Coluna do Astério

O pré-candidato a governador em 2018, coronel Ulisses, chegou pisando firme com as botas.

“Vou passar como rolo compressor por cima do Gladson e Marcus Alexandre”.

As urnas vão confirmar, ou não!

O governador Tião Viana (PT) participa de encontro mundial na Alemanha, a COP21, com destaque para o Acre.

Viabiliza cerca de R$ 113 milhões para o Estado com a Alemanha, Reino Unido e, provavelmente, Noruega.

Tem gente que reclama, mas é melhor do que ir jogar baralho ou viver pescando como faziam alguns no passado.

Até as datas cívicas não se comemorava mais!

Perde muito a Ufac se realmente o reitor Minoru Kimpara decidir disputar vaga no Senado pela Rede Sustentabilidade.

Suas chances, com todo respeito e seriedade de quem o admira, são mínimas.

Terá que atropelar Jorge Viana, Ney Amorim, Sérgio Petecão e Márcio Bittar, candidaturas já consolidadas.

Porém, um partido como a Rede precisa de candidaturas para entrar no jogo político, já que a cláusula de barreiras é navalha afiada.

A junção do DEM de Tião Bocalom e Alan Rick com o coronel Ulisses é um duro golpe na ideia de candidatura única da oposição ao governo.

Tião Bocalom foi muito humilhado em eleições passadas e está respondendo no mesmo nível.

Passou o vexame público de ser re-jei-ta-do para vice da deputada Eliane Sinhasique na disputa da prefeitura.

Ulisses, Bocalom e Alan Rick formalizam alternativa ao eleitor, uma terceira via.

Quem não gostou foi o ex-deputado federal Osmir Lima.

Ex-deputado estadual, agora cabo eleitoral profissional, manda recado para os que querem se eleger:

“No 0800 nem para apoiar a vó dele presidente do bairro Taquari”.

Dorme com essa, Macunaíma!

Vale ressaltar que a lei eleitoral prevê a contratação de cabos eleitorais para trabalhar nas campanhas.

Crime é comprar votos com ou sem listas.

Na Sobral tem um cabo eleitoral bastante conhecido que a cada eleição vende uma lista de eleitores para candidatos incautos.

A lista tem eleitores da eleição do Nabor Junior em 1982.

Muitos clientes do São João Batista e Jardim da Saudade.

O candidato bobalhão desesperado para se eleger compra os votos no escuro.

Resultado: depois da eleição lá se vai o cabo eleitoral reformando a casa, trocando de carro e viajando de férias.

Bem feito, Macunaíma!

O ex-deputado Chico Viga, hoje filiado ao PTB, está com os dois pés na oposição. O PT está encarregado de conseguir outra sigla viável na FPA se não quiser perdê-lo.

O gargalo é que os partidos nanicos não querem Chico na chapa, já que sua volta para a Assembleia é quase certa.

Pois deveriam querer!

Relaxa Chico Viga, o PTB não vai forçar nem punir candidato que escolha senador e governador livremente.

Assessoria de imprensa da prefeitura de Brasiléia informando que Fernanda Hassem está recuperando ramais.

Na verdade Brasiléia (tenho visitado a cidade) mudou completamente, ruas e praças recuperadas, além dos cuidados com a limpeza pública e outras ações.

Quem vai a Acrelândia também se surpreende com a boa gestão do prefeito Ederaldo Caetano de Sousa (PSB).

A presença ostensiva da policia nas ruas já reduziu o numero de assaltos, roubos e assassinatos.

Não é a solução definitiva, mas melhora muito.

Peixeiros do mercado Elias Mansour oferendo tucunaré de primeira, vale a pena.

Feriado quarta, ponto facultativo quinta, feriado sexta, sábado e domingo é por conta de Deus…

Agora me diga se um país desses vai pra frente?!

“Vai sim”, diz o Macunaíma aqui ao meu lado, “querem matar a gente de trabalhar”.

Tinha que ser ele, tinha que ser!

Depois de uma conversa de pé de orelha do conselho politico da oposição, o senador Gladson Cameli (PP) mudou de postura.

Quem ouviu a conversa diz que o mandaram “emprenhar ou sair de cima”.

No jargão politico é fazer o que deve ser feito para quem quer viabilizar uma candidatura de governador.

:: Textos publicados nesta página são de inteira responsabilidade do colunista. Não refletem a opinião do Jornal.

.

Esta notícia está na categoria Asterio. Marcar o link.