Imigrantes da fronteira do Acre com o Peru na terça-feira (16) — Foto: Jefson Dourado.

Uma portaria do Ministério da Justiça e Segurança Pública, publicada nesta quinta-feira (18), autoriza o emprego da Força Nacional no Acre, no apoio às forças policiais no estado. A autorização é válida por 60 dias e pode ser prorrogada. Do G1 Acre.

A determinação estabelece que as Forças Nacionais devem auxiliar “nas atividades de bloqueio excepcional e temporário de entrada no País de estrangeiros, em caráter episódico e planejado”.

A autorização se segue ao aumento da tensão na cidade acreana de Assis Brasil, onde imigrantes, em sua maioria haitianos, tentam atravessar para o Peru, cujas fronteiras estão fechadas por causa da pandemia do novo coronavírus.

Em nota, o Ministério da Justiça disse que o reforço de efetivo já foi enviado ainda na tarde de quarta-feira (17) e já está na alfândega e Ponte Binacional. Segundo o decreto, o reforço é apenas na cidade de Assis Brasil. Destaca ainda que a decisão de fechar ou não o acesso dos imigrantes à cidade é do governo do estado do Acre.

A Secretaria Estadual de Justiça e Segurança Pública (Sejusp) informou que, por enquanto, a Força Nacional está reforçando a segurança na fronteira juntamente com o batalhão de choque da Polícia Militar e Grupo Especial de Fronteiras (Gefron) e que ainda aguarda uma posição do governo do Estado para saber se vai bloquear ou não a entrada dos estrangeiros.

A assessoria do governo do estado informou que o Ministério autorizou esse fechamento, mas que o Estado ainda avalia se vai fechar ou não a fronteira.

Caos social

O prefeito de Assis Brasil, Jerry Correia, disse que a chegada da Força Nacional é um reforço não só na Segurança, mas também na questão de atendimento aos imigrantes.

De acordo com ele, atualmente há 270 imigrantes nos abrigos e mais 150 acampados na ponte, além dos que estão nas ruas da cidade. Ele diz ainda que a preocupação é mais sobre a saúde pública devido à proliferação do coronavírus.

Uma haitiana de 30 anos está no Hospital do Alto Acre, em Brasileia, entubada devido à gravidade do quadro de Covid. Cinco pessoas da equipe de assistência social que atendem os imigrantes estão afastado porque também estão com Covid.

“É muita gente na cidade e os imigrantes não usam máscara. O governo vai ajudar na testagem, mas o problema não é a quantidade de testes, porque estamos com dois abrigos, não temos mais espaço físico e precisamos ter um plano de testagem, precisamos pensar em uma nova estrutura para ser montada e receber os que testarem positivo”, disse.

Assis Brasil é a cidade com a maior taxa de contaminação a da Covid-19 no Acre. De acordo com o boletim da Secretaria de Saúde do Acre (Sesacre) da quarta-feira (17), são 1.376 casos para cada 10 mil habitantes na cidade. Em todo o município, há 1.037 casos confirmados e 12 mortos.

Correia fala ainda que espera que o governo federal ajude na montagem dessas estruturas.

“As Forças Armadas têm condições estruturais e pessoal pra fazer essa estrutura rápida, o que Assis Brasil precisa hoje é que o governo federal monte uma estrutura grande aqui, uma estrutura suficiente para atender essas pessoas dentro do contexto da pandemia. Assis Brasil não deu ainda essa estrutura porque é uma preocupação de saúde pública com a população. Não é só questão de receber os imigrantes, mas temos uma população que está apreensiva e com medo de ter uma tragédia no que diz respeito a saúde pública e só o governo federal tem como montar um verdadeiro campo de refugiados aqui. É um caos social”, disse.

Imigrantes em Assis Brasil

No domingo (14), cerca de 400 imigrantes deixaram os abrigos que ocupavam em Assis Brasil e acamparam na Ponte da Integração, na fronteira com o Peru. Os imigrantes tentavam deixar o país, mas foram barrados pelas autoridades peruanas.

Na terça-feira (16), os imigrantes enfrentaram a polícia peruana e invadirem a cidade de Iñapari, no lado peruano da fronteira. Depois de confronto, o grupo foi reunido pelos policiais peruanos e mandados de volta para Assis Brasil. Parte do grupo aceitou voltar para os abrigos cedidos pela prefeitura, mas alguns imigrantes seguem ocupando a Ponte da Integração.

Emergência no Acre

Na terça-feira (16), o governador do Acre, Gladson Cameli, decretou situação de emergência em parte do estado. Na quarta (17), o governo também instalou um gabinete temporário de crise, capitaneado pela Secretaria de Estado da Casa Civil, para gerenciar a situação no estado. Além da questão migratória em Assis Brasil, o Acre enfrenta surto de dengue, cheias nos rios e falta de leitos de UTI para tratamento de pacientes de Covid-19.

Imigrantes seguem acampados na ponte de Assis Brasil — Foto: Arquivo/Assistência Social de Assis Brasil

E veja também no Plantão 3 de julho noticias:

Veja o Vídeo Abaixo: Aconteceu há cinco horas de Assis Brasil, o desaparecimento de um indígena que teria ido se banhas nas águas do Rio Acre e desde então teria desaparecido, o Corpo de Bombeiros fez buscas durante dois dias e na manhã desta quarta-feira, o corpo foi encontrado boiando. De acordo com familiares a vítima estaria sob efeito de bebida alcóolica.

Acompanhe nossas Redes Sociais

Twitter 3 de Julho Notícias

Youtube 3 de Julho Notícias Vídeos

Página Facebook 3 de Julho Notíci

Veja o Vídeo:

Inscreva-se no Twitter 3 de Julho Notícias, seja membro e compartilhe.

Inscreva-se no Youtube 3 de Julho Notícias Vídeos, seja membro e compartilhe.

Inscreva-se na Página Facebook 3 de Julho Notíci, seja membro e compartilhe.