Vídeo: Diretor Valmir Brito afirma haver fraudes na eleição da AMOPREBE em Brasiléia

Valmir ao se sentir lesado procurou o Ministério Público e registrou um Boletim de Ocorrência em virtude do que vem acontecendo.

 Por Alemão Monteiro 

O diretor da Associação dos Moradores e Produtores da Reserva Extrativista Chico Mendes de Brasiléia e Epitaciolândia (AMOPREBE) Valmir Brito da Silva, em entrevista a nossa redação afirmou que a comissão eleitoral da associação está praticando fraude nestas eleições de 2017.

Segundo Valmir que como diretor está enfrentando várias dificuldades tendo em vista que a comissão eleitoral está negando informações das atas das Assembleias, lista de presença da Assembleia e também informações dos recibos de quitação dos sócios dentro da AMOPREBE, informações negadas pelo senhor Manoel que é tesoureiro da associação e também de outros membros do conselho.
 
Valmir alega também que ao obter a lista de votantes pôde perceber que os nomes dos moradores da mesma comunidade dele que por sinal encontram-se quitados não estão na lista de votantes e o diretor afirma ainda que a documentos com a assinatura do tesoureiro senhor Manoel comprovando o pagamento deles.

De acordo com o estatuto as pessoas aptas a votarem precisam está filiadas a pelo menos um ano e um mês, mas atualmente tem pessoas que não eram sócios e agora estão aptos a votarem com os nomes na lista de votantes com data retroativa de um ano e pouco atrás, segundo Valmir nesse momento a comissão não teria condições de controlar a lista de votantes da reserva por núcleo de base (local onde o sócio vota), pois que o núcleo de base não tem o mapa de cada núcleo individual, o mesmo afirma ainda que tem pessoas de um local de votação que foram transferidos para outro local na qual eles não fazem parte e não é a área dele e isso para Valmir é uma fraude tendo em vista que os transferidos não tem conhecimento dos fatos.

O diretor diz ainda que tem encontrado dificuldades na comissão eleitoral com esse processo da eleição, uma vez que o regimento interno diz que a comissão eleitoral tem que fazer o processo eleitoral em condições neutras nem a favor de uma e nem de outra candidatura e como diretor Valmir tem observado que isso não está acontecendo tendo em vista que a comissão eleitoral tem facilitado para uma candidatura e dificultado para outra e não está sendo feito um processo legítimo como está no regimento.

Valmir ao se sentir lesado procurou o Ministério Público e registrou um Boletim de Ocorrência em virtude do que vem acontecendo.

 Veja o Vídeo