Coluna do Amaral

Gladson "Liberal" poderá levar a floresta acreana abaixo

Governo "liberal"

Parece que o Gladson Cameli (PP) quer atrair o Tião Bocalom (DEM) com um discurso “desenvolvimentista”. Isso se deduz com divulgação pelo Instituto Liberal do Acre – ILAC, de um documento que sinaliza com o rompimento de uma Política de governo petista “conservacionista” para um governo do agronegócio, com ênfase na agricultura e pecuária. (a volta da destruição em massa das décadas anteriores da motosseras e tratores skidder´s). Se o retrovisor for o caso de Rondônia que citam como Estado à frente de nossa economia, deveriam falar sobre os impactos na natureza e na sociedade. No mundo atual não basta apenas ser liberal, precisa ser um liberal contemporâneo. A ideia de destruir tão somente para gerar riquezas a qualquer custo, não encontra mais guarida na sociedade global. Nem "vaca mecânica", nem só agricultura e "boi verde". As proposta do pré candidato precisam ser claras quando ao futuro do ecossistema acreano.


Galeria dos presidentes decadentes

Para a tristeza dos brasileiros e insônia dos políticos, Gleice não é um caso isolado de envolvimento com acusações em investigações de corrupção. Também fazem parte dessa galeria vergonhosa: o Presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB), acusado de receber propina para liberar MP para Odebrechet (na planilha “índio”); Presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM), apelidado de Botafogo, acusado de fazer parte de um esquema de propinas da construtora Odebrecht com dois inquéritos na Lava Jato; Presidente Temer (PMDB), primeiro Presidente denunciado por corrupção e responder crime durante mandato; E não se pode esquecer do Aécio Neves (PSDB) que foi afastado da presidência do partido acusado de corrupção passiva e obstrução de justiça.

Campanha de acusações

Imagina-se que a campanha eleitoral para presidente terá poucos dias para o cavalheirismo até que saia a primeira pesquisa de intensões de votos. O ideal seria que todos se poupassem, visto que não há quase ninguém que não esteja acusado de alguma coisa. Mas, isso é irreal. O contra ataque será inevitável para deixar gaguejando o adversário e o público balançando sua opinião.

Ovos “à la carte” em 2018

Chuva de ovos em direção a Dória (PSDB-SP), sofrida em Salvador pode ser um sinal de que a sucessão presidencial de 2018 virá cheia de revanchismo e com rusgas do racha do país dos pró PT e anti PT. Se os políticos forem tratados com saraiva de ovos como na Bahia, que as granjas aumentem a produção para o ano que vem. Esse é o nível da política que os políticos deixaram alcançar no país. Perderam o respeito e agora nada mais interessa ao povo a não ser esperar uma reforma política de verdade.

Dória divide a gema com Maduro

No desconforto de ter tido sua cabelo penteadinho no gel sujo por um ovo, Dória se revoltou em Salvador, quando ia receber o título de cidadão Soteropolitano na Câmara Municipal. Chegou a dizer que os manifestantes deveriam ir para a Venezuela “defender o (presidente Nicolás) Maduro: “Vá para Venezuela, os esquerdistas que querem o mal do Brasil, vão lá defender o Maduro, jogar ovo lá na Venezuela.

Maduro quer carnificina na Venezuela

O presidente da Venezuela que busca se perpetuar no poder a qualquer custo a base de mudança constante na Constituição, perseguição de opositores e morte de civis, quer fazer o enfrentamento da maior crise da América Latina com fuzil e milícias, já matou pelo menos 73 civis desde abril, denuncia investigações da ONU. Nada pior poderia sair de um governo que anunciou no mesmo período que iria treinar e armar uma milícia de 1 milhão de partidários de Chaves e do bolivarianismo.

Evo Morales observa a Venezuela

Os países de projeto bolivarianos(Bolívia, Colômbia, Equador, Panamá, Peru e Venezuela), observam atentos aos desdobramentos do que acontece na Venezuela. Evo Morales, Bolívia (MAS) que está em seu terceiro mandato ambiciona criar condições para reeleição de maneira indefinida em seu país. Se isso fosse no Brasil seria o caos. Com mandatos de 8 anos já é sofrido para o povo, imagina perpétuo como acontecia no regime militar.

Recolonização da América Latina

Evo Morales alertou ontem a comunidade latino-americana sobre a possibilidade de intervencionismo dos Estados Unidos na América do sul a fim de se apossar das riquezas dos pobres. Em suas palavras, eles sempre inventam uma manobra pra justificar as invasões nas terras estrangeiras: “O pretexto é o mesmo de sempre: democracia, direitos humanos, terrorismo, tudo com o mesmo verniz, a mesma comédia midiática que os EUA usam desde sempre para se apropriar dos recursos naturais”.

Relógio da violência

A Lei Maria do Penha completa 11 anos de existência (07 de agosto de 2006) e cria o”Relógios da violência”, que faz uma contagem, minuto a minuto, do número de mulheres que sofrem violência no país.

Acre é o 5º estado em feminicídio no Brasil

Segundo pesquisa Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) e o Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP) que resultou no Atlas de violência publicado em 2016, o Acre é o 5º estado em feminicídio no período de 2004 a 2014, que apresentou taxa de mortalidade por homicídio de mulheres acima da média nacional (4,6), sendo eles: Amapá (4,8), Bahia (4,8), Pernambuco (4,9), Paraná (5,1), Rio de Janeiro (5,3), Acre (5,4). Isso mostra que a Lei Maria da Penha não tem muito o que ser comemorada por não resolver o problema dos homens doentios e homicidas e a insegurança das mulheres que denunciam seus parceiros. Elas morrem muito antes de receberem socorro do Estado brasileiro.

Bloqueio da comunicação dos presidiários

A ideia difundida de implantar bloqueadores de celulares em todos estado, embora pareça interessante aos olhos da população e do governo, podem não sair do papel a tempo ou esbarrarem com o tempo nas brigas de tribunais por interromper o sinal das operadores nas circunvizinhanças. Problema este verificado em outras unidades da federação que percorreram o mesmo caminho.

Serviço de vigilância do Acre

“A situação está devidamente controlada, mediante a ação das forças de segurança pública, que estão em campo, para prevenir e reprimir as práticas criminosas, além do constante monitoramento realizado pelos serviço de Inteligência.” Esse é o tipo de pronunciamento dos agentes de segurança pública que deixa qualquer um encucado. Como será o serviço de inteligência que os criminosos furam o bloqueio e a previsibilidade vai por terra…

Emenda que precisa de remendo

As emendas dos deputados federais Flaviano Melo e Jéssica Sales (ambos do PMDB) que destinaram recursos para Rondônia tem dado pano para as mangas. E a justificativa da deputada não ajudou muito não. Segundo ela, atendeu ao pedido da também deputada federal Marinha Raupp (PMDB), esposa do senador Valdir Raupp (PMDB). O dinheiro seria para o Hospital do Câncer de Porto Velho. Se for pedido por pedido, quantos não foram feitos pelas prefeituras falidas do Estado. Passa até a impressão que estamos bem obrigado e vamos dar a sobra pra quem precisa. Apoiar uma entidade de saúde, principalmente quando se trata de Câncer não deixa de ser importante. Mas será que haverá recíproca dos parlamentares rondonienses em relação ao Hospital de Câncer do Acre – UNACON?

Ninho espatifado

A vereadora Elzinha Mendonça (PDT), está com nome a disposição para disputar a vaga de deputada estadual nas próximas eleições. Depois da separação com o atual deputado Heitor Júnior (PDT), tendo desvinculado do mesmo projeto, agora os dois disputarão vaga no mesmo nicho da Associação de Portadores de Hepatite do Acre. Nessa situação, o ditado ou vai ou racha tá de pé.

Pérolas da semana

“Não tenho muito entusiasmo pelo que estou vendo. O PSDB está se enrolando todo. Vai acabar perdendo a chance”. Armínio Fraga (ex presidente do Banco Central na gestão FHC – PSDB)

“Quanto a Janot (Procurador Geral da República), eu o considero o procurador mais desqualificado que já passou pela história da procuradoria. Ele não tem condições. Na verdade, ele não tem preparo jurídico nem emocional para dirigir um órgão dessa importância”, afirmou ontem o ministro do STF, Gilmar Mendes em entrevista à Rádio Gaúcha. (Folha)