Professora chama aluno de ‘Félix da novela’, e mãe faz BO

 

Redação-3dejulho

Personagem vivido por Mateus Solano em ‘Amor à Vida’ é homossexual.
Diretoria de Ensino disse que fará encontro de conciliação entre envolvidos.

A mãe de um aluno de 11 anos de uma escola estadual em Piracicaba (SP) fez boletim de ocorrência contra a professora que chamou o garoto de ‘Félix’, personagem de sucesso da atual novela das 21h da Rede Globo “Amor à Vida”. A docente, que ensina geografia, disse em sala de aula que o menino se parecia com o administrador gay de um hospital, interpretado pelo ator Mateus Solano na trama. O boletim de ocorrência foi registrado como injúria.

dsc_0407O caso ocorreu na tarde desta quarta-feira (7), na Escola Estadual Professora Juracy Neves de Mello Ferracciú, no bairro Noiva da Colina.

Bullying?
Segundo a mãe, o garoto retornou das férias com óculos depois de ir ao médico. Foi então que a professora, ao notar a diferença no visual, disse em sala de aula que o garoto se parecia com alguém, mas que ela não podia dizer o nome, ainda de acordo com relatos da mãe, uma despachante de 36 anos. “Foi quando um dos colegas de classe disse que sabia quem era e disse o nome do personagem”, afirmou.

Os alunos começaram a rir e a professora confirmou a semelhança. “Ela falou que era verdade, que ele se parecia com o Félix da novela”, afirmou a mãe. O garoto começou a chorar e a professora pediu desculpas a ele, dizendo que foi apenas uma brincadeira.

felix_1A mãe do estudante chegou em casa, encontrou o filho chorando e foi à escola questionar a coordenação, que disse a ela que tudo não passava de brincadeira e que a professora era muito competente. “Eu não julgo a qualidade dela em ensinar, mas não é função dela dizer com quem meu filho parece ou não”, disse a mãe.

Ainda de acordo com a mãe, não haveria problema e preconceito caso o filho dissesse que é homossexual. “Ele é apenas uma criança, mas

continuaria o amando da mesma forma se ele fosse gay”, disse a despachante que afirmou na sequência que “o garoto já tem até namoradinhas”.

O dia seguinte
Mesmo incomodado com a situação, o estudante foi à escola na tarde desta quinta (8). A mãe do estudante disse que iria à Diretoria de Ensino de Piracicaba para contar o que aconteceu e, na segunda-feira (12), terá uma reunião com a diretoria da escola. “Isso não pode ficar assim, temos que denunciar casos como esse”, afirmou.

Resposta do Estado
A Diretoria Regional de Ensino de Piracicaba, por meio da assessoria de imprensa, informou que lamenta o mal entendido registrado na unidade e afirmou ainda que foram tomadas as providências para que o caso seja esclarecido.

A administração regional, informou também, que se reuniu nesta quinta com a mãe do estudante e agendou para a próxima segunda-feira (12) um encontro de conciliação entre aluno, a responsável, a professora e a direção da escola. “Os colegas de sala também participarão de uma atividade que tem como objetivo esclarecer o mal entendido e reforçar a importância do respeito mútuo”, finalizou a nota.

Fonte: G1

André Hassem oferece ajuda para reforma de auditório em escola

André Hassem oferece ajuda para reforma de auditório em escola do Estado

Auditório da Escola Joana Ribeiro Amed em Epitaciolândia está abandonado -  Fotos: Wesley Cardoso

– Fotos: Wesley Cardoso

Auditório da Escola Joana Ribeiro Amed em Epitaciolândia está abandonado 

A convite do Diretor da Escola Estadual Joana Ribeiro Amed, Professor Francinaldo Gomes Ferreira, o Prefeito André Hassem visitou na manhã desta quarta-feira, as dependências da referida escola, o motivo da visita foi para verificar em loco a situação precária que alunos e servidores estão tendo que enfrentar por falta de manutenção nas estruturas do prédio em questão.

Segundo a direção da Escola que atende a maior parte dos estudantes de Ensino médio do Município, a última reforma que o prédio passou foi em 2004 de lá pra cá apenas serviços paliativos foram feitos.

E para piorar ainda mais a situação no dia 22 de fevereiro o Corpo de Bombeiros interditou o auditório por motivo de segurança, no laudo expedido acusa a falta de extintores, luz de emergência, rachaduras nas paredes, problemas de afundamento no piso e risco de desabamento do forro, no laudo acusa ainda a má situação da quadra coberta e diz que a mesma encontra-se sem condições geral de uso.

Diante desta situação de descaso e inúmeros pedidos e apelos aos órgãos estaduais responsáveis, o Diretor resolveu pedir ajuda ao Prefeito, já que o local é o único que pode ser utilizado para eventos de pequeno e médio porte.

André Hassem se comprometeu de enviar em caráter de urgência uma equipe da Secretaria de Obras para fazer um levantamento e de imediato iniciar as obras e dar condições de uso para que Alunos e população voltem a usufruir do local.