Coluna do Crica

Bocalom: “Apoio do DEM ao Ulysses não tem volta”

O presidente do DEM, Tião Bocalom, foto, contestou ontem a acusação de que, ao apoiar a candidatura do Coronel PM Ulysses (PATRIOTAS), estaria quebrando a unidade da oposição na disputa do governo. “O nosso adversário será o PT, quem quebra a unidade são os deputados dos demais partidos de oposição que estão dando o segundo voto para o Senado a um candidato do PT”, enfatizou. Bocalom disse ainda que, o DEM já definiu o seu candidato ao governo e que, este é um caminho sem volta. “Quando empenho minha palavra eu não quebro”, pontuou, garantindo ainda que, o grupo terá candidatura própria ao Senado. “Vamos lançar um só nome para o Senado, ainda a ser debatido internamente”. Sobre a chapa de deputado federal diz que está montada e para deputado estadual estão sobrando nomes. Sobre as chances de Ulysses chegar ao segundo turno se mostra otimista: “nas nossas visitas sinto a acolhida carinhosa que o seu nome recebe”. Bocalom avisou que, ninguém da oposição tem moral para lhe criticar pela escolha ou lhe acusar de favorecer o PT com a candidatura do Coronel Ulysses, lembrando que a eleição é de dois turnos. A oposição é que várias vezes me enganou, dispara o ex-prefeito de Acrelândia, candidato a deputado federal no próximo ano. 

ESTÁ TRESVALIANDO,MÁRCIO?

Em uma postagem, o candidato ao Senado, Márcio Bittar (PMDB), se vangloria de que devido às novas regras eleitorais, o PT não tem como jogar dinheiro extra na campanha, o que lhe deixará em igualdade financeira com os candidatos petistas. O PT, entrar liso na disputa do Senado? Está tresvaliando, Márcio? Com as máquinas do governo e da maior prefeitura do Acre? 

NO MUNDO DAS NUVENS

É viver no mundo das nuvens, o Márcio Bittar (PMDB) imaginar que, a sua estrutura de campanha será do mesmo tamanho da dos candidatos petistas a senador. Sabe que o grosso financeiro da campanha de quem está no poder rola nos bastidores e não na verba carimbada pelo TSE. O valor a ser declarado por qualquer partido é para as formalidades legais.

SEM OUTRO CAMINHO 

Com a decisão irreversível do DEM, em ir com candidatura própria ao governo não restará outro caminho ao senador Gladson Cameli (PP), ao não ser reunir os demais partidos de oposição, esquecer o DEM, e entrar na campanha com os seus aliados, para não perder tempo.

ELEIÇÃO DE DOIS TURNOS 

E sem partir para ataques à decisão do DEM, respeitar a deliberação tomada, porque tudo está a indicar que a eleição para governador não se decidirá num primeiro turno. É a velha máxima de que na política não se quebra pontes, que poderão ser usadas no futuro. 

FAZER O FEIÃO COM ARROZ 

Ninguém consegue andar de carro nas ruas de Cruzeiro do Sul sem cair num buraco. A Avenida Copacabana que o diga. O prefeito Ilderlei Cordeiro deveria cuidar da cidade antes de mandar um assessor à China na busca da tecnologia de transformar lixo em energia, para passar de comprador a vendedor. Nada contra idéias novas. Mas tem de antes fazer o feijão com arroz.

PURA PERDA DE TEMPO 

O PHS articula uma tentativa de emplacar o dirigente do PMB, Walter Damasceno, como primeiro suplente de um dos dois candidatos ao Senado da FPA. É bater com a porta na cara! As primeiras suplências do PT para senador estão definidas: Nazaré Araújo e Márcia Regina. 

CONTINUARÁ NAS RUAS 

O secretário de Segurança, Emylson Farias, disse à coluna que a estrutura policial que se encontra nas ruas não é apenas um ato passageiro e veio para ficar. E que faz questão de acompanhar todas as operações. De fato a presença policial está visível. Passa tranqüilidade.

CAIU BEM NA ACADEMIA 

Um amigo que trabalha na UFAC contou que a comunidade acadêmica recebeu com alegria o anúncio da coluna de que o Reitor da UFAC, Minoru Kinpara, será candidato a senador. Não ainda dá para ser avaliada a repercussão fora da UFAC, mas a tendência é de boa aceitação.

FUNCIONA A CONTENTO 

Os hospitais públicos de Goiânia que são geridos por Organizações Sociais funcionam muito bem. É o que comentou ontem um médico que conhece o sistema. Não vejo nada de anormal se de fato vier a ser implantado o mesmo modelo para gerir o HUERB e o Pronto Socorro. 

CABE UMA DISCUSSÃO AMPLA

O que cabe é uma discussão ampla com os setores envolvidos na Saúde para conhecer como seria a aplicação do projeto. E neste ponto o governo está falhando, em não abrir o debate.

FRONTEIRA PREOCUPA 

Dirigentes da oposição com os quais conversei esta semana se mostram preocupados com a situação política de Brasiléia, onde falta alguém com densidade eleitoral para uma candidatura de deputado. As principais cabeças da oposição foram presas ou respondem processo em liberdade. “A gente olha para um lado e outro e não acha um nome”, comentou um deles. O grande nome da oposição de Brasiléia, ex-prefeito Aldemir Lopes, está preso e fora de cena.

NA OPOSIÇÃO? 

Quem também anda fora da cena política é o ex-deputado Jamil Asfury. Fala-se que teria assumido a presidência do PSC, por onde sairia candidato a deputado federal. Só que o PSC vinha integrando a aliança da oposição. O Jamil retornaria para a oposição? É a pergunta a ser feita.

MUITO MAIS DIFÍCIL 

Está mais difícil no atual contexto político a implosão na FPA da chapinha dos partidos nanicos, para deputado federal. É que, se os seus presidentes não lançarem candidatos a Federal, serão destituídos das presidências. A cláusula de barreira é uma espada sob a cabeça dos nanicos.

SERIA UM SUCÍDIO

Partidos como o PRB e PDT, por exemplo, que teriam chance de eleger um candidato a Federal, se entrarem num chapão do PT, a missão fica quase impossível, porque terão de enfrentar as máquinas estatal e municipal, direcionadas para reeleger os deputados petistas.

QUANTO MAIS CABRA… 

Na conversada aliança entre PRB-PDT- PODEMOS, a briga será equilibrada para ver quem não embarcará na Balsa de Manacapuru. Serão candidatos nesta coligação à ALEAC, os deputados Raimundinho da Saúde, Josa da Farmácia, Juliana Rodrigues, André da Farmácia, Heitor Junior e Henry Nogueira. Destes, três dançarão de tamanco na maionese, na Balsa.

OBSERVAÇÃO DO ZEN

O líder do governo na ALEAC, deputado Daniel Zen (PT), teceu ironias em comentário enviado à coluna, com as críticas da oposição à viagem do governador Tião Viana à Alemanha. “Diziam que as missões internacionais eram inúteis, não serviam para nada, apenas para gastar recursos públicos, com passagens aéreas e diárias. Daí o governador faz uma viagem para a Alemanha, assina acordos da ordem de 113 milhões de reais, e a oposição muda o discurso e passa a dizer que o governador vai ao exterior ganhar dinheiro (como se o dinheiro fosse para ele) ás custas do sofrimento dos povos que vivem nas áreas isoladas”. E completa alfinetando: “falar isso em um auditório com ar-condicionado, em um seminário completamente sem sentido e sem propósito, desconectado da realidade local, é tão fácil quanto inútil: minha colega de parlamento (deputada Eliane Sinhasique, PMDB) sempre dando bola fora”! E ponto! 

Coluna do Crica

Jesus Sérgio ameaça: “Se o PT implodir a chapinha, o PDT deixará a FPA

“Para a direção nacional do PDT não interessa ter um filiado como candidato a vice-governador, a prioridade é conseguir eleger deputado federal”. Com este argumento o deputado Jesus Sérgio (PDT) reagiu ontem à coluna às pressões que, segmentos do PT estão fazendo para implodir a chapa formada por candidatos de partidos pequenos para disputar vagas na Câmara Federal. “Está tudo acertado com a direção nacional que se o PT criar dificuldades a que o PDT tenha um parlamentar federal, no Acre, o PDT vai buscar este espaço na oposição”, ameaçou. Jesus descarta qualquer possibilidade dele disputar a eleição para Federal dentro do chapão do PT, podem esquecer esta possibilidade. Afirma ainda que há um pensamento de unidade e de reação a qualquer manobra do PT para destruir a chapa que o PDT vem trabalhando para montar. O PT tem que aprender respeitar os aliados, dispara o pedetista.

PRB TAMBÉM NÃO FICA

A coluna tem informações que, também, a direção regional do PRB já decidiu que não levará o candidato a deputado federal Manuel Marcos (PDT) para o chapão do PT. E que se os petistas derrubarem a chapinha articulada pelo PDT, o partido poderá buscar espaço na oposição.

GOVERNO FRACO É UMA MERDA

Colocar alguém sem pulso, fraco, para governar, é uma merda! O presidente Temer já mudou pontos da reforma trabalhista como a negociação direta entre patrões e empregados e já está em articulação a volta com outra vestimenta do imposto sindical. É ser muito idiota pensar que com isso será elogiado pela esquerda e subirá a popularidade. Vai sangrar até o fim!

PALHAÇO, OPORTUNISTA, BABACA…..

Quem imaginou que a pesada adjetivação foi usada em briga de rua errou. Foi ontem na ALEAC, numa discussão que quase termina em peia. O motivo foi a terceirização das atividades do HUERB e do Pronto Socorro. O deputado Jenilson Lopes (PCdoB), chamou o seu colega Raimundinho de “babaca, papagaio de pirata e oportunista”. E o deputado Raimundinho da Saúde (PODEMOS) retrucou chamando Jenilson de “Palhaço” e de “puxa-saco do governo”.

MOTIVO RELEVANTE DE LADO

O interessante é que os deputados Raimundinho da Saúde (PODEMOS) e Jenilson Lopes (PCdoB) se insurgiram contra a proposta do HUERB vir ser administrado por uma Organização Social particular. Deveriam aprofundar o debate no tema, mas preferiram duelar egos. O Jenilson quer uma Audiência Pública para discutir a questão puxada pela Comissão de Saúde da ALEAC e o deputado Raimundinho da Saúde (PODEMOS) puxada pelo seu gabinete.

Não há como comparar

A terceirização na gestão é modernidade. Mas esta proposta do governo Tião Viana, ainda em discussão, não chegou na ALEAC. É bom avisar que terceirização implica em demissões para enxugar custos, porque assim é na iniciativa privada. Não comparar com a gestão do Hospital Regional do Juruá, gerido por uma congregação de Irmãs, com uma visão mais humanista.

DISCUTIR ABERTAMENTE

Sou a favor da terceirização. Mas o governo erra em não discutir o assunto com sua base na ALEAC, ainda que o ato jurídico, se acontecer, não precise do aval dos deputados. Só que se isso for consumado vai gerar um ato político, que pode ser negativo ou positivo, depende da gestão. E o próximo ano é de eleição. E de uma eleição dura e a se decidir nos detalhes.

NÃO ACREDITO

Até porque não consigo acreditar que uma gestão do HUERB pela iniciativa privada não vá redundar em demissões. Porque vai entrar no jogo para lucrar e não para ter prejuízo. O que falta no governo é a falta de sensibilidade para discutir ações de impacto direto na sociedade.

COLOCOU NOS TRILHOS

O prefeito de Plácido de Castro, Gedeon Barros, convenhamos, pegou uma prefeitura toda encalacrada em pendências. Conseguiu, enfim, sanear as contas, o que lhe permite receber recursos federais e fazer outras operações de crédito. Não o conheço, mas seus atos mostram um perfil de quem veio para fazer uma administração séria.

ACIMA DE QUALQUER SUSPEITA

O PMDB ganhou um bom quadro. O do médico humanista e ex-vereador Carlos Beirute, que acertou a sua filiação no partido para disputar uma das vagas de deputado federal. Num quadro em que tranqueiras querem ser políticos, me regozijo quando vejo um homem de bem disputando um mandato. O eleitor terá a grande oportunidade de purificar a atividade política.

AÇÃO EFETIVA

O sistema de segurança pública está todo na rua, como sempre deveria ser. As prisões se sucedem, armas e drogas são apreendidas, enfim, dá mais paz à cidade. O secretário de Segurança, Emylson Farias, deveria manter este tipo de ação sem descontinuidade.

QUE A JUSTIÇA AJUDE

O que se espera é menos liberalidade quando os presos pela polícia chegam nas chamadas “Audiências de Custódia”. O Congresso, que discute mudanças na legislação penal deveria mudar a normatização dessas audiências, porque o Juiz cumpre o que o legislador estipulou na lei. Deveriam sim pesar na análise a ficha corrida dos detidos, antes de uma decisão.

ISOLADOS PELA LAMA

O DERACRE iniciou a abertura de um desvio da rodovia que liga Cruzeiro do Sul-Rodrigues Alves, já que a estrada principal apresenta problemas de desbarrancamento. O trecho coberto em 11 quilômetros aumentou para 45 quilômetros , com o desvio. E ficou abandonado. A denúncia veio do deputado Luiz Gonzaga (PSDB), que não faz acusações vazias quando usa a tribuna.

O PROBLEMA É FEDERAL

O deputado Jesus Sérgio (PDT) tem razão, o que interessa á direção nacional do PDT é de não ser atingido pela Cláusula de Barreira, ter votos para Federal. Traduzindo para o popular: entre ter o vice ou a chapinha, o PDT vai optar pela última hipótese. É a orientação da nacional.

PARECE MUITO NÍTIDO

Perguntaram-me ontem, se o Coronel PM Ulysses (PATRIOTAS), candidato a governador, se tira mais votos do senador Gladson Cameli (PP) ou do Marcus Alexandre (PT)? Pelo fato de que se fosse candidato a deputado seria pela oposição, e natural que para governador se aplica o mesmo critério, a maioria dos seus votos deveria ir para a oposição. Quem for votar no Ulysses é que vota contra o governo. Então é um voto que sairá em dobro.Um petista jamais iria votar nele. É óbvio. Alguma dúvida?

VOTOS ESCLARECIDOS

A candidatura ao Senado do Reitor da UFAC, Minoru Kimpara (REDE), pela pouca estrutura partidária, não deve chegar aos grotões, mas com certeza deverá navegar bem no meio universitário e na faixa mais esclarecida do eleitor. A UFAC se faz presente em vários municípios. É bom lembrar isso.

NÃO FICA PARADO

O PT não está morto! A oposição não aposte nisso! Na terça-feira o prefeito Marcus Alexandre andava pelos bairros Ilson Ribeiro e Aroeira, levantando as prioridades como asfaltamento, esgoto e outros. E tudo numa discussão com a comunidade. É ligado direto fazendo política.

TAMANHO MENOR

Dando uma discutida ontem com amigos do parlamento sobre o espaço que cada partido nanico ocupa no governo e na prefeitura, cheguei à conclusão que, pela sua lealdade ao projeto da FPA, o espaço do PHS não corresponde ao tamanho da sua fidelidade. Óbvio!

META É INTERIOR

O projeto do candidato ao governo, Marcus Alexandre (PT), será inicialmente enraizar a sua candidatura no interior, onde não tem a densidade eleitoral que tem na Capital. Tem tirado os finais de semana e os feriados para este tipo de visita e aproveitar para firmar acordos.

GRANDE BATALHA

Mas a grande batalha da eleição de 2018 continuará sendo na Capital, onde se concentra a maioria dos votos. O PT não terá a mesma facilidade que teve na última eleição para prefeito.

FEIJÓ E TARAUACÁ

Também em Tarauacá e Feijó, o PT não terá a mesma facilidade que teve na última eleição para o governo. As prefeituras agora não são mais comandadas por prefeitos petistas.

INSISTIR NA UNIDADE

O candidato ao governo, senador Gladson Cameli (PP), vai insistir com o DEM pela unidade da oposição, mas até certo ponto. Caso sinta que a decisão de ter candidato próprio a governador é para valer, irá para a campanha com os demais partidos coligados. É o que me revelou ontem um aliado próximo dele. E está absolutamente certo. O DEM não é fator decisivo para derrota ou vitória na eleição do próximo ano.

PORQUE NÃO QUIS

O senador Petecão (PSD) não ficou com o PROS porque não quis. Foi lhe oferecido (tirariam o Fernando Melo de tempo) com a condição que, lançasse a mulher Marfisa Petecão candidata a deputada federal. Não aceitou. Seu compromisso a Federal é com o Marivaldo Melo.

NEM FALAR

No PP e PMDB não querem nem ouvir falar no presidente do DEM, Tião Bocalon. Acham que a candidatura do Coronel PM Ulysses (PATRIOTAS) quebrou a unidade da oposição para o governo. E que vai favorecer, via indireta, a candidatura do Marcus Alexandre.

ÓVNI AO MEIO DIA

O deputado federal Sibá Machado (PT) tem um sério concorrente no quesito “conspiração das elites”. Sibá viu o dedo da CIA na queda da Dilma. É o vereador Rodrigo Forneck (PT), que anda vendo ÓVNI ao meio-dia. Denunciou que a OAB-AC tramou para evitar a candidatura do prefeito Marcus Alexandre (PT) ao governo, quando exigiu que os candidatos a prefeito da última eleição assinassem um documento em que se comprometiam a cumprir o mandato até o final em caso de vitória. Cacete! Que argumentação tosca! Ninguém pegou na mão de ninguém para assinar o documento. E ainda assinado nada impede juridicamente que quem assinou não possa disputar o governo. O documento funciona como uma peça ética. E só! E, mesmo porque, a OAB-AC não tem bola de cristal para antes de uma campanha prever quem venceria a última disputa da PMRB. Não há conspiração contra ninguém, cessem as viagens.

Coluna do Crica

REDE escolhe Minoru Kimpara para o senado

O REDE definiu o Reitor da Universidade Federal do Acre, Minoru Kimpara, como o seu candidato a senador nas eleições de 2018. Será a sua primeira experiência no campo da política partidária, como candidato. O convite foi feito pessoalmente pela ex-senadora Marina Silva, principal dirigente nacional do partido. “Eu ainda tenho tempo para continuar como Reitor até 2020, mas estou propenso a encarar este desafio político de disputar uma vaga ao Senado”, disse ontem Kimpara à coluna. Ele terá que renunciar ao cargo de Reitor para se candidatar. É um nome que pode, além de ampliar o leque de escolha do eleitor, dar qualidade a um debate sobre o papel que deve exercer um senador no cenário político. Fica assim composto o quadro de candidaturas que buscará as duas vagas para o Senado, na eleição do próximo ano. Minoru Kimpara (REDE), Sérgio Petecão (PSD), Ney Amorim (PT), Jorge Viana (PT), Sanderson Moura (partido a definir) e Márcio Bittar (PMDB).

DEM DECIDE APOIAR CORONEL ULYSSES

O martelo interno está batido, falta apenas o anúncio oficial da aliança DEM-PATRIOTAS, no apoio à candidatura do Coronel PM Ulysses (PATRIOTAS), para a disputa do governo na eleição do próximo ano. Sua principal bandeira de campanha será a segurança pública e os índices negativos da violência, no Acre e, principalmente, na Capital. Bandeira de toda oposição.

REFORÇA A CAMPANHA

A aliança com o DEM vai reforçar a sua campanha, que mesmo sem ser anunciada já despontou nas pesquisas com portentosos 6%. Há pesquisas internas de partidos que já o colocam com 8%. Com apoio de Jair Bolsonaro, Alan Rick e Tião Bocalom, só se fortalece.

NÃO É VERDADE PLENA

É certo, em parte, se afirmar que um candidato a governador tem que ter visão ampliada do Estado. Tem que ter sim, para governar bem, mas não necessariamente numa campanha. O Fernando Collor elegeu-se presidente só com o bordão de “caça aos marajás”.

CAMPANHA EQUIVOCADA

O senador Gladson Cameli (PP) se equivoca quando fica cumprindo agenda de visita na casa da dona Maroca e da dona Maroquinha. Isso é campanha de deputado. A sua agenda tem de ser no máximo possível macro, que atinja todo Estado, com grandes reuniões, ele é candidato a governador. Precisa urgente de uma equipe de marketing profissional, de fora do Estado. Não tem um nome na oposição com sua densidade eleitoral, só precisa profissionalizar a campanha.

O QUE REPRESENTA?

O que representa para um candidato a governador perder uma manhã para conversar com oito, dez pessoas, num universo de milhares de votos? A campanha tem de ser profissional!

ENGABELADOR OFICIAL DO REINO

O dirigente petista Cesário Braga recebeu como missão oficial da cúpula partidária, conseguir tantas quantas foram possíveis “buchas de canhão“, para fechar no teto o número de candidatos a deputado estadual pelo PT. Jeitoso, a última lábia do Cesário foi para cima do vereador Carlos Juruna (PSL), tentando o convencer que, ele pode se eleger para a ALEAC, na chapa.

É MUITA MALDADE!

É muita maldade do Cesário Braga! E ingenuidade do vereador Juruna (PSL) se acreditar em duendes e elfos. A chapa do PT, se estourar, faz cinco deputados. Fora disso é fantasia. E o bom Juruna não teria chance contra os candidatos Jonas Lima, Leila Galvão, Daniel Zen, Jackson Ramos, Sawana Carvalho, Lourival Marques, sem falar nos secretários candidatos, porque todos estarão ancorados na máquina petista do governo. Quem entrar neste imprensado será esmagado pelo esquema do governo e PMRB. Não entra neste barco, Juruna!

IMPORTANTE PARA O PT

Não coaduno com suas idéias políticas, mas tenho de reconhecer sua importância para o PT. Mas o Cesário Braga contribuiria mais com o seu partido tirando nomes das siglas adversárias, e não fazendo a garimpagem para o PT nas hostes da FPA.

ROLO COMPRESSOR

A máxima do PT é a que petista ajuda petista. O restante dos aliados que saiam da frente do rolo compressor para não ser esmagado. Isso é da política. E inerente a quem está no poder de apenas ajudar os seus, para ficar fortalecido no Senado, Câmara Federal e Assembléia Legislativa. Se o PMDB, PP, DEM, PSDB, por exemplo, se tivessem no poder, fariam o mesmo.

DÁ PARA SENTIR NAS CONVERSAS

Quando um nome está entranhado positivamente em parcela da população dá para ser detectado. É o caso do deputado federal Major Rocha (PSDB), que deve sair da eleição de 2018, com uma baita votação, no nicho da oposição. Encarna hoje o eleitorado não PT.

ARRASTÃO DE MALHA FINA

O candidato ao governo, Marcus Alexandre, estará hoje com seu arrastão de malhas finas jogando em Capixaba, para tentar pegar lideranças da oposição para a sua candidatura.

TESE MALUCA

A tese de alguns partidos nanicos de não aceitarem em suas chapas políticos com mandatos ou ex-deputados é meio destemperada. Quanto mais votos a legenda tiver, mais parlamentares ela elegerá. Não adianta se montar uma chapa só com candidatos blefados e de poucos votos.

NÃO TEM BOCA

O ex-deputado Chico Viga (PTB) não entra na chapa de candidatos do PT nem que a vaca tussa. Me disse que, não quer disputar a eleição pela oposição, mas se não arrumar chapa do seu interesse na FPA, entra de cabeça na oposição. “Quando estou de um lado, sou leal”, alerta.

PORTA ABERTA

A depender do presidente do PDT, Luiz Tchê, as portas estão abertas para o Chico Viga.

PALANQUE DA OPOSIÇÃO

O ex-deputado Gilberto Diniz andou conversando com o presidente da Assembléia Legislativa, deputado Ney Amorim (PT) e ninguém em Sena Madureira vá se admirar se a mulher de Diniz aparecer como candidata a deputada estadual no palanque da oposição, no próximo ano.

MEU CAMINHO EU MESMO TRAÇO

O senador Sérgio Petecão (PSD) está naquela do meu caminho eu é que traço. Tem que tratar mesmo é de amarrar alianças, porque os demais concorrentes do Senado vão fazer o mesmo. Neste jogo do Senado não tem ninguém tolo e nem altruísmo coletivo, é Lei do Muricy!

NÃO CONTA E PONTO FINAL

Pelo que me disse o presidente do DEM, Tião Bocalom, o partido vai mesmo de chapa própria para deputado federal. Com isso morre a tese de um “chapão” para a Câmara Federal, reunindo todos os partidos de oposição, como vem defendendo os dirigentes do PMDB.

BOLA OU BURICA

Um importante membro do PSB comentava ontem comigo que continua a dificuldade de montar uma chapa própria de deputado estadual, os candidatos de média votação estão procurando os partidos pequenos. “Vamos acabar na chapa do PT ou PCdoB”, previu ele.

FALANDO EM PCdoB

As opções do PCdoB parecem definidas: terá chapa própria para deputado estadual, com nomes interessantes como Edvaldo Magalhães, Jenilson Lopes, Eduardo Farias e Márcio Batista. Para deputado federal deverá entrar no “chapão” do PT, com a candidatura única da Perpétua Almeida (PCdoB), que foi sim uma parlamentar muito atuante.

EM ALTA NA BOLSA

Nota-se claramente dentro da cúpula do governo e da PMRB um movimento muito forte para fazer do deputado Daniel Zen (PT) o grande puxador de votos do partido na corrida para a ALEAC. É elogiado abertamente pelo governador Tião Viana e pelo prefeito Marcus Alexandre.

GRATA SURPRESA

Pode não se concordar com o PT, mas numa análise descolada de paixão partidária, não se pode deixar de reconhecer que o deputado Daniel Zen (PT) é uma grata surpresa no parlamento. Dentro do contexto político que se insere, ele é um dos melhores quadros da ALEAC. Coloca sempre a lucidez nos debates da tribuna.

SEM NENHUM MOTIVO

Não vejo razão para os ataques que o deputado Luiz Gonzaga (PSDB) sofreu dentro da oposição por ter posições independentes acerca das obras da rodovia 364. Se não puder dizer o que pensa da tribuna, com todo respeito aos padeiros, melhor ele ir vender pão.

CHEIRO DE SEGUNDO TURNO

O quadro de candidaturas ao governo do Acre está praticamente delineado. Apoiado na azeitada máquina petista, que domina o Estado há 20 anos, o prefeito de Rio Branco, Marcus Alexandre (PT), um gestor de alta aceitação popular, da nova safra do petismo, será o nome que tentará dar continuidade a este domínio. O nome mais em destaque da oposição é o do senador Gladson Cameli (PP), o melhor e mais forte que os partidos oposicionistas já tiveram nas últimas disputas. Na sua eleição para o Senado teve mais votos do que o governador Tião Viana. Polariza a preferência do eleitorado com a candidatura do PT. A surpresa é a candidatura do Coronel PM Ulysses, apoiado por lideranças como Tião Bocalom, Alan Rick, e ancorado no barco do candidato a presidente Jair Bolsonaro, que pegou vento pelo Brasil inteiro. Falta conhecer quem será o candidato do REDE, partido da ex-senadora Marina. Esta eleição está com todas as características, pelos nomes postos, que será decidida num segundo turno.

Coluna do Astério

Padre sugere fechar igrejas em protesto contra violência

O Padre Massimo Lombardi sugeriu numa bela entrevista ao “Bar do Vaz”, que ainda vai ao ar, que num domingo a ser estabelecido não se faça nenhuma celebração nas igrejas de Rio Branco, numa forma de protesto contra a violência reinante na Capital, e como meio de despertar as autoridades e a família para a grave questão. Não seria a primeira vez que um ato desta natureza aconteceria, já ocorreu durante a fase de ação do “esquadrão da morte”, por uma determinação do Bispo Dom Moacy Grechi. Não deixaria de ser um ato de peso ante à situação. Não sei se o Bispo Dom Joaquin Pertinez, conservador, colocaria em prática a ideia.

PROS CONTINUA SEM MUDANÇA

Não aconteceu mudança oficial na direção regional do PROS. Roberto da Princesinha continua na presidência. O que há são démarches para que o médico Carlos Beirute vir a assumir o comando do partido. A decisão do imbróglio deve ocorrer na próxima semana, em Brasília.

TUDO PODE ACONTECER, OU NADA

A situação do PROS hoje é que tudo pode acontecer em relação à mudança da direção, ou nada. Foram alertar e agora o Tião Viana joga suas fichas para segurar o partido na FPA.

MAL ATENDE OS NOSSOS

A Secretaria de Saúde do Acre tem deficiência no atendimento aos pacientes acreanos na rede pública estadual de saúde. E ainda quer firmar parcerias com as prefeituras de Boca do Acre, Pauini e Envira, que são do Amazonas, recebem recursos específicos da Saúde, para dar assistência aos moradores dos três municípios? E com as prefeituras entrando a custo zero.?

FAÇAM O DEVER DE CASA

O governo acreano tem que primeiro fazer o dever de casa. As críticas pipocam com as deficiências na rede de saúde. Não fazemos o dever de casa na sua plenitude e ainda queremos assumir um papel que diz respeito aos municípios amazonenses? Brincadeira!

COISA MAIS LOUCA!

As prefeituras do Amazonas recebem recursos para a saúde é querem que o Acre banque no 0800 o atendimento aos seus moradores? Vão arrumar uma lavagem de roupa!

CERVEJA, CHUCRUTE E SALSICHÃO

A equipe do governo que embarcou para a Alemanha não vai ter que se queixar do quesito culinária alemã. São famosas as iguarias joelho de porco, chucrute, salsichão, sem falar na cerveja e no bem conceituado vinho branco da Região do Reno. E ainda dá para esquiar! Brincadeira à parte, eu espero que de fato consiga os mais de 100 milhões de recursos prometidos do governo alemão para o governo do Acre.

ATRAVESSADO NA GARGANTA

Há na cúpula do PMDB uma forte indisposição com o fato do DEM fincar o pé em ter chapa própria para deputado federal. As farpas são direcionadas ao Tião Bocalon. O comentário do ex-prefeito Vagner Sales, na última coluna, sobre o papel do DEM, foi mordaz e irônico.

RASGANDO RAMAIS

O prefeito de Epitaciolândia, Tião Flores, está beneficiando o Ramal do Prata, um dos mais importantes do município, que há anos não era recuperado e seus produtores tinham dificuldade de trazer a produção para a cidade. Estão sendo beneficiadas mais de 70 famílias.

NÃO É DE SE ADMIRAR

Não é para ninguém se admirar se o DEM acabar por apoiar a candidatura do Coronel PM Ulisses (PATRIOTAS) para governador. Existem conversas iniciadas nesta direção política. Ambos se afinam num ponto: ser contra o PT e apoiar Jair Bolsonaro à presidência.

ACOMPANHADO DE PERTO

Ontem, na gravação do “Bar do Vaz”, onde foi gravar, o Coronel Ulisses chegou acompanhado do Tião Bocalon e toda cúpula do DEM. Um bom sinal de que estão se acertando na aliança.

VISITA MARCADA

O candidato à presidência, Jair Bolsonaro (PATRIOTAS), deverá visitar Rio Branco no próximo dia 21 de março. Na ocasião fará o lançamento da candidatura do Coronel Ulisses a governador.

“Muito bem cotado”

Perguntei ontem a uma figura influente do PP, sobre a candidatura do médico Eduardo Veloso (PSDB), para ser o vice na chapa ao governo do senador Gladson Cameli (PP), eis a resposta: “é um nome muito bem cotado”. Continua a decisão de só anunciar o nome do vice em 2018.

AGORA SÃO RÉUS

Todos os envolvidos no escândalo da EMURB viraram réus. Ainda não se conhece o teor completo da delação premiada de dois acusados e a extensão: se ficará no grupo ou vai além.

NINGUÉM SABE O QUE VEM

Com as operações que já aconteceram, as que estão previstas acontecer e os seus desfechos, é muito cedo para avaliar a que ponto,elas terão efeitos devastadores no quadro da disputa política do próximo ano. Este é um componente que não pode ficar de fora em qualquer análise.

CONTRA A MODERNIDADE

O Fórum dos Movimentos Sociais prepara um protesto contra as reformas trabalhistas, que não tirou o direito básico dos trabalhadores. Será um protesto contra a modernidade e sem peso para influir no que já foi aprovado no Congresso. Na área trabalhista saímos do jurássico.

DIREITO FERIDO

A candidatura do locutor do Formigão, Lira Xapuri (PRTB), deve ser vista como todas as demais, por isso não pode ser boicotada pelos institutos de pesquisas, como foi na última Vox Populi, assim como o nome do Coronel PM Ulisses (PATRIOTAS). Lira tem de mudar o antigo chavão de ser uma candidatura contra a burguesia. Com a crise econômica : burguês, sumiu!.

SEIS NOMES E DOIS DESTINOS

Serão seis os candidatos às duas vagas de senador na eleição do próximo ano: Sérgio Petecão (PSD), Márcio Bittar (PMDB), Jorge Viana (PT), Ney Amorim (PT), Sanderson Moura, e o nome ainda a ser lançado pela sigla Rede Sustentabilidade. Um bom leque de opções ao eleitorado.

PEDRINHO OLIVEIRA

O ex-vereador Pedrinho Oliveira (PSD) deverá disputar uma vaga de deputado estadual, integrando o grupo do senador Sérgio Petecão (PSD). Terá o apoio da vereadora Lene (PSD).

PROCESSO COMPLICADO

Não será fácil para os réus por supostos desvios na EMURB. O Juiz do caso fatiou o processo e aceitou as mais de dez denúncias apresentadas pelo Ministério Público. Será muito difícil e improvável que venham a ser absolvidos em todos os processos. Os delatores por enquanto são peixes miúdos. O problema é saber se as cabeças, na medida em que forem sendo condenadas, não abrirão a boca para fazer uma delação premiada. Este é o grande perigo. Hoje, deverá haver novas divulgações sobre novas fases do processo. Ninguém sabe aonde este processo vai parar. Mas deverá, com certeza, ser tema de campanha no horário eleitoral.

Coluna do Crica

O legislativo não é um mosteiro budista

Causou desagradável surpresa a quem acompanha as sessões da Assembléia Legislativa do Estado, a ação ao estilo de censura dos deputados Gehlen Diniz (PP), Jairo Carvalho (PSD) e Nicolau Junior (PP), contra o fato do deputado Luiz Gonzaga (PSDB) ter voltado a fazer críticas aos trabalhos na rodovia 364, executados pelo DNIT. Gonzaga protestou contra a retirada de um trecho de asfalto sem que a substituição fosse feita. Os argumentos contra o tucano foram toscos: a obra é executada com verbas conseguidas pela oposição. Como se isso fosse algum salvo-conduto. E o outro argumento foi cômico: Luiz Gonzaga não tem conhecimentos técnicos para apontar erros em obras rodoviárias. Ora, ora, dona Aurora! Se fosse por este caminho, só o deputado que for policial pode denunciar fatos acontecidos na segurança pública, só deputado professor pode abordar erros na educação, só o deputado médico pode criticar o sistema público de saúde e assim em diante. É uma ilação tola! Não é preciso ser policial para ter a noção que a cidade está violenta, não é necessário ser médico para se avaliar que a saúde pública não é a oitava maravilha do mundo. Se o deputado Luiz Gonzaga faz uma avaliação errada sobre os serviços na rodovia 364, no trecho Rio Branco-Cruzeiro do Sul é outro debate, mas querer lhe tolher no sagrado direito da liberdade de expressão não é democrático. O Legislativo não funciona no silêncio, aos moldes dos mosteiros budistas.

UMA CASA DE DEBATES

A Assembléia Legislativa é uma casa de debates. O pau que bate no Chico bate no Chicó.

Jogando pesado

O governador Tião Viana está jogando pesado para não perder o PROS para a oposição. A coluna tem informação que ofereceu Neto Ribeiro, Chicarlos e Fernando Melo para disputarem uma cadeira de Federal pelo PROS, se mantida a atual direção regional. A chance de alguém do trio se eleger é mínima. É muito mais fácil serem convocados pelo Tite para a seleção brasileira.

CIPÓ DE AROEIRA

O DEM foi esnobado pelo PMDB na composição da chapa para a prefeitura de Rio Branco. O que o DEM está fazendo agora, em não compor o chapão com o PMDB, é pagar na mesma moeda. A política não é estática, dá muitas voltas. É o cipó da aroeira no lombo de quem deu.

FRASE

“O superintendente do DNIT, Thiago Caetano, é que deveria ser processado por destruir o patrimônio público”. Deputado Luiz Gonzaga (PSDB), no debate sobre as obras da BR-364.

AMARRANDO APOIOS

Toda sessão tem um grupo do interior para falar com o presidente da ALEAC, deputado Ney Amorim (PT), que como mineiro vai comendo o mingau quente pela beirada. Ontem quem apareceu por lá foi um grupo de políticos de Assis Brasil e o vice-prefeito Zé do Posto.

SEM NENHUMA NOVIDADE

Não mudou nada, apenas foi fixada a data de 28 de novembro para o anúncio oficial das chapas majoritárias da FPA. Marcus Alexandre (PT) ao governo, Emylson Farias (PDT) na vice, Jorge Viana (PT) e Ney Amorim (PT) para o Senado. E Nazaré Araújo (PT) e Márcia Regina (PSB), como primeiras suplentes. Morreu a tentativa do PCdoB emplacar um nome do partido.

ÚNICO CAMINHO

O PCdoB vive hoje mais do saudosismo político. Mas tem a próxima eleição para tentar voltar forte ao cenário político da FPA, elegendo o maior número possível de deputados estaduais e fazendo a Perpétua Almeida (PCdoB) deputada federal. Sem isso não volta ser protagonista.

EXTREMAMENTE CORRETO

O senador Sérgio Petecão (PSD) está certo em não se preocupar com as demais candidaturas concorrentes e tratar apenas da sua reeleição. Mesmo porque nenhum dos seus adversários na campanha pedirá votos para ele. Cada um cuidará de si.

NÃO VEJO COMO RELEVANTE

Que é um bom vereador, atuante, nem se discute. Um dos destaques desta legislatura na Câmara Municipal de Rio Branco. Mas não vejo relevância o vereador Roberto Duarte (PMDB) mostrar como um trabalho produtivo centenas e centenas de Indicações á PMRB. Qualquer um pode numa sentada fazer mil Indicações. Se não forem atendidas, de que valem?

NÃO É DECISÃO JUDICIAL

Uma decisão do TCE não tem força judicial. Por isso não se pode colocar a prefeita de Brasiléia, Fernanda Hassem, como se fosse ré numa compra de medicamentos supostamente superfaturada. Aliás, ela não encarna nem a figura de investigada, pois, nada há na justiça.

VOLTA AO TRABALHO

O vereador Joelso Pontes (PP) entrou com uma ação na justiça requerendo a sua volta à Câmara Municipal de Brasiléia, como vereador. Há embasamento legal para o Juiz do caso conceder. Não existe contra ele, nenhuma condenação transitada em julgado.

TRABALHO MERITÓRIO

A deputada Leila Galvão (PT) faz um trabalho meritório, com mulheres das áreas rurais de Epitaciolândia e Brasiléia. Rotineiramente traz grupos para fazer exames sobre câncer de mama, em Rio Branco. Como são de baixa renda não havia como bancarem o deslocamento. Já chegam com os exames agendados. É de se elogiar!

FALTA CONSTITUCIONALIDADE

Liguei ontem para uma importante figura do governo sobre Projeto de Lei, em trâmite na ALEAC, que visa recolocar no serviço público os demitidos do Pró-Saúde. “Falta constitucionalidade” – foi a resposta que obtive. A orientação do governo é pela derrubada.

PAUTA NEGATIVA

O Acre foi alvo de pauta negativa ontem no noticiário da GLOBONEWS, comandado pela apresentadora Cristiana Pelajo, aparecendo como um Estado violento com mortes diárias.

POLÍCIA NAS RUAS

Pode não resolver o problema crescente da violência na Capital, mas a presença policial nas ruas, com rondas de viaturas e motocicletas nos bairros, ao menos inibe a ação dos bandidos. Sem a visibilidade, a bandidagem age como se estivesse em território livre em que tudo pode.

EMPURRAM AO SEGUNDO TURNO

As candidaturas de Lyra Xapuri e do Coronel PM Ulisses ao governo é a garantia que a eleição para governador seja empurrada para o segundo turno. E até porque Marcus Alexandre (PT) e Gladson Cameli (PP) aparecem nas pesquisas num empate técnico. A ainda terá o candidato da sigla REDE.

QUE COISA!

Observei ontem no Mercado Central uma discussão sobre política entre alguns feirantes. E todos defendendo a candidatura do Jairo Bolsonaro à Presidência da República. Faziam a defesa do nome como se fosse o grande salvador da Pátria. No Acre, tende a ganhar de lavada.

NÃO FOI SUFICIENTE

A EMURB dobrou as suas equipes, mas não tem sido suficiente para acabar com os buracos nas ruas. O inverno chegou e a recuperação ficará ainda mais lenta. Uma realidade da qual o prefeito Marcus Alexandre não pode fugir, porque está à vista de quem anda de carro.

VAI EMPURRADO

O ex-deputado Chico Viga (PTB) diz que a sua intenção é disputar a eleição para a ALEAC pelo PRP, por ser um partido da base do governo, mas se não der terá que disputar pela oposição.

NEM SECRETÁRIO OU DEPUTADO

O PRP não aceitará como candidato na sua chapa nem secretário de Estado e nem deputado. E pelo visto nem ex-deputado, como é o caso do Chico Viga. Quer evitar o desmonte da chapa.

BARBÁRIE

Para o deputado Gehlen Diniz (PP) a situação da violência no Estado entrou para a era da barbárie. Pelos seus dados 34 foram executados em outubro e 9 neste início de mês.

IRONIAS SOBRE O DEM

O ex-prefeito Vagner Sales (PMDB), mandou uma postagem que embute uma fina ironia sobre a formação de chapas para deputado federal e a posição do DEM, em sair com chapa própria. Eis: “Meu amigo, Luis Carlos. Tenho a humildade de reconhecer que, o PMDB mesmo sendo um partido organizado em todo estado não tem esta pretensão de sair com chapa própria para governador, senador e deputado federal, precisamos dos outros partidos para formarmos uma oposição forte! Sei que o DEM é o maior partido e o mais organizado no nosso estado e tem a maior liderança política do Acre, por isso pode ter candidato a governador, senador, deputado federal e deputado estadual. Vamos esperar para ver o resultado.”. Foi uma gozação em alto estilo!

Coluna do Crica

Governador quer a polícia mais firme na rua

Em uma recente reunião fechada com a cúpula da Segurança Pública, secretários da área de Comunicação do governo, presidente do Legislativo, deputado Ney Amorim (PT) e o líder do governo na ALEAC, deputado Daniel Zen (PT), o governador Tião Viana externou o seu descontentamento com os resultados do combate à violência, cada dia crescente, que não correspondem aos investimentos que foram feitos até aqui no setor, mesmo numa crise econômica. Um participante disse à coluna que nunca tinha visto Tião Viana tão resoluto ao cobrar resultados. A fonte destacou que não foi uma crítica aos setores policiais, que estão atuando, mas que foi para exigir mais ações, mais polícia nas ruas. A fonte citou o desmanche do recente esquema de viaturas em postos chaves da cidade, como algo que deveria ter sido mantido. Não é a primeira vez que Tião Viana foi enfático sobre a violência na Capital e interior. Chegou a dizer que vivemos um clima de Medellin no tempo do narcotraficante Pablo Escobar. Uma coisa é certa: a violência é o calcanhar de Aquiles do seu governo. Sem dúvida. Sabe disso e o seu limite de tolerância, ao que indica, chegou ao patamar do insuportável.

AINDA SOBRE O ASSUNTO

Pelo que ouço de dirigentes da oposição, deputados, vereadores, a principal bandeira da campanha do candidato ao governo, senador Gladson Cameli (PP), não será a figura do prefeito Marcus Alexandre, mas será o clima de insegurança em que vive a população. É um tema que será árido para o candidato petista fazer a defesa.

UM ANTEPROJETO DE ALTA RELEVÂNCIA SOCIAL

Este anteprojeto de Lei apresentado ontem pelo deputado Daniel Zen (PT) na Assembléia Legislativa, para a análise do governador Tião Viana, embute uma alta relevância social. “Cria a jornada especial de trabalho de quatro horas diárias para os servidores do Estado que possuem, sob a sua guarda, pessoa com deficiência ou mobilidade reduzida”, diz o texto básico. Caso seja aprovado, não haverá desconto equivalente na remuneração, ao servidor público estadual da Administração Direta e Indireta, que possuem deficientes sob a sua guarda. São numerosas as famílias de funcionários estaduais que se enquadram neste benefício e que, na maioria das vezes têm de contratar pessoas, com gastos extras, para cuidar do dependente de cuidados especiais por alguma deficiência. A iniciativa do deputado Zen não cabe nem discussão do governo, pela sua alta relevância social, tem de ser aprovada.

DNIT TEM DE EXPLICAR ACUSAÇÕES GRAVES

Não há mais clima para o superintendente do DNIT, Thiago Caetano, deixar de ir se explicar na tribuna da ALEAC, depois das graves acusações feitas ontem pelo deputado Luiz Gonzaga (PSDB), sobre as obras na BR-364. Entre elas, o “serviço porco” entre Tarauacá-Cruzeiro do Sul e, ter arrancado o asfalto em trecho entre Sena Madureira-Tarauacá, para substituir por uma fina camada de 1,5 centímetros de brita, sepultando provas do serviço mal executado pelos governos do PT. “Com pouco tempo depois da obra já tem buracos”, denunciou Gonzaga.

AUMENTA A GRAVIDADE

A denúncia se torna mais grave no momento em que, ela é feita por um parlamentar influente da oposição, não cabendo a acusação de perseguição. E não adianta o superintendente Thiago Caetano ameaçar o parlamentar com uma ação judicial. É inócuo! Podia ir á ALEAC, onde já tem requerimento aprovado, o convidando para falar da BR-364. Pela gravidade do que foi dito ontem, tem de contestar ou tudo que foi apontado pelo parlamentar tucano vira verdade. Até porque foi colocada em xeque a aplicação de recursos federais pelo DNIT. Fato de que sempre a oposição acusou o PT.

O OUTRO LADO DA MOEDA

Após redigir as notas sobre as acusações do deputado Luiz Gonzaga (PSDB) sobre o DNIT, eu recebi um longo áudio explicativo, que me pareceu muito coerente, seguro e sério, do superintendente Thiago Caetano. Não transcrevo na íntegra para não perder a estrutura de notas da coluna. O bojo é dizendo que, todas as etapas dos trabalhos são filmadas e fotografadas e que, as informações são passadas aos órgãos federais competentes. “Não há perda de provas”. Cada centavo gasto é prestado conta. Explica que não houve retirada de asfalto simplesmente, mas o material foi reprocessado e reutilizado. Lembra que não é ainda um trabalho definitivo. Lamenta as acusações não serem baseadas em dados técnicos e promete que em dezembro vai convidar a imprensa, deputados, para mostrar tudo que foi feito, num jogo aberto e transparente. Ponto. Aguardemos até dezembro os novos capítulos.

RSPALDADO PELA NACIONAL

O deputado Luiz Tchê (PDT), que se encontra em Brasília, retorna com o aval da direção nacional para não abrir mão de formar uma chapa com aliados como PSDC-PRB- PODEMOS, para a disputa de vagas de deputado federal. “Não adiantará pressão do PT”, advertiu Tchê.

A CHAPINHA DA CHAPINHA

O caldo engrossa mais, na medida em que, agora surge a chapinha da chapinha, uma coligação puxada pelo presidente Julinho (PRP) numa aliança com PPL-PMB-PSOL-PV-PHS. Também cita o PRB e o PODEMOS, da coligação do PDT. “Não aceitaremos pressão do PT. E o PDT, por ter o vice, não poderá ter chapa para Federal”, sentenciou Julinho. O bolo está formado na FPA.

COMO SÃO TOMÉ

Nesta confusão de chapinhas para Federal estou como São Tomé de ver para crer. Eu tenho alta dose de razão: todas as tentativas passadas não resistiram, a uma pressão do PT.

PROPENSO A ACIDENTES

Não interessa de quem a responsabilidade, se das prefeituras de Brasiléia, Epitaciolândia, do DERACRE ou do DNIT, mas as centenas de crateras no asfalto da BR-317 e as chapas dos pisos laterais da ponte de Brasiléia enferrujados e com buracos, poderá causar sérios acidentes se não reparados. E não adianta ficar naquela ladainha do toma que o filho é teu.

AFINAL DE CONTAS, QUAL É A DO EBER?

Uma hora diz ser candidato a deputado federal pela coligação do PDT, na outra aparece na coligação do PRP, navegando em direções desconexas. Vai acabar disputando a reeleição. Não aposte muito nos votos da Assembléia de Deus, o Pastor Luiz Gonzaga, não tem força política.

VOLTADO PARA A PASTORAL

O Pastor Luiz Gonzaga é mais voltado para a ação pastoral do que para a política partidária.

DEPUTADOS NÃO RESOLVEM

A questão do PRÓ-SAÚDE não se resolve em reuniões na Assembléia Legislativa, mas com uma decisão política do governo. Seria bom, os parlamentares deixarem isso claro aos demitidos.

TESE FURADA

Até o comedido vereador Eduardo Farias (PCdoB) entrou nesta canoa furada de que a ação da PF, tomando o depoimento do prefeito Marcus Alexandre, embute uma perseguição política. Volto a bisar que, bastaria um convite para o depoimento e não uma condução coercitiva. E nem a condução se estender à sua mulher. Mas longe de ser perseguição! Além destes dois episódios, não fiquem criando teorias fantasiosas de uma conspiração gestada. A PF apenas cumpriu ordem judicial. E tudo dentro da legalidade

BEM INTENCIONADA, MAS TEMERÁRIA

O fato do prefeito de Epitaciolândia, Tião Flores, meter máquinas nos ramais do município em plena época invernosa pode estar recheado de boas intenções, mas é temerário porque as chuvas podem destruir o que foi feito. Este tipo de obra é para ser executada durante o verão.

OU VÃO TODOS PARA A RUA

A adoção da Cláusula de Barreira na eleição de 2018 é que está forçando os dirigentes de partidos nanicos a terem chapa própria para deputado federal. Ou lançam candidatos a deputados federais ou perdem a direção partidária. Por isso a reação de não entrarem nos chamados chapões.

UMA PERGUNTA

A FPA ter três chapas para deputado federal ajuda a fazer mais deputados ou é prejudicial? Está é a equação que tem de ser resolvida pelos cardeais da FPA. Pode favorecer de ter mais gente na rua pedindo votos para o candidato ao governador, mas não sei se será bom para a legenda. Esta é a grande dor de cabeça da FPA. Acho que prejudica a legenda, pulveriza votos.

PORTA FECHADA

O presidente do PRP, Julinho, disse ontem que não atenderá nenhum pedido do governador Tião Viana para colocar na sua chapa de deputado estadual o secretário Gemil Junior e o ex-deputado Chico Viga. “Os candidatos não aceitam. E se pressionarem, eu levarei o PRP para a oposição. Não levei uma vez?”, lembrou com a advertência. Não está fácil um chapão único na FPA

FORA DA DISPUTA

O deputado federal Major Rocha (PSDB) nega boatos na oposição que sairia candidato a governador e a irmã Mara Rocha (PSDB) a deputada federal. “Meu candidato é o Gladson e a Mara não será candidata a nada”, garantiu à coluna.

FORA DO CHAPÃO

O SOLIDARIEDADE-PTB-PPS negam entrar num chapão para salvar os dois candidatos do PMDB para a Câmara Federal, Flaviano Melo e Jéssica Sales. Os dirigentes dos nanicos fecharam questão de disputaram vagas de Federal numa coligação dos três. Dor de cabeça para o PMDB.

OS CAMINHO DO PMDB

As chapas do PMDB para a Câmara Federal e para a Assembléia Legislativa, pela incúria e comodismo de sua direção partidária, têm cabeças, mas lhes faltam corpos. Para estadual têm somente Eliane Sinhasique, Roberto Duarte, Meiri Serafim, e Antônia Sales. E para Federal Jéssica Sales e Flaviano Melo. Nos dois casos, precisam urgente completar a chapa ou os seus candidatos darão o tradicional abraço dos afogados. O que chega a ser inconcebível é o partido ter a maior representatividade na oposição e ficar pirangando ajuda de outras siglas para salvar os seus candidatos. O grave é que todos os nomes citados são muito fortes. Quem entrar em uma das duas chapas é para servir de escada. E ninguém está querendo o sacrifício.

Coluna do Crica

Tião Bocalom: “O DEM terá chapa própria para federal”

O presidente do DEM, Tião Bocalom, vê como problema do PMDB e não do DEM, os peemedebistas terem apenas dois candidatos a deputado federal, Flaviano Melo (PMDB) e Jéssica Sales (PMDB) e precisando montar um chapão para viabilizar a eleição de ambos. Bocalom disse ontem ser questão fechada dentro do DEM de sair para a disputa no próximo ano com candidaturas próprias, missão na qual está empenhado. Descartou qualquer hipótese de uma coligação com o PMDB para a Câmara Federal. A decisão força ao PMDB que comece a pensar a ter uma chapa própria para Federal. O senador Sérgio Petecão (PSD) também me disse ontem que já tem coligação formada para deputado federal com o PSDB-PSD-PR-PMN-PROS e que também não está nos seus planos entrar no chapão do PMDB.

FIDELIDADE DE MULHER DE BORDEL

Não adianta os dirigentes partidários firmarem acordos, prometerem punição, porque a fidelidade do segundo voto para o Senado é a mesma fidelidade de mulher de bordel: não existe. E não haverá como policiar que os dois votos sejam casados na coligação, porque a infidelidade acontece nos bastidores. O segundo voto é igual puta: dá a quem pagar mais.

ABAIXO DAS EXPECTATIVAS

Ontem, pela manhã, um velho militante do PMDB se dizia ”decepcionado” com os números do Márcio Bittar (PMDB) nas pesquisas. “Como foi o deputado federal mais votado, com uma montanha de votos, esperava-se que, estivesse liderando a corrida ao Senado”,

MOSTRARIA COERÊNCIA

O deputado federal Major Rocha (PSDB), se não na prática, mas no formal, dá uma aula de incoerência ao votar sempre contra o presidente Temer, na Câmara Federal, juntando-se, neste caso, à oposição. Não seria anormal, se não ocupasse o posto de vice-líder do governo.

SAÍDA IRREVOGÁVEL

Para não ficar a ambíguo, deveria ter apresentado um pedido irrevogável de saída do posto.

SEM NECESSIDADE, MAS LEGAL

A condução coercitiva é um instrumento amparado na lei. Por isso, a sua aplicação não pode ser considerada como “ilegal”. Não partidarizemos um caso penal! No episódio da condução do prefeito Marcus Alexandre pela PF, não houve ilegalidade, mas um ato sem necessidade.

NÃO ENTRO

Não me convidem para mascarar uma investigação que é penal, em perseguição política.

CUIDADO COM A CARA DE PASPALHO!

Nunca brigue, troque ofensas, por causa de políticos, porque acabam se entendendo mais na frente e você fica com a cara de paspalho. Vocês assistiram o PMDB denominar os petistas de quadrilha de ladrões. E o PT chamando o Temer de ladrão e pedindo sua saída. Pois bem, suas lideranças já discutem para 2018, alianças no Ceará, Alagoas, Minas Gerais, Piaui e Sergipe.

VIRAM ANJOS

Na eleição, aqueles que se acusaram de todos os tipos de crimes, acabarão virando santos.

POR ISSO A RESSALVA

Quando dei a nota sobre um suposto encontro político entre o prefeito Marcus Alexandre (PT) e o deputado federal Alan Rick (DEM), eu fiz questão de colocar que noticiava com ressalvas. A assessoria do Alan entrou em contato, negou o encontro e a possibilidade de voltar à Frente Popular. Fica registrado.

SERIA SUICÍDIO

Tirando suas posições religiosas ortodoxas, acho que o deputado federal Alan Rick (DEM) cumpre um mandato positivo. Voltar à Frente Popular seria um suicídio político. É até primário!

HIPÓTESE EM ESTUDO

Aliados da ex-prefeita Toinha Vieira (PSDB) não descartam que possa ser candidata em 2018. Mas tem um problema: para Federal não baterá de frente com o aliado, deputado federal Major Rocha (PSDB). E para ALEAC teria que atropelar amigos que já estão em campanha.

PREVISÃO DO FILÓSOFO

Na previsão do filósofo do Macuã e Iaco, Idel Dniz, o teto para a ALEAC em Sena Madureira deverá ser em torno de 3 mil votos para quem for o mais votado. Terá que completar fora a eleição.

ORELHA DE FREIRA

Supostamente a CPI da SEHAB teria ouvido oito pessoas. Verdade sendo, nada justifica a imprensa não ter sido informada para ter acesso aos depoimentos. Coisa mais estranha, essa CPI! E o mais intrigante é o silêncio dos parlamentares da oposição a este respeito.

PURA CASCATA

Foi aprovada a ida do superintendente do DNIT, Thiago Caetano, para falar das obras da BR-364, na ALEAC, mas o deputado Luiz Gonzaga (PSDB), autor do requerimento, engavetou o assunto. Assim como foi engavetado pelo próprio Gonzaga o pedido de CPI da BR-364. E nada muda e nada mudará.

UMA DISPUTA SEM FAVORITO

Mais uma pesquisa na rua. Desta feita, terceirizada pelo Vox Populi ao “Instituto Brasil”, de Porto Velho. Pesquisa há mais de ano da eleição é como diz o ex-presidente Fernando Henrique: “um mero palpite”. Bateu com as demais num ponto: uma disputa sem favorito.

EMPATE TÉCNICO

A pesquisa de campo foi feita pelo “Instituto Brasil”, de Porto Velho. O Vox Populi deu apenas o nome da empresa e terceirizou a coleta de opiniões. Mostrou o que as demais pesquisas vêm mostrando: empate técnico entre o senador Gladson Cameli (PP) e o prefeito Marcus Alexandre (PT). Marcus ficou com 43% e Gladson com 41%. A margem de erro é de 4%.

Não há o que comemorar

Não há porque nenhum dos grupos que vão disputar o governo soltar fogos. A eleição será equilibrada e só um tosco apaixonado e desprovido de censo do ridículo pode ler na pesquisa vantagem para um dos lados. Detalhes na campanha é que vão decidir o vencedor em 2018.

NÃO ENTENDI

Na pesquisa anterior a esta mais recente, o Coronel PM Ulisses (PATRIOTAS) apareceu com 6% de intenção de votos. Não havia, pois, motivo para não ter o nome incluído nesta pesquisa. Porque poderia tirar votos de um dos dois lados e o resultado geral seria diferente. O que houve para o boicote?

ESTRANHO, MUITO ESTRANHO!

O que foi mais estranho foi o ex-prefeito Tião Bocalom (DEM) aparecer com 24% de Rejeição para o Senado e o seu nome não ter aparecido na lista dos pesquisados. Pelo menos não divulgaram. Como é que se pode medir a Rejeição de quem não foi pesquisado? Qual a explicação para a incoerência? Outro detalhe: é candidato a deputado federal.

SENADO EMBOLADO

Para o Senado o senador Jorge Viana (PT) continua numa posição cômoda de liderança. Com Sérgio Petecão (PSD) e Márcio Bittar (PMDB) tecnicamente empatados em segundo e não muito distante o Ney Amorim (PT), também no jogo. A disputa da segunda vaga será a mãe de todas as batalhas do Senado. Outra pergunta: por qual motivo não colocaram o advogado Sanderson Moura na pesquisa? Ou se pesquisa todas as tendências ou sai um resultado capenga.

PESQUISA NÃO GANHA ELEIÇÃO

E de uma vez por todas: pesquisa não ganha eleição. Reflete um momento (quando é bem feita e sem má intenção). Caso contrário, nem isso! Não há nada para ser comemorado sobre uma campanha para governador em que os candidatos não estão nas ruas no corpo a corpo.

VIROU MANTRA

Em todas as pesquisas para presidente, no Acre, virou mantra: Jair Bolsonaro na dianteira.

PROMESSA FEITA

O ex-deputado Chico Viga, que tem tido o nome rejeitado para se filiar em partidos nanicos, está apostando que o governador Tião Viana convencerá o presidente do PRP, Julinho, a aceitar sua filiação. Viga já chegaria como favorito a ser o mais votado da sigla.

PERU DE NATAL

O Bujari está com todas as ruas asfaltadas? Tem médicos e remédios em profusão? A coleta de lixo está impecável? Água tratada em todas as casas? Os ramais foram recuperados? Não estando tudo 100% é um disparate o prefeito Romualdo pensar em pagar 13º salário para ele e os vereadores. A discussão não está na legalidade do seu ato, que é legal. Mas a pergunta que cabe é uma só: uma prefeitura pobre como a do Bujari pode fazer está extravagância? Num tempo de uma braba crise econômica? Este não o caminho para a boa gestão.

Coluna do Crica

O PSDB não é o pai da candidatura de Veloso

O deputado federal Major Rocha (PSDB) me disse ontem que, o seu partido não vai mover uma palha para que o médico Eduardo Veloso (PSDB) seja escolhido como vice do candidato ao governo, senador Gladson Cameli (PP). “Tirem o PSDB desta discussão, não somos contra, mas não estamos indicando ninguém, a questão da escolha do vice não tem o aval do partido, não entramos mais neste debate, este é um assunto encerrado. Se o Gladson quiser escolher o Eduardo seu vice é problema seu, da sua cota, da sua simpatia, mas não vincule que, com a escolha, o PSDB será uma sigla subalterna ou se dará como contemplado”, avisou Rocha (foto). Rocha se diz muito preocupado com a campanha. “Temos tudo para ganhar o governo na eleição do próximo ano, um bom nome, leve, mas nunca vi algo mais sem uma organização do que a campanha do Gladson. Sem organização não se vence uma eleição”, advertiu o presidente do PSDB, Major Rocha. Na sua avaliação, quem tem de buscar a organização é o candidato ao governo e não os candidatos a cargos proporcionais. Não pode haver a inversão, diz ele.  

PEDIDO DE CONVERSA

O coronel PM Ulisses, que pretende ser candidato ao governo pelo PATRIOTAS, mesmo partido ao qual o candidato a presidente Jair Bolsonaro irá se filiar; esteve ontem, ao entardecer, com a executiva regional do PSDB, para expor seus planos políticos. Até o fechamento da coluna a reunião continuava. A pauta era comunicar que seria candidato a governador e buscar uma aliança com os tucanos. 

SEM COMPROMISSO

O deputado federal Major Rocha (PSDB) esclareceu que não se trata de uma aliança. O PSDB abre as portas para qualquer discussão política, sem que isso signifique parceria, advertiu. 

TUDO PRONTO

O médico Carlos Beirute deve embarcar no início da semana á Brasília, para assumir a presidência regional do PROS. O partido irá para a oposição na coligação com PR-PSD –PSDB e PMN. 

RESMUNGANDO PELOS CANTOS

O presidente do PHS, Manoel Roque, anda resmungando pelos cantos pelo fato do seu partido não ocupar uma secretaria municipal e o Pedro Longo, que perdeu a direção do PSL, continua prestigiado com uma secretaria para chamar de minha. Longo é candidato a estadual pelo PV. 

DELAÇÃO PREMIADA

Está quase certa uma delação premiada de um envolvido importante no escândalo da EMURB.

NENHUM COMPROMISSO

O vereador Gilson da Funerária (PP-Senador Guiomard) tem dito a amigos que não vão aceitar qualquer proposta do seu partido para cessar as críticas e as denúncias ao MP, contra o prefeito de Senador Guiomard, André Maia. O presidente do PP, José Bestene, anda sendo pressionado para promover um armistício entre Gilson e André. Pelo visto, não vai conseguir. 

MANDATO PESSOAL

Só que o presidente do PP, José Bestene, tem limites. Não há como mandar o vereador calar.

NANICOS ALVOROÇADOS

Os dirigentes de partidos nanicos com candidatos a deputado federal andam cuspindo fogo contra os dirigentes do PT que trabalham para que a FPA tenha apenas uma chapa para Federal. O “Chapão”, para eles, é como pular de um avião no ar sem paraquedas.

ÚNICOS BENEFICIADOS

Na verdade os únicos beneficiados com o “chapão” serão os candidatos Sibá Machado (PT), Raimundo Angelim (PT), Léo de Brito (PT), César Messias (PSB) e Perpétua Almeida (PCdoB).

TIME DA OPOSIÇÃO, NÃO É MOLEZA!

Candidatos a deputado federal pela oposição: Antonia Lúcia (PR), Jéssica Sales (PMDB), Major Rocha (PSDB), Flaviano Melo (PMDB), Nelson Sales (PP), Rosana Nascimento (PPS), Carlos Beirute (PROS), Tião Bocalon (DEM), Alan Rick (PRB), Rudiley Estrela (PP), Wanda Denir (PP), N. Lima (PP) e Sérgio Barros (PSDB).

ESPAÇO APERTADO

O espaço ficou apertado para o deputado federal Moisés Diniz (PCdoB). A prioridade da cúpula comunista para Federal é a volta da Perpétua Almeida (PCdoB). O vice do Marcus Alexandre (PT), não conseguirá ser, será o Emylson Farias (PDT). Lhe resta disputar a ALEAC.

PEQUENO DETALHE

E com um pequeno detalhe, Moisés terá de bater o deputado Genilson Lopes (PCdoB) e Edvaldo Magalhães (PCdoB), também candidatos a vagas na Assembléia Legislativa.

CONVERSA E TENTATIVA?

A coluna recebeu a informação que o prefeito Marcus Alexandre (PT) andou conversando com o deputado federal Alan Rick (DEM), para ter seu apoio ao governo. Ambos não romperam relações quando Alan deixou a FPA e são membros da Igreja Batista do Bosque. Não sei se conseguirá o retorno, mas se conseguir dará um golpe de mestre. Passo a informação com ressalvas, porque veio de uma única fonte. Mas vou checar outras para a confirmação. 

SUMIRAM POR ENCANTO

As viaturas policiais que eram vistas em pontos estratégicos da cidade sumiram como que por encanto. Funcionou apenas como vitrine durante a reunião dos governadores, acontecida na Capital. Nada contra o álcool zero, mas por qual motivo para o programa nunca faltam PMs? 

AVISO A QUEM DE DIREITO

A ponte que liga Brasiléia à Epitaciolândia está em péssimas condições de conservação. Os políticos da região deveriam fazer pressões no DERACRE, DNIT, ou em quem de direito.  No pobre do DERACRE nem adianta pressionar, o que se sabe é que os seus cofres estão secos.

REJEIÇÃO GRANDE

Nota-se nas conversas com integrantes do PSD e do PSDB, a turma que vai mesmo para a rua, uma antipatia declarada contra a candidatura do senador Márcio Bittar (PMDB). Não fazem questão de esconder. É uma barreira que, ele terá de superar para ter viabilidade eleitoral.

ACHA QUE GANHA SÓ

“O Márcio Bittar acha que ganhará só a eleição de senador”, me disse ontem um dirigente tucano. Então será assim, completou em tom irônico. 

O MUNDO GIRA, NÉ BOCALOM?

Quando tentaram colocar o Tião Bocalom (DEM) de vice da Eliane Sinhasique (PMDB), na última disputa da PMRB, o PMDB esnobou o Bocalom, sob o argumento de ser grande o seu desgaste. Também não teve o apoio integral do PMDB, no Juruá, quando perdeu de pouco para o governo. Agora o PMDB está pirangando a formação de um chapão com o DEM dentro, para salvar as candidaturas do Flaviano Melo (PMDB) e Jéssica Sales (PMDB). O mundo gira, né Bocalon? 

MANDATO VIRA BICO

O eleitor que votou no vereador Mamede Dankar (PT) foi para que, ele se dedicasse integralmente ao mandato de vereador, que não é cumprido só com presença na Câmara Municipal. Mas também junto à população ouvindo seus reclamos. A acumulação de cargo do governo com a função de edil, não é ilegal, mas transforma o mandato em um simples bico. 

NENHUM COMPROMISSO

O vereador Roberto Duarte (PMDB), sobre nota na coluna, disse não ter assumido nenhum compromisso com a deputada Eliane Sinhasique de que não disputaria um mandato na ALEAC. Ou seja, será mesmo candidato na eleição do próximo ano e já se encontra em campanha. 

CARRETAS DE CAFÉ

Comentário irônico de um político da FPA, ouvido ontem num jantar de noivado: “eu queria ter na minha conta no banco o valor somado dos cafezinhos que o prefeito Marcus Alexandre filou nas suas visitas aos bairros, desde o primeiro dia de mandato”. Uma boa observação. 

EM POUCO

O DNIT fez um bom trabalho nos trechos que atuou na BR-364. É o que tenho ouvido de amigos que fizeram o trajeto Rio Branco-Tarauacá, nos últimos dias. Mas, todos com adendo de que, se não houve um controle da tonelagem dos caminhões em pouco tempo deteriora. 

GARRA INCRÍVEL

É de se ressaltar a garra que teve o superintendente do DNIT, Thiago Caetano, em executar um serviço de qualidade. Durante a obra foi torpedeado com críticas dos céticos com o sucesso. 

SENHOR PREFEITO

Nunca vi o prefeito de Acrelândia, Ederaldo Caetano, mais gordo. Mas pelos comentários positivos que ouço até da oposição, dá para se deduzir que faz uma gestão positiva. Só o fato de cortar pela metade os cargos parasitários de secretários, já foi um avanço na moralidade. 

NADA CONTRA, SÓ CURIOSIDADE!

Leio que no Colégio Militar do Acre os alunos terão “aulas de balé”. Que tal acrescentar tricô e crochê no currículo? Nada contra a bela arte do balé. É linda! Mas gostaria de ver os oficiais da PM que vão ministrar aulas, dançando o belíssimo balé dramático do russo Tchaikovsky, “Lago dos Cisnes”, na pontinha dos coturnos. Encara essa, Comandante da PM, Júlio César?

PREÇO A SER PAGO

Não foi pouco o trabalho do presidente do PDT, Luiz Tchê, para organizar o partido e ter chapas próprias a deputado estadual e deputado federal. Foram horas e horas de conversas. E num piscar de olhos vê o PT desmontar tudo, obrigando a que todos se juntem num “chapão” de Federal. Este final não é nenhuma novidade para um observador da política acreana. Não é a primeira vez que o PDT é torpedeado nesta iniciativa de criar uma chapa alternativa, com os partidos menores, para a Câmara Federal. Bisa o que ocorreu em anos anteriores. E o preço de depender do poder. A questão é que os partidos menores são todos dependentes do PT, porque é a sigla que está no poder, tem a chave do cofre e a caneta que nomeia e demite. É aquele velho e sempre aplicável ditado: “quem come do meu pirão, prova do meu cinturão”.  

Coluna do Crica

Costurando a vice com diálogos

O DEM foi o primeiro partido a tentar indicar o vice na chapa ao governo do senador Gladson Cameli (PP). Seu método agressivo de imposição do nome do deputado federal Alan Rick (DEM), com ameaças veladas de rebelião se não emplacasse, foi rechaçado pelos outros partidos da oposição. Está fora do páreo. O PSDB também ensaiou colocar o nome da jornalista Mara Rocha (PSDB) para ser a vice, mas também foi rifado. Um novo nome trabalha com inteligência a ocupação desta vaga, dialogando com as lideranças de todos os partidos oposicionistas. É o jovem médico Eduardo Veloso (PSDB), que vem navegando sem rejeições conhecidas. A sua entrada no PSDB foi estratégica. Nunca foi candidato a cargo eletivo. Tem ao seu favor a simpatia do candidato a governador Gladson Cameli (PP), embora não manifestada publicamente. Além de médico, Veloso é ligado ao agronegócio, um segmento que nas últimas eleições foi cooptado pelo PT. Pode ser o caminho para desmontar esta aliança. Veloso é filho do ex-vereador Paulo Veloso. É aguardar 2018 para saber se Eduardo conseguirá a indicação ou ele, também, afundará como naufragaram os indicados pelo PSDB e pelo DEM, nas primeiras tentativas. A roleta está girando.

MORREU NO VENTRE

O presidente do PT, Daniel Zen, aderiu à defesa de que todos os candidatos a deputado federal da FPA devem estar num “chapão”. Acha que o PDT, sendo beneficiado na indicação do vice, não pode comandar uma chapa alternativa dentro da Frente. A sua tese é a majoritária na cúpula palaciana. Começo a me convencer que, mais uma vez a “chapinha” morreu no ventre.

IMPORTA MAIS OS RESULTADOS

Esta discussão sobre a reunião dos governadores não deve ser centrada em cima de valores, mas sim se o que ficou decidido vai redundar em algo prático, saber se, por exemplo, o Fundo Nacional de Segurança Pública ficará só num protocolo de intenções ou se será acatado ou não pelo Temer. Mas o governador Tião Viana fez a sua parte, se não der certo não pecou por omissão.

NÃO VAI SE SUSTENTAR

Não acredito que o PP vai sustentar uma chapa própria para deputado federal. Com uma candidatura majoritária o PP não poderá bater a porta na cara do PMDB. Mesmo contra a vontade de seus dirigentes terá que vir para uma coligação com os peemedebistas. Podem aguardar.

ATENTOS A UM FATOR

Um candidato à Câmara Federal na “chapinha” do PDT fez ontem o seguinte comentário, que é muito pertinente: “para o chapão do PT eu não vou e é bom se lembrarem que, em março será aberta uma janela e os que se sentirem prejudicados podem ir para a oposição. Eu vou”.

ESPERANDO A CONTRAPARTIDA

O deputado Nelson Sales (PP) foi pragmático ao analisar ontem a reunião dos governadores, no Acre. Acha que os recursos gastos no evento só se justificarão se do governo federal vierem aumentos dos efetivos e mais recursos financeiros para a PRF, PF e a presença do Exército com Postos na fronteira. No que concordo. O governo estadual fez a sua parte. Venhamos e convenhamos. Falta a União. Não tenho muita esperança que deste mato saia coelho.

MUITO COMBATIVO

O deputado Nelson Sales (PP) vem sendo uma grata surpresa da oposição. Faz colocações com cobranças pertinentes aos secretários, não briga na tribuna com o português, e cumpre o seu papel de fiscal do governo. Quem faz oposição não pode ficar como espectador do que ocorre.

AINDA NÃO ASSIMILOU

O deputado Jenilson Lopes (PCdoB) ainda não assimilou que, quem é eleito pela oposição não é para ficar elogiando o governo. O parlamento não é formado por monges e freiras, entendeu? Não existe essa de oposição meia-bomba. Na política se é ou não é. A deputada Eliane Sinhasique (PMDB) tem todo o direito de falar o que bem entender na tribuna.

MEIA PALAVRA BASTA

Na política, meia palavra basta para o bom entendedor. Do governador Tião Viana ontem, sobre a formação de uma chapa única de deputado federal dentro da FPA: “tudo encaminhado”. Traduzindo: é a favor. E sobre o vice ser Emylson Farias: “encaminhado”. Ou seja: é ele. Alguém tem ainda alguma dúvida? Depois destas duas frases ficou muito claro.

UMA COISA É CERTA

A implosão da “chapinha” do PDT acaba com o sonho do deputado Jesus Sérgio, do Cristóvão Pontes, do deputado Eber Machado, do Henrique Afonso, vereador Manuel Marcos, de terem uma eleição mais fácil. No chapão encabeçado pelo PT, eles só pegarão cobras criadas.

ENCHENDO DE NOVO A BOLA

O deputado Jairo Carvalho (PSD) voltou ontem ao encher a bola do governo sobre a reunião promovida com 23 governadores, alegando que “coisas boas” foram decididas. Não sou contra. Mas quero ver o resultado concreto. Com um governo quebrado como o do Temer?

CHAPA DE FEDERAL

Carlos Beirute, Major Rocha, Valdete Sousa, Marivaldo Melo e Antônia Lúcia, são alguns dos candidatos a deputado federal da coligação PSDB-PR-PROS-PSD-PMN. Outros nomes completarão a chapa. Major Rocha deverá ser o grande puxador de votos desta aliança.

PAGAMENTO CONTESTADO

O deputado federal Major Rocha (PSDB) anunciou ontem que está entrando com uma Ação Direta de Inconstitucionalidade contra o governo ter pagado ás bancas de advogados de Brasília e do Acre, num valor de 916 mil para fazer a defesa de Marcus Alexandre.

AVIVANDO A LEMBRANÇA

Só para avivar a lembrança: a Lei que autorizou este tipo de pagamento foi aprovada pela Assembléia Legislativa, quando o Major Rocha (PSDB) era deputado estadual, mesmo tendo votado contra. Foi aprovada pela grande maioria dos votos. O pagamento é baseado no legal.

OUTRA HISTÓRIA

Caso o STF venha depois decretar que a Lei é inconstitucional é outra história.

CIDADE MAIS VIOLENTA

Rio Branco foi apontada em recente aferição nacional como a cidade mais violenta do Brasil. O fato foi anunciado ontem pelos deputados de oposição, na ALEAC. Não há o que contestar depois que o governador Tião Viana declarou somos a Medellin do tempo do Escobar.

CORREDOR ABERTO

Enquanto não houver um controle efetivo e diário das Forças Armadas mais drogas e armas continuarão a entrar no Acre. Se isso não for contido, as forças policiais do Acre podem continuar a prender bandidos, desbaratar quadrilhas, apreender drogas que o clima de violência continuará. Ao se analisar a violência não se pode fugir deste contexto.

NÃO É BOM CAMINHO

Com praticamente o fim da chapinha dos nanicos, não sei se o deputado Eber Machado (PSDC) manterá a sua candidatura de deputado federal. No “chapão” do PT a sua chance de vir a se eleger não é muito grande, esta repleta de medalhões e seus esquemas poderosos.

PELO MENOS NA FPA

Um deputado, eu sei que não vai para o chapão do PT para disputar uma vaga de deputado federal, porque deixou isso claro em uma conversa: o deputado Jesus Sérgio (PDT).

CANDIDATO A ESTADUAL

Anotem para conferir: o presidente do PDT, Luiz Tchê, será candidato a deputado estadual. E não duvidem que, ele será um candidato muito forte, conhece o caminho para a ALEAC.

TODOS NO PT

O presidente PT, Daniel Zen, está defendendo junto ao governador Tião Viana que, os secretários estaduais candidatos a deputado estadual saiam pela chapa do PT. A única ressalva que faz é em relação ao secretário Gemil Junior, que já tem outro compromisso assumido.

PT DEFLAGRA “OPERAÇÃO IMPLODE CHAPINHA”

Diz um velho ditado que, o que se cozinha com bafo é cuscuz. O adágio popular pode ser aplicado à formação da chapinha, na qual vem trabalhando há meses o presidente do PDT, Luiz Tchê, que num rompante digno dos gaúchos tem dito que, quem manda no PDT não é o PT. Há controvérsias. A coluna tem informação que o governador Tião Viana e o senador Jorge Viana (PT) estão trabalhando via emissários políticos petistas, para que todos os candidatos a deputado federal da FPA se juntem num chapão. A “Operação Implode Chapinha” foi montada para beneficiar diretamente os candidatos medalhões como Raimundo Angelim (PT), Sibá Machado (PT), Léo de Brito (PT), César Messias (PSB) e Perpétua Almeida (PCdoB). Os candidatos que estão na chapinha que continuarem com as suas candidaturas se limitarão ao papel subalterno de meras buchas de canhão, com limitadíssimas chances de conseguir se eleger. Não é a primeira vez que o PDT e os partidos nanicos tentam montar uma chapa alternativa para a Câmara Federal. Da última vez não resistiram um peteleco do assessor petista Nepomuceno Carioca. Nesta nova empreitada parece que não resistirão a uma caçoleta do militante petista Cesário Braga. Tchê, nunca sente numa cadeira que alguém possa mandar você se levantar. Não dou mais um tostão furado a favor desta “chapinha” ser viabilizada.

Coluna do Crica

PDT ameaça ficar fora da FPA

O presidente do PDT, Luiz Tchê, apoiado pelos partidos nanicos com candidatos a deputado federal, declarou ontem que, se o PT fizer qualquer movimento para acabar com a chapa da coligação o partido não apoiará o candidato ao governo, Marcus Alexandre. “Trabalhamos muito para montar uma chapa competitiva e não vamos aceitar que, o PT queira destruí-la cooptando os integrantes da chapinha, como fez nas eleições passadas”, advertiu. Tchê lembra que, o PT não vive um bom momento político para pisar nos aliados sem sofrer uma reação. Também não aceita ser torpedeado na escolha do candidato a vice-governador, com a indicação do secretário de Segurança, Emylson Farias. “O PT é que sabe se quer ou não o PDT de aliado”, advertiu. O Tchê está com uma posição na defesa do partido, se aceitar a pressão, será apenas para ajudar eleger os medalhões do chapão petista, enquanto o partido não elegerá ninguém.

PULAM TODOS FORA

O dirigente do PRB, Diego Rodrigues, é muito enfático quando se trata de coligação para disputar vagas na Câmara Federal: “se o PT partir para acabar com a nossa chapinha, o PRB estará fora da FPA. Não vamos levar o partido para o suicídio”. O PRB tem o vereador Manuel Marcos, como candidato a deputado federal dentro da coligação com o PDT.

ESCOLHA DIFÍCIL

O presidente do PT, deputado Daniel Zen, defende que a FPA faça um chapão único para deputado federal. E tem uma opinião formada a respeito: “se o vice for do PDT, o partido tem que abrir mão da chapa que montou para a Câmara Federal”. Deixou ao PDT uma escolha difícil.

RECADO DADO

“O governador Tião Viana tem simpatia pela candidatura do secretário Emylson Farias para ser o vice do Marcus Alexandre. Se não o quiserem fiquem a vontade para mudar o nome, mas será por conta de quem mudou”. O comentário é de um aliado bem próximo do governador.

NO MÍNIMO, FALTA DE CORTESIA

Pode ter igual. Mas não conheço outro parlamentar da base do governo na ALEAC, mais leal que a deputada Juliana Rodrigues (PRB). Pois bem, vamos a uma historinha nada edificante: ela fez uma pesquisa num bairro entre os moradores para escolher o nome da quadra a ser inaugurada hoje. Tudo certo! Só que mexeram os pauzinhos dentro da PMRB, lhe passaram a perna e o nome da quadra será dada pelo presidente da associação dos moradores. Estão fazendo as contas erradas na PMRB, viu, Marcus! O PRB, com uma deputada e um vereador da Capital vale menos que um presidente de bairro, em termos de votos? É a pergunta que fica.

POSTURA DEMOCRÁTICA

Ao contrário de alguns porra loucas do seu partido, acerca da “Operação Buracos”, o prefeito Marcus Alexandre agiu como deve agir qualquer democrata: “não estou acima da lei e sou absolutamente a favor das investigações”. Assim as coisas funcionam no Estado de Direito.

ISSO PODE, ARNALDO?

O DEPASA deu 72 horas para a PEDRA NORTE retomar uma obra do “Ruas do Povo”. Tudo bem, só que o DEPASA não pagou a dívida relevante que tem com a empresa. Isso pode, Arnaldo?

CERTO NUM PONTO

O Marcus Alexandre está certo num ponto, o de não entender a condução coercitiva da sua mulher Gicélia Viana para depor na PF, já que durante sua passagem pelo DERACRE não era ordenadora de despesa.

O PROCESO NEM SE INICIOU

As investigações agora seguirão o seu curso judicial, onde todos os acusados terão ou não as denúncias feitas pelo Ministério Público Federal, aceitas pelo Juiz Federal que conduzirá o caso. Se forem acatadas, todos passam a ser réus e a ter um amplo direito de defesa. Até aqui são acusados.

TEORIA MALUCA

A maluca teoria da conspiração não poderia ficar de fora. Desta feita não foi protagonizada pelo deputado federal Sibá Machado (PT). O deputado Jonas Lima (PT) vê indícios na “Operação Buracos” do dedo do Michel Temer para prejudicar a candidatura ao governo do Marcus Alexandre. Que coisa mais louca, Jonas, o Temer está preocupado é com os ovos dele!

NÃO CONSIGO ASSIMILAR

Não consigo assimilar como é que se consegue criar uma história tão mirabolante.

NÃO VAI EXPLICAR

Como está em segredo de justiça não vou dar o nome. Mas o envolvido da “Operação Buracos” em cuja conta foi levantada uma movimentação de 10 milhões de reais, por ter sido sempre um assalariado, não terá como explicar. A não ser que tenha acertado só na Mega- Sena. Fora isso, ele terá dificuldade para dar explicações à bolada circulante. É muita grana.

SOU BOM DE MEMÓRIA

Se não me falha a memória, este rolo sobre os recursos do INCRA terem ido parar no DERACRE e depois não se sabe que fim levou (alega-se que para bancar campanhas), quando o Marcus Alexandre chegou para ser diretor do DERACRE o rolo já estava formado pelos que lá estavam.

CORRENDO CONTRA O TEMPO

O deputado Jenilson Lopes (PCdoB), que cumpre um bom mandato, está correndo para ver se consegue uma aliança para o seu partido que garanta uma ponte à sua reeleição. Sua proposta de entrar na coligação do PDT foi rejeitada ontem pelo presidente Tchê e seus aliados.

NOVA RECAÍDA

O deputado Jairo Carvalho (PSD) teve ontem uma nova recaída, se lembrando dos tempos em que foi do PT. Voltou a encher o governador Tião Viana de elogios, agora pela reunião de governadores, que aconteceu no Acre. Comentário de quem ouvia: “quer chuva no roçado!”.

SEMPRE FOI APUÍ

Escutei ontem na ALEAC, uma observação sobre a dificuldade do PMDB conseguir aliados para suas chapas de deputado federal e de deputado estadual: “o PMDB é como o Apuí, cresce à custa das outras árvores”. Traduzindo: nunca tenta formar uma chapa própria a Federal.

NÃO É PARTIDO

Os desavisados petistas coloquem em suas cabeças que a PF não é um partido político, por isso parem de ver o fantasma da oposição por trás da “Operação Buracos”, porque isso é um delírio. A influência da oposição na Polícia Federal é zero.

CHORO DE DERROTADO

A chapa dos derrotados na última eleição para a presidência da associação dos moradores da Reserva “Chico Mendes” está entrando no MP, pedindo que sejam prestadas contas dos valores arrecadados no pagamento de inscrição dos votantes. Depois da surra de cipó de fogo, que levaram no lombo, deveriam estar envergonhados e escondidos. Vão lamber as feridas!

MONTADO NUMA MOTA

Perderam a eleição para um candidato, o açúcar, que andava numa moto emprestada.

VOZ DA EXPERIÊNCIA

Um político de larga experiência fazia ontem uma observação interessante sobre os últimos acontecimentos: “a oposição tem que ter o cuidado de não transformar o Marcus Alexandre em vítima, como aconteceu quando o Jorge Viana foi candidato ao governo. Ou perde a eleição”. Muito pertinente.

DISCUSSÃO PARA IMBECIS

Não entro nesta discussão imbecil contra a liberação do serviço do UBER. Não se pode ser contra o que vem para ajudar a população com um serviço de menor preço no transporte. Os políticos que são contra apenas para agradar os taxistas estão apenas de olho nos seus votos.

AVIVANDO A LEMBRANÇA

É bom avivar a memória destes parlamentares que a maioria da população quer o UBER.

OPERAÇÃO RASTEIRA

O PT bisa o que fez em outras eleições. Está torpedeando o presidente do PDT, Luiz Tchê, para detonar a “chapa dos nanicos” de deputado federal, levando todos para morrerem abraçados no “chapão” com os candidatos do PT, PCdoB e PSB. O PT escalou o Carioca para a missão.

NINGUÉM ME AMA

Nenhum partido da coligação dos nanicos quer aceitar as filiações dos ex-deputados Chico Viga, Élson Santiago e Jamyl Asfuri, porque sabem que podem ficar sem uma vaga na partilha dos votos. Terão que acabar apelando para entrarem na chapa do PT do PSB ou PCdoB, nos três casos, tendem a morrer abraçados.

DOIS MILHÕES DE REAIS

Um candidato novato abordou ontem um experiente deputado para saber em torno de quanto se gasta numa campanha á ALEAC, com chance de eleger-se. O veterano foi rápido: “se tiver menos de dois milhões de reais é melhor você não entrar”. Não fugiu da realidade de uma eleição.

FOGO AMIGO

O médico Eduardo Veloso vai sofrer fogo amigo. Um deputado da oposição está levantando quantas ações responde na justiça e no CRM no exercício da medicina. Soube ontem. Tudo por conta de estar tentando ser candidato a vice-governador na chapa do Gladson Cameli (PP).

FORA DO CONFRONTO

O senador Sérgio Petecão (PSD) me disse que, não vai fazer da acusação contra o prefeito de Rio Branco, Marcus Alexandre (PT), na “Operação Buracos”, nenhum cavalo de batalha e que este papel está reservado à justiça. “Vou tratar da minha campanha, Luis Carlos”, ponderou.

CONTINUA CANDIDATO

Não proceda a boataria que corria ontem nos meios políticos de que por conta do acontecido, o prefeito Marcus Alexandre não será mais candidato ao governo na eleição do próximo ano. Não só será mantido, mas também, continuará prestigiado por todos os partidos da FPA. E por um motivo bem simples: não tem um nome que ao menos chegue perto da sua densidade eleitoral e não há um motivo relevante para sacá-lo, já que não sofreu nenhuma condenação judicial. O resto fica por conta das ilações, comuns no período eleitoral. Ponto final.