O assaltante Bruno Bittencourt foi agredido a golpes de tijolos e terçado até a morte na tarde desta sexta-feira, 4, após juntamente com mais dois bandidos render um motorista de aplicativo de 51 anos e feri-lo com um tiro no rosto. Com informações ac24horas

De acordo com informações da polícia, o motorista recebeu uma corrida para pegar um passageiro no Papouco, mais conhecido como bairro Dom Giocondo. Ao chegar ao destino, três criminosos renderam o trabalhador e o obrigaram a dirigir por vários bairros de Rio Branco.

Os bandidos que fazem parte da facção Comando Vermelho fizeram arrastão em várias paradas de ônibus e rodaram nos bairros na tentativa de matar membros da facção rival.

Após cometer os roubos, os criminosos obrigaram o motorista de aplicativo ir até a sua residência para roubar os seus pertences. Quando a vítima chegou próximo a sua casa, parou o veículo e entrou em luta corporal com um dos assaltantes, que efetuou um tiro que atingiu o motorista na região do rosto.

Com isso, membros da facção Bonde dos 13, que dominam o território do Recanto dos Buritis, ao escutarem o tiro, se deslocaram ao local e conseguiram pegar Bruno e o agrediram a golpes de tijolos e terçado na cabeça. Os dois bandidos que estavam com Bruno fugiram por uma área de mata.

Duas ambulâncias do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) foram acionadas, mas quando os paramédicos chegaram ao local nada puderam fazer pelo assaltante que já se encontrava morto. O motorista de aplicativo foi encaminhado ao Pronto-Socorro de Rio Branco em estado de saúde estável.

A área foi isolada pela Polícia Militar para os trabalhos do Perito em criminalística. A Polícia fez patrulhamento na região, porém não obteve êxito em prender os autores dos crimes. O corpo do assaltante foi encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML) para os exames cadavéricos. Os casos serão investigados pelos Agentes de Polícia Civil da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP).

E veja também no 3 de Julho Notícias

Veja o Vídeo Abaixo: Durante depoimento da médica à CPI, o senador Otto Alencar revelou que a médica conselheira de Bolsonaro não tem apreço pela ciência: “A senhora apostou em uma droga que podia dar certo ou não. E a ciência, por mais que a senhora tenha curso, não admite isso: querer apostar no escuro”.

Acompanhe nossas Redes Sociais

Twitter 3 de Julho Notícias

Youtube 3 de Julho Notícias Vídeos

Página Facebook 3 de Julho Notíci

Veja o Vídeo:

Inscreva-se no Twitter 3 de Julho Notícias, seja membro e compartilhe.

Inscreva-se no Youtube 3 de Julho Notícias Vídeos, seja membro e compartilhe.

Inscreva-se na Página Facebook 3 de Julho Notíci, seja membro e compartilhe.