Homem perde parte da cabeça após beber energéticos em excesso

Bebidas energéticas podem ser um risco à saúde e à vida se ingeridas em excesso e foi isso o que aconteceu com Austin, um americano que, prestes a ser pai, quase morreu após um acidente no qual perdeu grande parte da cabeça.

A esposa dele, Brianna, relatou no Facebook o drama que a família vive depois da tragédia. Por conta do nascimento do filho, Austin passou a trabalhar muitas horas para conseguir uma renda extra. 

Contudo, ele passou a beber muito energético, o que acabou provocando uma hemorragia cerebral devido a uma overdose de cafeína. O exagero na bebida pode até levar à morte.

Na rede social, Brianna conta como se sentiu ao saber que o marido estava no hospital. “Ainda me lembro da minha sogra acordando-me naquela manhã. ‘Austin sofreu um acidente’, disse ela”. 

A esposa viajou por duas horas até o hospital onde o marido estava e o médico confirmou que Austin tinha consumido muito energético. “Um hábito que ele havia construído quando começou a trabalhar mais horas”, completa Brianna.

O homem foi submetido a uma cirurgia e, ao fim do procedimento, todos puderam ver como seu rosto havia ficado: na altura da testa, parte do cérebro sumira. “Eu vi a luz deixar os olhos da mãe dele quando ela viu seu filho imóvel deitado na cama do hospital. Vi o pai dele se acabar de chorar enquanto segurava a esposa”. Além disso, Austin demorou para acordar e Brianna teve o bebê sem a presença do pai.

Ela achou que a criança nunca conheceria Austin mas, dois meses depois, ele pegou o filho nos braços. Sobre o encontro, Brianna confessa: “Esse foi o dia em que meu coração recuperou sua felicidade”. Atualmente, Brianna dedica sua vida ao filho e ao marido, permanentemente incapacitado devido às bebidas energéticas. “Estamos aqui. Lutando”, declara. Com informações do Portal Metrópole.

Por reconcavonews

Texas executa homem que estava preso desde os 15 anos

Robert Pruett, de 38 anos, alegou inocência até o fim nos eventos que resultaram na morte por esfaqueamento do guarda Daniel Nagle em 1999.

Um preso acusado de matar um guarda penitenciário foi executado na quinta-feira (13) no Texas, depois que a Suprema Corte dos Estados Unidos rejeitou uma apelação.

Robert Pruett, de 38 anos, alegou inocência até o fim nos eventos que resultaram na morte por esfaqueamento do guarda Daniel Nagle em 1999.

Apesar dos depoimentos de vários detentos contra Pruett, as provas materiais de um envolvimento direto do condenado no assassinato nunca foram conclusivas.

A execução aconteceu às 18h46 locais (20h46 de Brasília), uma hora depois de a Suprema Corte rejeitar a última apelação.

"Provoquei dano a muitas pessoas e muitas pessoas provocaram dano a mim", afirmou em sua última declaração antes da execução, de acordo com a transcrição divulgada pelo Departamento de Justiça Criminal do Texas.

"A vida não termina aqui, continua para sempre. Tive que aprender lições de vida de uma maneira muito dura. Um dia não existirá necessidade de fazer dano às pessoas", completou.

Prisão desde os 15 anos

Pruett não passou um único dia de sua vida adulta fora da prisão. Ele tinha apenas 15 anos quando foi detido por suposta cumplicidade em um homicídio cometido por seu pai.

Na época foi condenado a 99 anos de prisão, de acordo com uma polêmica lei do Texas que determinava uma punição idêntica ao principal autor de um homicídio e a seus cúmplices.

A sentença, equivalente na prática a uma prisão perpétua, foi criticada como uma prova de um sistema pena extremamente repressivo, sem dar nenhuma esperança a um menor que tinha uma mãe viciada em drogas e um pai que era detido com frequência.

Pruett começou a consumir narcóticos aos sete anos e vendeu drogas na escola. Apesar da idade, foi enviado para uma prisão de adultos.

Aos 20 anos, ele foi acusado de matar um guarda penitenciário. O homem acabara de escrever um relatório sobre Pruett, que sempre se declarou inocente.

Os promotores alegaram que Pruett matou o guarda como uma represália ao relatório desfavorável. O preso disse que foi vítima de uma armadilha montada por agentes corruptos e outros detentos, que receberam benefícios pelos depoimentos contra ele.

Os advogados de defesa argumentaram que os testemunhos dos presos eram contraditórios.

Desde 2013, Pruett conseguiu evitar diversas vezes a execução programada, exigindo análises de DNA sobre a roupa, a arma do assassinato e informações sobre o relatório disciplinar.

As análises não foram conclusivas e não provaram que Pruett estava presente na cena do crime, mas isto não foi considerado suficiente para impugnar o veredicto de pena de morte.

Esta foi a 20ª execução em 2017 nos Estados Unidos e a sexta no Texas, o estado que mais aplica a medida no país, de acordo com o Death Penalty Information Center.

Por France Presse

Conheça a vidente que adivinha o futuro lendo a bunda das pessoas

Sabia que existem pessoas que adivinham o futuro somente olhando para as suas nádegas?

A jornalista Antía Castedo, da Revista Soho, se colocou à disposição da única "rumpóloga", como se chamam as profissionais da área, no Reino Unido e contou sua experiência em reportagem.

Ela conta que foi a primeira vez que olharam para a bunda dela com olhar tão clínico. Tirou as calças e ficou de costas para Sandra Amos, a vidente, que estava sentada em uma cadeira.

"Todos levamos o futuro escrito em nosso traseiro" é o que opina Sandra. E não só isso, já que as nádegas são uma espécie e enciclopédia de nossas vidas. A nádega esquerda expressa o passado, enquanto que o futuro está escondido ali mesmo, entre o músculo, a carne e as celulites da nádega direita.

Sandra afirmou que tem um dom que a permite ler a alma das pessoas através de qualquer meio. Uma simples olhada é suficiente, só precisa se conectar com o que ela chama seus guias. São três: um indígena americano de Dakota do Norte, um médico de óculos e uma monja.

Créditos: Revista Soho

Mãe e filha são assassinadas a golpes de marreta e cassetete em Codó

Um crime bárbaro chocou os moradores do município de Codó. Um homem identificado como Antônio Bezerra de Jesus, 52 anos de idade, matou duas mulheres, mãe e filha.

O crime aconteceu na rua S Silva, no bairro São Pedro.

Pessoas que moram próximo ao local do crime nos relataram que o assassino, que é casado com uma mulher que está internada na cidade de São Luís, teria chegado em sua casa na companhia das duas mulheres no início da manhã de hoje.

Por volta das 10 horas foram ouvidos gritos vindos de dentro da residência. Eles acionaram a Polícia Militar que efetuaram a prisão em flagrante de Antônio Bezerra.

Dentro da casa foi encontrado os corpos das duas vítimas, os objetos usados para cometer o assassinato e muito sangue. No quintal um grande buraco havia sido cavado pelo criminoso que planejava enterrar as duas mulheres.

O delegado responsável pelo caso, Zilmar Santana, nos informou que dois objetos foram usados pelo criminoso, uma marreta e um cassetete.

Antônio Bezerra confessou para os policiais a autoria do crime e argumentou que o motivo seriam empréstimos que uma das vítimas teria feito em seu nome.

No entanto essa versão é contestada pela polícia, que acredita que os dois tenha feito algum empréstimo e a parte do assassino não teria sido repassada para ele.

As vítimas foram identificadas como sendo Naia Alves de Sousa, de 32 anos de idade, e sua filha Ellen Grabriely Alves de Sousa, de 13 anos de idade.

As duas residiam na Travessa Biné Figueiredo, bairro Santa Teresinha, na região do Codó Novo. Ambas são naturais do município de PEDRO-MA. Naia tinha outra filha de 10 anos de idade que entrou em desespero quando soube da morte de sua mãe.

(É Maranhão)

Família crema corpo, mas ele aparece em casa horas depois

Uma mulher tomou um susto grande após ter cremado um corpo que achava ser do irmão, mas o viu entrar na casa dela algumas horas depois.

Rajo Devi, de 27 anos, viu uma foto em um jornal local de um corpo que parecia ser do seu irmão Kaluram, de 30 anos. Ela ligou para o telefone dele, que estava desligado, então ela teve certeza de que era ele na imagem. O corpo havia sido encontrado pendurado em uma árvore de uma vila de Dalianwali, na Índia.

Rajo e mais uma dúzia de familiares foram até a delegacia local para retirar o corpo. Ela e mais outras pessoas da família reconheceram o corpo como realmente sendo de Kaluram, então ele foi liberado para o enterro.

“Vários membros da família e alguns representantes públicos reconheceram o corpo e Rajo havia declarado que o irmão estava se relacionando com uma mulher nômade, o que poderia ter causado o assassinato dele”, declarou o policial Mahavir Singh, de acordo com o portal de notícias britânico Metro.

Após uma cerimônia, o corpo foi cremado e a família resolveu tentar ligar para o número que era do falecido novamente, em busca de possíveis pistas do que havia causado a morte de Kaluram. Para a surpresa de todos, foi ele próprio quem atendeu a ligação, dizendo que havia ido visitar um conhecido e a bateria do celular havia descarregado.

A família então disse para ele ir para casa urgentemente e, duas horas depois, ele apareceu. Rajo teve que voltar à delegacia de polícia para declarar que havia reconhecido o corpo errado, abrindo então uma investigação para que a real identidade do homem fosse encontrada.

Homem vai fazer churrasco e encontra cadáver na churrasqueira

Um homem se preparava para um churrasco em casa, no Rio Grande do Sul, quando se deparou com um corpo em estado avançado de decomposição.

O dono da propriedade estava incomodado com um forte odor que o mesmo achava ter vindo da chaminé da casa.

A residência, que fica em um balneário, é pouco utilizada pela família, que foi surpreendida com o cadáver na churrasqueira.

De acordo com a polícia, há possibilidade de o corpo ser de um assaltante que tentava usar a chaminé da churrasqueira para invadir a residência, mas acabou ficando preso. A perícia, porém, ainda irá avaliar o caso.

Com informações do Portal do Holanda.

Homem posta vídeo fazendo sexo e ainda xinga parceira de baleia

Quando você acha que a humanidade já chegou ao limite do machismo e da grosseria, vem um exemplo como este e nos faz repensar.

Um homem, identificado como Ryan Hefford, publicou em um grupo fechado no Facebook, destinado só para homens, um vídeo em que ele mesmo aparece tendo relações sexuais com uma mulher. O australiano escreveu comentários bastante degradantes na publicação.

"Qual a maior baleia que vocês já abateram? Passei por uma fase ruim e parei nesta besta de 130 quilos", disse.

Indignado, um dos membros do grupo resolveu desmascarar Ryan e trouxe a publicação à tona. Hayden Brien compartilhou a publicação, de forma aberta, em seu próprio Facebook. Ele tomou o cuidado de cobrir o corpo da mulher com uma tarja e denunciou a atitude do autor do vídeo e dos outros membros do grupo que xingaram a mulher. Foi o suficiente para também ele receber ofensas de outros homens defendendo a publicação.

Veja aqui a puplicação no Facebook

"Um cara postou prints de um vídeo fazendo sexo com uma mulher no Facebook, sim, estou dedurando os meninos, e você pode presumir que o vídeo não foi feito, muito menos publicado com o consentimento dela. Por enquanto tem 230 curtidas e 103 comentários, nenhum deles defendendo a menina.

Grupos de homens podem ser uma grande ajuda para várias pessoas que estão passando por situações difíceis, mas isso não é desculpa para esse tipo de comportamento. Estou cansado de cada 'cara' do planeta achar que somos um raça superior e tratar as mulheres como humanos de segunda classe", disse, dentre outras coisas.

Entenderam por que a gente bate tanto na tecla do machismo e do feminismo?

Segurança de creche ateia fogo em crianças; quatro morrem

Quatro crianças morreram queimadas em uma creche em Janaúba, no Norte de Minas, na manhã desta quinta-feira (5).

Segundo informações da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros, o guarda do Centro Municipal de Educação Infantil Gente Inocente, no Bairro Rio Novo, jogou álcool em algumas crianças e nele mesmo, em seguida ateou fogo.

De acordo com a assessoria do Hospital Regional de Janaúba, cerca de 40 pessoas deram entrada na unidade de saúde. A maioria dos pacientes são crianças com idades entre quatro e cinco anos, e todos eles tiveram mais de 20% do corpo queimado. Também há funcionários da creche entre os feridos. Quinze pessoas respiram com a ajuda de aparelhos.

Damião Soares dos Santos, 50 anos, trabalha como vigia noturno do local há oito anos, segundo a Polícia Civil. Ele está em estado grave no hospital, com queimaduras no corpo inteiro.

A prefeitura de Janaúba decretou sete dias de luto oficial em solidariedade às famílias afetadas pela tragédia.
Inicialmente, os bombeiros falaram em seis crianças mortas, mas depois atualizaram o número de mortos para quatro pessoas – dado confirmado pelo Samu.

Duas unidades do Samu de Janaúba estão no local e equipes de cinco cidades do Norte de Minas estão em deslocamento para atendimento da ocorrência.

A Polícia Militar informou que uma aeronave da PM está no local para socorrer as vítimas. Ainda segundo a PM, um avião do governo do Estado está saindo de Belo Horizonte para Janaúba para transportar os feridos até o Hospital João XXIII, na capital mineira, que é referência em tratamento de queimaduras em Minas.

Autoridades

O governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel (PT), vai a Janaúba acompanhar o socorro às vítimas e as investigações sobre a tragédia. O chefe do Executivo determinou a criação de um posto de comando emergencial na cidade.

O presidente Michel Temer também se manifestou a respeito da tragédia, por meio de suas redes sociais. “Eu que sou pai imagino que esta deve ser uma perda muitíssimo dolorosa”, disse Temer em seu Twitter.

Tiroteio em Las Vegas faz 50 mortos e centenas de feridos

A polícia norte-americana está investigando um tiroteio em Las Vegas, nos EUA, na madrugada deste domingo (1º).

Há pelo menos 50 mortos e 200 feridos já confirmados, doze dos quais em estado grave. Nas redes sociais, os relatos são de muitos tiros e muitas pessoas caídas no chão, mas não se sabe ainda ao certo o que aconteceu esta madrugada.

De acordo com informações do portal G1, a polícia de Las Vegas informou já ter matado um suspeito.

As primeiras imagens relatam a confusão que se seguiu após se ter ouvido o som de centenas de tiros disparados de um arma automática perto do Mandalay Bay Hotel and Casino, enquanto acontecia um festival de música country na parte exterior, com cerca de 30 mil pessoas presentes.

O Las Vegas Boulevard e a rodovia I15 foram fechadas para tráfego de veículos, e a polícia pede que a área seja evitada.

Getty Images

Primeiro casal a se inscrever para casamento coletivo gay no Acre

Luana e Antônia vão se casar em novembro durante a cerimônia do projeto 'Casar é Legal'. Cozinheiras se conheceram há quase dois anos durante um curso no Senac.

Luana e Antônia vão oficializar união de quase dois anos durante casamento gay coletivo, em Rio Branco (Foto: Divulgação/DPE-AC)

O casal Luana Maiara, de 36 anos, e Antônia Cristina, de 27, pensou até em sair do Acre para realizar o sonho de oficializar a união estável de quase dois anos. Porém, a dupla de cozinheiras acabou recebendo a oportunidade de se casar sem custo algum no projeto “Casar é Legal”, que vai realizar o casamento coletivo de casais homoafetivos no estado.

Luana e Antônia foram as primeiras a se inscreverem no projeto e afirmam que essa é a realização de um sonho.

As inscrições para o projeto seguem até o dia 23 de outubro no Núcleo de Cidadania da Defensoria Pública do Estado. A cerimônia deve ocorrer em novembro deste ano, mas ainda não tem dia definido.

Os interessados devem procurar o órgão de 8h às 14h portando o RG, CPF, Certidão de Nascimento e comprovante de endereço. Não há limite de vagas.

“Eu fico realmente muito emocionada, pois é algo que sempre quis para nós, pois a nossa união é de harmonia e, de fato, estável. Temos uma relação muito boa e não tenho nem palavras para descrever o que estou sentindo. É a realização de um sonho”, afirma Luana.

A cozinheira conta que conheceu Antônia há quase dois anos, quando faziam um curso no Senac, na capital. As duas acabaram se afastando, pois Luana foi morar fora do estado, mas se reencontraram e decidiram assumir o relacionamento.

“Fui eu quem sempre corri atrás e fui buscando até conseguir conquistar esse coração e estamos juntas há quase dois anos. Essa é uma oportunidade única não somente para mim ou para a Antônia, mas para todos os casais homoafetivos que tenham essa intenção. É um turbilhão de emoções, muita coisa acontecendo ao mesmo tempo”, destaca.

Casal e os amigos Matheus Borges e Greucimar Gregório que foram testemunhas no cartório durante assinatura de documentação (Foto: Luana Maiara/Arquivo Pessoal)

Além do casamento civil, as duas também pretendem fazer um casamento religioso, pois são do candomblé e acreditam que esse momento é importante para reunir os amigos. O casal comemora dois anos de união no mês em que ocorre a cerimônia do projeto.

Luana diz que não enfrenta preconceito dos pais por causa da orientação sexual. No entanto, relata que o mesmo não ocorre com Antônia e teme como a família dela vai receber a notícia do casamento.

“Ela [Antônia] sofre até hoje, pois a família é muito religiosa e, principalmente, a mãe não aceita. Fico imaginando como vai ficar essa relação, que já é estremecida após o casamento. Infelizmente as pessoas acreditam que o amor precisa ter um gênero, elas não podem ter apenas um sentimento. Amor não é apenas um homem e uma mulher, o amor é amor em qualquer gênero, são pessoas, seres humanos”, destaca emocionada.

Projeto Casar é Legal

O coordenador do núcleo da cidadania, defensor Celso Araújo Rodrigues, diz que objetivo do casamento coletivo homoafetivo é resgatar a cidadania e dignidade dessas. O projeto "Casar é Legal", segundo ele, busca fortalecer o princípio da igualdade e isonomia.

O projeto é uma parceria entre a Defensoria, Fórum de ONGs LGBT do Acre, Vara de Registros Públicos, cartórios de Rio Branco e a Secretaria de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh).

“Elas foram o primeiro casal a se inscrever. O projeto foi iniciado agora e é a primeira vez no estado. O Acre que é o terceiro estado da região Norte a fazer esse tipo de projeto. Infelizmente, a gente vive em uma sociedade com muito preconceito e essa é uma quebra de paradigmas. Todos têm direitos iguais perante a lei, sem discriminar, sem preconceito com ninguém, então esse é o objetivo do projeto”, finaliza.

Presidente do Fórum de Ongs LGBT, Germano Marino, Luana, Antônia e o defensor Celso Rodrigues (foto abaixo).

Do G1 Acre