Natex gera empregos e fortalece extrativismo no Alto Acre

Natex gera mais de 150 empregos diretos. Fábrica tem capacidade para produzir até 100 milhões de unidades de preservativos por ano. Equipes da ONU já conheceram a gestão da fábrica e sua forma de produção.

Localizada em Xapuri, a fábrica de preservativos masculinos Natex completou recentemente 11 anos com motivos para comemorar, como a geração de empregos na região e o fortalecimento do extrativismo no estado, graças ao trabalho realizado em parceria com a comunidade.

A Natex foi instituída por meio de decreto e é ligada à Fundação de Tecnologia do Acre (Funtac). Atualmente é responsável pelo fornecimento de 15% dos preservativos distribuídos pelo Ministério da Saúde (MS).

Com sua missão estratégica de preservar as florestas, a fábrica acreana mantém contrato com o MS para atender demandas de até 90 milhões de unidades de produtos por ano. Além do Acre, a Natex fornece preservativos para Brasília, Rondônia, Mato Grosso, Minas Gerais e São Paulo.

Sustentabilidade e valorização das reservas extrativistas

A fábrica é resultado de projeto governamental com o intuito de valorizar o potencial florestal do Acre, assim como as famílias que residem em meio à floresta.

É a única do mundo, nesse segmento, que tem sua base de produção na utilização do látex natural extraído manualmente seguindo práticas tradicionais e contribuindo com a sustentabilidade econômica e social da floresta tropical.

A Natex gera mais de 150 empregos diretos e envolve cerca de 700 famílias na extração e venda do látex ao estabelecimento.

Parceria em vista

O modelo sustentável de produção tem atraído olhares de instituições, como a Organização das Nações Unidas (ONU), que já sinalizou por meio do Fundo de Populações das Nações Unidas (UFNPA), o objetivo de estabelecer a inclusão da Natex no catálogo do fundo, que distribui preservativos para outros países. Assim, ela seria a primeira da América do Sul a compor a lista referendada pela ONU.

Além disso, o objetivo da parceria que deve se firmar por meio de cooperação técnica é fazer com que a Natex possa ter um preço de produto mais competitivo que seja praticado, sobretudo, na América Latina.

Três visitas agendadas pela ONU já foram realizadas no Acre para dar andamento ao processo de habilitação da fábrica. Em uma delas, a oficial de Programa Anna Cunha e a assessora de Saúde Sexual e Reprodutiva do UNFPA, Nair Souza, frisou: “Esse modelo de fábrica é algo inovador no mundo e nos deixou extremamente encantados”.

Sobre o UNFPA

O fundo está presente em mais de 150 países e abrange diferentes eixos, como saúde reprodutiva, educação e direitos da criança e do adolescente.

Desde 1996, é responsável pela aquisição de insumos que envolvem questões de saúde reprodutiva, intermediando por meio de catálogos o fornecimento para o setor público.

Para a diretora-técnica da Funtac, Silvia Basso, essa parceria vem para garantir a sustentabilidade econômica do empreendimento e da própria comunidade e impactar socialmente ainda mais as famílias que vivem em torno dela.