Questionado por diversos setores da imprensa quanto aos nomes que comandarão as pastas da administração municipal, o prefeito eleito de Rio Branco prefere o suspense. Bocalon disse que só divulgará os primeiros nomes no dia da posse, em primeiro de janeiro e não adianta fazer pressão.

Nós conversamos com algumas pessoas próximas ao prefeito Bocalon, para saber por qual motivo fazer suspense por uma questão tão óbvia. Um nos disse que ele é assim, centralizador e gosta de que as decisões passem por ele; no caso quem manda.

Outra fonte nos afirmou que, Bocalon do diálogo, mas que gosta de saber de tudo que se passa em sua gestão, foi assim sempre e que alguns terão dificuldades de trabalhar com ele.

“Ele não tem o perfil do Governador Gladson Cameli, que deixa os secretários bem à vontade. Bocalon terá controle da administração, saberá de cada detalhe e quem não rezar em sua cartilha não irá dura muito tempo, ”, disse um amigo de Bocalon.

Quanto a participação da vice-prefeita Marfisa Galvão (PSD) nas indicações dos cargos, isso também é uma incógnita, mas o que se sabe é que ambos andam bem alinhados, inclusive Bocalon quer que Marfisa comande algumas pastas na gestão.

O certo é que com a intransigência de Bocalon, em não querer divulgar uma relação do secretariado poucos dias antes da posse, mostra sim, seu estilo centralizador.