Os consoles nunca foram tão populares quanto agora, já que os videogames se transformaram em companheiros quase inseparáveis da população mundial, se refletindo na crescente venda dos aparelhos nos últimos meses. O Nintendo Switch já atingiu a marca das 89 milhões de unidades vendidas – e com esse número, o híbrido da Big N ultrapassou outros consoles consagrados, como o PlayStation 3 (PS3) e o Xbox 360, que tiveram 87,4 e 86 milhões de unidades comercializadas, respectivamente.

Mas não para por aí, isso porque a sua fabricante, a Nintendo, ainda prevê que mais 25 milhões de unidades do aparelho sejam vendidas até o final deste ano fiscal, que termina em março de 2022. Com isso, caso o Switch realmente atinja a previsão, ele conseguiria quebrar o recorde estabelecido pelo Nintendo Wii, que vendeu 101 milhões de consoles. Todos esses números foram divulgados pela fabricante japonesa, e fazem parte do relatório de desempenho da empresa. Porém, não são apenas os consoles que têm tido uma grande demanda nos últimos tempos, as plataformas de jogatina online também têm caído no gosto do brasileiro, sendo que qualquer um pode aproveitar bônus do leo vegas cassino e se divertir com uma ampla gama de jogos, muitos deles ideais para quem gosta de jogar no celular.

Ainda assim, é impressionante que o Switch tenha conseguido vender 89 milhões de unidades, com uma previsão de comercializar mais 25 milhões até o final do ano fiscal. Isso porque assim que bater esses números, ele será o console de maior sucesso na história da Nintendo. No entanto, parece improvável, que o aparelho da Big N consiga superar as 155 milhões de unidades vendidas do PlayStation 2, o videogame mais comercializado no mundo.

Microsoft recuperando investimentos

Recentemente, a Microsoft revelou os resultados do seu último trimestre financeiro, que se encerrou em 30 de julho, e segundo a empresa, seu setor de games teve um aumento de 11%, o que representa um ganho de US$ 357 milhões, se comparado ao mesmo período do ano passado.

De acordo com a empresa, o que mais contribuiu para tal crescimento foi o aumento nas vendas dos Xbox Series X/S, sendo que no total, o setor de hardware teve um aumento de 172%. Porém, os serviços e conteúdos da empresa tiveram uma queda de 4% nas suas vendas. Mesmo tendo aumentado o número das assinaturas do Xbox Game Pass e venda de títulos first-party, a comercialização de games third-party teve uma queda acentuada.

A Microsoft ainda ressaltou que enfrentou várias dificuldades por conta da crise sanitária, principalmente em relação a vendas de jogos de companhias parceiras, já que essas empresas tiveram que se adaptar a um modelo de desenvolvimento de games remoto. Onde cada colaborador cumpria com suas obrigações em home office, o que gerou um certo atraso na produção e consequentemente na distribuição dos jogos.

Sony não fica atrás

Apesar da melhora das vendas dos Xbox Series X/S, aparentemente a Microsoft ainda não conseguiu ultrapassar sua principal concorrente, a Sony. A empresa japonesa revelou que desde o lançamento do PlayStation 5 (PS5) até o dia 28 de julho, contados exatos 120 dias, o PS5 conseguiu vender mais de 10 milhões de unidades. O videogame é um sucesso completo para a companhia, que diz não ter vendido porque tem encontrado dificuldades para repor os componentes de fabricação do aparelho.

Mas, ainda assim, o chefe do PlayStation na Sony, Jim Ryan, comemorou a marca alcançada, e afirmou que a empresa está empenhada em atender a demanda pelo aparelho. “Enquanto o PS5 alcançou mais casas mais rápido que qualquer um de nossos consoles anteriores, nós ainda temos um monte de trabalho pela frente, conforme a demanda pelo PS5 continua a superar a oferta”, comentou.

Desde de seu lançamento, os interessados em adquirir o console têm enfrentado uma certa escassez nos estoques das varejistas, e talvez isso piore ainda mais no Brasil, já que a Sony ajustou o preço dos aparelhos após uma redução no IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados) promovida pelo governo federal, o que deve aumentar ainda mais a sua demanda, já em média o PS5 ficará R$ 300 mais barato.