Presidente Jair Bolsonaro / Fake News/ What’s app – Foto: Reuters | Reprodução

As equipes de comunicação de diversos estados identificaram uma “segunda onda de ataques coordenados” contra os governadores nas redes sociais. Segundo reportagem da Coluna do Estadão, do jornal O Estado de S. Paulo, os ataques e fake news foram intensificados a partir da segunda quinzena de fevereiro, quando Jair Bolsonaro culpou os governadores pela alta no preço dos combustíveis, e ganharam força no último final de semana, após ele divulgar uma tabela com informações distorcidas sobre os recursos federais repassados para os Estados combaterem a Covid-19. 

A maior parte das fake news está ligada às medidas restritivas, como o lockdown, adotadas por diversos governadores para tentar conter o avanço da pandemia e o colapso do sistema de saúde. No Ceará, por exemplo, uma das notícia falsas apontava a existência de um “decreto” baixando a medida por um período de 40 dias. A fake news trazia, ainda, a logomarca do governo estadual. 

No Piauí e no Maranhão, um mesmo texto com supostas medidas de restrição, incluindo o pagamento de multa no valor de R$ 180 para quem desobedece a determinação, circulou nas redes sociais e teve que ser desmentido oficialmente pelos governos locais.  

Para a secretária de Comunicação do Rio Grande do Norte, Maria da Guia Dantas, a situação é considerada “surreal”: “O Brasil com tantas mortes e, desde o final de semana, estamos gastando o precioso tempo da comunicação oficial para esclarecer sobre informações distorcidas”.

Em São Paulo, a Casa Militar vem monitorando as ameaças feitas diretamente contra o governador João Doria (PSDB) que, segundo a reportagem, foram intensificadas após ele anunciar que o Estado estava entrando na fase vermelha para o conter avanço do coronavírus. 

Veja Abaixo Matéria relacionada:

Casa comprada por Flávio Bolsonaro vale muito mais do que R$ 6 milhões, diz Eduardo Moreira

E veja também no Plantão 3 de julho noticias:

Veja o Vídeo: Uma briga de estudantes que compareceram a uma Assembleia no bloco de Ciências Financeiras da Universidade Pública de El Alto (UPEA) terminou em tragédia. A partir de 17:00, o número de mortos subiu para sete, quatro homens e três mulheres, enquanto outros quatro estudantes universitários são hospitalizadas.

Acompanhe nossas Redes Sociais

Twitter 3 de Julho Notícias

Youtube 3 de Julho Notícias Vídeos

Página Facebook 3 de Julho Notíci

Veja o Vídeo:

Inscreva-se no Twitter 3 de Julho Notícias, seja membro e compartilhe.

Inscreva-se no Youtube 3 de Julho Notícias Vídeos, seja membro e compartilhe.

Inscreva-se na Página Facebook 3 de Julho Notíci, seja membro e compartilhe.