Acre é referência no monitoramento eletrônico de apenados

De acordo com o coordenador da Umep, há três anos a média de violações do dispositivo chegava a 40 por semana, ao passo que hoje é de três ou até nenhuma.

Implantada no estado em 2012, a Unidade de Monitoramento Eletrônico de Presos (Umep) do Instituto de Administração Penitenciária (Iapen) tornou-se, desde então, uma estratégia de acompanhamento ao cumprimento de penas de reeducandos do semiaberto. Por seus resultados atualmente é considerada como a maior em termos de referência para os demais estados do Brasil.

Antes funcionando apenas como um centro de controle em Rio Branco, a Umep hoje dá suporte aos demais centros de monitoramento localizados em Sena Madureira, Feijó, Tarauacá e Cruzeiro do Sul. Recentemente um centro também foi inaugurado em Brasileia.

Com o monitoramento eletrônico, o Estado tem como premissa a oportunidade da ressocialização e atende duas modalidades com essa alternativa de pena, ambas mediante decisão judicial: presos que já cumprem pena no regime fechado e os casos que vêm das varas de execuções penais, isto é, das áreas de custódia que determinam como medida cautelar o cumprimento de pena provisória.

Além de dispor de um sistema que funciona em tempo real para a fiscalização do dispositivo eletrônico, a unidade também conta um efetivo de mais de 50 profissionais e estrutura física para atendimento a todos os monitorados, seja para questões relacionadas à manutenção ou para orientações sobre aspectos sociais.

Expertises e acompanhamento 24 horas por dia

De acordo com o coordenador da Umep, Marcelo Lopes, há três anos a média de violações do dispositivo chegava a 40 por semana, ao passo que hoje é de três ou até nenhuma.

No início deste ano eram contabilizados cerca de 700 monitorados. Hoje esse número é de 1.250. Desse total, 84% possuem carta de emprego, 14% estão dentro do período estipulado pela justiça para a apresentação e 2% estão sob medidas de dispensa por cuidados de saúde.

Além de a reincidência criminal representar apenas 10% dos casos, o Estado também tem no monitoramento eletrônico a redução de custos aos cofres públicos. Na unidade prisional um reeducando custa em torno de R$ 3.000 ao mês e o monitorado custa cerca de R$ 400.

“Nosso diferencial também se deve ao fato de que o Acre dispõe de profissionais que monitoram além do sistema, temos equipes a postos para se deslocar até o monitorado seja onde ele estiver. E esse rastreamento que se finaliza com o acompanhamento presencial é essencial. Também devemos o êxito desse trabalho à parceria do poder judiciário, que acelera as decisões judiciais que fundamentam as prisões em casos de novos crimes”, ressalta Lopes.

Para o diretor-presidente do Iapen, Aberson Carvalho: “além da credibilidade gerada diante da nossa sociedade, nosso sistema de monitoramento também se destacou junto aos outros estados e a prova disso são os treinamentos que o próprio Acre já realizou em razão dessa eficiência e expertises adotadas nos procedimentos”.

Carvalho completa ainda que o Sistema Penitenciário do Acre, hoje, vive um novo momento fruto do comprometimento de servidores e também da gestão. “É importante frisarmos também o compromisso dessa gestão com o sistema prisional, no sentido de que toda a reestruturação pela qual esse sistema passa hoje representa no amanhã um sistema mais humano, de melhor qualidade laboral para os servidores e com mais possibilidades de ressocialização dos reeducandos”, frisa.

3 de Julho Entrevistas 10ª Edição

Assista a entrevista com a Presidente da Associação dos Portadores de Hepatite do Alto Acre e conheça: Dos tipos de hepatite até o tratamento”.

CAPS realiza atividade do Setembro Amarelo para os servidores

Ajudar, escutar, acolher e procurar entender o outro são atitudes de coragem e compaixão, que vão além da atividade profissional.

Mas, para cuidar de uma outra pessoa, é necessário antes, ter boa saúde. Até porque pesquisas mostram que nos últimos anos, cada vez mais os profissionais em saúde têm adoecido por diversas causas, incluindo a rotina estressante na busca por salvar vidas e oferecer um serviço de saúde com mais qualidade.

No Acre, a Secretaria Estadual de Saúde (Sesacre), tem realizado ações que valorizam o servidor com atividades afastadas do seu local de trabalho. Na manhã desta sexta-feira, 28, o Centro de Atenção Psicossocial de Álcool e Outras Drogas (CAPS AD III), realizou no Horto Florestal, uma atividade com os funcionários da unidade.

Luciana Melo, psicóloga do CAPS AD III, afirma que é importante cuidar da saúde mental dos servidores. “É preciso que tenha esse cuidado com a nossa saúde mental, porque para cuidarmos do outro, é necessário que estejamos bem com nós mesmos. Por isso, hoje decidimos vir para o Horto Florestal, para desfrutar de diversas atividades com os funcionários da unidade”.

Durante toda manhã, a programação incluiu café da manhã, rodas de conversas, atividades terapêuticas e palestra com a psicóloga Andréa Vilas Boas do Hospital de Urgência e Emergência de Rio Branco (HUERB).

Renata Sanchez, enfermeira do CAPS, revela a satisfação do evento realizado para os servidores. “Fico muito feliz com um movimento como esse. Falamos tanto de valorização profissional e eu acredito que é algo que realmente precisamos para trabalhar feliz, e isso não se refere apenas a salário. Isso aqui é um momento que estão olhando para nós e mostrando que também precisamos de cuidados”.

A ação realizada para os servidores, faz parte da programação de prevenção ao suicídio que acontece durante todo o mês, intitulado “Setembro Amarelo”.

Nilciane Vilaça, gerente do CAPS AD III, destaca que o evento é o cuidado com quem cuida do próximo. “Vimos a necessidade de fazer um dia em alusão a prevenção ao suicídio e cuidamos dos servidores. Isso é o cuidado de quem cuida. Todos estão sempre a disposição e dando atenção aos nossos usuários, promovendo qualidade na assistência da saúde mental, então nada mais justo que também darmos um cuidado especial para os servidores da unidade”.

3 de Julho Entrevistas 10ª Edição

Assista a entrevista com a Presidente da Associação dos Portadores de Hepatite do Alto Acre e conheça: Dos tipos de hepatite até o tratamento”.

IDAF orienta estudantes sobre os males e cuidados para evitar a Raiva

Há vários anos a raiva não é registrada em animais domésticos, como cães e gatos, porém alguns casos foram detectados em bovinos, na região do Juruá.

No dia 28 de setembro, é celebrado o Dia Mundial de Combate à Raiva. Ao longo de toda a semana, o Instituto de Defesa Agropecuária e Florestal do Acre (IDAF/AC), vem realizando várias atividades visando à fiscalização e conscientização sobre a doença.

Técnicos responsáveis pelo Programa Estadual de Controle da Raiva dos Herbívoros realizam palestras em escolas públicas rurais de ensino fundamental sobre a relevância da informação acerca da doença e das medidas preventivas que contribuam para não ocorrência da raiva.

De acordo com o gerente da Defesa Sanitária Animal do IDAF/AC, Mario César, o foco da conscientização de cuidados e a importância da vacinação serem repassados às crianças é pelo fato de que elas têm um papel importante na influência junto aos pais sobre os riscos da doença.

Que doença é essa

A raiva é uma infecção viral aguda transmitida principalmente pela mordida de animais infectados. A doença chega a ser fatal em quase 100% dos casos.

Os principais sintomas em humanos são inquietude e perturbação do sono; queimação, formigamento e dor no local da mordedura; alucinações e febre; medo de correntes de ar e de água e crises convulsivas.

Precauções

Deve-se evitar a aproximação das crianças de animais sabidamente agressivos ou que não se conheça o comportamento ou de fêmeas com suas crias, que tendem a interpretar qualquer gesto como ameaça aos filhotes. Não só a mordida, mas os arranhões causados por animais também podem representar um modo de transmissão dessa terrível doença.

Somente mamíferos são capazes de transmitir a raiva. Cães e gatos são as principais fontes de infecção em áreas urbanas. No ambiente silvestre, os morcegos são os principais responsáveis pela transmissão da doença.

O controle da raiva é simples, basta vacinar adequadamente os animais e manter a vigilância: evitar contatos com animais desconhecidos, criar apenas cães e gatos com a garantia de higiene, saúde e bem estar, não criar animais silvestres em cativeiros (como determina a legislação Brasileira).

3 de Julho Entrevistas 10ª Edição

Assista a entrevista com a Presidente da Associação dos Portadores de Hepatite do Alto Acre e conheça: Dos tipos de hepatite até o tratamento”.

SENAR recebe colaboração da cadeia produtiva da carne no Estado

Ações irão focar na formação mais ampla dos produtores rurais para alavancar a produtividade na bovinocultura de corte.

Da Assessoria

A equipe do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (SENAR – Acre) recebeu na última quinta-feira (27) a visita de técnicos da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa Acre) e da Secretaria de Estado de Agropecuária do Acre (SEAP), com o objetivo de preparar conteúdo programático e itinerário formativo para projeto de desenvolvimento de pecuária de corte, voltado para médios produtores do Acre em 2019.

A parceria integra a mudança de foco nas ações do SENAR – Acre, que, capitaneado pela Administração Central, se prepara para investir na formação mais ampla dos produtores rurais do Estado, priorizando a assistência técnica e gerencial qualitativa.
“Esse encontro é fundamental porque destaca a nossa mudança de foco e de estratégia.

Foram debatidos dois pontos essenciais para alavancar a efetividade das ações do SENAR: a Assistência Técnica e Gerencial (ATeG), que já está sendo desenvolvida fortemente nos outros Estados, e que no Acre será investida dentro da pecuária de leite, corte e mandiocultura; e a questão do itinerário formativo, que visa possibilitar uma formação mais ampla e integral do produtor dentro da sua área de atuação.

Por exemplo: quem trabalha com pecuária de leite será instruído a investir em cursos que sejam voltados para essa cadeia específica, invés de participar de ações em várias áreas sem foco e impacto no ganho de produtividade e renda do empreendimento rural”, explicou Mauro Marcello Oliveira, Superintendente do SENAR Acre.

Judson Valentim, pesquisador da Embrapa Acre, destacou que o encontro traz o primeiro passo para uma capacitação de qualidade dentro da assistência técnica: “Esta ação integrada ilustra a entrada do SENAR acreano na assistência técnica continuada, essencial para a mudança da pecuária no Estado. O médio produtor, que estava em um ‘limbo’ em termos de acesso ao conhecimento, será o maior beneficiado da ação conjunta, pois esse grupo detém a maior proporção do rebanho acreano”.

“Tivemos a oportunidade de conviver com os grandes especialistas da pecuária de corte do Estado. O médio produtor, que é o alvo dessa ação, será o maior beneficiado – e, ao beneficiar os produtores, toda a economia acreana, consequentemente, será beneficiada”, disse Edivan Maciel, médico veterinário da SEAP.

Por fim, o Superintendente destacou a importância da participação da Embrapa e da SEAP no planejamento das ações: “Como serviço de aprendizagem, o SENAR tem a metodologia e a competência para realizar os programas de capacitação com o melhor resultado possível, porém o conhecimento técnico de nossos colaboradores é primordial para o êxito do projeto”.

3 de Julho Entrevistas 10ª Edição

Assista a entrevista com a Presidente da Associação dos Portadores de Hepatite do Alto Acre e conheça: Dos tipos de hepatite até o tratamento”.

Polícia prende homem por uso de drogas e corrupção de menores

A ocorrência aconteceu na Rua Noruega, Conjunto Cabreúva. O proprietário da residência assumiu que estaria fazendo uma festa.

Uma denúncia anônima levou uma guarnição do 3º Batalhão a prender na manhã desta quarta-feira, 26, um homem de 34 anos de idade, por uso de drogas e corrupção de menores. 

Guarnição realizava patrulhamento de rotina nas ruas do conjunto, quando recebeu uma denúncia anônima, que em uma residência estaria acontecendo uma festa, com a presença de várias adolescentes. Em posse das informações, os militares se deslocaram imediatamente ao endereço, para averiguar a situação.

Na residência foram localizadas em um dos quartos cinco jovens, de idade entre 13 a 17 anos, vestidas apenas com roupas íntimas, além de duas barras de maconha. No restante da casa foram encontradas várias latas de cerveja e garrafas de vodka vazias.

O proprietário da residência assumiu que estaria fazendo uma festa desde a noite anterior. O caso foi encaminhado à Delegacia de Proteção a Criança e ao Adolescente (Depca).

3 de Julho Entrevistas 10ª Edição

Assista a entrevista com a Presidente da Associação dos Portadores de Hepatite do Alto Acre e conheça: Dos tipos de hepatite até o tratamento”.

Cruzeiro do Sul registra 125 roubos e furtos em quase nove meses, aponta polícia

Em apenas um dia, a cidade registrou 12 roubos e furtos. Polícia Civil diz que crime organizado está enfraquecido.

Em quase nove meses, Cruzeiro do Sul registrou 125 roubos e furtos, segundo um balanço da Polícia Civil da cidade – foram 69 casos de furto e 56 de roubos. Somente na última segunda-feira (24), foram 12 casos de roubo e furto na cidade.

Apesar dos altos números, a Polícia Civil acredita que os crimes estão ocorrendo porque o crime organizado está enfraquecido na região.

“Tivemos 12 ocorrências de roubos na cidade na mesma situação, que são elementos de moto que chegam e abordam as pessoas nas ruas e estabelecimentos. Essa ação mostra que o crime organizado está descapitalizado devido às várias ações das polícias civil e militar e acabaram ficando sem dinheiro e estão partindo para a prática de pequenos assaltos e roubos”, acredita o delegado Alexnaldo Batista.

Na manhã de terça-feira (25), durante abordagem, policiais militares prenderam em flagrante Euno Farias Ferreira, conhecido Gaguinho com uma arma de fabricação caseira calibre 24. Ele aparece nas imagens de câmera de segurança que flagram um roubo em uma loja no Centro da cidade.

Do G1 Acre

Contrabando de cigarro gera prejuízo de R$ 43 milhões em 2017 no Acre

Afirmação é de estudo do Idesf, divulgado nesta terça-feira (25). Estudo mostra que principal porta de entrada de contrabando é a fronteira com Peru e Bolívia.

Os prejuízos provocados pelo contrabando de cigarros chegaram a R$ 43 milhões no ano de 2017 no estado do Acre. O cálculo foi feito pelo estudo “Rotas do Crime – As encruzilhadas do Contrabando”, divulgado nesta terça-feira (25) pelo Instituto de Desenvolvimento Econômico e Social de Fronteiras (Idesf).

Conforme o levantamento, nos últimos três anos, a participação do mercado ilegal de cigarros no Acre aumentou três pontos percentuais. O volume desse produto contrabandeado atingiu 92 milhões de unidades de cigarro.

O estudo mostrou que o rombo na arrecadação subiu 29%, saindo de R$ 33 milhões e chegando aos R$ 43 milhões na arrecadação em 2017. No Brasil, somente no ano passado, R$ 146 bilhões deixaram de ser arrecadados pelos cofres públicos em setores como tabaco, vestuário e combustível.

A principal porta de entrada de contrabando, de acordo com o Idesf, é a fronteira com o Peru e a Bolívia por onde entram mercadorias diversas, como vestuário, pneus e cigarros.

O levantamento destacou que fluxo do contrabando segue pelas BR-364 e BR-317. Além disso, as cidades acreanas mais afetadas por este fluxo são Cruzeiro do Sul, Brasileia, Epitaciolândia, Assis Brasil, Plácido de Castro e Rio Branco.

Cigarros apreendidos

Somente entre os meses de janeiro e setembro de 2018, a Polícia Rodoviária Federal do Acre (PRF-AC) apreendeu 10.373 pacotes de cigarros. De acordo com a polícia, os locais onde ocorreram mais apreensões são na capital Rio Branco e no posto de fiscalização em Xapuri.

Em janeiro, foram apreendidos na BR-317, no município de Xapuri, um veículo com 1,2 mil pacotes de cigarro ilegal escondidos no bagageiro. Segundo a PRF, ao perceber que seria abordado, o motorista abandonou o carro no quilômetro 230 da rodovia e fugiu a pé.

Seis dias depois, um segundo carregamento de cigarros contrabandeados foi apreendido. Dessa vez, um homem foi preso com 1,1 mil pacotes de cigarros escondidos dentro do carro.

Em fevereiro, um homem de 31 anos foi preso com mais de mil pacotes de cigarros contrabandeados. A prisão ocorreu no km 190 da BR-317, na Estrada de Xapuri, interior do Acre.

Do G1 Acre

Mototaxista tem perna dilacerada após acidente em Sena Madureira

Raimundo Antônio Carvalho levava uma passageira para a zona rural de Sena Madureira quando foi atingido. 

Um acidente de trânsito deixou duas pessoas feridas na manhã desta terça-feira (25) em Sena Madureira, interior do Acre. O mototaxista Raimundo Antônio Carvalho, de 46 anos, teve uma das pernas dilacerada após um acidente de trânsito envolvendo a moto que ele conduzia e uma caminhonete.

Uma mulher, que estava na garupa da motocicleta, também ficou ferida. As duas vítimas foram encaminhadas para o Hospital de Urgência e Emergência de Rio Branco (Huerb).

A Polícia Rodoviária Federal do Acre (PRF-AC) informou que o acidente ocorreu no km 269 da BR-364. O motorista da caminhonete parou no local, mas, segundo testemunhas, não prestou socorro.

Antônio Carlos Rodrigues, colega do mototaxista, contou que o motorista da caminhonete desviou um carro que estava na frente dele. Esse carro, segundo Rodrigues, tentava desviar um buraco na rodovia.

“Quase certeza que estava [motorista da caminhonete] em alta velocidade. Ele vinha de Rio Branco e o rapaz ia para o [km] 25. Ia um carro na frente dele [do motorista da caminhonete] e parou para desviar um buraco. Certeza ele estava perto do carro, desviou do carro e pegou o rapaz”, afirmou.

Rodrigues disse ainda que o motorista seguia da zona urbana de Sena Madureira com uma passageira para a zona rural do município. Ele revelou que a mulher também sofreu fraturas em uma das pernas.

“O estado dele [mototaxista] é muito grave, está em risco de ficar sem a perna. Rasgou a parte da coxa, quase chegando na virilha, o osso ficou para fora. A mulher está mal também, talvez perca a perna. O cara parou, mas não prestou socorro. Um rapaz que estava com ele ligou e o Samu foi lá. O cara é de Feijó, não tinha como ele fugir porque o carro dele não estava mais funcionando”, lamentou.

Do G1 Acre

Ruas do Povo promove qualidade de vida e dignidade à população acreana

Ao todo, o programa já pavimentou mais de 2.600 ruas em todo o Acre, somente na primeira fase, concluída até 2014.

Um dos maiores compromissos do governo do Acre, o programa Ruas do Povo começou em 2011 com a proposta de levar mais dignidade à população em todos os municípios por meio da pavimentação de ruas. 

A segunda etapa, iniciada em 2015, contemplou até o momento mais de 500 ruas em Sena Madureira, Tarauacá, Feijó, Acrelândia, Plácido de Castro e Rio Branco, e os serviços continuam em todo o Estado, possibilitando à população mais qualidade de vida.

De acordo com o diretor-presidente do Departamento Estadual de Pavimentação e Saneamento (Depasa), Moisés Diniz, o programa não foi idealizado para tapar buracos, mas para levar pavimentação às ruas que nunca foram asfaltadas.

“Por meio desse extraordinário projeto, o governo do Acre conseguiu levar qualidade de vida para as famílias acreanas, pois alcançamos com pavimentação asfáltica 3.179 ruas e com calçamento de tijolos, 756 metros quadrados”, declarou Diniz.

Já o diretor-técnico do Depasa, Anderson Mariano destaca que o projeto está em sua fase final com previsão de entrega de 309 ruas pavimentadas na capital e no interior. “[Atualmente] Estamos trabalhando em 37 bairros de Rio Branco e em Feijó e Tarauacá, com a previsão de instalação de 85 quilômetros de rede de esgoto e 14 de rede de água”, destacou.

Realizando o sonha de moradia digna

Maria do Socorro, moradora da Travessa Bela Vista, bairro Defesa Civil, que está recebendo pavimentação, fala da ansiedade pela conclusão da obra. “Espero há mais de 20 anos pelo asfalto em frente à minha casa, pois aqui só havia mato, e hoje ter a possibilidade de se livrar da lama no período de inverno e da poeira no verão aumenta nossa autoestima e nos faz sentirmos como cidadãos reconhecidos pelo poder público”, comentou.

Maria do Socorro ressalta ainda que a população se sentia excluída e muitos eram revoltados, mas, com esse empreendimento finalizado, os moradores irão organizar um churrasco para inaugurar a rua com pavimentação, calçadas e redes de água e esgoto.

Para o autônomo Nivaldo Nonato Gomes, esse é um momento muito aguardado pelos moradores, que sofrem com uma rua sem pavimentação. “Particularmente, será um ganho imensurável para minha renda, pois tenho comércio, e a lama e a poeira atrapalhavam os negócios. Pensei até em desistir, no entanto, com a visita dos técnicos, aumentou a esperança e agora, na fase final, vejo que realmente um sonho antigo dos moradores está se realizando.”

Municípios de difícil acesso: um capítulo à parte

Dos investimentos em saneamento básico em todo o Estado, os realizados nos quatro municípios de difícil acesso merecem um capítulo à parte na história recente do Acre. Por meio do Programa de Saneamento Ambiental Integrado e Inclusão Socioeconômica (Proser), o governo do Estado ampliou o fornecimento de água, construiu as redes de esgoto, pavimentação e módulos sanitários para famílias de baixa renda dessa região.

O projeto atua nos municípios de difícil acesso: Marechal Thaumaturgo, Santa Rosa do Purus, Porto Walter e Jordão. Nos próximos meses, o trabalho desenvolvido nas quatro cidades chega à reta final, transformando definitivamente a realidade dessas populações.

Indígena tenta matar o próprio primo em aldeia de Cruzeiro do Sul

Cacique diz que suspeito está enfrentando problemas psicológicos. Vítima teve que passar por cirurgia.

O indígena Marcos Cruz, de 21 anos, foi atingido com uma faca na região lombar na manhã deste domingo (23), na Aldeia Katukina, e foi levado ao Pronto-Socorro de Cruzeiro do Sul, no interior do Acre, onde teve que ser submetido a uma cirurgia de emergência.

O acusado da tentativa de homicídio, Márcio de Souza, de 22 anos, é primo da vítima e, de acordo com lideranças da comunidade, sofre de problemas mentais.

A tentativa de homicídio ocorreu às 7h deste domingo (23) na casa da própria vítima. Segundo o cacique da Aldeia, Fernando Katukina, Cruz estava escovando os dentes logo que despertou pela manhã e, sem motivo aparente, foi surpreendido por seu primo que mora na casa ao lado.

“Sem motivo. O rapaz estava até escovando os dentes de manhã cedo e ele foi por trás e meteu a faca no rapaz”, contou o cacique.

O jovem que levou a facada foi conduzido ao Pronto-Socorro pelo cacique e teve que passar por uma cirurgia de emergência ainda durante a noite de domingo. Segundo o líder Katukina, a vítima teve o pulmão perfurado.

Até a manhã desta segunda-feira (24), Cruz permanece internado na clínica cirúrgica do Hospital do Juruá.

O autor da tentativa de homicídio foi detido pelo cacique e ficou durante a manhã de domingo na casa de Fernando. No entanto, devido á ameaças por parte um grupo de integrantes da aldeia, Souza foi transferido para outra comunidade. Nesta segunda-feira (24), o cacique compareceu a delegacia de Polícia Civil para informar do ocorrido.

O líder da aldeia também prestou queixa na Fundação Nacional do Índio (Funai) e na Polícia Federal. Às 10h desta segunda, uma equipe de agentes federais se deslocou com o representante da Funai, Luiz Souza, para a aldeia que fica na BR-364, a 90 quilômetros da cidade, com objetivo de conduzir o acusado até a delegacia.

Segundo Fernando Katukina, o autor da tentativa homicídio há algum tempo já demonstrava um comportamento agressivo na comunidade por ser um indígena que tem problemas psicológicos. Souza é paciente do Centro de Atendimento Psicossocial e toma medicação controlada há mais de um ano.

“Ele tem problema mental e faz tempo que toma remédio controlado. Faz tratamento, mas parece que o remédio não faz mais efeito. Já tentou matar até seus irmãos pequenos e a mãe dele e já tentou agredir quase todos da comunidade”, revelou o cacique.

Do G1 Acre