Deputada Jéssica Sales tem título cancelado e pode ficar inelegível por esquecer biometria

Candidata à reeleição, onde disputaria a uma cadeira na câmara federal, Jéssica Sales (MDB) pode ficar inelegível nas eleições de 2018.

A filha do ex-prefeito, Vagner Sales, não realizou o recadastramento biométrico e teve o seu título de eleitor cancelado pelo Tribunal Regional Eleitoral. 

Candidata a deputada federal, ela pode ser considerada inelegível nas eleições deste ano. Desta forma, inapta a votar, ela também não estaria apta a receber votos nestas eleições.

Apesar dos vários  meses de recadastramento biométrico na cidade cerca de 11 mil pessoas ficaram com problemas com a Justiça Eleitoral em Cruzeiro do Sul, esses títulos foram cancelados na cidade. A Deputada Jéssica Sales foi uma dessas pessoas. 

Devido à baixa procura, João Carlos de Godoy, chefe do cartório de Cruzeiro do Sul, lamentou a baixa procura, uma vez que o atendimento foi reforçado para atender os eleitores durante todo o período. “Ampliamos nossa estrutura de atendimento pra melhor atender os eleitores durante todos os meses. Infelizmente a procura foi muito aquém de nossa capacidade de atendimento.”, disse Godoy durante uma entrevista a imprensa no ano passado.

PERDI O PRAZO PARA FAZER A BIOMETRIA, E AGORA?

Quem não fez o recadastramento biométrico até o dia 9 de maio de 2018 terá o título de eleitor cancelado.
Isso quer dizer que, o eleitor não poderá votar nas eleições de 2018 e, aos olhos da Justiça Eleitoral, é considerado inadimplente com suas obrigações.

Tudo isso porque votar é uma obrigação expressa na Constituição Federal. Além de um direito de todo cidadão brasileiro.

E, por ser considerado a base da nossa democracia, entendeu o legislador constituinte que o descumprimento deveria gerar certas consequências.

Apesar de não concordar em alguns aspectos, não vou entrar no mérito dessa questão. Basta você entender que: é assim porque tem uma lei que diz que é assim que deve ser.

CONSEQUÊNCIAS PARA QUEM PERDEU O PRAZO DA BIOMETRIA

A consequência para quem perdeu o prazo para fazer a biometria é o cancelamento do título de eleitor.

Esse cancelamento gera algumas consequências (dificuldades) para quem não está em dia com a Justiça Eleitoral.

Quem tiver com a inscrição eleitoral cancelada não pode obter a certidão de quitação eleitoral, que é necessária para adquirir vários direitos.

Veja o que o eleitor que teve o título cancelado não pode fazer:

A) Não pode se inscrever em concurso publico;

B) Não pode receber salário, aposentadoria ou pensão paga pelo governo federal (Bolsa Família, por exemplo) ;

C) Não pode participar de concorrência pública;

D) Não pode obter empréstimo, desde que não se trate de instituição bancária privada;

E) Fica impedido de obter Passaporte, Carteira de identidade e CPF;

F) Não pode matricular-se em estabelecimento de ensino oficial ou fiscalizado pelo governo;

G) Também não pode praticar qualquer ato para o qual se exija quitação do serviço militar ou imposto de renda.

Fonte: .juruaemtempo

Deputada Leila Galvão destaca 12 anos de criação da Lei Maria da Penha

A deputada Leila Galvão (PT) destacou na sessão desta terça-feira (7) os 12 anos de criação da Lei Maria da Penha, sancionada em 7 de agosto de 2006.

Por Mircléia Magalhães

A lei, que é um importante marco para a defesa dos direitos das mulheres no Brasil, foi responsável por avanços significantes no combate à violência doméstica e de gênero, mas, segundo a parlamentar, muitas mulheres ainda são violentadas diariamente no país.

“A Lei Maria da Penha, que foi sancionada pelo ex-presidente Lula, trouxe avanços importantes no que diz respeito ao combate à violência contra mulher. Mas, infelizmente, muitas mulheres ainda são violentadas diariamente no Brasil. São trabalhadoras autônomas, servidoras públicas, donas de casa, que precisam ser tratadas como pessoas. Desde a instituição da Lei Maria da Penha obtivemos avanços importantes nesse cenário, mas muito ainda precisa ser feito”, disse.

A deputada também falou da importância da atuação dos centros de referências para a mulher e das delegacias especializadas. “Esses espaços são tão importantes no combate à violência contra a mulher que nós precisamos de mais. Nós precisamos mudar essa realidade. Para se ter uma ideia, quatro mulheres são espancadas diariamente de todas as formas no Acre. O Brasil é o 4º no ranking no que diz respeito à violência contra mulher, isso é inadmissível. Nós precisamos que as instituições se mobilizem”, complementou.

Leila Galvão informou ainda que está elaborando um projeto de lei que garantirá ações efetivas, de forma inclusiva para as mulheres acreanas. “Esse PL que visa implantar o ‘O botão da vida’ no Estado, garantirá ações efetivas de uma forma mais inclusiva em diversos setores. A matéria já está sendo discutida juntamente com assessoria jurídica desta casa, com o gabinete da vice-governadora do Estado e com a Secretaria de Políticas Públicas para a Mulheres. O intuito é garantir de fato o direito de todas as mulheres acreanas”, afirmou.

Para concluir, a deputada falou da convenção da Frente Popular do Acre, que foi realizada no último sábado (4), em Brasileia. O evento, que aconteceu no ginásio Eduardo Lopes Pessoa, marcou a última convenção da FPA, oficializando o nome de Marcus Alexandre e Emylson Farias (vice) como candidatos ao governo do Estado do Acre.

“Foi um evento lindo que mostrou a força da Frente Popular. Nós temos orgulho de ter um candidato ao governo do Acre responsável que está preparado para governar esse Estado. ”, finalizou.

Câmara de Brasiléia realiza Vigésima Segunda Sessão Ordinária de 2018

Aos todos nove vereadores participaram da Vigésima Segunda Sessão Ordinária que aconteceu nesta terça-feira, dia 07 de Agosto de 2018. 

Por Larissa Bandeira CMB

A Vigésima Segunda Sessão Ordinária do segundo ano legislativo da décima quarta legislatura do município de Brasiléia, que foi realizada nesta terça-feira, dia 07 de agosto e contou com a presença dos vereadores: Charbel Saad (PP), Edu Queiroz (PT), Francisco Valadares (MDB), Joelso Pontes (PP), Zé Gabriele (PSB), Marquinhos Tibúrcio (PSDB), Rozevete Honorato (PSB), Sabá Moraes (PT) e o Presidente Rogério Pontes (MDB).

Nesta Sessão, houve a Moção de Aplausos para a Banda de percussão BANPEK, um reconhecimento de autoria do Vereador Zé Gabriele – PSB, pelo trabalho realizado pelos jovens da cidade de Brasiléia, em nome da Gestora Ivana Cristina; Regente Sean Mesquita, Coreografo Alef Correia e Mor Etwino Johhãn.

O Vereador Edu Queiroz (PT), no uso de suas atribuições, parabenizou a Prefeitura pela obra de restauração no Posto José Maria de Souza, no centro e reforçou novamente o seu pedido de quebra-molas em frente as Escolas, colocando faixas com elevação.

O Vereador Francisco Valadares (MDB), no uso de suas atribuições, solicitou para a Prefeitura, através da Secretaria de Obras, que realizasse uma melhoria no Ramal do Nazaré, bem como no Ramal do km 59.

O Vereador Joelso Pontes (PP), no uso de suas atribuições, solicitou que a Prefeitura, através do setor competente possa fazer melhorias na Rua José Thomé de Castro, no bairro Alberto Castro, solicitou que o Secretário de Planejamento, compareça na Câmara Municipal, com o intuito de prestar esclarecimentos do andamento das obras. Fez um apelo para realização de uma melhoria no bairro 28 de maio, assim como a Rua Kairala José Kairala, bem como a continuação da Rua Manoel Ribeiro e melhoria no Ramal da Alegria do Carmo, solicitou ainda que fosse encaminhado um Oficio para o ITERACRE, pedindo o envio dos títulos dos bairros e fez um pedido de informação do Campus da Fronteira, em relação a realização dos cursos.

O Vereador Zé Gabriele (PSB), no uso de suas atribuições, parabenizou a Prefeita e toda a sua equipe pelos avanços do município de Brasiléia, bem como o reconhecimento da Banda de percussão BANPEK pela dedicação.

O Vereador Rozevete Honorato (PSB), no uso de suas atribuições, comentou sobre as visitas na zona rural, parabenizou os trabalhos realizados pela Prefeitura em prol do desenvolvimento da cidade e fez um breve reconhecimento à Banda de percussão BANPEK.

Governador Tião Viana visita empreendimentos da Fazendinha na Expoacre

A produção de mel é um dos destaques entre as cadeias produtivas que agregam valor comercial.

Por Agnes Cavalcante

Todos os anos a Fazendinha, espaço que reúne empreendimentos da agricultura familiar, atrai milhares de famílias. Acompanhado pela primeira-dama Marlúcia Cândida, o governador Tião Viana esteve no local na noite deste sábado, 4, para visitar os estandes e conferir avanços do setor no estado.

Com a representatividade de uma economia diversificada, a Fazendinha concentra empreendimentos individuais, associações e cooperativas que trabalham com produtos que vão do açaí e buriti à criação de aves, peixes e suínos, derivados do leite e óleos da Amazônia, entre outros.

“Todos os produtos que se possa pensar que trazem satisfação e prazer ao ingerir como alimentos estão concentrados nesse espaço e transformados em economia e renda para as famílias”, frisou Tião Viana.

A produção de mel é um dos destaques entre as cadeias produtivas que agregam valor comercial por ter como fator importante a conservação das florestas. “Quando assumimos tinham 35 famílias criadoras de abelhas no Acre e hoje são 1.225, o que mostra uma evolução enorme da agricultura familiar”, acrescentou o governador.

Tião reiterou ainda que os resultados são frutos de investimentos na ordem de R$ 500 milhões garantidos pela Secretaria de Extensão Agropecuária e Florestal (Seaprof) para o fortalecimento do pequeno produtor no Acre.

Anselmo Forneck é diretor de produção da Cooperativa Acremel, que completou cinco anos recentemente de fomento à apicultura e meliponicultura no estado. Quase 50 famílias estão envolvidas diretamente no trabalho e mais de 100 de forma indireta.

“Dentro da política do governo do Estado, nós tentamos contemplar produtores que trabalham com a apicultura, que é a abelha com ferrão, e a meliponicultura, que é a abelha sem ferrão. Aqui na Expoacre temos mel tanto de uma como da outra. Tem mel puro, centrifugado, em favo e para todos os gostos e bolsos”, comenta Forneck.

Óleos da Amazônia

Outro destaque na Fazendinha são produtos que utilizam matéria-prima vegetal, como os óleos da Amazônia. A Cooperativa Nova Cintra, conhecida como Coopercintra, é responsável pelo gerenciamento da produção de quase 200 famílias direta e indiretamente.

A base que dá origem a diversos produtos fitocosméticos e fitoterápicos é o murmuru, espécie que garantiu à cooperativa contratos fixos de exportação para empresas que fazem a aquisição de insumos para a fabricação de cosméticos.

Por ser um mercado em potencial para o setor industrial, o trabalho com oleaginosas tem tido olhar especial da Fundação de Tecnologia do Acre (Funtac), importante aliada no processo de consolidação da cooperativa ao realizar análises e emissão do laudo.

Fotos postadas nas redes sociais confirmam que veículo da prefeitura de Assis Brasil foi usado em convenção

Veja abaixo o Secretário Municipal de Saúde Antônio Jesus Rios, vulgo Tony, que estava na convenção junto de sua equipe e autorizou a ida da Vam com o objetivo de levar os aliados.

Por Alemão Monteiro

Depois da denúncia de que uma Vam de placa NZX 6553 da Secretaria Municipal de Saúde de Assis Brasil foi utilizada para levar militantes partidários para convenção de Gladson Cameli, várias fotos foram postadas nas redes sociais que mostram o grupo dentro do veículo e no local onde aconteceu o evento político.

As fotos deixam claro que as pessoas transportadas em um veículo oficial da Prefeitura de Assis Brasil tinham o objetivo único e exclusivo de participar da Convenção do pré-candidato Gladson Cameli.

A certeza da impunidade fez com que essas pessoas publicassem as imagens que poderiam complicar a vida dos gestores que autorizaram a viagem.

São fotos dentro do veículo e depois no local da convenção ao lado de políticos e correligionários.

Clique no link e veja matéria relacionada

DEM diz que foi enganado por Marcio Bittar e não apoiará nenhum dos candidatos ao Senado pela oposição

Os membros da executiva estadual do Democratas (DEM) reuniram-se na manhã deste sábado (4) e decidiram que o partido não vai apoiar nenhum dos candidatos ao Senado pela oposição.

A decisão registrada em ata aconteceu após o descumprimento de um pré-acordo para indicar o primeiro suplente de Marcio Bittar. Os dirigentes afirmam que foram enganados pelo emedebista.

Segundo os dirigentes do DEM, há dois meses, eles firmaram um acordo com Márcio Bittar, o que garantiria, em tese, que o Democratas indicaria o primeiro suplente, mas durante a convenção do DEM na manhã de hoje, questionado, Marcio Bittar informou que seu primeiro suplente de seria Eduardo Veloso (PR). O DEM é o único partido com mandato Federal que não está na chapa majoritária.

A cúpula do DEM acredita que Marcio Bittar descumpriu o acordo por causa de um acerto financeiro para ajudar na sua campanha. Diante do rompimento com Bittar, os candidatos ao senado pela oposição não aparecerão nas propagandas eleitorais e nem poderão usar o tempo de TV do partido no horário eleitoral gratuito. Também não serão mencionados em propagandas na internet.

Durante a fala de Marcio Bittar na convenção do Democratas, o ex-vereador de Tarauacá, Edmar Rodrigues fez uma intervenção e questionou se o emedebista cumpriria o acordo de ceder a primeira suplência para o DEM. Bittar baixou a cabeça e disse: “sem chances”, forçando o partido tomar a decisão na mesma hora que não apoiará nenhum dos candidatos ao Senado pela oposição.

O secretário geral do DEM, Paulo Ximenes destaca que os democratas cansaram de ceder pela unidade da oposição, que de agora para frente apoiará apenas a candidatura de Gladson Cameli (Progressistas) ao governo do Acre. “O bom político tem que ter palavra. O DEM é um partido com mandatos, um partido que sempre trabalhou pela unidade, mas sempre foi desrespeitado”, destaca.

O dirigente ressalta que o DEM tem um deputado federal, um deputado estadual e sete vereadores no Estado, enquanto o PR de Eduardo Veloso não tem nenhum representante. “Qual a explicação para Marcio Bittar fechar com o PR? Não vamos servir de massa de manobra para o candidato do MDB. Seguimos apoiando Gladson Cameli, mas estamos fora na questão do Senado”, diz Ximenes.

Por Ray Melo / ac24horas

Tião Viana visita exposição de arte indígena no espaço Kaxinawa, em Rio Branco

Com abertura nesta sexta-feira, 3, a exposição “A Madeira Me Contou” apresenta a arte em madeira realizada por indígenas dos povos Huni Kuin e Sawãdawa.

O governador Tião Viana visitou o espaço e ressaltou o valor histórico e cultural desta ação realizada pelo governo do Estado e pela Associação de Movimento dos Agentes Agroflorestais do Acre (Amaiac).

A exposição está sendo realizada na Casa dos Povos Indígenas (antigo Espaço Kaxinawá), em Rio Branco, e é aberta ao público a partir deste sábado, seguindo até outubro. O trabalho realizado em madeira reaproveitada, sem desmate, é feito por agentes agroflorestais indígenas e jovens das comunidades.

Envolveu 149 participantes do projeto “Oficinas de Artes e Ofício”, nas Terras Indígenas (TIs) Arara do Igarapé Humaitá, em Porto Walter; Kaxinawá da Praia do Carapanã, em Tarauacá; Kaxinawá do Rio Jordão, Kaxinawá do Seringal Independência e Kaxinawá do Baixo Rio Jordão, ambas situadas no Jordão.

Tião Viana falou sobre o tamanho do trabalho realizado, que pode ser observado em cada objeto exposto: “Esta arte representa um momento mágico da vida da Amazônia, porque envolve a cultura e um trabalho da mística da floresta. Representa as pessoas que chegaram aqui primeiro e têm uma história milenar, com espiritualidade muito evoluída”.

Para o governador, as peças expressam também um momento importante no movimento indígena acreano, que cada vez mais tem orgulho de sua identidade. “Os indígenas apresentam agora seus sentimentos e suas percepções da existência amazônica por meio da arte e da cultura. Não há presente maior a Deus do que nós fazermos a arte, compartilharmos assim os nossos sentimentos”, disse.

Com um investimento de mais de R$ 1 milhão, o projeto é promovido pelo governo do Estado, por meio da Secretaria de Meio Ambiente (Sema), e envolve os jovens indígenas nas atividades de Artes e Ofício, viabilizando uma alternativa de trabalho e de renda dentro da floresta.

“A gente viu esse trabalho dá resultado porque está ligado aos mitos e nossa cultura. As esculturas são feitas a partir do reaproveitamento daquelas madeiras caídas, ou as que a água leva. Com este projeto, estruturamos toda a terra indígena com equipamentos para o trabalho e, além dos agentes agroflorestais, envolve os jovens das aldeias, dando uma oportunidade de ofício”, disse Francisca Arara, assessora política da Amaiac.

Valorização

O projeto, que tem apoio do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), faz parte da política do governo do Estado de valorização dos povos indígenas, oferecendo atividades de fortalecimento cultural e de produção sustentável.

Josias Pereira, ou Maná, do povo Huni Kuin, é agente agroflorestal e conta um pouco mais de como essa valorização tem sido importante para o movimento. “Nós, agentes agroflorestais, temos trabalho com a produção, o plantio e cultivo de nossas sementes tradicionais e também com nossa cultura, pintura e nossas danças. Nós fazemos isso com o apoio do governo do Estado e agradecemos muito ao governador Tião Viana, pois vemos a floresta se transformando”, disse.

Neste mesmo período, estão ocorrendo mais de 40 festivais indígenas apoiados pelo governo do Estado. Com as festividades, os diferentes povos se reúnem para celebrar sua cultura, identidade e fortalecer seus costumes, uma experiência que tem transformado as aldeias.

Serviço:

A mostra fica em exibição durante todo o mês de agosto, de segunda a sábado, em horário comercial, na Casa dos Povos Indígenas. As peças estão disponíveis para venda e o preço varia entre R$ 100 a R$ 750.

Prefeito Tião Flores gasta quase 200 mil do dinheiro da saúde em materiais de construção e elétrico

Além de materiais elétricos e de construção, foram gastos também valores dos Programas de saúde com lixeiras.

Por Alemão Monteiro

No Município de Epitaciolândia acredita-se que os recursos não estão sendo aplicados em seus devidos fins, como é o caso da Secretaria Municipal de Saúde do referido Município que vem empenhando valores significativos de Programas como: “Atendimento Ambulatorial, Emergencial e Hospitalar e do Programa Assistência Médica e Hospitalar e outros” que estão sendo gastos através do Pregão Presencial de n° 005/2017, com materiais elétricos, materiais de construção, lixeiras e tendas.

Os devidos recursos eram para ser aplicados com materiais de consumo para atendimento médico e procedimentos como: Álcool, gases, algodão esparadrapo, bisturi, papel toalha, luvas medicamentos em geral e outros, mas não é assim que está sendo feito, o Prefeito Tião Flores através da Secretaria de Saúde vem empenhando valores exorbitantes em outras áreas.

No ano de 2017 foram gastos com a Empresa E.F.Dias Importação e Exportação. Eireli – ME referente a materiais de construção e materiais elétricos, o valore exato de R$ 105.292,87 só de materiais de construção foram gastos mais de 17 mil reais e com materiais elétricos foram gastos R$ 87.611,22, totalizando o valor exato mencionado acima, percebe-se que Tião Flores gastou mais com materiais elétricos do que com materiais de construção.

Já em 2018, o Prefeito Tião Flores resolveu inverter e gastar mais com materiais de construção do que com materiais elétricos, o que não aconteceu em 2017, com materiais de Construção no ano de 2018 foram gastos o valor de R$ 47.341,49 e com materiais elétricos foram gastos mais de 5 mil, no total foram gastos 52.992,53 entre materiais de construção e materiais elétricos.

Ainda no ano de 2018, o Prefeito Flores gastou o valor exato de R$ 31.606,50 com lixeira que segundo a descrição no Portal da Transparência, são para atender as necessidades das Unidades de Saúde do Município de Epitaciolândia,

Mas se nós juntássemos os valores dos anos de 2017 e 2018 teríamos o total de R$ 158.285,40 custeados de matérias de construção e elétrico e se somado com o valor das lixeiras teríamos o valor total de R$ 180.891,90, ou seja quase 200 mil reais de materiais que segundo a discrição no Pontal da Transparência são para atender as necessidades das Unidade de Saúde, já que os recursos são de Programas da Saúde do Município.

A nossa redação de notícias tentou entrar em contato com a Secretária municipal de saúde, Tereza Flores através do número de Celular (68) 99978-XX12, mas por algum motivo não conseguimos contato, mas o espaço está cedido para direito de resposta.

Veja abaixo as notas dos anos de 2017 e 2018

Cadê o Ministério Público? Prefeito de Assis Brasil, Zum está descumprindo a Lei da Transparência

A população continua sem saber como está sendo administrado o dinheiro público do município de Assis Brasil, pois não conseguem acessar o portal da transparência.

Por Alemão Monteiro

O Prefeito do Município de Assis Brasil, Antônio Barbosa (Zum), vem descumprindo a Lei de Responsabilidade Fiscal, uma vez que o portal da transparência está implantado no site da prefeitura do município, mas não é possível acessar informações do portal, sendo assim configura-se descumprimento, conforme previsto na Lei Complementar nº 101/2000 (Lei de Responsabilidade Fiscal) e na Lei nº 12.527/2011 (Lei de Acesso à Informação).

É importante que o Ministério Público fique atento, pois já deveriam ter surgido denúncias e penalidades referente a falta de informação através do Portal da transparência, pois desde a gestão passada que a população de Assis Brasil não tem acesso a informações e Zum deu continuidade a esse desmando.

O cidadão ou cidadã que quiser acessar o Portal da Transparência da Prefeitura de Assis Brasil para saber como a prefeitura está gastando o dinheiro público, vai ficar a ver navios. É que simplesmente o município não mantém o portal como determina a Lei.

O endereço eletrônico do Portal da Transparência do município de Assis Brasil é  www.assisbrasil.ac.gov.br; mas realizando uma pesquisa no site de busca, verifica-se que simplesmente a Transparência nunca existiu.

Por isso, Assis Brasil figura como um dos últimos municípios em se tratando de transparência. Segundo pesquisa da Controladoria Geral da União (CGU), o município de Assis Brasil ficou com a nota 1,94 – ocupando a nona posição no ranking dos menos transparentes do Acre.

Com essa situação os moradores de Assis Brasil não podem acompanhar as movimentações financeiras praticadas pela gestão do prefeito Antônio Barbosa “Zum” (PSDB) que está descumprindo de igual forma do ex-prefeito Betinho.

A falta de transparência também prejudica o trabalho dos vereadores da cidade, pelo menos para aqueles que estão interessados em fiscalizar o executivo.

Sancionada em 2009 pelo Ex-Presidente Lula, a Lei da Transparência obriga a União, os estados e os municípios a divulgar seus gastos na internet em tempo real.

O descumprimento da lei pode ser denunciado aos Tribunais de Contas dos estados ou ao Ministério Público por qualquer cidadão, partido político, associação ou sindicato.

Gladson Cameli é o 5º maior gastador de dinheiro público do Senado

Enquanto o mundo inteiro cobra mais eficiência e austeridade nos gastos públicos, Gladson segue gastando recursos públicos até à exaustão.

Pré-candidato a governador pelo Acre nas eleições deste ano, o senador Gladson Cameli (PP-AC) definitivamente anda cada vez mais na contramão da história. 

Só para Genebra, capital da Suíça, um dos centros mundiais de turismo com seus belos Alpes, Gladson Cameli foi três vezes durante os 3,5 anos de mandato, gastando R$ 63 mil em passagens e diárias do Senado Federal. Também foi a Nova York (EUA) quatro vezes por R$ 67 mil; a Paris (França) duas vezes por R$ 46 mil; ao Japão por R$ 47 mil; Vietnã por R$ 44 mil, e à República Tcheca, ao custo de R$ 51 mil, entre outras viagens.

Juntando as 19 caríssimas viagens que fez ao redor do mundo nos últimos três anos e meio de mandato, quase todas incluindo finais de semanas livres para passeios, o volume de dinheiro gasto pelo senador, que quer governar o Acre prometendo austeridade e eficiência, ultrapassa aos R$ 496 mil, que dariam para construir mais oito casas para famílias carentes na Cidade do Povo, em Rio Branco, ou no bairro do Miritizal, em Cruzeiro do Sul, sua cidade natal. Nos últimos 3,5 anos, Gladson viajou pelo mundo, a custa do contribuinte, quatro meses e 18 dias, equivalentes a 11% do tempo de seu mandato de 42 meses.

A significativa gastança de dinheiro público rendeu ao pré-candidato a governador do Acre o troféu nada invejável de quinto maior gastador de dinheiro público do Senado Federal, segundo ranking publicado pelo Portal Metrópoles, um dos mais lidos na internet. Pelo ranking, o senador do PP gastou de janeiro de 2015 a dezembro de 2017 o total de R$ 1 milhão e 258 mil de sua cota de ajuda parlamentar, além de R$ 439 mil com viagens internacionais, todas ressarcidas pelo Senado.

Para a surpresa da mídia nacional, o mesmo quinto lugar atribuído a Gladson Cameli, como senador mais perdulário do Senado Federal, também foi debitado na Câmara Federal pelo mesmo portal ao seu pré-candidato a vice-governador, o deputado federal Wherles Rocha (PSDB-AC), que gastou nos três primeiros anos de mandato a bagatela de R$ 1 milhão e 574 mil em cota parlamentar. Valor bem mais superior ao gasto do próprio Gladson e aos gastos dos outros quatro maiores perdulários de dinheiro público do Senado.

Senador gasta por ano 2 escola do ensino médio 

Somando-se as despesas registradas no Portal de Transparência do Senado nos seis primeiros meses deste ano, os gastos de Gladson sobem para R$ 1 milhão e 467 mil da sua cota de ajuda parlamentar e para R$ 497 mil os gastos com viagens internacionais, resultando em gastos da ordem R$ 1 milhão e 964 mil, suficientes para construir duas escolas de ensino médio em bairros populosos de Cruzeiro do Sul.

Esses recursos estão incluídos nos R$ 115 milhões que o senador Gladson Cameli, que apresentou apenas um projeto de lei de interesse direto do Acre e faltou a 54% das votações no Senado, também já custa aos cofres públicos nacionais nos seus três anos e meio de mandato, levando-se em conta a média dos orçamentos anuais do Senado no período, segundo cálculos feitos pela organização Transparência Brasil.

As gastanças exorbitantes de Gladson Cameli incluem situações vexatórias quando se examinar seus gastos no Portal da Transparência, localizado em sua página oficial do site do Senado Federal. Uma delas ocorreu na viagem que fez em outubro de 2017 a São Petesburgo, na Rússia, onde foi participar de assembleia da União Interparlamentar, quando gastou de passagens R$ 23,7 mil, enquanto seu colega de bancada Jorge Viana (PT-AC), que participou do mesmo evento, gastou apenas R$ 6,6 mil de passagens aéreas. Além das passagens, Gladson recebeu R$ 8,1 mil em diárias, custando aquela sua viagem a bagatela de R$ 32 mil.

A maioria das viagens internacionais de Gladson Cameli e de vários outros senadores se destina a participar de encontros e eventos promovidos pela União Interparlamentar, entidade que recebe dinheiro do Senado e da Câmara para promover encontros de parlamentares que já foram considerados “improdutivos”, por exemplo, pelo ex-presidente da Câmara, deputado Arlindo Chinaglia (PT-SP).

Viagens com indisfarçável cunho turístico

O caráter turístico das viagens internacionais de Gladson Cameli pode ser atribuído ao fato de, na maioria delas, principalmente para as cidades mais famosas do mundo, constarem finais de semana e outros dias de folgas fora do calendário dos eventos dos quais o senador participou nos últimos 3,5 anos.

Assim aconteceu, por exemplo, na viagem do senador à Genebra (Suíça), de 17 a 24 de junho deste ano, para um evento ocorrido entre 17 e 18 do mesmo mês, quando ele teve agenda livre de terça a sábado, viajando de volta ao Brasil no domingo. Em viagem à Paris (França), de 1 a 10 de junho do ano passado, o senador teve um final de semana e mais três dias de agenda livre porque o evento se deu apenas nos dias 6 e 7 de junho. De 21 a 27 de fevereiro deste ano, Gladson teve sábado, domingo e segunda livres em Nova York, pois o evento naquela cidade norte-americana se deu apenas nos dias 22 e 23.

Além de ser perdulário de dinheiro público, o senador Gladson Cameli também o usa para beneficiar empresas de parentes. O jornal O Estado de São Paulo o denunciou em seis de setembro de 2011 por ter usado, entre 2009 e 2011, o total R$ 270 mil da sua cota parlamentar de deputado federal na Câmara pagar transporte aéreo e combustível pelas empresas Aerobran Taxai Aéreo e Aerobran Distribuidora, de propriedade de um tio de sua esposa Ana Paula.

Além de serem ressarcidos de gastos com viagens internacionais (incluindo passagens e diárias) quando representam suas instituições no exterior, todo senador e deputado têm como cota parlamentar os pagamentos de despesas com passagens aéreas e terrestres nacionais, de aquisição de material de consumo, de hospedagem, de alimentação, de combustível, de divulgação da atividade parlamentar e de aluguel de escritório político nos seus estados, entre outros gastos.

Com informações jornal Expresso Amazônia.