De helicóptero, Gladson Cameli e assessores vão a churrasco na fazenda de Vagner Sales

O Acre não é pobre, mas possui pobreza. Ao que parece, os miseráveis não estão nas vilas e periferias, mas na política. Há pobreza de espírito, sim. Me refiro a depauperação de propósitos. A ausência de pudor e vergonha.

O Acre não é um estado pobre. Além de possuir uma economia baseada em processos sustentáveis do ponto de vista socioeconômico e ambiental, que cresce ano após ano – a despeito da grave crise nacional, seu principal ativo é o povo. A gente acreana torna esse pedaço de Brasil um lugar muito rico.

Nesse sábado (06), a suntuosa fazenda de um “pobre” ex-prefeito rico foi visitada por outro rico “miserável”… o conviva foi a pé? A pé até interior de um helicóptero. Nesse equipamento que voa, desceu no vasto gramado da nababesca fazenda do “pobre” ex-prefeito Vagner Sales (PMDB).

Não era pra ninguém ficar sabendo da ostentação. O “pobre” político transportado, pré-candidato ao governo do Acre (diz que vai ao sacrifício para moralizar a política), não queria que seus eleitores ficassem sabendo de tamanha extravagância. Como a ordem do “pobre” nababo anfitrião Vagner Sales é de não se registrar imagens, estava tudo certo. Ledo engano…

Aquele era o dia de “rico” da vassalagem do “pobre” Senador.

Aí… Celular em punho e uma vontade incontida de aparecer, não seguraram. Os “ricos” Luciano e Neto, do estafe daquele “paupérrimo” Senador que quer ser governador, tascaram selfies e mais selfies. Como só registrar não satisfaz o ego, mandaram apenas para os contatos de confiança. Mas…

As imagens que já circulam nas redes sociais falam por si. Vagner Sales, do glorioso PMDB, o cicerone, precisa de nosso rico povo para eleger a “pobre” esposa deputada estadual. De quebra, nada mal para o Clã dos “pobres” Sales, mandar de volta para Brasília, em insalubre missão, a filha que irá trabalhar sem cessar pelo povo, aprovando aquelas reformas que acabam com privilégios trabalhistas e previdenciários, além de apoiar, com votos e discursos inflamados, o presidente Temer, que aumenta gasolina, diesel e gás de cozinha a cada dois dias.

Gladson Cameli, o conviva, aquele “pobre” político que adora o righ society e as festanças de Trancoso, mas que não dispensa um “avião de rosca” para seu deslocamento, também pedirá votos ao aquinhoado povo do Acre. Enquanto as eleições não chegam, os vassalos federais, Luciano e Neto, vão curtindo de montão. Êita lê lê!!!!!

Por Juruá em Tempo

:: Textos publicados nesta página são de inteira responsabilidade do colunista. Não refletem a opinião do Jornal.

.