Saúde dos adolescentes e jovens é tema de seminário

População jovem

11

Marcelo Torres

O governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado de Saúde (Sesacre), promove o I Seminário Estadual de Cuidado Integral à Saúde dos Adolescentes e Jovens. A ação ocorrerá nos dias 19, 20 e 21, no auditório do Pinheiro Palace Hotel, no centro de Rio Branco.

Durante os três dias, serão ofertados e discutidos subsídios para que adolescentes e jovens possam construir habilidades e definir projetos de vida, de modo que seu pleno potencial seja alcançado.

Com base nesses fatores, o seminário irá oferecer a gestores, profissionais de saúde e sociedade civil organizada elementos para uma intervenção que permita acolhimento e responsabilização diferenciada e integral para essa população, investindo em educação, orientação e estimulo à participação masculina, planejamento reprodutivo e outros.

“Nos segundo e terceiro dias, será realizada oficina com participação dos 22 municípios, divididos por região de saúde, permitindo planejar ações concretas para melhoria e resolutividade das necessidades de adolescentes e jovens do Estado”, enfatiza a gerente da Saúde de Adolescentes e Jovens da Sesacre, Maria Luisa Escudeiro.

De acordo com Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o Acre possui mais de 700 mil habitantes, sendo que 216 mil têm idade entre 10 e 24 anos, representando 30% da população. Esse número é mais expressivo na população indígena, que representa 51,8% de jovens entre 0 e 14 anos.

Governo realiza formação de 98 Agentes Indígenas de Saúde

Alunos indígenas estudando sobre o tema “Atuando na Promoção da Saúde”, para contribuir com as suas comunidades

Tamara Smoly

“Nosso governador Tião Viana tem ajudado muito o povo indígena”, disse o Agente Indígena de Saúde, Antonio Jaminawa (Foto: Tamara Smoly/IDM)

“Nosso governador Tião Viana tem ajudado muito o povo indígena”, disse o Agente Indígena de Saúde, Antonio Jaminawa (Foto: Tamara Smoly/IDM)

O governo do Estado, por meio do Instituto Dom Moacyr (IDM), realiza a formação de Agentes Comunitários Indígenas de Saúde (Acis) para qualificar profissionais do Distrito Especial Indígena da região do Alto Rio Purus, totalizando sete polos com a formação de 98 agentes de saúde.

O objetivo é capacitar os indígenas que já atuam em suas comunidades na área da saúde para que possam desenvolver a prevenção de doenças de maneira mais efetiva. Os Acis atuam na prevenção de doenças e agravos, realiza visitas em domicílios, acompanhamento para tratamento médico e encaminhamento de pacientes às unidades de saúde e de tratamento hospitalares.

A formação contempla região do Alto Rio Purus com as etnias Kulina-Madjá, em Manoel Urbano; Kaxinauwá, em Santa Rosa do Purus; Manchineri e Jaminauwa, em Assis Brasil; Apurinã, Jamamadi e Kaxarari, em Boca do Acre, no Amazonas; Paueni, Extrema de Rondônia e Sena Madureira.

O curso, que teve início em julho de 2012 – com término previsto para o primeiro trimestre de 2014, foi dividido em três eixos de 200 horas. Neste período está ocorrendo o segundo eixo sob a temática “Atuando na Promoção da Saúde”. As atividades são realizadas no município de Plácido de Castro, sob a mediação da enfermeira Adrina Nascimento.

Os indígenas trazem conhecimentos e práticas de saúde da vivência em suas comunidades, cujo objetivo da formação é fortalecer a medicina tradicional indígena dialogando com a medicina do não índio.

A formação tem como parceiros o Ministério da Saúde, Governo do Estado, Secretaria Estadual de Educação e Esportes (SEE), Secretaria de Estado de Saúde do Acre (Sesacre) e a Secretaria Especial de Saúde Indígena (Sesai).

O aluno Antonio Jaminawa, morador da aldeia Igarapé, em Sena Madureira, disse que a formação serve para a aquisição de mais conhecimento sobre saúde e que isso poderá ajudar ao seu povo. “A gente já aprendeu a cuidar da água com o cloro, pesar crianças, orientar os parentes quando estão com diarreia, usando também a medicina indígena, com ervas e chás. Nasci e me criei na aldeia, lá é bom, a gente se alimenta da caça e da pesca, da banana, macaxeira, cana, tudo natural. Não tenho vontade de morar na cidade. O nosso governador Tião Viana, tem ajudado muito o povo indígena”, explana Antonio.

Segundo o diretor-presidente do IDM, Marco Brandão, “o governo do Acre tem empenhado grande esforço para beneficiar os indígenas, com especial atenção à saúde, para a melhoria da qualidade de vida das comunidades em todo o Estado”.

Número de adultos fumantes, no Brasil, diminuiu nos últimos anos

Fumantes passivos e ambientes 100% livres de fumaça

Álefe Souza

Cristiane Marques, estudante de jornalismo, sai "de fininho" de perto de quem está fumando. "Me faz sentir mal". (Foto cedida: Arquivo pessoal)

Cristiane Marques, estudante de jornalismo, sai “de fininho” de perto de quem está fumando. “Me faz sentir mal”. (Foto cedida: Arquivo pessoal)

Em 17 de novembro comemora-se o Dia Mundial do Não Fumante. A data foi criada para alertar a população sobre os riscos associados ao consumo de tabaco e também para incentivar os fumantes a deixarem o hábito, já que um terço da população mundial adulta – aproximadamente 1,3 bilhões de pessoas – é fumante, segundo informações da Organização Mundial de Saúde (OMS).

No Brasil, 12% da população, na faixa etária acima de 18 anos, é fumante. Os dados são da pesquisa de Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel), de 2012. A boa notícia é que esse é o menor percentual já registrado desde que a pesquisa começou a ser feita, há seis anos, quando 15,6% dos brasileiros maiores de 18 anos se declaravam fumantes.

Para a gerente da Divisão de Doenças Crônicas da Secretaria de Estado de Saúde (Sesacre), Adriana Lobão, essa diminuição pode ser atribuída à proibição de publicidade, promoção e patrocínio do tabaco.

“As estatísticas mostram que a proibição é uma das mais significantes estratégias para se reduzir a experimentação e o consumo dos produtos derivados do tabaco. O Brasil já avançou bastante nas restrições à propaganda e publicidade, ao contrário da maioria dos países que não possui proibições abrangentes”, afirma Adriana.

A Convenção-Quadro para o Controle do Tabaco (CQCT), primeiro tratado internacional de saúde pública da Organização Mundial de Saúde (OMS), tem como compromisso extinguir toda a publicidade, promoção e patrocínio do tabaco.

Conforme dados da OMS, a promoção de produtos de tabaco está intimamente ligada à iniciação de crianças ao tabagismo. A Pesquisa Especial sobre Tabagismo (PETab), realizada em 2008 pelo Ministério da Saúde e IBGE, demonstra que 80% dos fumantes brasileiros começaram a fumar antes dos 19 anos e 20% com menos de 15.

Combate ao vício

O governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado de Saúde (Sesacre), trabalha na ampliação e estruturação do Programa Nacional de Controle de Tabagismo (PNCT), oferecendo capacitação para os profissionais das unidades de saúde que aderiram ao programa.

“O tratamento das pessoas tabagistas deve ser feito nas unidades básicas de saúde (UBS), de acordo com a portaria 571/2013 do Ministério da Saúde”, diz Adriana Lobão.

Durante o mês de outubro, a equipe da divisão esteve em Cruzeiro do Sul e outros municípios do Juruá e Envira para ministrar as capacitações. Em Novembro é a vez da regional do Alto Acre. Segundo a gerente, o objetivo é expandir a oferta do tratamento para o fumante, possibilitando a quem deseja parar de fumar, maiores oportunidades e facilidades para iniciar o tratamento.

Pesquisas apontam que 80% dos fumantes desejam parar de fumar, mas apenas 3% conseguem sozinhos. “O tratamento pode ser feito individualmente ou em conjunto e tem como objetivo que o fumante desenvolva habilidades que o ajudarão a permanecer sem fumar. Se necessário, pode ser utilizado medicação”, finalizou Adriana.

Fumantes passivos e ambientes 100% livres de fumaça

A estudante de jornalismo Cristiane Marques nunca fumou, mas convive diretamente com familiares e amigos que fumam. “Não gosto, porque sei que mesmo que eu não fume, me faz mal, pois mesmo que não queira, acabo ingerindo a fumaça”, diz.

Cristiane faz parte dos dois terços da população mundial que não fuma, mas sofre com os efeitos do cigarro. Ela é uma fumante passiva. O tabagismo passivo é a 3ª maior causa de morte evitável no mundo, subseqüente ao tabagismo ativo e ao consumo excessivo de álcool.

Fumantes passivos também sofrem os efeitos imediatos da poluição tabagística ambiental, tais como, irritação nos olhos, manifestações nasais, tosse, cefaléia, aumento de problemas alérgicos, principalmente das vias respiratórias e aumento dos problemas cardíacos, principalmente elevação da pressão arterial e angina (dor no peito).

Outros efeitos a médio e longo prazo são a redução da capacidade funcional respiratória (o quanto o pulmão é  capaz de exercer a sua função), aumento do risco de ter aterosclerose e aumento do número de infecções respiratórias em crianças.

Sete estados e 23 municípios brasileiros já  entenderam a importância da adoção de ambientes 100% livres da fumaça do tabaco e aprovaram legislações próprias, aperfeiçoando a Lei Federal 9.294/96 e implementando ambientes públicos e privados 100% livres da poluição tabagística ambiental. Para isso, contaram com o apoio das secretarias estaduais e municipais de saúde além da população, promovendo assim, políticas públicas saudáveis.

No Acre, a Lei Municipal 1.764 de cinco de novembro de 2009 proíbe o consumo de cigarros e outros produtos fumígenos, derivados ou não de tabaco, em ambientes de uso coletivo, públicos ou privados.

Hemoacre mobilizam população para doação de sangue

A ação conjunta dos estudantes de Fisioterapia mobilizou várias captações.

Mobilização por doadores chamou a atenção de muitas pessoas, que resolveram participar da campanha (Foto: Assessoria Sesacre)

Mobilização por doadores chamou a atenção de muitas pessoas, que resolveram participar da campanha (Foto: Assessoria Sesacre)

Cristiane Marques

O Centro de Hematologia e Hemoterapia do Acre (Hemoacre), em parceria com acadêmicos do curso de Fisioterapia da União Educacional do Norte (Uninorte), realizou uma campanha de doação de sangue, no Centro de Rio Branco, na manhã desta sexta-feira, 8.

O objetivo da ação foi estimular e conscientizar a população sobre a importância de ser um doador voluntário. Além da coleta de sangue, estavam sendo oferecidos, também, testes de glicemia e aferimento da pressão arterial.

De acordo com a gerente de captação de doadores do Hemoacre, Marlice Aquino, a ação conjunta dos estudantes de Fisioterapia mobilizou várias captações. “Na primeira vez em que o motorista foi para o hemocentro, ele levou 20 bolsas de sangue coletadas , o que é inédito na unidade móvel, porque, durante a movimentação normal, sem essa parceria, coletamos em torno de 15 a 20 bolsas. Com as parcerias, muitas vezes, conseguimos até 50”, relatou.

Para a acadêmica do curso de Fisioterapia Élica Costa, fazer parte dessa conscientização é muito gratificante. “A princípio, procuramos o Hemoacre com o intuito de alcançar mais doadores, tendo em vista a necessidade constante de voluntários. Então, aderimos a esse tema e estamos há um mês divulgando o trabalho”, contou a estudante.

Quem pode doar

Para doar sangue, a pessoa deve comparecer a um centro de captação, com documento de identificação pessoal, ter entre 16 e 68 anos de idade, pesar mais de 50 quilos e estar em boas condições de saúde.

Onde doar

Na sede do Hemoacre (Avenida Getúlio Vargas, 2.787, Rio Branco – Acre) ou no ônibus itinerante, que fica em diversos lugares da capital, ao longo do mês. Outras informações no telefone (68) 3228-1494 (horário comercial).

Hospital do Câncer atendimento a pacientes Fora de Terapêutica

Pacientes que estão em estado de FTP são aqueles que já passaram por todos os tipos de tratamento

Equipe do Hospital do Câncer em visita à casa de um paciente (Foto: Cássia Veras/Sesacre)

Equipe do Hospital do Câncer em visita à casa de um paciente (Foto: Cássia Veras/Sesacre)

Cássia Veras

“As feridas profundas que ele tinha já estão quase saradas. Cuidam do meu irmão com carinho e respeito. Demonstram amor pelo que fazem, e isso reflete no trabalho que realizam, sem contar a facilidade de não precisarmos ir todos os dias ao Hospital do Câncer”, são as palavras da irmã de um paciente atendido pelo programa “Cuidados Paliativos”.

Cuidados Paliativos – também conhecido como Cuidados de Final De Vida – é o programa feito, desde 2009, com pacientes Fora de Possibilidade Terapêutica (FTP), do Hospital do Câncer do Acre (Unacon), unidade do complexo Hospital das Clínicas (HC) de Rio Branco.

Pacientes que estão em estado de FTP são aqueles que já passaram por todos os tipos de tratamento contra o câncer como cirurgia, quimioterapia, radioterapia e outros. Quando diagnosticado o paciente é encaminhado à equipe de cuidados paliativos que passa a acompanhá-lo.

A equipe é composta por uma médica, uma nutricionista, uma fisioterapeuta, uma psicóloga, dois enfermeiros, duas assistentes sociais e um motorista. Atualmente, o grupo atende 22 pessoas com câncer, que são assistidos em suas casas, e na Unacon, quando estão ser internados.

E.J., 41 anos, portador de câncer no cérebro, recebe em sua residência, todos os dias, a visita de um dos especialistas que compõe a equipe para as avaliações de rotina. A nutricionista, por exemplo, constrói o cardápio do paciente a partir das necessidades de proteínas e vitaminas que ele necessita. Segundo a médica Holda Moreno, coordenadora da equipe, os suplementos e proteínas que o paciente precisa são de conhecimento do hospital.

O trabalho da fisioterapeuta é auxiliar a família no cuidado com o paciente, evitando o aparecimento de úlceras de pressão – feridas que aparecem onde existem proeminências ósseas. Os procedimentos incluem exercícios respiratórios e fisioterapia motora para que o corpo não perca suas funções.

A psicóloga faz uma atividade com a família de preparação e conscientização, em relação ao estado de saúde do paciente, com o objetivo de promover melhor qualidade de vida durante o tratamento.

O enfermeiro cuida da medicação seja ela via oral, intramuscular ou venosa e assistência domiciliar. Juntos ao médico, esses profissionais fazem a prática do bem cuidar, no qual o médico é quem organiza toda equipe.

As famílias são as que mais agradecem ao atendimento diferenciado. Maria Socorro Gomes é irmã de E.J. e diz ficar “sem palavras” ao ver o irmão melhor e em casa.

“Não fazemos esse trabalho para curá-los do câncer, cuidamos dos sintomas da doença, isto é, feridas, inchaços e outros. Nosso real papel é de amenizar a dor e o sofrimento dessas pessoas, que são seres humanos e precisam da nossa atenção. Além disso, não tratamos apenas do paciente, mas também dos familiares. O acompanhamento da psicóloga é mais com as pessoas da família que estão em contato direto com o portador de câncer, pois a estabilidade emocional nesses casos é indispensável”, afirma Holda Moreno.

Órgãos de um doador morto beneficiam quatro pessoas

O doador, de 42 anos, morreu em um acidente automobilístico

Em breve o Acre realizará também transplante de fígado (Foto: Angela Peres/Secom)

Em breve o Acre realizará também transplante de fígado (Foto: Angela Peres/Secom)

Cássia Veras

A Central de Transplantes do Hospital das Clínicas (HC) de Rio Branco recebeu, na noite desta terça-feira, 12, mais uma doação de órgãos. A captação foi feita pelos integrantes da Organização de Procura de Órgãos (OPO) no Hospital de Urgência e Emergência de Rio Branco (HUERB).

O doador, de 42 anos, morreu em um acidente automobilístico, com evolução de morte encefálica – perda irreversível das funções cerebrais. A família se prontificou a doar os órgãos. Foram captados as duas córneas e os dois rins.

Os rins estão sendo remetidos ao Pará, por não serem compatíveis com os pacientes da lista de espera do Acre. Já as córneas serão aproveitadas aqui no estado.

“Quatro pessoas serão beneficiadas com uma única doação. Nós estamos muito agradecidos à família do doador”, disse a coordenadora da Central de Transplantes, Regiane Ferrari.

A coordenadora anuncia, ainda, que o Acre está em 2º lugar no ranking nacional de notificações, a cada milhão de habitantes. “Esta é a nossa sétima doação efetiva deste ano. Em relação ao ano passado, dobramos a quantidade de captações. É significativo o avanço que o Estado tem feito quanto à doação de órgãos”, relatou.

O Ministério da Saúde (MS) reconhece o potencial de doadores que o Estado do Acre possui, com seus investimentos em capacitação dos profissionais da área. Na primeira semana de dezembro, 13 integrantes da OPO de Rio Branco, entre médicos e enfermeiros, irão assistir a um curso sobre “manutenção de potencias doadores”, ministrado no Hospital Israelita Albert Einstein, em São Paulo.

Segundo Regiane, a equipe está se apropriando de mais uma conquista: o transplante de fígado, que passará a ser realizado no Estado. Com isso, o Acre será o segundo estado da Região Norte a oferecer esse serviço de saúde.

“O fato é muito gratificante para todos nós, pois seremos referência em toda região, sem contar que possibilitaremos mais qualidade de vida aos acreanos. Mas para isso é imprescindível a conscientização das pessoas para a doação de órgãos”, avalia a coordenadora.

Chinês espera por vaga em hospital com faca na cabeça

Segundo imprensa local, objeto foi “espetado” após uma suposta “briga de brincadeira”

Vítima aguardou atendimento calmamente Reprodução/Weibo

Vítima aguardou atendimento calmamente
Reprodução/Weibo

As imagens de um homem em um hospital do nordeste da China, que aguardava pacientemente por sua vez em uma sala de espera com metade de uma faca fincada em sua cabeça, circularam amplamente nesta quarta-feira (30) pelas redes sociais do país, onde os internautas se perguntam como alguém pode ter tanta calma.

As fotografias são de um hospital da cidade de Yanji, na Província de Jilin, onde é possível ver como um homem espera na entrada do consultório médico e permanece sentado de braços cruzados, quase sem se mover.

Os internautas o apelidaram de o “Irmão Calmo”, enquanto informações da imprensa local esclareceram que o homem, de meia-idade e cujo nome não foi revelado, teve a faca cravada em sua cabeça durante uma briga de brincadeira com os amigos.

Mecânicos resgatam bebê que vivia há dois anos em porta-malas de carro na França

A vítima quase não sentia dor quando chegou ao hospital e, aparentemente, a faca não atingiu o interior da cabeça, por isso não deixou lesões cerebrais e foi retirada com facilidade, informaram os médicos do hospital onde ocorreu o fato, anexo à Universidade de Yanbian.

Aparentemente, o “Irmão Calmo” não apresentou denúncia contra seus amigos, e evitou fazer declarações à imprensa, enquanto o hospital se negou a oferecer mais informações sobre sua identidade.

FONTE-R7

Rio Branco registra 50 casos de catapora em apenas uma semana

Apesar do número, enfermeiro diz que é normal aumento neste período.

Catapora no Acre

Catapora no Acre

Ao menos 50 casos de pacientes com catapora foram confirmados na última semana do mês de outubro, pelo setor de Divisão de Doenças Transmissíveis da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa). Altamente contagiosa, a doença é caracterizada pela presença de febre e pintas vermelhas que ficam espalhadas pelo corpo.

Apesar do número parecer ‘alarmante’, o enfermeiro da Divisão de Doenças Transmissíveis da Semsa, Ericksson Castro explica que neste período o aumento é considerado normal.

“Comparado aos anos anteriores, eles estão dentro da normalidade, mas claro que nós sabemos que há muitas pessoas que adoecem e não procuram as unidades de saúde ou quando nós temos conhecimento dos casos já se passaram muitos dias e a gente não tem muita ação a fazer”, diz.

A transmissão da catapora, ou varicela, é feita através de contato íntimo e também pelo ar. Uma das formas de evitar a transmissão é a vacina, disponibilizada pelo Ministério da Saúde (MS). Mas, de acordo com Jacksson, a vacina ainda é restrita por indicações médicas.

“Tem a vacina, mas não na rede básica, nos centros e postos de saúde. Ela é imunobiológica-especial e aí é por indicação médica mesmo”, diz o enfermeiro.

Se mesmo com todos os cuidados o adulto ou a criança ainda contrair a doença, existem algumas dicas para que o período não seja tão danoso ao doente.

“Em primeiro lugar, evitar coçar as bolhas para que não se tornem feridas. Sei que isso é a parte mais difícil, porque realmente em um determinado momento ela coça bastante. Em segundo lugar, se manter afastado do seu ambiente de trabalho, em isolamento, porque dois dias antes do aparecimento das bolhas até dois ou três dias após o aparecimento é o período de transmissão da doença”, explica Jacksson.

Para o enfermeiro, é importante que os pais não mandem as crianças à escola, para que não haja um surto local. Outro cuidado especial deve ser tomado com as gestantes. O enfermeiro continua e diz que é necessário manter distância das grávidas e enfermos, já que a gestante pode absorver um quadro muito mais grave por conta da gestação, mas não algo que vá levar a óbito.

Colaborou Evely Dias, da TV Acre.

Hospital realiza cirurgia de próstata no AC

Cirurgias de próstata serão realizadas pelo Hospital das Clínicas.

Cirurgias de próstatas serão oferecidas gratuitamente (Foto: Reprodução/TV Integração)

Cirurgias de próstatas serão oferecidas gratuitamente
(Foto: Reprodução/TV Integração)

Durante a Campanha Novembro Azul, criada para estimular o cuidado do homem com a saúde em todo o Brasil, ações voltadas para o tema serão desenvolvidas pelos municípios do Acre com o apoio do Programa Estadual de Saúde do Homem do Acre. Em Rio Branco, a partir do dia 18, tem início a quinzena da próstata.

Cirurgias de próstata devem ser oferecidas gratuitamente durante o período de duas semanas por uma equipe médica que contará com o suporte técnico do serviço de urologia do Hospital das Clínicas na capital. De acordo com o urologista e coordenador do Programa Estadual de Saúde do Homem Mauro Trindade, é uma forma de ‘desafogar’ a fila de espera para homens que possuem adenoma [tumor em sua maioria benigno] na próstata.

“É um problema muito sério, apesar de não ser o câncer, mas causa danos imensos ao homem. Então, vamos realizar as cirurgias utilizando todo os equipamentos necessários do HC [Hospital das Clínicas]”, comenta.

Ainda segundo Trindade, o Novembro Azul trabalha principalmente com os cuidados preventivos. De forma geral, a programação desenvolvida pelos municípios inclui exames e atendimentos médicos.

“Tiramos dúvidas e realizamos atendimentos, com o foco principal na saúde masculina, uma vez que alguns homens ainda apresentam certa vergonha em fazer o exame de próstata”, diz.

O coordenador explica ainda que é importante estimular o homem para que ele procure cada vez mais cedo o médico, seja para falar de problemas como diabetes e hipertensão e até mesmo disfunção erétil de maneira natural para que possa receber o tratamento o quanto antes.

“Ainda existe uma certa timidez do homem. A cultura de só procurar o médico quando pressionado pela família, ou quando a situação se agrava, e é aí que nós entramos. Fazendo ações para fomentar o cuidado com a saúde do homem, fazendo exames, a gente trabalha sempre com a prevenção, prestando esclarecimentos, tirando dúvidas e realizando atendimentos”, diz

FONTE-Do G1 AC

Governo Realiza Mais um Mutirão De Cirurgia Em Brasiléia

O mutirão foi trazido para o município graças ao esforço e  preocupação da Coordenadora Leila Galvão

Preocupação da Coordenadora Leila Galvão

Preocupação da Coordenadora Leila Galvão

No ultimo sábado dia 02, o Governo do Estado, através da Coordenadoria de Saúde no Alto Acre, realizou durante todo dia no Hospital de Brasiléia, o terceiro Mutirão de cirurgia de  hernia e vesícula.

O mutirão foi trazido para o município graças ao esforço e  preocupação da Coordenadora Leila Galvão ao entender que era mais fácil deslocar os profissionais de saúde, (Médicos, enfermeiros e assistentes), para realizarem as cirurgias onde residem os pacientes, ao invés levar os pacientes até a capital Rio Branco, onde a junta médica atende.
Entre crianças, jovens e adultos foram feitas 15 cirurgias, ao todo o mutirão já atendeu em suas três etapas 51 pessoas, e deve acontecer novamente dependendo da demanda na regional.
NOTICIAS DA FRONTEIRA