Policia Militar comanda operação conjunta na BR 317

Essa operação reuniu dezenas de policiais

BR 317. A Blitz ENAFRON

BR 317. A Blitz ENAFRON

ALMIR ANDRADE

Polícia Rodoviária Federal, Polícia Federal, Força Nacional e Polícia Militar, realizaram uma operação na BR 317. A Blitz ENAFRON, tem como objetivo combater o tráfico internacional de drogas, contrabando de mercadorias da Bolívia e do Peru e o tráfico de armas de fogo.

Essa operação reuniu dezenas de policiais, obtendo resultado positivo, foram apreendidas várias mercadorias contrabandeadas. Todas as mercadorias foram levadas para a Receita Federal do município de Brasileia, onde será feito o processo de perdimento.

A operação foi comandada pelo Capitão Estene Comandante do 10º Batalhão de Brasileia, o mesmo afirmou que essa blitz, continuará sendo realizada na região do Alto Acre, com apoio da Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal, Força Nacional e Polícia Militar.

Essa operação reuniu dezenas de policiais-BR 317. A Blitz ENAFRON

Essa operação reuniu dezenas de policiais-BR 317. A Blitz ENAFRON

BR 317. A Blitz ENAFRON

Essa operação reuniu dezenas de policiais-BR 317. A Blitz ENAFRON

Essa operação reuniu dezenas de policiais-BR 317. A Blitz ENAFRON

Essa operação reuniu dezenas de policiais-BR 317. A Blitz ENAFRON

Essa operação reuniu dezenas de policiais-BR 317. A Blitz ENAFRON

Essa operação reuniu dezenas de policiais-BR 317. A Blitz ENAFRON

Essa operação reuniu dezenas de policiais-BR 317. A Blitz ENAFRON

Essa operação reuniu dezenas de policiais-BR 317. A Blitz ENAFRON

Essa operação reuniu dezenas de policiais-BR 317. A Blitz ENAFRON

Essa operação reuniu dezenas de policiais-BR 317. A Blitz ENAFRON

Jovem tem cabeça e mãos arrancadas

desaparecida há quase dois meses

A. de S. R., de 17 anos.

A. de S. R., de 17 anos.

O Instituto Médico Legal (IML) da cidade de Porto Seguro, no sul da Bahia confirmou que um corpo encontrado em decomposição no domingo (08) é do adolescente A. de S. R., de 17 anos.

De acordo com informações do site Bocão News, a vítima estava desaparecida há quase dois meses e o corpo foi encontrado às margens do Rio da Barra, em Trancoso. O pai e outros familiares fizeram o reconhecimento do cadáver, que foi encontrado sem a cabeça e uma das mãos.

FONTE-R7

Bebê de um ano morre baleado durante briga do pai

Mãe também foi atingida por disparo; suspeito fugiu após o crime

Um bebê de apenas um ano

Um bebê de apenas um ano

Um bebê de apenas um ano morreu com tiro na cabeça em Linhares, no Espírito Santo, na última terça-feira (10). Segundo a polícia, ele estava no colo do pai que discutia com um jovem de 19 anos, suspeito de ser autor do disparo.

A mãe da criança teria brigado com o marido e o suspeito por ciúme. Ela desconfiava que o companheiro tivesse um caso com a irmã do suspeito. Irritado, ele acertou um tiro na criança e outro na mão da mãe.

O suspeito fugiu em uma bicicleta após o crime. A polícia afirmou que ele já tinha passagem por tentativa de homicídio. O bebê chegou a ser socorrido, mas não resistiu.

FONTE-R7

Estudante é encontrada seminua e estrangulada

A vítima, que era estudante de psicologia, foi encontrada por uma amiga

 Ivaneide Ribeiro Freitas

Ivaneide Ribeiro Freitas

Uma mulher foi brutalmente assassinada na noite de terça-feira (10) no bairro Asa Branca, na cidade de Feira de Santana. Segundo informações da Record Bahia, Ivaneide Ribeiro Freitas, de 32 anos, foi  estrangulada com um fio de extensão e encontrada seminua dentro  de casa.

A vítima, que era estudante de psicologia, foi encontrada por uma amiga, com quem dividia a residência. Ivaneide foi encontrada apenas de camisola, sem calcinha. A suspeita é de que o ex-marido da vítima, Evan Willian Ferreira Matos, de 25 anos, seja o autor do crime.

Segundo a polícia, o fio utilizado para estrangular a estudante teria sido feito pelo próprio Evan, que é pedreiro, carpinteiro e eletricista, e estava em um local onde só pessoas que tinham acesso à residência sabiam da existência do fio.

Segundo testemunhas, a estudante e o suspeito discutiam com frequência. Um laudo que determina se a vítima teve relações sexuais com o ex-marido ou outra pessoa deve sair em até duas semanas.

Fonte-R7

Mãe suspeita de matar filho de 2 anos é presa

Mulher teria espancado o menino; ela foi indiciada por homicídio triplamente qualificado

Tamires Augusto, de 25 ano

Tamires Augusto, de 25 ano

Uma mulher suspeita de ter matado o filho de 2 anos foi presa nesta quarta-feira (11) em São Francisco de Itabapoana, no norte do Estado. Tamires Augusto, de 25 anos, teve a prisão temporária (30 dias) decretada por suspeita de homicídio triplamente qualificado.

Segundo a Delegacia de São Francisco de Itabapoana (147ª DP), Luiz Otávio Augusto Rodrigues foi vítima de espancamento. Ele morreu, no último domingo (8), ao dar entrada na UTI Pediátrica do Hospital Ferreira Machado, em Campos.

O caso chegou até a polícia depois de os médicos do hospital, que atenderam a criança, terem denunciado a mãe ao Conselho Tutelar.

Tamires foi levada ao presídio feminino de Campos. Segundo o delegado Geraldo Rangel, o crime teve como agravantes motivo torpe, meio cruel e impossibilidade de defesa da vítima.

Do R7

Chuva causa transtornos, prejuízos

Chuva causa transtornos, prejuízos e até confusão em Rio Branco

Com o trânsito intenso de veículos, a água suja avança com mais força da rua e danifica mercadorias (Foto: reprodução/TV Gazeta)

Com o trânsito intenso de veículos, a água suja avança com mais força da rua e danifica mercadorias (Foto: reprodução/TV Gazeta)

Gislaine Vidal , Da TV Gazeta

A chuva que caiu na tarde desta quarta-feira em Rio Branco causou transtornos e até confusão. Vários pontos ficaram alagados e em um deles comerciantes fecharam a via usando veículos para impedir que mais água entrasse nos comércios.
Acompanhada de um forte vento, a chuva que caiu nesta quarta-feira em Rio Branco foi suficiente para causar prejuízos e transtornos. Motociclistas buscaram abrigo debaixo de postos de combustíveis. “Quem anda de moto é assim. Tem que esperar, já estou todo molhado”, conta o motoboy Carlos Silva.
Em um comércio no bairro Bosque, mesas e cadeiras foram derrubadas com o vento. Nesse período também houve queda de energia. Sem o semáforo funcionar, o trânsito no cruzamento da Avenida Ceará com José de Melo ficou complicado.

Pouco tempo de chuva em Rio Branco é suficiente para provocar vários pontos de alagamento. Na Avenida Getúlio Vargas por exemplo, nas três quadras que antecedem o Pronto Socorro, sentido bairro centro, as águas empoçadas transtornaram a vida dos condutores e comerciantes da via. A funcionária de lavanderia Esmeralda Moreno explica, que a cada chuva, o comércio contabiliza prejuízos. “É sempre assim. A água atinge mercadorias, e quem fica com o prejuízo é o dono do comércio”.
Com o trânsito intenso de veículos, a água suja avança com mais força da rua e danifica mercadorias. Alguns empresários chegaram a fechar as portas.
Comerciantes revoltados com a situação resolveram colocar seus veículos como barreira para impedir que os demais condutores atravessassem. A medida segundo eles, é pra evitar que com a velocidade dos carros, a água chegue até os comércios causando prejuízos. “Já pedimos providências, denunciamos na imprensa e nada foi resolvido. Essa é a saída que encontramos todas as vezes que chove. Fechamos a via. Hoje tem só eu e o outro empresário, em outras vezes tem mais veículos que fecham aqui”, disse o empresário Orides Neto que posicionou sua caminhonete na transversal.
A iniciativa dos comerciantes revoltou os demais condutores e passageiros dos coletivos. Um passageiro desceu do ônibus pra tentar convencer um dos comerciantes à liberar a avenida mas não foi ouvido.

Comerciantes resolveram colocar seus veículos como barreira para impedir que os demais condutores atravessassem (Foto: reprodução/TV Gazeta)

Comerciantes resolveram colocar seus veículos como barreira para impedir que os demais condutores atravessassem (Foto: reprodução/TV Gazeta)

Uma menina cambojana que viveu em estado selvagem

Ela foi identificada pelo seu pai devido a algumas cicatrizes 

Fonte da imagem: Reprodução/List Verse

Fonte da imagem: Reprodução/List Verse

Uma menina cambojana de oito anos de idade desapareceu e viveu em estado selvagem por 19 anos em uma floresta. Ela foi descoberta quando um homem viu a menina surgir nua na selva, tentando roubar a sua comida. Segundo a polícia, ela não tinha nenhuma fala inteligível.

Ela foi identificada pelo seu pai devido a algumas cicatrizes de infância nos braços.  As tentativas de reintegrar a moça na sociedade falharam, pois ela era incapaz de aprender o idioma local, preferia rastejar em vez de andar e se recusou a vestir roupas. Além disso, ela eventualmente fugia de volta para a floresta.

FonteList Verse

Um Homem foi encontrado vivendo em uma caverna

 Homem caverna

Fonte da imagem: Shutterstock

Fonte da imagem: Shutterstock

Um homem de 56 anos do Novo México foi encontrado vivendo em uma caverna na propriedade que pertencia ao Departamento de Energia. A moradia improvisada de Roy Moore foi equipada com uma cama, porta da frente, fogão a lenha, painéis solares e até rádio por satélite. Ele tinha vivido na caverna por 4 anos sem ser notado.

Entretanto, a fumaça do seu fogão chamou a atenção das autoridades, que também descobriram mais alguns detalhes por ali: uma singela plantação de maconha. Moore e seus pertences foram retirados e ele foi acusado de violação e crime de narcóticos.

FonteList Verse

O prefeito André Hassem atiçou a ira dos educadores de Epitaciolândia

Terceiro dia de Paralisação dos servidores da educação em Epitaciolândia é regado a churrasco

Alemão Monteiro 

O prefeito André Hassem atiçou a ira dos educadores alega que não tem como dar aumento mais superlota as escolar de funcionário provisórios -FOTO-ALEMÃO

O prefeito André Hassem atiçou a ira dos educadores alega que não tem como dar aumento mais superlota as escolar de funcionário provisórios -FOTO-ALEMÃO

A cada dia que passa se complica ainda mais a situação do Prefeito André Hassem diante da classe educacional, o Prefeito tem fugido do diálogo com a representante do Sinteac, e a classe parece está ciente que não recua enquanto não obtiver as causas ganhas.

O prefeito André Hassem atiçou a ira dos educadores desde quando se negou a dar aumento para a classe educacional que desde 2011 não tem reajuste. “Ele alega que não tem como dar  aumento mais superlota as escolas de funcionários provisórios, em 2012 a secretaria de educação municipal tinha cerca de 260 funcionários e hoje tem mais de 400”, disse Graça Rocha presidente do Sinteac.

Na manhã desta quarta-feira dezenas de funcionários foram acampar novamente em frente a Prefeitura e receberam o apoio de vereadores como Messias Lopes (PT), Raimundão (PR) e Ademir Sales (PT), além do vereador Portela (PPS).

“Os manifestantes levaram para a frente da Prefeitura caixas de som, panelas, churrasqueiras e carne, e vão dar uma resposta ao prefeito que na campanha eleitoral enganava a população prometendo mundos e fundos e até agora não cumpre com o prometido”, disse Pedro Mendes do Sinteac Epitaciolândia.

Temos informações que André está ameaçando os professores que participarem dos movimentos, uma professora que não quer se identificar disse que corre o risco de ser transferida para outra escola por está brigando pelos seus direitos.

Ao que se sabe, André tem se esquivado de conversar com o sinteac porque não quer dar o aumento desejado por eles que é de 20%, soubemos também que em conversa com seus assessores, André disse que não cede a pressão,e que a classe educacional terá que voltar para suas salas de aula sem aumento e pagando os dias em que estiveram e greve.

A qualquer momento traremos mais informações

FOTO-ALEMÃO

FOTO-ALEMÃO

FOTO-ALEMÃO

FOTO-ALEMÃO

FOTO-ALEMÃO

FOTO-ALEMÃO

FOTO-ALEMÃO

FOTO-ALEMÃO

FOTO-ALEMÃO

FOTO-ALEMÃO

FOTO-ALEMÃO

FOTO-ALEMÃO

FOTO-ALEMÃO

FOTO-ALEMÃO

FOTO-ALEMÃO

FOTO-ALEMÃO

FOTO-ALEMÃO

FOTO-ALEMÃO

Exame confirma que água distribuída está contaminada

confirmação de que a água que chega as casas dos consumidores é impropria para o consumo

Unidade Técnica de Água e Alimentos da UFAC (UTAL)

Unidade Técnica de Água e Alimentos da UFAC (UTAL)

Ray Melo, da redação de ac24horas 

Um exame encomenda pela vereadora Eliane Sinhasique a Unidade Técnica de Água e Alimentos da UFAC (UTAL) confirmou que a água distribuída em Rio Branco está contaminada. A parlamentar denunciou no dia (2) de setembro ao Ministério Pública Estadual (MPE) e ao Ministério da Saúde, o uso de polímero floculante vencido para fazer o tratamento da água que é consumida na capital. Na ocasião, o Depasa negou e disse que investigaria o caso.

No início da noite de terça-feira (10), Elianse Sinhasique recebeu a confirmação de que a água que chega as casas dos consumidores é impropria para o consumo. O que suscitou a investigação feita pela vereadora foi à denúncia da dona de casa, Arteniza Soares, moradora do bairro Ilson Ribeiro. “Fomos conferir a qualidade da água do Depasa. Coletamos uma amostra da água turva e encaminhamos para análise na UTAL”, diz Sinhasique.

Agua_doc_in1

Segundo a parlamentar, a filha de Maria Arteniza, Maria Eduarda, de oito anos, estava cheia de coceiras e o médico Laércio Medeiros Júnior, que a atendeu, no dia (3) de setembro, na Unidade de Saúde da Família, no Novo Calafate informou à mãe que a alergia da filha seria decorrente da água que elas usam. Eliane Sinhasique apresenta fotos que confirmam as irritações na pele da criança que tomava banho com a água do Depasa.

“As fotos falam por si, só. Elas serão também enviadas ao Ministério Público Estadual para apuração da denúncia que fizemos no início de setembro, que o Depasa usa produto químico vencido para fazer o tratamento de água na capital. Verificamos a data de validade do produto, além de um dos técnicos da distribuidora ter afirmado que o produto estava sendo usado. Ele fechou a vasão do polímero vencido na minha frente”, enfatiza Eliane Sinhasique.

A vereadora, que está em Brasília, destaca que vai pedir novas explicações aos gestores do Depasa. “Protocolei a denúncia no Ministério da Saúde, aqui em Brasília, relatando tudo o que está acontecendo (inclusive com fotos). Recebemos hoje o resultado da análise feita pela Unidade Técnica de Água e Alimentos da Ufac, que comprova que a nossa denúncia está correta: A água que é distribuída em Rio Branco não é própria para consumo”, finaliza.

Unidade Técnica de Água e Alimentos da UFAC (UTAL)

Unidade Técnica de Água e Alimentos da UFAC (UTAL)