Acre Made in Amazônia Design: economia sustentável com identidade

No campo da economia criativa, o governo do Estado desenvolveu nos últimos oito anos projetos em várias áreas. Entre eles, podemos destacar o Acre Made in Amazônia Design, iniciado em 2012.

Por Rose Farias / Assessoria

O projeto buscou como objetivo promover a valorização da identidade cultural e a consolidação da cadeia produtiva do setor moveleiro do Acre, com o aproveitamento da riqueza e a biodiversidade dos recursos naturais da Floresta Amazônica de forma ambiental, econômica e socialmente responsável, combinando estratégias de inovação e competição de mercado.

O Acre Made in Amazônia Design compreendeu três etapas com investimentos no valor de R$ 2,2 milhões, tendo como executores a Secretaria de Desenvolvimento, da Indústria, do Comércio e dos Serviços Sustentáveis (SEDENS) e o Instituto Dom Moacyr (IDM), em parceria com o Sebrae, Sistema FIEAC e POLI.design, Consórcio do Politécnico de Milão, e consultoria do gabinete da primeira-dama Marlúcia Cândida.

Profissionais nacionais e internacionais foram convidados a participar da iniciativa. Entre eles os designers Emmanuel Gallina e Bernardo Senna e, da Poli.design de Milão, Arturo Dell’Acqua Bellavitis, Giuliano Simonelli, Eugenia Chiara, Valentina Auricchio e Roberto Galisai, além do técnico italiano Sergio Frison, que desenvolve produtos para importantes marcas europeias.

O projeto envolveu a participação de 20 empresas do setor moveleiro, cinco pesquisadores, dez linhas de móveis e o desenvolvimento de 29 produtos.

Para o empresário Augusto Nepomuceno o Acre Made in Amazônia foi um passo importante para o setor. “Com o projeto aprimoramos o nosso design e buscamos tecnologia para apresentar aos nossos clientes”.

Primeira etapa

Com investimentos no valor de R$ 515 mil, a primeira etapa promoveu a capacitação de empresários, artesãos e profissionais locais. Foram desenvolvidas as coleções de móveis em madeira maciça e pequenos  envolvendo a cadeia produtiva local.

“Dessa troca de experiência entre os locais e os profissionais do setor moveleiro do Acre e de outros lugares do país e do mundo, surgiu a coleção que usa madeiras da região e também símbolos do Acre”, explicou Marlúcia Cândida.

No projeto, os profissionais buscaram valorizar a gramática visual acreana, ou seja, os artesãos e a matéria-prima. Mais do que isso, com o objetivo mudar a visão de valor que os moradores locais têm. O módulo contemplou onze empresas do Polo Moveleiro de Rio Branco.

A etapa envolveu a pesquisa da identidade Acre para subsídio à criação de quatro linhas de mobiliário;  a Formação Inicial Continuada em Design de Móveis, com a certificação de 35 educandos (marceneiros, arquitetos, estudantes de arquitetura e artesãos); dois workshops projetuais, com os designers Bernardo Senna e Emmanuel Gallina. Eles criaram com os estudantes as linhas de mobiliários e pequenos objetos em madeira, com design contemporâneo, mas com uma identidade local; a criação da marca Acre Made in Amazônia e o desenvolvimento de nove linhas de mobiliário e um de pequenos objetos.

Todo o resultado foi mostrado em três exposições, duas delas realizadas em 2013, uma em Rio Branco, no Memorial dos Autonomistas, e a outra no Festival Economia Criativa/ Itália SA na Bienal em São Paulo. E em 2014, no evento Brazil SA, realizado no Palazzo Giureconsulti, em Milão/Itália.

Exposição dos móveis no Memorial dos Autonomistas em Rio Branco

Exposição dos móveis no Festival Economia Criativa/ Itália SA na Bienal em São Paulo

Exposição dos móveis no evento Brazil SA, realizado no Palazzo Giureconsulti, em Milão/Itália

Acre Design – segunda etapa

Nesta etapa, o Acre Design contemplou duas ações. Foi investido o valor de R$ 890 mil.

Por meio de edital, foram selecionadas cinco empresas moveleiras da capital. Elas participaram do desenvolvimento e engenheirização das coleções de móveis e pequenos objetos criados na primeira etapa do projeto.

“Buscamos incrementar de forma estável a qualidade da produção, ajustando-a aos padrões de competitividade em nível nacional. As modificações nas coleções sugeridas e executadas pelo Poli.design proporcionaram maior valor agregado aos móveis em madeira maciça” explicou  Elisângela Rocha, coordenadora do projeto pelo governo do Estado.

Etapa final

Com investimentos no valor de R$ 800 mil, na última etapa do Acre Design foi realizado o aperfeiçoamento da coleção de móveis em madeira maciça da coleção Acre Made In Amazônia com transferência de conhecimento em design, processo produtivo e gestão da comercialização no mercado brasileiro.

As cinco empresas receberam atendimentos e consultorias em logística, posicionamento da marca Acre Made in Amazônia, formação de preço, estrutura, embalagem e definição de Estratégia Premium para valorização dos produtos.

Além disso, foram elaboradas as peças de Publicidade voltadas à comercialização da Coleção de Mobiliários “Acre Made in Amazônia”.

Com a coleção de móveis “Acre Made in Amazônia”  finalizada, o projeto seguiu para a exposição comercial na primeira edição da feira High Design. Neste espaço ocorreu o lançamento da coleção em São Paulo/SP, durante a Design Weekend /DW 2016, no período de 9 a 11 de agosto 2016 no São Paulo Expo Exhibition & Convention Center.

A coleção Acre, Made Amazônia foi lançada  com a presença do governador Tião Viana, acompanhado da primeira-dama Marlúcia Cândida, gestores de governo, empresários e representantes de instituições que apoiam o setor.

“O resultado é gratificante. O governo com esse projeto deu oportunidades a essas pessoas de pensar numa nova maneira de utilizar a matéria-prima, pensar num futuro aonde o pouco que se pode tirar da floresta vira muito, com um valor agregado porque tem design e assinatura de um artesão e profissional que agora tem uma formação melhor e diploma dessas instituições. Esses profissionais participaram de eventos renomados, focaram conhecidos e hoje fazem negócios em vários mercados do Brasil e outros países. O maior objetivo do governo com esse programa foi de incrementar esse setor e startar o desejo de colocar design nos produtos que já eram elaborados no Acre”, ressaltou Marlúcia.

Veja o Vídeo:

As linhas de móveis têm nomes bem regionais, ressaltando a tradição e simbologia do Acre: Poronga, Palafita, Yuxin, Cirumim, Rio Acre, Empates, Jiboia e Nido.

Os conceitos dos móveis foram elaborados durante um curso de formação que envolveu estudantes de arquitetura, artistas e marceneiros.

A primeira-dama Marlúcia Cândida foi uma das entusiastas do curso que promovesse a sofisticação aliada ao designer na marcenaria acreana.

Nuances

As coleções apresentam móveis que podem ser utilizados em escritórios, halls de hotéis, casas e ainda, há uma linha de objetos para entreter crianças.

A linha Palafitas apresenta o equilíbrio e desequilíbrio, as peças remetem à vida dos ribeirinhos e fazem lembrar as casas construídas em margens de rios, que têm “pernas” altas para que as moradias não alaguem em períodos de cheia dos rios. Nesta coleção as “pernas” dos móveis foram confeccionadas com dois tipos de madeiras de cores diferentes, uma em tom mais claro e outra em mais escuro. As duas madeiras diferentes simbolizam o nível das águas.

Outra coleção que usou de madeiras em tons diferentes para retratar as peculiaridades do Acre foi a linha “Empates – Duas essências em contraste”. As peças desta linha foram produzidas a partir das madeiras “roxinho” e “cerejeira”, duas madeiras nobres da Amazônia.

Nas peças, as madeiras se encontram nas juntas com detalhes em malhetes. O encontro das madeiras contrastante, tal qual eram os empates (manifestações entre fazendeiros e seringueiros) que ocorriam nos seringais e eram organizados por Chico Mendes.

A coleção de mesas “Rio Acre” traz os contrastes das curvas do rio que corta a capital acreana. As mesas trazem detalhes em madeiras de diversas cores terrosas, lembrando as águas barrentas do Rio Acre.

Os colonizadores do Estado que vieram para povoar a região vindos do Nordeste  brasileiro também foram homenageados por meio da linha Jatobá que apresenta a biodiversidade em madeira. Os diferentes tipos de madeira se entrelaçam nos móveis, como se dançassem ao ritmo do forró, compondo formas diferenciadas. Essa coleção destina-se a hotéis, halls de entrada de espaços públicos.

As luzes da floresta estão representadas na coleção Nido que tem duas luminárias: uma na forma de ninho de pássaro, a outra, foi inspirada na poronga, tipo de lamparina que era utilizada pelos seringueiros para iluminar as caminhadas durante a madrugada, na floresta, na hora da extração do látex da seringueira.

Bernardo Senna falou sobre o papel do designer no projeto como o Acre Made in Amazônia Design.

“Um projeto como esse, o papel do designer não é trazer uma solução já pronta, uma ideia pré-concebida. Ele tem que conhecer se integrar com o contexto local, conhecer as matérias primas, a cultura, todo o processo de trabalho e vivência das pessoas, para a partir daí ele possa desenvolver soluções para os problemas que ele encontra”.

Plantão 3 de Julho Notícias 17ª Edição

Durante chuva em Epitaciolândia, bueiros entupidos resultam em inundações de residências, ruas e Avenida. Uma situação desta não era mais para acontecer em Epitaciolândia, uma vez que o Prefeito Tião Flores anunciou o programa Prefeitura nos Bairros que diga-se de passagem nada foi feito.

Plantão 3 de Julho Notícias 16ª Edição

Vereador Alcione mostra a realidade que os alunos (crianças e adolescentes) enfrentam para chegar a escola, é realmente inacreditável. A gestão do Prefeito Tião Flores é tão ruim que os moradores criaram o movimento S.O.S Epitaciolândia.

Beneficiários destacam Programa Lideranças da Floresta

Os intercâmbios compuseram as atividades do Programa Lideranças da Floresta. O workshop de encerramento reuniu todos em Rio Branco.

Por  Maria Meirelles 

Dar autonomia de gestão às lideranças comunitárias. Foi com esse intuito que o governo do Acre, por meio da Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema), em parceria com o Instituto de Manejo e Certificação Florestal e Agrícola (Imaflora) promoveu o Programa Lideranças da Floresta.

Com a presença dos beneficiários, nesta terça-feira, 6, as instituições realizaram o workshop de encerramento do programa que qualificou 21 organizações comunitárias do Estado, que atuam com iniciativas de manejo florestal comunitário madeireiro e não madeireiro. A iniciativa teve início em janeiro de 2017.

“Seu Xuxa”, como é conhecido Cleomilton Rocha, liderança comunitário da Floresta Estadual do Gregório (Vale do Juruá), enfatizou a relevância da iniciativa na vida dos produtores. “Eles levaram mais conhecimento para nós, em especial, para a nossa juventude. Muitos jovens não entendiam o potencial da nossa floresta e hoje compreendem a necessidade de se preservar e produzir com sustentabilidade”, destacou.

O produtor, que também é presidente da Associação Agroextrativista São Francisco de Assis, frisou a necessidade de continuidade do programa. “Esse tipo de projeto precisa ter continuidade na próxima gestão, pois nós precisamos da floresta e muitos pensam que é derrubando a floresta que poderemos sobreviver melhor. Isso não é verdade. A floresta em pé gera emprego e renda nas comunidades acreanas”, afirmou Seu Xuxa.

Para o jovem extrativista de Xapuri Marenildo Moura, 20 anos, a experiência agregou novos conhecimentos. “Eu já tinha uma ideia sobre, agora estou consolidando meus conhecimentos, esclarecendo dúvidas e aprendendo coisas novas”.

Durante o evento, os participantes puderam compartilhar as experiências e os resultados obtidos ao longo do Programa Lideranças da Floresta. Com 87% de floresta nativa, o governo do Acre apostou na consolidação de uma política de desenvolvimento sustentável que gerou o aumento da economia acreana. O PIB (Produto Interno Bruto), por exemplo, saltou de R$ 1 bilhão para quase R$ 14 bilhões, durante os 20 anos de governo da Frente Popular.

Edegard de Deus, secretário de Meio Ambiente, explicou como a iniciativa deu autonomia aos comunitários. “Capacitamos as organizações comunitárias sobre toda a cadeia que envolve o manejo florestal, que vai desde a exploração da madeira até o final do processo, que é quando eles ganham dinheiro com a venda da madeira legal. Isso é muito importante, pois, antigamente, essas comunidades eram reféns das empresas. Terminamos esse programa muito feliz, pois contamos com participação grande dos jovens, ou seja, das futuras lideranças comunitárias do Acre”, ressaltou.

O Programa Lideranças da Floresta foi promovido por meio do Programa de Desenvolvimento Sustentável do Acre (PDSA), fase dois, que tem como propósito fortalecer as organizações comunitárias em torno da produção florestal sustentável.

Metodologia

O processo de formação foi estruturado em seis módulos com temas relacionados à organização social, a práticas produtivas, à gestão de negócio e comercialização da produção, complementadas com visitas de intercâmbio de experiência e assessoria técnica especializada, executados em 15 meses.

Toda a metodologia de intervenção foi elaborada com base na teoria e na prática do educador Paulo Freire, segundo as quais cada individuo é protagonista de seu aprendizado, de modo que a relação estabelecida entre educando e educador esteja alicerçada no aprendizado mútuo.

“Além das oficinas promovidas nas cinco regiões do Estado, promovemos intercâmbios no Projeto Reca e na Floresta Estadual do Antimary, em que os nossos beneficiários viram como funciona o processo de gestão na prática e a atividades de manejo florestal de impacto reduzido”, salientou a coordenadora do programa no Imaflora, Júnia Ruggiero.

Plantão 3 de Julho Notícias 16ª Edição

Vereador Alcione mostra a realidade que os alunos (crianças e adolescentes) enfrentam para chegar a escola, é realmente inacreditável. A gestão do Prefeito Tião Flores é tão ruim que os moradores criaram o movimento S.O.S Epitaciolândia.

Acre tem respeitado e valorizado os povos indígenas, afirma liderança puyanawa

O fortalecimento e apoio à cultura e tradição dos povos indígenas do Acre é uma política pública constante no governo do Estado nos últimos 20 anos.

Por Arison Jardim Assessoria

A celebração em festivais e encontros e o crescimento da produção agrícola nas comunidades são sinais do intenso diálogo entre o Estado e as aldeias acreanas.

Aqui, os povos tradicionais são tratados com respeito e investimento público para suas atividades e participam com altivez na construção dos projetos. Na aldeia Barão, do povo puyanawa, em Mâncio Lima, é possível vivenciar essa história de resistência cultural e diálogo com o poder público para uma completa transformação da comunidade.

“Hoje, há uma constatação de realidade do reavivamento da nossa cultura e espiritualidade”, afirma Joel Puyanawa, cacique na aldeia Barão. Ele relata uma longa história de superação de seu povo após a dominação sofrida com a chegada de grupos para exploração da borracha e a criação de fazendas na região amazônica no início do século passado.

Os ciclos de exploração econômica da Amazônia e a transformação da espiritualidade indígena em pecado por grupos religiosos devastaram aldeias inteiras. Até a década de 1980, os indígenas acreanos eram excluídos da sociedade e das políticas públicas, realidade que mudou após a força revolucionárias de lideranças que estiveram juntos do seringueiro Chico Mendes.

A atitude fundamentalista de grupos religiosos dentro das terras indígenas passou a dar espaço para o resgate da espiritualidade de cada povo. O resgate cultural e espiritual é também um renascimento de uma comunidade. “De 2010 para cá comecei a tomar a ayahuasca. Essa bebida tem trazido de volta nossa espiritualidade, cultura e tradição, o incorporação de saberes de todo o meu povo, mesmo que nem todos bebam a ayahuasca”, explica Joel.

Parte deste fortalecimento e resgate foi realizado com apoio do governo do Estado desde o início dos anos 2000. Já na gestão de Tião Viana, os investimento para os povos indígenas foram intensificados, garantindo ampliação na educação, agricultura, gestão territorial e a realização de festivais culturais.

“Em toda jornada da vida, a gente nunca é só. Para evoluir, é preciso ter parceiros e dentro de nossas necessidades, o governo tem somado. O governo tem sido esse grande parceiro para nós. Uma coisa que a gente pensava ter aqui, que era impossível sonhar, era reencontrar nossa maloca e refazer ela aqui. Hoje ela está aqui, com apoio do governo”, relata o cacique, rememorando a jornada de seu povo para encontrar na mata o local deixado por seus antepassados, onde hoje a comunidade se reúne para pensarem o futuro.

Além do apoio cultural aos puyanawa, com a construção da maloca principal da aldeia e no festival, o governo do Estado também realizou investimentos no plantio de frutíferas para ampliação de renda e segurança alimentar e no abastecimento de água potável. Foram mais de R$ 1,1 milhão investidos somente na Terra Indígena Puyanawa durante a gestão de Tião Viana.

Este modelo de ação para os povos indígenas foi implementado em todo o Acre. Foram mais de R$ 61,4 milhões investidos em diversas atividades dentro das terras indígenas entre 2011 e 2017, uma política pública de valorização, diálogo e reconhecimento. Para a próxima gestão, Tião Viana deixa mais de R$ 34,6 milhões para serem investidos.

Para Zezinho Yube, assessor para Assuntos Indígenas do governo do Acre, o legado de Tião Viana para o setor vai além dos valores investidos. “O governador deixa para os povos indígenas a mensagem de inclusão e participação verdadeira dentro do governo, nos programas e na implementação dos planos de gestão. As decisões são tomadas pelos próprios indígenas. O Governador também foi o que mais visitou as aldeias, participando dos festivais e vivenciado junto à comunidade”, afirmou.

Quanto ao que acredita ser importante para o próximo governo, Yube afirma: “O desafio é a continuidade dessa política que foi consolidado no Acre, da permanência e manutenção da floresta. Falo isso com muito orgulho, nossas terras não estão sendo invadidos, como a gente vê em estados vizinhos como Rondônia e Amazonas. É importante manter esse modelo de que a floresta em pé vale muito mais do que derrubada.”

“Na minha reflexão, o Acre faz diferença em todos os estados do Brasil, porque aqui a gente consegue ter conversa e diálogo com o governo, ao tempo e momento que precisamos. O Acre é esta casa, que tem agasalhado nossas questões. Aqui temos sido respeitados e valorizados pelos governos”, declara Joel, exemplificando os anos de relação que seu povo teve com o governo do Estado.

Plantão 3 de Julho Notícias 16ª Edição

Vereador Alcione mostra a realidade que os alunos (crianças e adolescentes) enfrentam para chegar a escola, é realmente inacreditável. A gestão do Prefeito Tião Flores é tão ruim que os moradores criaram o movimento S.O.S Epitaciolândia.

‘O Grinch’ e ‘Millenium – A Garota na Teia de Aranha’ estreiam no cinema de Rio Branco

‘O Quebra-Nozes E Os Quatro Reinos’ também está em cartaz. Confira a programação completa.

Cena de ‘Millenium – A Garota na Teia de Aranha’ estreia nesta quinta-feira (8) — Foto: Divulgação

A animação “O Grinch” e o suspense dramático “Millenium – A Garota na Teia de Aranha” são os destaques entre as estreias do cinema em Rio Branco nesta quinta-feira (8). Além desses, mais seis filmes também estão em cartaz.

O Grinch é uma criatura verde que não suporta o Natal e, todo ano, precisa aturar que os habitantes da cidade vizinha de Quemlândia comemorem a data. Decidido a acabar com a festa, ele resolve invadir os lares dos vizinhos e roubar tudo o que está relacionado ao Natal.

Já a sequência de “Millenium – O homem que não amava as mulheres”, “A garota na teia de aranha” se passa em Estocolmo, na Suécia. Graças às matérias escritas por Mikael Blomkvist (Sverrir Gudnason) para a revista Millennium, Lisbeth Salander (Claire Foy) ficou conhecida como uma espécie de anti-heroína, que ataca homens que agridem mulheres. Apesar da fama repentina, ela se mantém distante da mídia em geral e levando uma vida às escondidas.

Um dia, Lisbeth é contratada por Balder (Stephen Merchant) para recuperar um programa de computador chamado Firefall, que dá ao usuário acesso a um imenso arsenal bélico. Balder criou o programa para o governo dos Estados Unidos, mas agora deseja deletá-lo por considerá-lo perigoso demais. Lisbeth aceita a tarefa e consegue roubá-lo da Agência de Segurança Nacional, mas não esperava que um outro grupo, os Aranhas, também estivesse interessado nele.

O Cine Araújo está localizado no Via Verde Shopping, na Estrada da Floresta, 2.320, no bairro Floresta. No site do cinema, tem os preços das sessões.

Confira a programação completa:

Bohemian Rhapsody

Dublado 2D – 18h30;

Legendado – 2D – 21h

Halloween

Dublado 2D – 21h45

Johnny English 3.0

Dublado 2D – 16h30

Millennium: A Garota Na Teia De Aranha

Dublado 2D – 14h45, 17h e 10h15

Legendado 2D – 21h30

O Doutrinador

Dublado 2D – 14h15

O Grinch

Dublado 3D – 17h15, 19h

Dublado 2D – 14h15, 16h30, 18h15, 20h

O Quebra-Nozes E Os Quatro Reinos

Dublado 3D – 15h15 e 20h45

Dublado 2D – 15h, 17h, 19h e 21h

Operação Overlord

Dublado 2D – 15h, 17h15, 19h30 e 21h45.

Plantão 3 de Julho Notícias 15ª Edição

Veja neste Vídeo: Colono desaparecido dentro da selva é localizado vivo cerca de 11 dias depois. Uma grande operação realizada por quase cinco dias, envolvendo homens dos Bombeiros, Polícia Militar e Exército Brasileiro, obteve êxito com apoio de moradores das comunidades do Guanabara e Icuriã, em localizar o colono Pedro Soares, de 49 anos, que havia saído de casa para caçar e não mais retornou.

Prefeitura de Brasileia inicia campanha Natal Solidário

A Prefeitura de Brasileia realiza todos os anos a campanha ‘Natal Solidário’.

E nesse ano de 2018 a campanha já teve inicio no município e conta com a participação de todos os servidores e também da população.

A secretaria de assistência social distribuiu em todas nas 11 secretarias a caixinha de arrecadação de presentes. Para participar é muito fácil, os servidores e população em geral podem se dirigir a qualquer secretaria da prefeitura e na recepção você pode deixar sua doação.

Com os presentes arrecadados, a gestão municipal realiza uma grande festa para entregar os presentes. O público alvo dessa ação são os filhos de pais cadastrados no Programa Bolsa Família.

Veja o Vídeo da Prefeita Fernanda Hassem que está em Brasília em busca de recursos para Brasiléia.

A Prefeita, Fernanda Hassem, está em Brasília em busca de mais recursos para o município de Brasiléia. E para isso está participando de audiências com os parlamentares da bancada acreana mostrando as necessidades da cidade, e de sua população. Esse é um momento decisivo para aqueles que querem ajudar Brasiléia, e seus moradores.

Instituto Acreano de Imagens realiza Curso de Fotografia em Rio Branco

O Instituto Acreano de Imagens (IAI) vai está no mês de Novembro nos dias 10,11 e 17/2018.

Por Marcos Vicentti

O curso possui carga horária de 18 horas com aulas teóricas e praticas, ministradas pelo repórter fotográfico Marcos Vicentti, presidente do (IAI).

Um dos objetivos do curso é levar o estudante a fotografar cenas diversas utilizando os recursos fotográficos essenciais de um equipamento digital manual.

Em síntese, a proposta é conduzir o estudante a formar uma cultura fotográfica e senso crítico acerca de sua produção visando obter imagens com qualidade.

O Instituto Acreano de Imagens (IAI) já forma fotógrafos profissionais há 9 anos. Em aulas práticas e teóricas, o aluno desenvolverá habilidades em história da fotografia, linguagem fotográfica e equipamento fotográfico.

Para participar é necessário ter idade mínima de 14 anos e possuir máquina fotográfica.

Em sua grade curricular consta: história da fotografia, técnicas e manuseio do equipamento fotográfico.

De acordo com Marcos Vicentti, o mercado de fotografia está aquecido e, em ascensão.

As profissões ligadas à fotografia se movimentam no ritmo acelerado das tecnologias digitais, que assumem lugar de destaque no cotidiano das pessoas e das organizações.

Mais Informações pelo Fone 68- 9991 0076

Todos os direitos reservado para autor Marcos Vicentti

Veja o Vídeo da entrevista com o vereador Mario Jorge

Vereador  conta um pouco sobre a sua trajetória e fala principalmente sobre o seu afastamento. Mário Jorge fala também que tinha pessoas interessadas em fazer com que ele perdesse seu mandato.

Durante a entrevista prestada pelo Vereador Mário Jorge ao 3 de Julho Entrevistas, afirmou que armaram contra ele com relação ao processo de afastamento.

Atlético Brasileense bate SRT em Brasiléia e garante vaga na final do 1º turno

O campeonato conta com a participação de doze equipes divididas em duas chaves de seis times.

Por Eldson Júnior

As meninas do clube Atlético Brasileense garantiram vaga na final do primeiro turno do Campeonato Acreano Feminino de Futsal 2018, após derrotar a equipe SRT de Rio Branco por 4 a 3, no sábado, 20, no Ginásio de Esportes Eduardo Lopes Pessoa.

O Atlético Brasileense que se classificou para a fase “mata-mata” de forma invicta, com cinco partidas, cinco vitórias e quinze pontos, enfrentará o Clube Atlético Acreano, também de Rio Branco.

O Atlético Acreano, que era da mesma chave do time brasileense se classificou com doze pontos em cinco jogos, com apenas uma derrota sofrida para o time de Brasiléia na última rodada da primeira fase.

O jogo

Jogando em casa, a Seleção Brasileense se impôs para cima da equipe de Rio Branco, e jogando bem durante todo primeiro tempo, abriu vantagem de 4 a 0 logo no início. Usando o “fator casa”, o Atlético Brasileense segurou a pressão até ó intervalo.

No segundo tempo, a e equipe atual campeã estadual, SRT, voltou em busca do resultado, pressionando a seleção Brasileense com troca de passes, marcação forte e chutes a gol, parando apenas na goleira que estava em uma noite inspirada.

Na reta final do segundo tempo, a equipe da capital se impôs, reagindo e descontando o placar com 3 gols. Mas com marcação forte e com apoio da torcida a equipe de Brasileia segurou o placar até o fim, garantindo vaga na grande final da competição.

A atleta do Atlético Brasileense, Klauana Araújo, destaca a partida que garantiu a vaga da equipe brasileense na decisão.

“Foi uma partida muito boa, bem pegada, as duas equipes bem preparadas. SRT, uma equipe muito forte. Um jogo de 4 a 3, com boa participação da equipe e agradeço o apoio da torcida que estiveram presentes”, disse a atleta.

Para o gerente de Esportes, Clebson Venâncio, a equipe desempenhou um bom papel durante o campeonato, “Nossas meninas estão de parabéns. Sétima partida da competição, sétima vitória. Agora vamos trabalhar durante a semana para chegar a final com foco, determinação, porque ainda não ganhamos nada. Quero agradecer a Prefeita Fernanda Hassem, que desde começo da competição vem dando o suporte necessário para que possamos estar desempenhando um bom papel”, destaca Clebson.

A Seleção Brasileense feminino, assim como o masculino recebeu apoio por parte da Prefeitura de Brasiléia por meio da Gerência de Esportes, além de patrocinadores locais.

Veja o Vídeo da entrevista com o vereador Mario Jorge

Vereador  conta um pouco sobre a sua trajetória e fala principalmente sobre o seu afastamento. Mário Jorge fala também que tinha pessoas interessadas em fazer com que ele perdesse seu mandato.

Durante a entrevista prestada pelo Vereador Mário Jorge ao 3 de Julho Entrevistas, afirmou que armaram contra ele com relação ao processo de afastamento.

Prêmio de Jornalismo do MPAC: Acadêmicos de Publicidade poderão participar

O Prêmio de Jornalismo do Ministério Público do Estado do Acre (MPAC) chega à sua 9ª edição com mais uma novidade.

Por André Ricardo

Foi acrescentada ao concurso a categoria ‘Destaque Acadêmico em Publicidade’, que vai permitir a participação de estudantes de Comunicação Social com habilitação em Publicidade e Propaganda.

Nas edições anteriores, o edital permitia apenas a participação de acadêmicos de Jornalismo. O anúncio foi feito na noite de quinta-feira, 18, na Faculdade Meta, em Rio Branco, atualmente, a única do estado que oferece o curso na plataforma presencial.

“Acredito que, de forma bastante criativa, os acadêmicos irão dar visibilidade para o trabalho do Ministério Público do Acre, contribuindo para que a sociedade conheça melhor a instituição. Para os estudantes, será uma oportunidade de aliar teoria à prática, o que é muito importante para a formação profissional”, comenta a diretora de Comunicação, Kelly Souza.

Com uma proposta inovadora de reconhecimento ao trabalho da imprensa local e nacional, o prêmio traz como tema: ‘Segurança Pública e Direitos Humanos – A vida em pauta’. A proposta do prêmio é estimular a publicação de reportagens com enfoque no debate sobre segurança pública e direitos humanos, associados à promoção da Justiça.

Os trabalhos devem ser inscritos nas seguintes categorias: Jornalismo Impresso, Telejornalismo, Radiojornalismo, Webjornalismo, Fotojornalismo, Destaque Acadêmico de Jornalismo e, agora também, Destaque Acadêmico de Publicidade.

As inscrições podem ser feitas até o dia 30 de novembro. O formulário e o regulamento do concurso estão disponíveis no site premiodejornalismo.mpac.mp.br. Já a entrega da premiação ocorrerá durante cerimônia marcada para o dia 13 de dezembro deste ano, quando serão conhecidos os primeiros colocados de cada categoria.

Veja o Vídeo da entrevista com o vereador Mario Jorge

Vereador  conta um pouco sobre a sua trajetória e fala principalmente sobre o seu afastamento. Mário Jorge fala também que tinha pessoas interessadas em fazer com que ele perdesse seu mandato.

Durante a entrevista prestada pelo Vereador Mário Jorge ao 3 de Julho Entrevistas, afirmou que armaram contra ele com relação ao processo de afastamento.

Agência de Notícias do MPAC

Circuito de artes leva cultura a comunidades carentes em Cruzeiro do Sul

Os idealizadores levaram à comunidade o filme “Shaulin do Sertão”, uma comédia brasileira que provocou muitas gargalhadas e interação entre os moradores da comunidade.

Em Cruzeiro do Sul, três amigos idealizaram uma ação que tem como foco levar cultura e lazer a pessoas carentes. O grupo criou o circuito das artes #acidadesediverte e a primeira apresentação ocorreu nesta segunda-feira (15), na comunidade Laguinho, que fica localizada na Estrada da Variante.

Os idealizadores levaram à comunidade o filme “Shaulin do Sertão”, uma comédia brasileira que provocou muitas gargalhadas e interação entre os moradores da comunidade.

O evento foi promovido pela caravana da cultura, composta por Clerton Souza, Rodrigo Andrade e Elisson Barros, conhecido como Sílvio Santos do Acre.

“Temos um grupo que discute e faz cultura em nossa cidade. Em nossas conversas surgiu a ideia de criar esse circuito e levar entretenimento para as comunidades afastadas. A primeira apresentação foi surreal, ver as pessoas agradecendo e nos convidando para fazer outra apresentação foi empolgante. É uma comunidade próxima da cidade, mas nunca lembrada culturalmente”, disse Clerton Souza.

O filme escolhido retrata as origens da comunidade. “A linguagem mais próxima da nossa realidade, que somos de origem nordestina. Semanalmente, vamos levar filmes, rodas de capoeira, Street dance e outros seguimentos a uma comunidade de nossa cidade toda segunda-feira”, complementou Souza.

Moradora da comunidade, Laura Maria gostou da novidade. Ela disse que foi bom sair da rotina e se divertir um pouco. “Para mim, foi muito legal. Isso nunca tinha acontecido. Reunimos vários jovens e foi uma atividade muito boa. Acredito que o cinema deve ser levado para outras comunidades”, elogiou.

A dona de casa Naide Souza também aprovou a iniciativa e pediu outras apresentações. “Foi muito legal. Nunca tinha acontecido nada parecido aqui. Espero que aconteça outras vezes. Nossa juventude gostou do cinema. Nossa comunidade aprovou o projeto”, falou.

Os fazedores de cultura já decidiram que a próxima apresentação vai ser em uma rua do bairro Cruzeirinho Novo, onde moram dezenas de pessoas de baixa renda que vão ser contempladas com um filme e um ‘stand up comedy’ do Silvio Santos do Acre.

Veja o Vídeo: 3 de Julho Entrevistas

Veja nesta entrevista o trabalho desenvolvido pelo Movimento de reintegração das Pessoas que contraíram a Hanseníase, e conheça mais sobre esta doença, Curta a nossa página do Facebook 3 de Julho Noticias – A voz da Fronteira e se inscreva no nosso canal do YouTube 3 de Julho Noticias e lembre-se de ativar as notificações clicando no sininho.

Edital do Fundo Municipal de Cultura para área de Arte se encerra com 88 projetos

O resultado parcial deve ser divulgado em 1º de novembro.

Avaliado em R$ 285 mil, o Edital do Fundo Municipal de Cultura 02/2018 – Arte encerrou as inscrições na última quinta-feira, 11, com 88 projetos submetidos. A partir de agora, a comissão técnica e de mérito analisarão os documentos para escolher quais serão os contemplados. O resultado parcial deve ser divulgado em 1º de novembro.

Ao todo, serão 24 selecionados, divididos da seguinte forma: 12 propostas de até R$ 12 mil para pessoas físicas e grupos informais; sete de até R$ 5 mil para pessoas físicas iniciantes; três de até R$ 18 mil para pessoas jurídicas; e dois de até R$ 26 mil para entidades representativas de segmentos culturais.

O edital tem como finalidade garantir a produtores culturais apoio total ou parcial a projetos que atendam aos requisitos da publicação, destinado à formação, produção, circulação, intercâmbio, manutenção de grupos e eventos/ações de naturezas integradas, tais como encontros, workshops, seminários, ciclos de oficinas e debates, intercâmbio, apresentações artísticas, circulação de espetáculos, publicações, pesquisas, aquisições e outros eventos similares que contribuam para o desenvolvimento artístico-cultural do municípios de Rio Branco.

O presidente da Fundação Garibaldi Brasil, Sérgio de Carvalho, explica que, só neste ano, esse é o segundo edital que a Prefeitura de Rio Branco e o Conselho Municipal de Políticas Culturais destinam à cultura do município.

“O primeiro foi para a área de Patrimônio Cultural, o qual já está com o resultado final divulgado. Agora, entramos no processo para finalizar para o segmento de Arte. Somando os dois, temos R$ 600 mil em investimento. Ressalto que todo o processo foi construído coletivamente em fóruns, junto aos fazedores de cultura, pois é neste tipo de política que acreditamos e vamos continuar trabalhando.

Veja o Vídeo: 3 de Julho Entrevistas

Veja nesta entrevista o Gerente regional do Sebrae, Jorge Saad, explicando as principais ações do Sebrae durante o primeiro semestre e quais foram as principais atividades do Sebrae voltadas para o agronegócio, indústria e comércio, Curta a nossa página do Facebook e se inscreva no nosso canal do YouTube e lembre-se de ativar as notificações clicando no sininho.

Com informações Ac24horas