Coluna do Astério

Em 2012, quando eu ainda era deputado, apresentei uma PEC que extinguia a aposentadoria de ex-governadores.

A PEC protegia apenas as viúvas de ex-governadores, principalmente Fatima Almeida, cujo marido, Edmundo Pinto, foi assassinado em São Paulo no exercício do mandato.

Protegia também aqueles que não tinha outra fonte de renda como a exemplo do ex-governador Romildo Magalhães.

Quem fosse Empresário, fazendeiro, ocupante de cargos públicos não poderia mais receber.

O governador Tião Viana (PT), sou testemunha, me disse que da parte dele não teria problema algum em eu apresentar a PEC.

Sabiamente o então presidente da CCJ, deputado Moises Diniz (PCdoB) me disse que seria melhorar aguardarmos a decisão do STF, que julga o caso há anos.

Recuei por orientação de Moisés Diniz e fiz o que era certo. Fui triturado pela oposição e algumas pessoas que nunca me aceitaram na política.

Hoje agradeço a Deus e ao deputado Moisés por não ter feito o que fez o deputado de oposição Gehlen Diniz (PP). O tempo é o senhor da razão.

Reafirmo que à época Tião Viana disse que eu poderia, como deputado de sua base, apresentar a PEC para acabar com aposentadoria de governadores.

Sei também que Gehlen Diniz agiu bem intencionado, mas poderia ter ouvido o conselho do presidente do seu partido, o PP, o ex-deputado José Bestene.

Furacão categoria cinco em Brasília

Operação do presidente Michel Temer (PMDB) para salvar o senador Aecio Neves (PSDB) está dando o que falar.

STF x Senado, dois gigantes da república estão no confronto aberto.

A bem da verdade, o senador Aecio Neves está mais sujo do que pau de galinheiro, mas segundo a Constituição, só o Senado pode afastá-lo.

O erro do Senado foi não cassar o seu mandato na Comissão de Ética.

O angu está feito, e bem feito!

Em política não tem café da manhã, almoço e janta de graça. Tudo é pago e muito bem pago.

Principalmente para o eleitor.

Vai aprendendo essa aí, Macunaíma!

Eleitor do coronel Ulisses manda mensagem para dizer que ele pode, sim, ganhar a eleição para governador em 2018 pelo Patriota.

Segundo ele, o povo está de saco cheio e quer profundas mudanças.

O povo quer dinheiro, emprego, bem estar, e alguém que pague suas contas.

A Câmara está retomando novamente a reforma política, agora vai…pro brejo!

Até o dia sete de outubro poderemos ter muitas novidades, inclusive, o financiamento público das campanhas eleitorais.

Com o meu, o seu, o nosso dinheiro!

Vai aqui sugestão de um leitor da Coluna: que os partidos cobrem dízimos e ofertas como fazem as igrejas.

As primícias, que é o grosso da doação, alguns políticos já recebem.

É o que indica a Lava Jato.

O PT x Palocci é outra briga bonita.

Alguém perguntava ontem onde o Palocci conseguiu um computador na prisão para escrever a carta contra o PT e o Lula.

As cartas e notas do Eduardo Cunha são feitas à mão.

Faz sentido a pergunta!

Por ventura estaria alguém por trás do Palocci nessa delação tão metafísica?

Como diz a Maria aqui em casa, "sei não, ó"!

:: Textos publicados nesta página são de inteira responsabilidade do colunista. Não refletem a opinião do Jornal.

.

Esta notícia está na categoria Asterio. Marcar o link.