Coluna do Crica

O buraco é mais embaixo

Esta questão da buraqueira que tomou conta da cidade não deve ser vista pelos que estão no poder, apenas e tão somente como um problema urbano, mas, principalmente, como um sério problema político para a candidatura do prefeito Marcus Alexandre (PT). É de fácil explicação: ele construiu a sua imagem positiva em cima de ser um cuidador zeloso da cidade. E o que acontece na cidade hoje é a antítese deste perfil. É buraco dentro de buraco. Sabe-se que, por mais boa vontade que tenha não vai conseguir tapar os buracos que se proliferam por todos os bairros, até abril, quando deixará a prefeitura para se candidatar. Sabe-se que o cobertor financeiro da PMRB é curto. O cinto foi apertado no último buraco. Só que a população não analisa por este prisma, quer soluções. É bom lembrar que o grande capital eleitoral do prefeito Marcus é Rio Branco. Se não colocar aqui uma boa diferença sobre os adversários pode complicar-se, porque, o interior não é o seu forte. Ou o Governo entra numa parceria com a PMRB para abrir grandes frentes de serviços ou a vaca vai atolar no brejo. E a vice-prefeita Socorro Nery vai assumir tendo que descascar um belo de um abacaxi sem faca. Não atentaram que já estamos num ano eleitoral? Ou estão pensando que já ganharam a eleição?

UMA OBSERVAÇÃO

Um político das antigas do PT, hoje aposentado, fez ontem a seguinte observação: “estão deixando a arrogância subir na cabeça. Quando o PT estava no auge da popularidade, nunca lançamos dois candidatos do PT a senador, e agora, que estamos mal das pernas nós lançamos”. E completou: “isso passa para o eleitor uma atitude desprovida de humildade”.

SÓ CABEÇA

O PODEMOS e o PRB estarão juntos numa coligação para a disputa de vagas de deputado estadual. Serão quatros deputados: Josa da Farmácia (PODEMOS), Raimundinho da Saúde (PODEMOS), Juliana Rodrigues (PRB) e André da Farmácia (PRB). É uma chapa que tem cabeça, mas, se não tiver o resto do corpo, com candidatos bucha de canhão, tem balsa no porto.

LUZ VERMELHA

A pesquisa foi me mostrada com reserva, já que é para consumo interno do contratante. Mas posso dizer que, a luz está vermelha para o PT, nos municípios de Xapuri-Epitaciolândia- Assis Brasil-Brasiléia. Lembrar que, a FPA governa três deles. É um dado de momento, mutável, mas mostra que, nem sempre ter o prefeito ao lado, ajuda o candidato a governador do partido.

A DIFÍCIL ARTE

O fato de um candidato ao governo ter prefeitos aliados significa pouco, principalmente, num momento de crise política que se abateu sobre as prefeituras e deixa os gestores de mãos atadas, sem recursos para investimentos que as cidades requerem. Este é algo incontestável.

VALOR DAS PESQUISAS

Pesquisa não elege ninguém, serve de parâmetro para o candidato ter a noção do quadro de momento e mesmo porque nem começou a campanha. As pesquisas de junho em diante é que começarão a dar um quadro real da disputa de Governo e Senado, por a campanha estar na rua.

VIRULÊNCIA FORA DE TEMPO

Politicamente, não consigo captar qual o ganho para a candidatura do prefeito Marcus Alexandre (PT) a governador, o ataque de assessores do governo a movimentos organizados da Saúde, só acirra os ânimos. Marcus acabará pagando de graça por este angu encaroçado.

NENHUMA ANORMALIDADE

O debate entre o presidente do PT, deputado Daniel Zen (PT), e o presidente do PP, ex- deputado José Bestene, sobre a sucessão estadual e os seus protagonistas, foi bom para a democracia, porque foi travado em cima de idéias e isso faz parte de toda sucessão estadual.

NÃO PODE SER ESTÁTICO

O processo político não pode ser estático, algo comportado, especialmente, quando está em jogo o comando do Estado, que está duas décadas nas mãos do PT. O confronto mais duro ainda está por vir e é bom que aconteça mesmo, para deixar o eleitorado mais esclarecido.

CASO ENCERRADO

Uma figura importante do governo me informou ontem que, a questão do PRÓ-SAÚDE é fato consumado e que não há possibilidade de voltar atrás nas demissões e nas que estão por vir, dentro do cronograma traçado. “Mas vamos cobrar lealdade da nossa base, na questão do veto oposto pelo governador ao projeto aprovado na ALEAC”, avisou de maneira enfática.

CHAPA ENCORPADA

Com a adesão de dois primeiros suplentes de deputados; o Neném do Sindicato dos Bancários, e do fisioterapeuta Dr. Jeferson, a chapa da coligação PTB-PPS- SOLIDARIEDADE, ficou uma das mais encorpadas para deputado estadual e não elegerá menos de dois candidatos. Anotem!

SOBRE OUTRA ÉGIDE

A Assembléia de Deus rachou no meio. Parte está ligada ao Pastor Pedro Abreu e ao comando nacional, e o grupo do Pastor Luiz Gonzaga ficou ligado com o grupo da família Câmara, que é dissidente. O fato pode aproximar Luiz Gonzaga e Antonia Lúcia, que é do grupo Câmara.

DESAGRADOU EM CHEIO

A decisão do Pastor Luiz Gonzaga desarmou o Pastor Pedro Abreu de domínio total da Assembléia de Deus.

VOLTANDO PARA A DISPUTA

Antonia Lúcia (PR), que teve uma votação decepcionante quando tentou a reeleição de deputada federal, tentará de novo voltar este ano, mais forte, buscando outro mandato na Câmara Federal. O que tem pesado contra ela é não ter uma campanha bem organizada.

SEM UM NOME

Mais uma campanha se aproxima sem que o PT do Juruá consiga formar uma liderança do partido, naquela região, para disputar um mandato de deputado estadual. Até o PSB, bem menor, conseguiu ter uma candidatura viável, a da Delegada Carla Brito (PSB).

OUTRO ESPAÇO PERDIDO

Não é só no segundo maior colégio eleitoral do Estado que o PT não terá candidato próprio com densidade eleitoral. Também acontece no terceiro maior colégio, Sena Madureira. Falo de candidatura com condição de ganhar uma eleição, Tarauacá e Feijó, entenda-se!

CHAPÃO, JAMAIS!

O vereador Manuel Marcos (PRB) alertou ontem a FPA que, se não houver por qualquer motivo uma chapa de Federal dos pequenos partidos, o PRB não irá em hipótese alguma para o chapão do PT. “Estamos na FPA, mas em primeiro lugar para nós vem o PRB”, destacou.

RAIA PRÓPRIA

O deputado Jonas Lima (PT), que não tem o apoio do grupo que comanda o PT em Cruzeiro do Sul, tem votos na região por correr em raia própria. Na eleição deste ano deverá vir mais forte, porque conseguiu eleger o seu irmão Isac Lima, para a prefeitura de Mâncio Lima.

MAIS POLICIAIS

O governador Tião Viana vai colocar mais 500 policiais nas ruas, em breve. É salutar em um momento que a violência é uma crescente no Estado, principalmente, na Capital. Doze execuções já foram registradas em 2018. Mesmo o governo tendo investido na Segurança.

DEBATE PRINCIPAL

Não tenho dúvida de que a violência será o carro-chefe da campanha para o governo da oposição, por parte dos candidatos Gladson Cameli (PP) e Coronel Ulysses Araújo (PATRIOTA). É um tema grave com o qual o candidato do PT, Marcus Alexandre, terá que conviver.

NÃO HÁ COMO ESCAPAR

E não há como o candidato Marcus Alexandre (PT) não encarar o debate, porque o seu vice é o atual secretário de Segurança, Emylson Farias, mesmo que na campanha não esteja no cargo.

MARCANDO UMA POSIÇÃO

O fato do vereador Emerson Jarude e do publicitário Rodrigo Pires terem deixado o LIVRES é mais para marcar um posicionamento ideológico e assim deve ser respeitado. O ato não terá influência, seja na votação do candidato Jair Bolsonaro, no Acre, ou na candidatura do Coronel PM Ulysses Araújo ao governo. São situações completamente descoladas.

MARCA POSITIVA

O deputado federal Moisés Diniz (PCdoB) deverá repassar o mandato ao titular Sibá Machado (PT), no próximo mês de abril. O Moisés está deixando uma marca positiva, na sua curta passagem pela Câmara Federal. É improvável que venha disputar a reeleição pelo PCdoB.

SIMPATIA DO CANDIDATO

O deputado federal Major Rocha (PSDB) diz que na questão da escolha do médico Eduardo Veloso (PSDB) para ser o vice na chapa do candidato ao governo, senador Gladson Cameli (PP), esta partiu do próprio candidato, de quem tem a simpatia, e que o PSDB apenas deu o aval.

UMA OBSERVAÇÃO NA NEWS

A melhor colocação que ouvi, sobre o fenômeno da candidatura do Jair Bolsonaro á presidência e sua subida nas pesquisas, foi em um programa com cientistas políticos na GLOBO NEWS. Debitam a sua subida a uma lacuna que ficou com a lama em que se atolaram as lideranças tradicionais da política e por defender temas populistas como ser contra o aborto, contra o casamento gay, a favor da diminuição da idade penal, o fim do estatuto do desarmamento, maior liberdade para as ações policiais no combate aos bandidos, que agradam os setores mais conservadores do eleitorado, inclusive, os religiosos. As pesquisas estão mostrando que poderá sim chegar ao segundo turno. Melhor não lhe menosprezar.

:: Textos publicados nesta página são de inteira responsabilidade do colunista. Não refletem a opinião do Jornal.

.

Esta notícia está na categoria Crica. Marcar o link.