Laudo confirma que incêndio em comércios na capital foi intencional

Incêndio destruiu 12 comércios próximos ao Mercado Elias Mansour.

incedio4O laudo do Corpo de Bombeiros apontou que o incêndio que destruiu ao menos 12 pequenos estabelecimentos comerciais, nas

proximidades do Mercado Municipal Elias Mansour, no Centro de Rio Branco, no dia 11 de dezembro foi intencional. De acordo com o major Argemiro Santos, o laudo não aponta o autor do crime, apenas as causas do incêndio.

“Cabe à polícia fazer a investigação para tentar identificar o real suspeito desse incêndio, mas foi verificado que o incêndio é realmente criminoso. O incêndio foi identificado no terceiro local de baixo pra cima, onde ficavam localizados o antigo Bar do Nico e o Bar do Gaúcho”, afirma.

De acordo com o major, é possível identificar que o incêndio é intencional pelos características da queima. “Foi encontrada uma característica de queima intensa no local identificado como foco inicial. Excluímos as causa naturais, como raio e combustão espontânea, e também a causa por fenômeno termoelétrico. Embora a instalação elétrica do local estivesse em precárias condições, não foi essa a causa do incêndio”, afirma.

O prefeito Marcus Alexandre informou que algumas medidas estão sendo tomadas para que o impacto nas atividades comerciais seja amenizado. “Nós recebemos o laudo do Corpo de Bombeiros, que concluiu que o incêndio foi criminoso. A área continuará interditada porque a Defesa Civil vai entregar o laudo da ocupação daquele lugar na próxima segunda-feira (30)”, disse.

Além dos laudos, o prefeito disse ainda que alguns comerciantes já foram transferidos para outros locais,  para continuar com a suas respectivas atividades. “Abrimos um espaço em um galpão no porto da Cadeia Velha para quem quiser se instalar, principalmente para os comerciantes que têm atividades ribeirinhas. No calçadão, eu também autorizei a construção de estruturas temporárias, outros pediram espaço no Mercado Elias Mansour. Não conseguimos atender todos, mas estamos em busca de uma solução para amenizar o sofrimento dos comerciantes”, ressalta.

Veriana Ribeiro Do G1 AC

Colaborou Paulo Henrique Nascimento, da TV Acre.