Assessoria – Pelo menos 120 profissionais das forças de Segurança do Estado e da União que atuam em regiões de fronteiras estão recebendo treinamento operacional de Atendimento Pré-hospitalar Tático, iniciado na manhã desta quinta-feira, 10, em Rio Branco. A primeira edição foi realizada na semana passada, em Cruzeiro do Sul, e formou 32 policiais civis, militares, penais, federais e rodoviários.

O treinamento faz parte de uma série de ações realizadas pela Secretaria de Estado da Justiça e Segurança Pública (Sejusp), que está atuando em parceria com a Secretaria de Operações Integradas do Ministério da Justiça, buscando a capacitação continuada dos profissionais que desempenham suas funções promovendo a segurança pública.

“Estamos trazendo instrutores de fora para o treinamento dos profissionais aqui do Acre. Queremos uma tropa preparada e capacitada para atuar nas mais diversas situações de combate à criminalidade, no resgate da ordem e na preservação da vida. Até o fim do ano, estaremos realizando outras capacitações”, destacou Paulo Cézar dos Santos, secretário de Estado da Justiça e Segurança Pública.

Com duração de dois dias, o curso terá aulas práticas e teóricas, que visam fornecer conhecimentos mínimos para a realização de procedimentos de emergência, em casos de lesões físicas graves que venham a colocar em risco a vida do profissional da Segurança, bem como a vida de outras pessoas.

O instrutor Vinícius Bucci, que veio do Paraná, explica a importância do treinamento: “Ministraremos aulas para que o policial saiba como agir em caso de ferimentos ou lesões graves, seja por arma de fogo ou por objeto perfuro-cortante, com técnicas para contenção de sangramento, controle e desobstrução de vias aéreas, manutenção da respiração e prevenção de hipotermia. Tudo para garantir a preservação da vida do profissional até a vinda de um atendimento mais especializado”, explica.

A representante da Secretaria de Operações do Ministério da Justiça (Seop), Andreia Sales, informa que o treinamento tem apoio do governo federal, por meio do Programa Nacional de Segurança nas Fronteiras e Divisas (Vigia). O programa tem como objetivo fortalecer as unidades operacionais estaduais de todo o país e dar suporte às secretarias, para que atuem no combate à criminalidade, principalmente em regiões de fronteira, com o pagamento de diárias, aquisição de equipamentos e capacitações.

“Um dos objetivos do programa é capacitar o operador para que possa atuar no combate à criminalidade com segurança. O que também é uma forma de valorização do profissional, dando a ele oportunidades e treinamento adequado para desempenho de suas funções”,  explica Andreia.

E veja também no 3 de Julho Notícias

Construção da Catedral – A primeira igreja foi construída por Dom Afonso Donnadieu, o primeiro vigário dos padres espiritanos na região no começo do século passado. Posteriormente nos anos 30, a região do Juruá foi dividida em duas prelazias. O Baixo Juruá continuou pertencendo a prelazia de Tefé, comandada por padres franceses e o Alto Juruá ficou sob comando dos padres alemães. A primeira catedral foi construída em madeira, porém, por não oferecer segurança aos fieis acabou em desuso. 

Acompanhe nossas Redes Sociais

Twitter 3 de Julho Notícias

Youtube 3 de Julho Notícias Vídeos

Página Facebook 3 de Julho Notíci

Veja o Vídeo:

Inscreva-se no Twitter 3 de Julho Notícias, seja membro e compartilhe.

Inscreva-se no Youtube 3 de Julho Notícias Vídeos, seja membro e compartilhe.

Inscreva-se na Página Facebook 3 de Julho Notíci, seja membro e compartilhe.