Tendo que lidar com um caos inimaginável provocado pelos surtos de Dengue, Covid-19 enchentes, Bocalom precisa dar respostas rápidas e eficiente em todas essas frentes de luta em que precisa ainda, assumir a liderança da batalha

Quando assumiu a prefeitura da maior cidade do Acre em janeiro de 2021, o prefeito Tião Bocalom certamente tinha clareza de que os desafios seriam muito maiores do que os de Acrelândia a 16 anos atrás.

Ainda com sua equipe em formação, Bocalom vai montando o grupo que tem a missão de executar as ações estipuladas no seu ousado plano de governo e assim fazer valer a oportunidade recebida pela população de Rio Branco.

Pontos positivos

Bocalom tem autonomia sobre seus nomeados: Estes precisam alnhar na sua maneira de gerir, pois não contam com padrinhos extras prefeitura, que lhes dê a liberdade de fazer o que bem desejam, como acontece em outras esferas da administração.

Independência do Parlamento Municipal: Os vereadores estranharam, mas como foi prometido pelo próprio Bocalom, os vereadores tem toda liberdade para atuar nas suas prerrogativas do mandato. Sem fazer barganha de cargos para ter apoio na câmara, Bocalom tem deixado os vereadores a vontade e livres para atuarem como verdadeiro fiscais do executivo.

Anúncio de recursos já garantidos para revitalização do Igarapé São Francisco: Essa é uma medida que se concretizada irá resolver quase que por definitivo, os problemas de enchentes provocadas pelas forças das chuvas torrenciais.

Construção de casas populares para retirar as famílias das margens dos Igarapés: Bocalom afirmou ter conversado com o presidente nacional da Caixa Econômica, sobre o projeto inovador de construção de casas habitacionais em Rio Branco. Segundo o prefeito, as ratativas serão conversadas essa semana e a elaboração do projeto será inovador. O prefeito afirmou que não construirá conjuntos, mas aglomerado de pequenos prédios, nas proximidades de cada morador afetado por passagem de córregos e igarapés.

Essas ações, são alguns dos acertos da gestão até esse momento, que apenas com dois meses de mandato, não pode ser exigida de maneira mais aprofundada.

Pontos Negativos

Não ter preparado um plano de enfrentamento ao Surto de Dengue e Covid-19: Rio Branco é a cidade com maior índice de infecção pela dengue e não se viu aquela grande operação de inverno, que é realizada todo ano. A retirada de entulhos, limpeza de córregos e ação dos agentes de endemias está muito devagar.

Negligencia seu papel de líder no enfrentamento a Covid-19: Desde que assumiu, o prefeito tem negado o caos sanitário, as UTI’s do Acre colapsadas e não se ver o engajamento da gestão, na guerra contra o vírus.

Barbeiragens na vacinação: Foi claro o desgaste da administração em relação as trapalhadas nesse inicio de imunização dos idosos e demais grupos prioritários em Rio Branco.

Plano de contingêcia para socorro aos atingidos pelas fortes chuvas: Foram centenas de pessoas atingidas pelo maior volume de chuva dos últimos anos, estes ficaram na bronca com Bocalom, que deixou toda ação desgovernada e se mandou para uma semana em Brasília.

Comunicação: A equipe de comunicação do prefeito Bocalom, pode ser uma das principais responsável por algumas coisas não darem certo até aqui. Sem traquejo com os meios de comunicações locais, o seu secretário precisa precisar compreender urgente o tamanho da missão que foi dada.

Viagens a Brasília: As sucessivas de viagens do prefeito a capital federal é motivo de seu maior desgaste, até meme já virou. Bocalom precisa ir sim a Brasília, a final estamos em um momento delicado, mas a permanência do líder na linha de frente das ações implementadas nesse momento é primordial.

São apenas dois meses e a equipe de Bocalom ainda é nova e em formação, precisamos dar os seis meses de tolerância para um início de uma administração.

Matéria Relacionada: 

Prefeito Bocalom veio no mesmo avião da comitiva de Bolsonaro, mas depois foi rifado do sobrevoo pelas áreas mais afetadas da cheia do Rio Acre, em Rio Branco

E veja também no Plantão 3 de julho noticias:

Veja o Vídeo: A Deputada Perpétua Almeida e o deputado Edvaldo Magalhães através de seu Gabinete Solidário levaram centenas de cestas básicas e água potável aos desabrigados nos 10 município que mais sofreram com a cheia dos rios no Acre. Famílias perderam tudo, desde objetos pessoais, as lavouras, principalmente pequenas plantações da agricultura familiar. Dez cidades do Acre sofrem com alagação de rios e mais de 121 mil pessoas estão afetadas. Mais de 200 militares vinculados ao Comando Conjunto da Amazônia atuam na Operação Enchente no Acre.

Acompanhe nossas Redes Sociais

Twitter 3 de Julho Notícias

Youtube 3 de Julho Notícias Vídeos

Página Facebook 3 de Julho Notíci

Veja o Vídeo:

Inscreva-se no Twitter 3 de Julho Notícias, seja membro e compartilhe.

Inscreva-se no Youtube 3 de Julho Notícias Vídeos, seja membro e compartilhe.

Inscreva-se na Página Facebook 3 de Julho Notíci, seja membro e compartilhe.