Programa Navegantes inicia nova temporada na Aldeia FM

O ato de navegar se remete a ação, movimento, conhecer o desconhecido entre tantas possibilidades.

Sua locomoção pode ser meio de um navio, canoa, nave ou se preferir pode ser pelo computador, celular ou pelo rádio com o programa Navegantes, às segundas-feiras, das 20 às 21 horas, nas ondas sonoras da Aldeia FM e dirigido pela jornalista Andréa Zílio.

O programa entrou para a grade da emissora em março de 2010, depois de uma parada, e voltou em 2015 com a companhia dos “marujos” Adaildo Neto e Diego Gurgel. Na sequência, em 2016 e 2017, a atração seguiu de modo alternado, com edições especiais e agora em 2018, o Navegantes retorna à rota de programações efetivas da Aldeia FM.

Uma das características que marcam o programa é a interatividade, alinhada ao aprofundamento dos temas da atualidade, promovendo uma troca de experiência entre os convidados e ouvintes numa integração direta com as redes sociais, formando uma relação colaborativa que atua antes, durante e depois de cada edição.

“Fazer o Navegantes me deixa muito feliz, pois a interatividade com público possibilita navegar em importantes temáticas, que entraram no cotidiano das pessoas pelo uso das mídias sociais e como isso provoca mudanças em seus comportamentos. O programa continuará com essa essência de debatê-los”, destaca Andréa Zílio.

Nesta primeira edição do ano, o tema será Influência Digital e contará com a presença da dupla Maykeline e Elita Maia do Divando Blogger, Fabiana Neuburger, Jéssica Ingrede e Charlene Carvalho que falarão sobre o surgimento deste universo digital que virou mercado, como identificar um influenciador e o seu grau de interferência sobre seus seguidores na relação de consumo de produtos e serviços.

O programa Navegantes pode ser acompanhado pelas frequências – Rio Branco – 96.9 FM Brasileia – 90.3, Cruzeiro do Sul – 107.9, Xapuri – 89.5, Sena Madureira – 105.9, e Tarauacá – 95.5 ou pelo endereço eletrônico www.aldeiafm.acre.gov.br

A interatividade pode ser feita página do Navegantes no Facebook, que também transmitirá o programa ao vivo, pelo os nicknames do Twitter: @aldeiafm @andreazilio ou pelo telefone (68)3215-4110.

 

Radialista da Difusora Acreana é homenageado na Comenda Volta da Empresa

Em comemoração aos 135 de Rio Branco à parteira Maria Zenaide de Souza Carvalho, o Pastor Luiz Gonzaga e ao radialista José Francisco de Melo Filho são homenageados.

 Por Marcelo Torres / Assessoria 

O radialista José Francisco de Melo Filho, um dos primeiros a integrar a equipe da Rádio Difusora Acreana, recebeu a Comenda do Mérito Volta da Empreza 2017, Grau Chanceler, em uma grande festa realizada pela prefeitura de Rio Branco no centro cultural Lydia Hammes, no bairro Aeroporto Velho.

A homenagem é em reconhecimento aos serviços prestados há 55 anos no Sistema Público de Comunicação e marc as festividades de 135 da capital acreana. Além do radialista, a parteira Maria Zenaide de Souza Carvalho e o Pastor Luiz Gonzaga também foram homenageados.

“É um orgulho fazer parte há mais de 50 anos da Difusora Acreana, pois lá é a nossa casa, a casa do povo acreano, onde levamos informações a todas as autoridades e principalmente a comunidade que mora em locais longínquos”, destacou o radialista condecorado.

De acordo com o coordenador de jornalismo da Rádio Difusora Acreana, M. Jota, esse prestígio faz parte do compromisso e dedicação que o profissional tem em informar diariamente a população do Acre sobre tudo que ocorre nos quatro cantos da cidade.

“O ano em que a Rádio Difusora completou 73 anos, recebemos o reconhecimento da Assembleia Legislativa do Acre (Aleac), em que os jornalistas José Alves e Ivan de Carvalho foram agraciados com o prêmio Jornalismo do Legislativo, agora nas comemorações do aniversário de Rio Branco, nosso querido Zezinho Mello recebeu a Comenda do Mérito Volta da Empreza”, destacou M. Jota.

O coordenador da Rádio Difusora Acreana ressalta ainda que, a cada dia que se passa a rádio tem contribuído com a sociedade acreana na informação, prestação de serviços e do lado social, pois é recebido diariamente pessoas a procura de alguma ajuda e sempre é dada uma atenção aos que buscam um auxilio.

Segundo o prefeito de Rio Branco, Marcos Alexandre, esse é um momento muito especial do ano para a capital, pois essas pessoas que foram homenageadas ajudaram a construir a cidade cada uma de sua maneira e nos serviços prestados aos rio-branquenses.

“Essa é a maior honraria que o município entrega, depois de muito estudo da Fundação de Cultura, chagamos aos três homenageados para comemorar os 135 da capital, que acolhe a todos e cresce a cada dia e têm seus desafios e uma história muito bonita”, explanou Marcos Alexandre.

Comenda Volta da Empreza

O nome da Comenda é uma referência à primeira denominação dada à cidade de Rio Branco no período de sua transição de seringal a povoado.

Criada pelo então prefeito Raimundo Angelim a Comenda Volta da Empreza é uma homenagem à cidade de Rio Branco. A Comenda é constituída de três graus distintos: O grau Fundador, cujo patrono é Neutel Newton Maia, destina-se a reconhecer os que se destacaram por sua significativa contribuição nos campos social, cultural, econômico, humanitário, desportivo, ou outros de notável importância para a cidade, bairro ou comunidade.

Música, arte e legado de Chico Mendes marcam Seringal Cultural, em Rio Branco

Um grande encontro de artistas acreanos marcou o Seringal Cultural, no Centro Cultural Lydia Hammes em Rio Branco.

 Por Márcia Moreira / Assessoria 

O evento – promovido na data que marca o assassinato de Chico Mendes, em 1988, em Xapuri – encerrou a semana de atividades que leva o nome do líder seringueiro.

No palco, estiveram nomes como Pia Vila, Clenilson Batista, Álamo Kário, Monteirinho, Mara Santos, Zé Jarina, Alberan Moraes, Zé do Coco, Diogo Soares, Maracatu Nação Pé Rachado, Jabuti Bumbá e convidados, todos acompanhados pelos integrantes da Mini Orquestra do Absurdo.

“É uma satisfação muito grande estar aqui ao lado dessa galera, fazendo essa iniciativa, e celebrando o nome e legado de Chico Mendes”, destacou Pia Vila.

Já a cantora Mara Santos falou sobre a empolgação em cantar a música Zumbi Chico, do Los Porongas, ao lado do vocalista da banda Diogo Soares. “É uma canção que pude performer há muitos anos no Show de Calouros, da TV Aldeia, e hoje estou aqui cantando de novo, neste momento muito especial, ao lado de artistas que admiro muito”, afirma.

Ângela Mendes, responsável pelo Comitê Chico Mendes, e também filha do seringalista, ressaltou a importância do momento para o Acre: “Apesar de hoje ser uma data que marca a morte de Chico, estamos comemorando a vida. Nós do comitê falamos que o Chico vive, e hoje é para ser uma noite alegre, de celebração e reflexão sobre tudo o que ele nos deixou”.

O diretor-presidente da Fundação Garibaldi Brasil, Sérgio de Carvalho, aponta o motivo da escolha do Lydia Hammes para o Seringal Cultural. ” O movimento do Chico sempre foi nas periferias, e conversando com a organização, pensamos que é de grande valia continuar com esse legado. É importante descentralizarmos cada vez mais cultura, por isso viemos para cá”, explica.

Casa de Chico Mendes volta a ser um dos locais mais visitados em Xapuri

Local recebe uma média de 400 visitantes por mês e é patrimônio histórico do Brasil. Casa preserva a história do ambientalista Chico Mendes.

Reinaugurada em junho deste ano, a Casa de Chico Mendes voltou a ser umas das principais atrações turísticas e locais de visitação em Xapuri, no interior do Acre. O imóvel, patrimônio histórico do Brasil, foi totalmente restaurado após ficar imerso durante a enchente de 2015.

Por mês, uma média de 400 pessoas visitam o local. Uma das visitações mais frequentes são as de alunos de escolas, que agendam idas até a propriedade. “A gente aproveita o momento para conhecer um pouco do que aconteceu com o líder seringueiro”, comenta a professora Verônica Lucena.

Para evitar a especulação imobiliária e evitar mudanças nas características originais, o Estado adquiriu as propriedades próximas ao lugar onde Mendes morou e foi assassinado. Reformada, a estrutura da casa de madeira do ambientalista, os móveis e outros objetos são todos originais.

A casa de Chico Mendes também virou museu. Placas em três idiomas levam os visitantes a conhecer a história do ambientalista e recontam o que aconteceu no dia do assassinato dele. Katicilene Rodrigues, coordenadora do lugar, fala que a preservação das características traz identificação.

“A partir do momento que a pessoa vem e visita a casa onde ele passava o dia a dia e conhece os objetos que ele manuseava, tem aquela identificação. Muitas pessoas que vêm aqui dizem que valeu muito a pena [a visitação] neste local”, complementa a coordenadora.

Na sala da casa, há uma estante com os livros que Mendes gostava de ler. Entre as obras, uma enciclopédia sobre a República Federativa do Brasil, uma coleção das obras do escritor Jorge Amado e livros que mostram a influência comunista do líder seringueiro.

Militar do Exército, Adailson de Freitas foi até Xapuri com a esposa para saber mais sobre Chico Mendes. Para ele, a preservação da casa do ambientalista é importante por manter vivo um capítulo importante da história. “É muito importante cuidar disso aqui. Esse local é do Brasil, pertence a Amazônia”.

Entenda

Em fevereiro de 2015 a casa do líder seringueiro Chico Mendes, assim como o Centro de Memórias Chico Mendes, foram completamente tomados pelas águas do Rio Acre, quando nível do manancial na cidade chegou a 16,50 metros. Os objetos da casa e material que estavam no Memorial aos Seringueiros foram retirados e transferidos para o Museu de Xapuri.

Em abril de 2016, mais de um ano após a enchente histórica, a obra de revitalização da casa onde morou e morreu o líder seringueiro foi iniciada. Após quase dois anos de obras, a casa de Chico Mendes reabriu em junho deste ano, voltando a receber visitas de turistas, estudantes e curiosos.

Do G1 Acre

Atividade de observação de aves cresce no Acre e atrai turistas estrangeiros

Situado no Centro de Endemismo Inambari – área que concentra um grupo de espécies restritas e exclusivas à região –, o Acre vem despontando como um dos roteiros mais procurados na Amazônia para a prática da observação de aves.

Em 2017 diversas expedições foram promovidas pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema), em parceria com a Secretaria de Turismo e Lazer (Setul), reunindo turistas brasileiros, americanos e ingleses, que estiveram no estado para fotografar e observar a avifauna acreana.

As excursões de ecoturismo movimentaram cerca de R$ 100 mil. Os observadores visitaram unidades de conservação em Rio Branco (Parque Zoobotânico e Área de Proteção Ambiental Igarapé São Francisco), Sena Madureira (Reserva Extrativista Cazumbá-Iracema), Cruzeiro do Sul (Parque Nacional da Serra do Divisor) e Mâncio Lima (Área de Relevante Interesse Ecológico Japiim Pentecoste).

Além de aquecer a economia, devido à contratação de serviços hoteleiros, alimentícios, aluguéis de veículos, entre outros, a atividade de observação de aves fomenta o turismo de base comunitária. Os guias turísticos são os próprios moradores das comunidades visitadas.

Ricardo Plácido, biólogo e responsável pela atividade na Sema, explica que as visitas às unidades de conservação constituem uma primeira iniciativa de implementação do uso público voltado ao ecoturismo em áreas protegidas. Segundo ele, a atividade compõe uma estratégia de promoção da função social das UCs do Acre.

A observação de aves é um segmento do ecoturismo relacionado à contemplação e fotografia de aves na natureza. Os observadores (em inglês, birdwatchers ou birders) tornaram-se o maior grupo de pesquisadores da vida silvestre do planeta, sendo o que mais cresce setorialmente no mundo.

Além disso, o turismo promovido por essa atividade tem a capacidade de dinamizar a economia da região e entorno. O fluxo de observadores de aves gerado em 2017 abriu caminho para a vinda de outros ecoturistas em 2018.

Novas espécies                     

Na Amazônia existem cerca de 1.300 espécies de aves. Destas, 714 podem ser encontradas no Acre. Em 2017, outras três novas espécies foram identificadas e catalogadas na lista estadual, sendo uma delas um novo registro para o Brasil.

As descobertas destacam a importância da observação de aves como complementação da informação científica, denominada ciência-cidadã.

“O governo do Estado apostou, nos últimos anos, na promoção de políticas ambientais arrojadas, com foco no desenvolvimento sustentável. A prática de birdwatching apresenta-se não só como uma grande oportunidade econômica, mas como política pública de conservação, especialmente no que se refere ao uso público das UCs”, salienta Plácido.

Humanização inicia oitava edição do Arte Cura na Upa Via Verde

Projeto Arte Cura leva alegria aos pacientes e pessoas que procuram o serviço público de saúde.

Com o objetivo de inserir arte e atividades lúdicas como um reforço terapêutico nos ambientes hospitalares, teve início nesta terça-feira, 19, a oitava edição do Arte Cura, na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Via Verde, no Segundo Distrito.

O projeto é iniciativa do governo do Estado, por meio da Diretoria de Humanização da Secretaria da Gestão Administrativa (SGA). A abertura contou com apresentações musicais e teatrais, e também a presença da diretora de Humanização, Elineide Meireles.

“É uma ação muito querida pelos servidores públicos e a população”, conta a diretora. “O Arte Cura traz a linguagem da arte, com música, teatro, contação de histórias e etc. É uma forma de melhorar o ambiente hospitalar e ajudar o paciente com alegria e fortalecimento interno”, completa.

Pela primeira vez na UPA do Segundo Distrito, o programa atuará durante cinco meses, propondo atividades lúdicas, como teatro, semanas temáticas, oficinas, dobraduras e musicoterapia, usados como mecanismo de interação e comunicação entre paciente e servidores, favorecendo o bem-estar durante o período de internação no hospital e a diminuição do estresse diário.

“É com muita alegria que recebemos o Arte Cura na unidade”, expõe Simone Prado, diretora da UPA. “Nós sabemos que a arte também pode curar, e estamos felizes com esta parceria”, conclui.

Além dos pacientes, o projeto também contemplará os servidores e colaboradores da unidade, que poderão participar das atividades e oficinas.

Confraternização do Armazém Paraíba foi um sucesso em Brasileia

Como todos os anos, o Supermercado Armazém Paraíba realizou sua confraternização de fim de ano para premiar, homenagear e valorizar seus clientes que acompanham durante todo o ano.

Na manhã deste domingo, dia 17, o Armazém Paraíba realizou a sua confraternização de fim de ano em frente ao supermercado, com a presença de todos clientes que vieram prestigiar o evento dedicado a todos que contribuem durante todo o ano.

O evento é realizado pelo supermercado e contou com premiações de bicicletas, geladeiras, lanches e muita diversão para criançada.O supermercado Armazém Paraíba fica na avenida Dr. Manoel Marinho Montes, 1230 no bairro Ferreira Da Silva em Brasiléia. O evento contou também com a presença da Prefeita Fernanda Hassem que esteve presente durante todo o dia

Entre em contato conosco e confira as nossas promoções através do número (68) 3546-5637. Desde já agradecemos à sua preferência!

Semana Chico Mendes inicia com atividades em Xapuri e Rio Branco

A semana que propaga os ideais do líder seringueiro e ambientalista Chico Mendes iniciou com o lançamento da segunda edição da Semana Nacional de Economia Solidária, promovido em frente ao museu Chico Mendes, em Xapuri.

 Por Maria Meirelles 

Se estivesse vivo, Chico completaria hoje 73 anos. A Semana Chico Mendes é promovida pelo Comitê Chico Mendes, com o apoio do governo do Estado, com o objetivo de reconhecer e estimular atividades, programas e ações que têm como principal finalidade consolidar o conceito de Florestania.

O tradicional Prêmio Chico Mendes de Florestania é entregue na tarde desta sexta-feira, na Praça do Seringueiro, Centro de Rio Branco. Conferida anualmente pela Fundação de Cultura Elias Mansour (FEM), a premiação foi em criada em 2004, como forma de reconhecer personalidades, iniciativas e instituições que atuam na conservação do meio ambiente.

Na programação que se encerra dia 22 de dezembro, data que marca os 29 anos de morte de Chico Mendes, constam inúmeras atividades como o lançamento do livro “Pássaro sem Rumo – Uma Amazônia chamada Genésio”, na terça-feira, 19, escrito por Genésio Ferreira da Silva, testemunha chave no processo de condenação dos assassinos do ambientalista.

A Semana Chico Mendes conta ainda com o apoio do Instituto Chico Mendes da Conservação da Biodiversidade (ICMBio), Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Xapuri (STR/Xapuri), Cooperacre, Embrapa, Instituto Federal do Acre (Ifac), Centro dos Trabalhadores da Amazônia (CTA), Central de Cooperativas e Empreendimentos Solidários (Unisol), gabinetes da deputada estadual Leila Galvão, deputado federal Raimundo Angelim e senador Jorge Viana, entre outros parceiros.

Confira a programação na íntegra:

Star Wars: Fãs lotam salas de cinema no lançamento do filme em Rio Branco

Quem diria ou mesmo o próprio George Lucas, imaginou que após quarenta anos do seu primeiro filme, continuaria conquistando multidões com a franquia Star Wars? Ou que o vilão seria o mais amado pela legião de seguidores?

Pensando nisso e aproveitando o gosto pela franquia, um grupo de professores da Faculdade da Amazônia Ocidental (Faao), comprou ingressos para lotar uma das salas do cinema local. Incentivador e fã da franquia, Bruno Parreira reuniu alunos e amigos para conferir em primeira mão, o lançamento do filme no estado.

“A nossa intenção foi reunir amigos para um grande encontro com todos, ponde envolve alunos, professores e amigos, além de realizarmos uma maratona com todos os filmes. Foi um sucesso e vamos repetir a dose em outras oportunidades", disse Bruno.

Segundo informou a organização, cerca de cem ingressos foram comercializados, entrada adquirida pelo grupo universitário. E o evento não faltou fã com seus personagens favoritos e os cosplay.

Para o professor, Raone Maia, a atividade superou a expectativa.

“A organização e mobilização foi tão boa, que iremos nos preparar para um novo evento”, destacou Raone.

Há 18 anos, Proerd realiza trabalho preventivo com crianças e adolescentes

O ditado popular que diz “é melhor prevenir que remediar” se aplica muito bem quando o assunto envolve toda uma sociedade. Segurança Pública tem apostado na prevenção como ferramenta transformadora.

E é por meio da Polícia Militar do Acre, há 18 anos executando o Programa Educacional de Resistência às Drogas e à Violência (Proerd), que o Estado cumpre seu papel de conscientizar as novas gerações sobre os perigos fora dos muros da escola e a importância da valorização da vida em suas escolhas.

Desde que foi implantado, e com a parceria da rede pública de ensino, o Proerd segue com a missão de manter crianças e adolescentes longe das drogas e da criminalidade, sobretudo aqueles que vivem em situação de vulnerabilidade social.

A metodologia de ensino inclui didáticas de promoção da autoestima, do autocontrole sobre decisões e de comportamento ao lidar com momentos de tensão, entre outras.

Educação preventiva tem sido a maior arma das forças de segurança para dar respostas à sociedade, pensando no presente e no futuro.

Durante recente formatura de estudantes do programa, o secretário de Segurança Pública, Emylson Farias, resumiu a essência do Proerd: “Não queremos ver uma mãe ou um pai chorando por ter um filho que comete crimes ou até mesmo morto, por ser refém de alguma organização criminosa. Queremos formar cidadãos de bem, que no futuro sejam profissionais levando suas vidas dignamente”.

À frente da coordenação, o tenente Leandro ressalta que a faixa etária alcançada pelo programa é crucial para desenvolver a consciência sobre os malefícios causados pelas drogas, cujo uso, na maioria das vezes, se associa à prática de violência.

“Entre os nove e 12 anos, principalmente, é a hora em que as crianças estão se descobrindo, se autoafirmando no sentido da personalidade e da própria identidade. E é assim que o Proerd entra com a parte da reflexão sobre os próprios atos e escolhas que, com certeza, irão trazer mais na frente consequências em suas vidas, sejam elas boas ou ruins. Cabe somente a eles saber a que lugar querem chegar”, enfatiza.

Em todas as edições do programa, a estrutura pedagógica é composta por lições ministradas obrigatoriamente por um policial militar fardado, o que, além da sua atuação como educador social, propicia um elo a mais na comunidade em que atua.

É desse modo que a referência da polícia militar, em razão da participação direta dentro do âmbito escolar, se estende ao ambiente familiar, numa relação mais eficaz durante a formação desses adolescentes. Se antes o policial militar era visto como um profissional de repressão, agora é visto pelos estudantes como amigo da escola e da vida, ou até mesmo uma inspiração para a carreira a ser escolhida futuramente.

Riquelme Lopes, 10 anos, é um entre os milhares beneficiados pelo Proerd este ano nas escolas da capital. A prova de que a parceria da segurança pública tem sido eficaz para uma melhor educação é o depoimento de Anayrise Lopes, mãe do estudante. “Muitas vezes, o que a gente ensina em casa nem sempre é ouvido pelos nossos filhos, e quando eles têm uma influência tão positiva assim dentro da escola, alguém que escutem, dá uma certa segurança. E o melhor disso tudo é ver o comportamento mudar pra melhor”, agradece.

No Brasil, o Proerd chegou em 1992, por meio da Polícia Militar do Rio de Janeiro. No Acre, teve início em 1999, sendo desenvolvido nas escolas públicas por policiais militares treinados e preparados para desenvolver o lúdico, com a utilização de metodologia especial. Atualmente, o programa dispõe de um efetivo de instrutores em 12 cidades do estado, além da capital, com o público de estudantes do 5° ano.