Enquanto a ajuda federal não chega, o Estado vai continuar dando suporte ao município, garante a secretária da SEASDHM, Ana Paula Lima – Foto: Diego Gurgel

Assessoria – O secretário Nacional de Assistência Social, do Ministério da Cidadania, Miguel Ângelo Gomes esteve nesta sexta- feira, 19, em Assis Brasil para conhecer a situação em que estão os imigrantes estrangeiros que ocupam desde o último domingo, 14, a ponte da Integração, na fronteira do Brasil com o Peru.

Acompanhado por uma equipe técnica e pela secretária de Estado de Assistência Social dos Direitos Humanos e de Políticas para Mulheres (SEASDHM), Ana Paula Lima, Gomes foi até o local onde mais de oitenta estrangeiros, a maioria haitianos, estão acampados em barracas do lado brasileiro da ponte. O representante do governo federal foi recebido pelo governador da Província se Madre De Dios, Luis Guillermo Hidalgo Okimura e pelo prefeito de Iñapari, Abraão Cardoso.

As autoridades peruanas disseram que o governo do país está estudando uma forma para liberar a passagem dos imigrantes pelo território, mas que por enquanto a fronteira não será liberada. Luis Guillermo falou que o ministro do Meio Ambiente do Peru, Gabriel Quijandria estará em Iñapari no próximo domingo, 21, trazendo uma posição do presidente do Peru. Ele lamentou a invasão praticada pelos estrangeiros e ressaltou que a atitude pode atrasar as tratativas entre Brasil e Peru.

“Queremos resolver da forma mais democrática possível esse impasse, mas a decisão de abrir a fronteira depende do presidente. Vamos aguardar as orientações vinda de Lima, mas até lá estamos abertos para qualquer conversa”, garantiu.

O representante do governo federal disse que o problema exige uma solução imediata, mas reconhece que por se tratar de uma situação diplomática, ele também depende da instância superior. Ângelo garantiu que o Ministério da Cidadania vai intervir e ajudar o estado e o município no enfrentamento da crise humanitária na fronteira. “Viemos para conhecer a realidade e ouvir as demandas da prefeitura que está na linha de frente dessa situação. De posse do relatório detalhado iremos agilizar a ajuda dentro daquilo que a urgência nós permite”, diz.

Enquanto a ajuda federal não chega, o Estado vai continuar dando suporte ao município, garante a secretária da SEASDHM, Ana Paula Lima, que levou também uma equipe de técnicos para auxiliar a equipe municipal na execução das ações de assistência aos imigrantes. Desde o início da crise na fronteira, o governo do Estado já destinou mais de duas toneladas de alimentos e outros itens para os abrigos onde estão os estrangeiros.

“Trouxemos aqui o governo federal para que eles vissem que o problema exige a união de forças. O Estado vem fazendo a parte dele, mas é preciso a ajuda do governo federal. Acredito que essa visita vai resultar em uma ação capaz de canalizar recursos e ações urgentes em favor dos imigrantes”, acredita.

E veja também no Plantão 3 de julho noticias:

Coronavírus: Saúde colapsada por conta do grande número de pessoas infectadas; enchentes nos Rios: Acre, Yaco, Tarauacá, Purus, Juruá e seus afluentes que tem atingido níveis alarmantes e a inércia do governo federal e da bancada federal acreana. O Acre enfrenta muitos outros problemas sérios. Assista o vídeo e saiba das reais situações em que se encontra o estado do Acre.

Acompanhe nossas Redes Sociais

Twitter 3 de Julho Notícias

Youtube 3 de Julho Notícias Vídeos

Página Facebook 3 de Julho Notíci

Veja o Vídeo:

Inscreva-se no Twitter 3 de Julho Notícias, seja membro e compartilhe.

Inscreva-se no Youtube 3 de Julho Notícias Vídeos, seja membro e compartilhe.

Inscreva-se na Página Facebook 3 de Julho Notíci, seja membro e compartilhe.