sangue, o Hemoacre não passaria por tantos apertos em relação ao estoque. Destacando que é o único banco de sangue existente no estado, responsável por atender a demanda de hospitais públicos e privados da capital e demais municípios que necessitarem do produto.

“Com a baixa já registrada no fim do ano, e sabendo que janeiro também é um mês de queda no número de doadores, precisamos acender esse alerta na população para a importância de doar sangue para salvar vidas. Um paciente em tratamento de leucemia, por exemplo, tem indicação de 9 bolsas de plaquetas a cada 12 horas. Tem dias que não conseguimos captar nem 10 bolsas de sangue no Hemoacre, sendo que a unidade é a única responsável em atender toda a demanda no estado”, atenta a enfermeira.

Pelo cadastro do Hemoacre, apenas 1,8% da população acreana é doadora de sangue, o que compromete o envio de bolsas de sangue para pacientes das unidades de saúde receptoras de maior fluxo, a exemplo do Hospital das clínicas, Hospital Infantil, Maternidade Bárbara Heliodora, Hospital Santa Juliana e Hospital de Urgência e Emergência de Rio Branco (Huerb).

Ainda segundo a responsável pelo setor de captação do Hemoacre, para manter um número confortável no estoque, é necessário uma média de 35 a 40 doações/dia, sendo que no período a unidade recebe em torno de 10 a 15 doadores diariamente. “Quando algumas pessoas se mobilizam em prol de um determinado paciente, conseguimos dobrar essas doações. Portanto, contamos com essa mesma ajuda, pois sabemos a força que tem a população quando quer ajudar e ser solidaria”, destaca Quésia.

Tem campanha vindo aí

Como estratégia para tentar manter o banco de sangue abastecido durante o período que registra baixa no número de doadores cadastrados, o setor de captação realiza, em conjunto com igrejas evangélicas, um mutirão de coletas na próxima segunda-feira, dia 22.

A ação ocorre durante todo o dia na sede do Hemoacre, localizado na Avenida Getúlio Vargas, ao lado do Teatrão – Teatro Plácido de Castro, em Rio Branco. Reforçando a afirmação da enfermeira responsável pela captação, Quésia Nogueira, se apenas 4% da população acreana for doadora de sangue, vidas serão salvas e o Hemoacre não terá dificuldades para atender a demanda da saúde do estado. Então, faça parte dessa porcentagem, e venha ser doador.

Esta notícia está na categoria Saúde. Marcar o link.