Governador do Pará, Simão Jatene pede medidas urgentes de combate à violência

“Queremos que a União exerça seu papel de União, mas que também discuta com cada unidade federativa suas especificidades”, disse Simão Jatene, governador do Pará.

 Por Concita Cardoso / agencia.ac 

O governador do pará, Simão Jatene, falou durante o Encontro de Governadores do Brasil pela Segurança e Controle das Fronteiras e destacou a necessidade de união entre os entes federados, mas principalmente a necessidade de a União exercer seu papel.

“O meu sentimento é de esperança de que esse Encontro de Governadores do Brasil Pela Segurança Pública seja um divisor de águas na tentativa de encontrarmos soluções eficazes no combate à criminalidade  em todo o país”,  disse o governador do Pará, Simão Jatene.

Para ele, ninguém ousaria não reconhecer a gravidade e urgência na resolução do problema. “O desafio é não esperar sair da crise para que medidas de seguranças sejam adotadas. A proposta de criação do fundo para a segurança pública é um sentimento generalizado”, confessou o governador.

Ainda segundo ele, essa é uma situação de emergência que exige respostas imediatas de forma a barrar a violência. “Caso contrário, não sabemos aonde vamos chegar. A sociedade precisa e espera respostas urgentes dos governos federal e estadual”, frisou.

Em sua fala destacou ainda a urgência dos estados se unirem para dar respostas concretas na área de segurança pública: “Não podemos esquecer que, ao discutir a Amazônia, não podemos esquecer dos rios. Temos que nos unir para pensarmos uma ação conjunta respeitando as  especificidades de cada região. Vivemos um  momento com uma sociedade descrente. A intolerância tem ocupado a mente das pessoas”, observou.

O desafio do encontro, de acordo com Jatene, é ser capaz de criar mecanismos para buscar soluções de combate à violência.  “Existe um país olhando para as decisões que vamos tomar aqui hoje no que diz respeito a questão da segurança pública”, anunciou.

:: Textos publicados nesta página são de inteira responsabilidade do colunista. Não refletem a opinião do Jornal.

.