Coluna do Astério

O pastor Agostinho, da IBB, é um dos líderes mais respeitáveis do Estado e não apenas na questão espiritual.

Muitos podem até questioná-lo, mas nunca se eximiu de indicar, apontar caminhos aos fiéis sem querer impor nada a ninguém.

Um democrata!

Na verdade, nos últimos tempos tem se dedicado bastante a IBB que em sua gestão alargou muito as tendas.

O presidente do PDT, deputado Luís Tchê, andava pisando nas tamancas por conta da não oficialização do vice no lançamento de Marcus Alexandre.

Calma Tchê, tudo tem seu tempo determinado.

Mais do que ninguém o Tchê sabe que na FPA há todo um processo de construção para não comprometer a unidade.

Sempre foi assim, e sempre será.

Não vi, mas me disseram que o deputado federal Moisés Diniz (PCdoB) estava com cara de poucos amigos no evento que lançou Marcus Alexandre.

“Pero no lo creo”…

Não é do feitio do Cacique.

A questão do PCdoB envolve uma das leis da física: dois corpos não ocupam o mesmo lugar no espaço.

Para federal ou Perpétua Almeida ou Moisés Diniz, razão pela qual procuram espaço para vice.

É da política, Macunaíma!

E-mail aqui diz que, na onda separatista mundial, o ex-vereador Cabide quer desmembrar o Calafate da capital.

Segundo ele, é uma das regiões mais ricas da cidade, tipo a Catalunha.

A produção dele é (ou era) de detergente caseiro.

Com a provável saída do deputado Éber Machado do PSDC o partido voltou para as mãos do ex-vereador José Afonso.

Data/Folha aponta:

Lula 36%, Bolsonaro 18% em um eventual 2º turno.

Muito cedo para essas previsões apocalípticas!

“Meu filho, diz dona Rosa da Estação, se o Bolsonaro fosse ao menos general quatro estrelas eu podia pensar em votar nele, mas um capitão para presidente do Brasil é muito pouco”.

Isto, segundo a dona Rosa!

A propósito, a tendência do nome do coronel Ulysses na atual conjuntura política e social é crescer.

É quase certo que leve as eleições para um 2º turno.

Já se discute a futura presidência da Assembleia Legislativa a partir de fevereiro de 2019.

É do jogo, mas vale lembrar que o futuro a Deus pertence.

Segundo Salomão, o homem faz muitos planos mas a resposta certa vem do Senhor.

Pelas articulações em andamento é fácil prever que o deputado Daniel Zem (PT) será o mais votado em 2018.

Pelo andar da carruagem ele bate os 11 mil votos do Ney Amorim na eleição passada.

Como bem me disse uma eleitora de Tarauacá nas eleições de 2010:

“Senhor, o jogo aqui é bruto”.

Dirigentes de partidos nanicos estão cientes do fim melancólico que suas agremiações terão a partir das eleições de 2018.

O Brasil é aqui, Macunaíma!

:: Textos publicados nesta página são de inteira responsabilidade do colunista. Não refletem a opinião do Jornal.

.

Esta notícia está na categoria Asterio. Marcar o link.