Enchente: Dilma garante a Tião Viana apoio irrestrito ao Acre

Neste sábado governador conversou com famílias abrigadas no Parque de Exposições

Por Nayanne Santana 

flash_madeira_alagação_21_02_14_SVjpg-40-1-620x300

O governador Tião Viana recebeu, neste final de semana, telefonema da presidente Dilma Rousseff garantindo ao Acre apoio irrestrito devido às cheias dos rios que afetam a ligação do estado com as demais regiões do país, por meio da BR-364.

“Agradeço à presidenta Dilma, pela ligação solidária, colocando todo apoio do governo federal ao povo do Acre. Obrigado presidenta por ter atendido nosso pedido de apoio aéreo para transporte de alimentos perecíveis não produzidos no Acre”, disse.

Tião Viana observou que mesmo em viagem à Itália para tratar de assuntos de Estado a presidente está atenta a situação enfrentada pela população acreana. O governador também agradeceu ao comandante da Aeronáutica, brigadeiro Juniti Saito e ao ministro da Casa Civil, Aloizio Mercadante.

Conversa com abrigados no Parque

0987Na manhã deste sábado, 22, o governador esteve mais uma vez no Parque de Exposições Marechal Castelo Branco para conversar com as famílias que estão abrigadas no local após terem suas casas atingidas pelas águas do rio Acre. “Venho trazer minha solidariedade a essas pessoas que estão sendo acolhidas. O prefeito Marcus Alexandre segue firme no trabalho”, comentou.

Tião Viana acompanhou o trabalho de acolhimento das famílias que chegam ao Parque que tem sido executado pelas equipes da Prefeitura com apoio do Governo. Viana observou que o governo do Estado tem prestado apoio irrestrito ao governo municipal para realizar um atendimento digno as pessoas que precisam deixar suas casas por causa da enchente.

De acordo com a prefeitura, até a manhã deste sábado já estavam abrigadas no parque mais de 1.300 pessoas, cerca de 330 famílias.

flash_madeira_alagação_21_02_14_SVjpg-85-620x300

deputado Élson Santiago desiste de suplência do Senado.

Santiago não será suplente

Santiago (PEN) desistiu de querer ser indicado à suplência de Perpétua Almeida (PCdoB) e disputará, mais uma vez, uma vaga na Aleac.

Reeleição é o rumo de Santiago

A verdade é que seria difícil imaginar Santiago acostumando-se longe do parlamento. O homem tem uma história de vida ali dentro.

Forte candidato

Com Santiago na disputa, é melhor considerarem que há apenas 23 vagas disponíveis, pois a reeleição dele é certa.

deputado Élson

Da Redação Da Agência ContilNet = Coluna da Gina

Moisés Diniz propõe que comissões ajudem soldados da borracha

O vice-presidente propôs, uma aliança com o soldados da borracha sem aposentadoria consigam o benefício.

moisses dinis

O vice-presidente da Assembleia Legislativa do Acre (Aleac), deputado Moisés Diniz (PCdoB), usou a tribuna na manhã de quinta-feira (20) para sugerir que sejam criadas comissões para auxiliar ex-seringueiros que ainda não foram aposentados como soldados da borracha por falta de documentos que comprovem o serviço prestado.

Moisés sugeriu que os soldados da borracha sejam homenageados e parabenizou o senador petista Aníbal Diniz, que propôs, em relatório, que o salário do soldado da borracha seja de R$ 3.789.

“Digna de reconhecimento é a atitude do senador Aníbal Diniz, pois estes soldados da borracha muito fizeram por este país”, declara.

Para Moisés, as homenagens e o reajuste salarial dos soldados da borracha seriam um resgate histórico para com aqueles que lutaram a serviço do Brasil.

“É, de fato, um resgate da nossa história. Estes soldados nunca foram homenageados; tudo o que ganharam foi malária”, diz.

O vice-presidente propôs, ainda, uma aliança de forças para que os soldados da borracha sem aposentadoria consigam o benefício.

“Mais de 2000 seringueiros ainda não conseguiram se aposentar como soldados da borracha porque não têm documentos que comprovem. Os documentos deles se perderam em alagações ou foram destruídos pelo tempo. É hora da Assembleia colocar sua estrutura a favor dessas pessoas, os assessores”, declara.

Por fim, Moisés sugeriu que sejam criados comitês nos 22 municípios acreanos para que sejam levantadas as informações e documentos dos soldados da borracha que ainda não conseguiram aposentadoria. “Tem muitos seringalistas que possuem estas documentações e precisamos compilar estes dados”, afirma.

Gina Menezes, Da Agência ContilNet 

Aníbal apresenta relatório da pec do soldado da borracha

Aníbal Apresenta Relatório Da PEC Do Soldado Da Borracha

Lamlid Nobre

Aníbal Apresenta Relatório E Pede Aprovação DaPEC Do Soldado Da Borracha

O senador Aníbal Diniz (PT-AC) apresentou nesta quarta-feira, (19), à Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado, seu relatório à Proposta de Emenda à Constituição que trata do benefício devido aos Soldados da Borracha (PEC 61/2013). Na condição de relator da matéria, Aníbal conclamou seus pares a “corrigir uma injustiça histórica”.

“Nós senadores da causa ambiental temos uma responsabilidade histórica com esses heróis da Pátria”, afirmou ele. “Precisamos juntar forças para votar. E havendo o número de senadores comprometidos, pretendo solicitar ao senador Vital do Rêgo (PMDB-PB) [presidente da CCJ] que coloque na pauta de votação”, continuou.

No relatório, o senador propõe que a pensão mensal vitalícia aos soldados da borracha seja fixada em valor equivalente à de primeiro-sargento das Forças Armadas, que é a segunda mais elevada graduação das praças.  Esse valor equivale, em março de 2014, a R$ 3.789,00 e será corrigido pelos mesmos índices aplicados aos benefícios de prestação continuada mantidos pela Previdência Social.

 “Esse nível da carreira militar, de primeiro-sargento, é totalmente compatível com o papel desempenhado pelos soldados da borracha, ainda que abaixo do enorme sacrifício que fizeram e muito abaixo do reconhecimento que tiveram os pracinhas que serviram na Itália, aposentados na condição de segundo-tenente e com soldo hoje superior a R$ 4,5 mil”, disse Aníbal Diniz.

A proposta também propõe que os soldados da borracha recebam o valor de R$ 25 mil, em parcela única, sem incidência de tributo, a título de compensação por diferenças devidas anteriormente.

Histórico -Desde que assumiu a relatoria da PEC dos Soldados da Borracha, Aníbal manteve diálogo constante com os seringueiros, convencendo-se inteiramente sobre a urgência da medida, elegendo-a inclusive como prioridade de seu mandato neste semestre.

Pelo texto da PEC que foi aprovado na Câmara Dos Deputados, os soldados da borracha ou seus dependentes (no caso de ausência do beneficiário principal) teriam direito a uma indenização no valor de R$ 25 mil e a transformação da pensão vitalícia mensal, que é dois salários mínimos, em uma pensão de R$ 1,5 mil reajustada com base nos mesmos índices aplicados a benefícios de prestação continuada da Previdência Social.

Agora, se a PEC for aprovada como veio da Câmara,os soldados da borracha ou seus dependentes (no caso de ausência do beneficiário principal) teriam direito a uma indenização no valor de R$ 25 mil e a pensão seria fixada em R$ 1.500 para o ano de 2015. Mas, seguindo o valor de dois salários mínimos, como determina o benefício atual, deveria ser de R$ 1.550 a R$ 1.570, também em 2015. “Ou seja, a aprovação da PEC que veio da Câmara representaria não um aumento, mas sim uma redução de cinquenta a setenta reais. Era preciso, então, buscar um valor razoável para a pensão dos soldados da borracha que não comprometa o Tesouro Nacional, mas que permita fazer justiça com eles”, defendeu.

O relatório deve entrar na pauta de votações da CCJ nas próximas semanas. “Com essa iniciativa, pretendemos fazer justiça com os soldados da borracha em tempo hábil para que possam receber do povo brasileiro um pouco daquilo que merecem. Esse é o relatório que consideramos justo, mas não temos garantias de que será aprovado”, concluiu o senador.