Acre é o segundo estado com menos mortes no trânsito, aponta estudo

A quantidade de acidentes de trânsito que fazem vítimas fatais também reduziu em 43,48%, além da quantidade geral de acidentes de trânsito nas vias estaduais que teve uma queda de 14,14%.

 Por Daigleíne Cavalcante 

A pesquisa leva em consideração dados de 2015 e indica que no Acre foram registrados 115 óbitos em decorrência de acidentes nas vias (Foto: Detran Acre).

O Retrato da Segurança Viária 2017 , feito pela Companhia de Bebidas das Américas (Ambev) e parceiros, aponta o Acre como o segundo estado brasileiro com menor número de mortes no trânsito.

O estudo tem o objetivo de auxiliar a elaboração de políticas efetivas de combate aos acidentes de trânsito e leva em consideração informações obtidas por meio do cruzamento de dados de diversos órgãos como a Associação Nacional dos Transportes Públicos (ANTP), a Confederação do Transporte (CNT), Sistema Único de Saúde (SUS) e o Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), entre outros.

A pesquisa leva em consideração dados de 2015 e indica que no Acre foram registrados 115 óbitos em decorrência de acidentes nas vias, um número 17% menor que no ano anterior, ficando atrás apenas do Amapá, que apresentou 93 mortes no trânsito.

Dados nacionais

O Retrato da Segurança Viária 2017 mostra que o Brasil registrou uma baixa histórica no indicador de mortalidade devido a acidentes. O número absoluto das fatalidades, nas ruas e estradas do país, apresenta redução de 16%, levando em consideração o período entre 2010, ano em que o Brasil aderiu à Década de Segurança no Trânsito da Organização das Nações Unidas (ONU), e 2015.

Os dados mostram que o Brasil avançou, mas ainda vive uma situação alarmante. De acordo com o relatório, os acidentes são a segunda causa de morte não natural no país, sendo que em 2015 mais de 39 mil pessoas perderam a vida no trânsito, além das mais de 203 mil que ficaram feridas.

Acre segue avançando

Em maio de 2017 o Acre ultrapassou a meta de redução de mortes no trânsito apontada pela ONU, que era de 50% em um período de dez anos. Em apenas seis anos o estado atingiu uma redução de 58 % no número de mortes nas vias, ao passo que o aumento da frota foi de 38% e o crescimento da população, de 9%.

Os dados mais atuais do Departamento Estadual de Trânsito (Detran) mostram que, se for levado em consideração o índice de vítimas fatais para cada dez mil habitantes, comparando os períodos de janeiro a setembro dos anos de 2016 e 2017, a redução de mortes em vias estaduais é de 40,54%, sendo 53 mortes no ano passado e 33 no ano atual.

A quantidade de acidentes de trânsito que fazem vítimas fatais também reduziu em 43,48%, além da quantidade geral de acidentes de trânsito nas vias estaduais que teve uma queda de 14,14%.

“Acreditamos que um trânsito sem mortes é possível. Por isso temos investido em ações que disseminam a cultura de paz nas vias, apostando na orientação e educação para todas as faixas etárias, na fiscalização, quando necessária, e em projetos de engenharia que contribuam nesse sentido. Porém, precisamos que cada cidadão adote comportamentos seguros, obedecendo às leis de trânsito” afirma o diretor-geral do Detran, Pedro Longo.

Esta notícia está na categoria Geral. Marcar o link.